https://periodicos.ufv.br/elo/issue/feed Revista ELO – Diálogos em Extensão 2021-04-05T08:50:40-03:00 Elo elo@ufv.br Open Journal Systems <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Revista Elo – Diálogos em Extensão – </span><strong style="font-size: medium;">ISSN 2317 5451</strong></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão é uma publicação mantida pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal de Viçosa. Lançada em novembro de 2010, a revista é voltada principalmente para a divulgação de artigos científicos relativos à extensão universitária desenvolvidos no Brasil e em outros países. A revista prevê as seções de artigos, relatos de experiência, resenha e a divulgação de