https://periodicos.ufv.br/RPV/issue/feed REVISTA PONTO DE VISTA 2021-04-21T00:00:00-03:00 Leomar Tiradentes pontodevistacoluni@ufv.br Open Journal Systems <p align="justify">A Revista Ponto de Vista&nbsp; (ISSN 1983-2656) surgiu como um espaço para a expressão daqueles, que não só veem a educação como um instrumento para o desenvolvimento do país, mas também a concebem como um processo contínuo de estudos, descobertas e criações que devem ser compartilhadas. Com uma periodicidade semestral, propõe-se preferencialmente subsidiar o trabalho, a formação e a atualização dos profissionais de ensino, promovendo a interlocução e a reflexão nas diversas áreas do saber. Esse é o compromisso da revista PONTO DE VISTA que convida educadores e ou outros profissionais de diferentes áreas e níveis de ensino, a enviarem para publicação, artigos, resenhas, relatos de experiências entre outros.</p> https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11884 Do pause ao play - um novo modelo de aula 2021-02-25T11:02:22-03:00 Mairon Neves Figueiredo maironnf@gmail.com <p>Já estamos em 2021 e o problema da pandemia de COVID 19 ainda assombra a educação pública no Brasil (BRASIL, 2020). Por todo o país se percebem severas limitações na implantação de políticas públicas voltadas a inserção do ensino remoto na grade escolar (PAZ, 2020). Quando bem implementado esse modelo de ensino agrega interatividade mesmo a conteúdos complexos e possui diversos potenciais benefícios aos estudantes (FIGUEIREDO, 2020). As vídeos-aulas, quando disponibilizadas aos alunos apresentam um enorme potencial no estimulo ao ensino e a qualidade do aprendizado. As aulas remotas possibilitam que o conteúdo exposto apesar de breve possa ser interativo agregando aos vídeos vantagens únicas.</p> <p>Neste modelo de ensino os estudantes podem assistir assiduamente as aulas, repetindo e revendo o material até que se busque uma melhor compreensão. Assim, temas de grande complexidade, que presencialmente necessitariam de horas de explicações e interações estudante-professor, podem ser assistidos novamente (ROESLER; CERON; ANDRADE, 2003). Logo o estudo pós-aula, tende a ser melhor aproveitado, visto que as falas podem ser assistidas até que a interpretação atinja o a mensagem proposta em aula.</p> <p>Os vídeos também possibilitam a que o aluno exerça o poder de pausar e continuar o estudo quando melhor lhe convém. Assim é possível que o estudante assista apenas trechos de uma aula, ou mesmo no horário e nos momentos em que o vídeo proporcione um conteúdo mais necessário.</p> <p>Outro grande diferencial se refere a possibilidade de aceleração dos vídeos. Trechos longos e com falas espaçadas e lentas podem ter seu tempo de estudo comprimido sem que exista perda na compreensão. Com o tempo os estudantes são capazes de acelerar trechos e otimizar o aprendizado do conteúdo em um tempo hábil bem menor.</p> <p>Certamente as plataformas que utilizam vídeos aulas como ferramentas de estudos auxiliam na complementação do aprendizado (ALVES, 2011). Do mesmo modo, vale lembrar que desde o ensino fundamental, médio e superior (BRASIL, 2017)&nbsp;a realidade na dinâmica das aulas e o contato aluno-professor são bem diferentes. Entretanto o empasse em estimular a volta as aulas presenciais bate de frente com a necessidade do isolamento social (WHO, 2020), obrigando a adoção dos meios digitais de ensino. Assim é de grande valia analisar e planejar o uso dessas ferramentas de ensino, mesmo durante o período pós-pandêmico, já que seu legado pode vir a trazer grandes avanços ao ensino.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/12396 Editorial v. 10, n. 1. 2021-04-19T19:36:07-03:00 Comitê Editorial pontodevistacoluni@ufv.br 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11417 O trabalho das equipes multiprofissionais na educação: 10 anos do grupo de pesquisa TEDis 2021-02-25T20:21:41-03:00 Andréa Marcia Legnani andrea.legnani@hotmail.com <p>Resenha Livro: O TRABALHO DAS EQUIPES MULTIPROFISSIONAIS NA EDUCAÇÃO: 10 ANOS DO GRUPO DE PESQUISA TEDis</p> <p>&nbsp;</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11508 Educação Física escolar em tempos de pandemia: O trabalho em uma escola com jogos e brincadeiras tradicionais durante o Regime Especial de Atividades não Presenciais na rede estadual de ensino de Minas Gerais 2021-01-14T19:56:37-03:00 Filipe Gabriel Ribeiro França filipe.gfranca@yahoo.com.br Luciana de Freitas Gomes luciana.freitas.gomes@edicacao.mg.gov.br <p>O presente trabalho tem como objetivo relatar as experiências desenvolvidas pelo componente curricular Educação Física com os jogos e brincadeiras tradicionais durante o regime especial de atividades não presenciais proposto pela rede estadual de ensino de Minas Gerais. As experiências relatadas foram vivenciadas nas aulas de Educação Física por turmas dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental em uma escola pública estadual na cidade de Juiz de Fora – MG. Em diálogo com os estudantes e responsáveis foram apresentadas propostas de jogos e brincadeiras tradicionais que pudessem ser realizados em casa, tendo em vista o contexto de isolamento social decorrente da pandemia de Covid-19 ocorrido no ano escolar de 2020. As atividades sugeridas levaram em consideração a possibilidade a adaptação do espaço para as suas vivências e a construção de materiais alternativos e adaptados com recursos presentes em casa quando necessário. Metodologicamente tomamos os jogos e brincadeiras tradicionais como um dos saberes que devem ser trabalhados nas aulas de Educação Física escolar, ressaltando a importância de observarmos a cultura popular presente no contexto regional e comunitário, assumindo-a enquanto construção cultural, histórico e social. Nessa abordagem sobre os jogos e brincadeiras tradicionais os estudantes foram capazes de se expressarem conscientemente e realizarem reflexões críticas sobre como as práticas eram vivenciadas no passado e na atualidade e puderam compreender a importância do movimento e da continuidade das atividades Educação Física escolar mesmo à distância.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11602 A prática do estágio na formação docente: um olhar sobre a experiência vivida no CAp - COLUNI/UFV no contexto presencial e remoto, em virtude da pandemia do COVID-19. 2021-02-19T11:43:31-03:00 Geisevânia da Silva Martins geisevania.martins@ufv.br Marco Túlio Cunha da Silva Moreira marco.cunha@ufv.br Maik Taylor da Silva maik.silva@ufv.br Yann Nogueira da Costa yann.costa@ufv.br Leomar Tiradentes leotiradentes@ufv.br <p>O estágio é uma forma de aprendizado e como tal, deve ser feito visando ao máximo preparar o licenciando para lidar com os desafios inerentes da carreira docente. Com base em algumas importantes referências bibliográficas e também toda a nossa trajetória no estágio até aqui, buscaremos nesse texto compartilhar vivências e momentos do cotidiano de quatro estagiários do curso de Geografia da Universidade Federal de Viçosa (UFV). O estágio ocorreu no Colégio de Aplicação COLUNI-UFV. Detalharemos nesse breve relato nosso contato direto, pela primeira vez, com a sala de aula de uma escola após nosso ingresso no curso de licenciatura em Geografia pela UFV. Também apresentaremos como ocorreram nossas experiências com os mais variados locais e pessoas que compõem o ambiente escolar, como as áreas comunitárias, as salas de aulas, laboratórios, as salas dos professores, e os próprios professores, alunos e demais profissionais que compõe o corpo administrativo. Além disso, também buscamos trazer nesse relato as mudanças que ocorreram devido à pandemia de COVID-19. Fazendo com que nosso estágio passasse a ser executado, depois de alguns meses paralisados de forma completamente remota via tecnologias digitais e online. Por fim, também faremos uma diferenciação entre a modalidade presencial e remota, destacando os pontos positivos e negativos que acompanham essa mudança.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11832 Representatividade importa: um relato de experiência sobre o PIBID e as contribuições do letramento racial crítico para o ensino de inglês 2021-02-02T00:22:44-03:00 Rafael Macário Fernandes rafael.macario@live.com Hilen Pulinho Alves hilen.alves@ufv.br Gabriela da Silva Pires gabriela.pires@ufv.br <p>Este relato, desenvolvido por um grupo de estudantes da Universidade Federal de Viçosa (UFV) – bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) – baseou-se em uma aula de língua inglesa ministrada em uma escola da rede pública da cidade de Viçosa/MG. Nossa aula teve como foco a prática do letramento racial crítico (LRC) &nbsp;sob a luz da representatividade negra na mídia. Para isso, baseamo-nos nos estudos de Ferreira (2014, 2018) e Santos (2020). Fazendo uso de materiais diversificados e priorizando a comunicação oral, objetivamos contribuir para a formação sociocrítica dos alunos através do ensino da língua estrangeria. Dentre as discussões apresentadas neste relato, destacam-se a produtividade do LRC como abordagem pedagógica que proporciona visibilidade e diversidade no ambiente escolar ao mesmo tempo em que desconstrói pensamentos racistas, e a importância de se trabalhar a representatividade na mídia como forma de questionar representações estereotipadas que acarretam a internalização de práticas preconceituosas. Na parte final do trabalho, apontamos para, dentre outras questões, a relevância de práticas educacionais que possibilitem o exercício da cidadania em sala de aula e que promovam a conscientização dos alunos acerca da multiplicidade racial e cultural humana.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11816 Choro: Um movimento de transição da música nacional 2021-02-11T22:57:16-03:00 Luiz Pereira luizmope@gmail.com Sílvio Rodrigo de Moura Rocha silviorocha@ufv.br <p>Este trabalho apresenta o resultado de cerca de sete meses de uma pesquisa bibliográfica e discográfica do que, segundo Paula Veneziano (2013), “foi a primeira música urbana tipicamente brasileira”. Nesse contexto, este artigo tem como objetivo não apenas confirmar essa premissa de o choro ser considerado um representante urbano da música durante o Romantismo e o Realismo, mas também o objetivo de gerar mais conteúdo científico sobre um dos movimentos culturais mais importantes do Brasil, apesar de ainda existir uma quantidade escassa de estudos e materiais de pesquisa sobre esse gênero musical. Com isso em mente, procura-se explicar o choro conforme suas origens e formação, e introduzir alguns conceitos teóricos básicos para que possamos, por último, fazer a análise de choros tradicionais, a fim de comprovar a tese.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11907 O Dógma e a fé: práticas religiosas populares no catolicismo reformado. 2021-02-12T20:03:52-03:00 José Leandro Peters jose.peters@ufv.br Cecília Marcelini Santos ceciliamarcelini01@gmail.com <p>Este artigo tem como objetivo apresentar uma pesquisa de Iniciação Científica, desenvolvida ao logo dos anos de 2019 e 2020 na Universidade Federal de Viçosa / Campus Florestal. O estudo teve como foco central as relações entre o catolicismo popular e os anseios da Reforma Ultramontana. Nos esforçamos em compreender como, em meio às propostas de silenciamento de práticas religiosas tradicionais, essas formas de manifestação da fé resistiram. Trabalhamos com um conjunto documental selecionado, composto por crônicas, cartas ânuas e fotos reunidas em livros organizados pela Congregação do Santíssimo Redentor. Para alcançarmos nossos propósitos, nos baseamos nos princípios teórico-metodológicos estabelecidos por Nicola Gasbarro, em que se diferencia a ortodoxia da ortoprática e considera que as normas existem, mas na prática elas são questionadas e podem ser alteradas, perdendo alguns dos seus pressupostos iniciais.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11444 Cidade encantadora é Conceição da Barra 2021-02-19T11:34:52-03:00 Zoziane Bernardo Tolentino zozianebernardo@hotmail.com <p>Descrição dos aspectos culturais e paisagísticos de Conceição da Barra - ES. </p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11893 Inquietações euclidianas 2021-02-17T15:21:35-03:00 Regina Simplício Carvalho resicar@ufv.br Silvana Marchesani marchesani@ufv.br <p>xxxxx</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11574 Pindorama contra Brazil 2021-01-14T23:29:34-03:00 José D'Assunção Barros jose.d.assun@globomail.com <p>poema para a seção 'Outros Olhares')</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11803 A importância da educação à distância na formação do profissional de pedagogia 2021-01-27T12:56:53-03:00 Aline Maganin Martins de Oliveira alinemaganin@hotmail.com <p>O presente trabalho teve como objetivo analisar a importância da Educação à Distância <br />na formação do profissional de Pedagogia. A metodologia consistiu na pesquisa bibliográfica; foram coletadas obras em formas de livros, artigos e materiais disponíveis na internet. A pesquisa se justifica por entender que as práticas da Educação à Distância deixaram de ser um assunto periférico e assumiu um lugar de destaque no cenário da educação brasileira e mundial. Considerando o pedagogo, compreende-se que esse profissional deve estar em constante formação, para que possa atuar de forma satisfatória tanto em ambientes escolares como em não escolares. Foi possível conceituar a Educação <br />à Distância como uma modalidade de ensino não presencial, onde o processo de ensino e<br />aprendizagem ocorre através do uso da internet e aparelhos tecnológicos. Muitos profissionais não conseguem conciliar o trabalho com os estudos, visto que as aulas no formato presencial exigem que os alunos frequentem fisicamente a instituição de ensino. A educação à distância permite que o aluno encontre o tempo adequado, assim como utilize o espaço físico disponível para se formar ou dar continuidade à sua formação</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11694 Sobre os livros: as perspectivas de Michel de Montaigne, Walter Benjamin e Theodor Adorno 2021-02-06T20:25:07-03:00 Carlos Eduardo Oliva de Carvalho Rego caduardoliva@gmail.com Maíra Aparecida Reis Costa mairapreisc@gmail.com <p>Relatamos uma pesquisa empreendida por dois professores da educação básica, refletindo uma prática pedagógica de estímulo à relação dos alunos com livros, em que buscamos ensaios sobre os livros como objeto de análise e sua relação com nossas subjetividades, desde o ensaio cético de Michel de Montaigne intitulado <em>Dos Livros </em>até os ensaios críticos intitulados <em>Desempacotando Minha Biblioteca</em> e <em>Caprichos Bibliográficos</em>, respectivamente, de Walter Benjamin e Theodor Adorno. Pretendemos, com este relato, abordar como os livros foram interpretados em tais perspectivas cética e crítica, sugerindo sua importância para a subjetividade humana, em um momento em que as novas tecnologias de informação e comunicação parecem tão centrais no debate sobre a sociedade e suas expectativas respeitantes à educação de crianças e jovens. Para nós, cabe, neste momento, reavaliarmos recursos como os livros e sua importância para apoio cognitivo e emocional dos alunos.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11872 A visão de estudantes de licenciaturas sobre o uso de vídeo na formação docente 2021-02-19T17:37:15-03:00 Samira Bahia e Castro samirabahia@yahoo.com.br Silvana Claudia Santos silcsantos@yahoo.com.br <p>Esse artigo é fruto de uma pesquisa que investigou, a partir das perspectivas de estudantes de licenciaturas de uma Universidade Federal mineira, como o vídeo tem sido utilizado enquanto recurso didático na formação docente. Partimos do princípio que o vídeo consiste em um recurso que pode despertar a criatividade, o interesse e favorecer diferentes dimensões cognitivas de estudantes em contextos educacionais diversos, podendo vir a assumir um papel relevante nos processos de ensino e aprendizagem. Para fins de produção de dados, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com grupos de estudantes dos cursos de licenciatura em Pedagogia, História e Letras, visando identificar as visões desses futuros professores em relação ao uso de recursos audiovisuais na sua formação docente. Como resultados, obtivemos que os estudantes entendem que este tipo de tecnologia digital pode potencializar a aprendizagem, porém não se reconhecem totalmente preparados para utilizá-la na futura prática como docentes e sentem falta de uma formação específica que aborde sobre a produção e a utilização dessa tecnologia no ensino. Assim, esse estudo se mostrou importante, uma vez que ofereceu elementos que contribuem com o debate atual acerca do uso do vídeo e das tecnologias digitais, em geral, na Educação.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11754 Manifestações Religiosas e a Defesas dos Direitos Sociais e Ambientais: Um estudo de caso no Município de Teixeiras-MG 2021-01-21T19:55:43-03:00 Geovanna Laura Santos Januário Geovanna.januario@ufv.br Edson Soares Fialho fialho@ufv.br <p>A atividade econômica da mineração, não apenas gera impactos sobre os elementos físicos da natureza, mas também atingem a toda comunidade do entorno imediato, que na busca de se proteger, canalizam forças para a defesa do direito à terra e dos direitos sociais. Assim, a presente pesquisa busca demonstra como a religiosidade, junto aos movimentos sociais e ambientais, e suas influências no município de Teixeiras – MG, onde a implantação e atividade da ação da mineradora Zona da Mata Mineira – ZMM - estão em vigor, gerando diversos conflitos e divergências. Para isso, o procedimento utilizado para coleta de informações foi o método da observação participante, que consiste na participação do pesquisador nas atividades cotidianas relacionadas a uma área da vida social, a fim de estudar aspectos de vida da comunidade, Nesse sentido, acompanhando a dinâmica acerca do debate da mineração, elencamos três momentos, na qual delimitou-se para análise, que foram a Primeira e segunda assembleia popular (27 de abril de 2019 e 7 de março de 2020) e os Festejos de Nossa Senhora Aparecida, na comunidade de São Pedro (26 de agosto de 2019), que foram ut por meio da observação de eventos em seus contextos naturais.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11880 A temática evasão escolar no contexto do PROEJA: uma revisão integrativa 2021-02-19T12:41:09-03:00 Paula Lucas Oliveira paulaoliveirabio@hotmail.com Nilva Celestina Carmo nilva.carmo@ifsudestemg.edu.br <p>O presente trabalho trata-se de uma revisão integrativa a partir da contextualização do Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica, na Modalidade de Jovens e Adultos – PROEJA e as temáticas: Evasão/abandono escolar. Foram considerados artigos e trabalhos acadêmicos, dissertações e teses. Disponíveis em duas bases de dados, no período entre 2009 e 2019. Ressaltando aqueles que foram produzidos entre 2009 e 2012 por serem datas que marcaram o término da primeira e segunda remessa de cursos disponibilizados desde a sua criação (2006).Visando compreender sobre as questões que proporcionaram a Evasão/abandono escolar, esse trabalho também, disponibiliza outras evidências, trazidas pela metodologia Análise de Conteúdo, aplicada aos artigos e trabalhos acadêmicos que se destacaram na revisão integrativa, dos quais emergiram duas categorias: Trabalho/remuneração/benefícios e Professores.&nbsp; A primeira categoria destaca a necessidade da manutenção da sobrevivência, através do trabalho, mesmo que informal. A segunda categoria denota a falta de preparo do corpo docente frente à modalidade de ensino para jovens e adultos. Sendo assim, conclui-se que essa política pública não atendeu, na sua totalidade, aos objetivos previstos.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA https://periodicos.ufv.br/RPV/article/view/11985 Ensino de Química com abordagem CTS – elaboração e vivência de uma sequência didática com a temática mineração. 2021-04-08T20:31:26-03:00 Lelise Francisca da Silva Fidelis lelisequimica@yahoo.com.br Regina Simplício Carvalho resicar@ufv.br <p>Este trabalho foi desenvolvido ao longo do Mestrado Profissional em Química em Rede Nacional (PROFQUI) no polo da Universidade Federal de Viçosa, com o objetivo de elaborar e testar um produto educacional para o ensino de Química com abordagem CTS (Ciência – Tecnologia – Sociedade). Compõe o produto educacional uma sequência didática com a temática mineração.&nbsp; A importância e os reflexos sociais, econômicos e ambientais da atividade mineradora para a sociedade e, em especial para a comunidade de Caeté/MG, foram abordados.&nbsp; Conceitos relacionados à mineração, a importância do ferro na alimentação e suas aplicações foram também trabalhados. Várias metodologias de ensino foram propostas para o desenvolvimento do tema ao longo da sequência didática que compõem o produto educacional. Foram propostos trabalhos em grupos, sala de aula invertida, visitas em espaços não formais de educação, aulas práticas e atividades avaliativas, entre outras. Uma prévia do produto educacional foi aplicada em uma turma do Ensino Médio da Educação Básica, e teve como principal foco desenvolver uma aprendizagem significativa e relacionar a vivência dos alunos com a temática proposta, tornando-os cidadãos críticos em relação a atividade mineradora na região e no mundo.</p> 2021-04-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 REVISTA PONTO DE VISTA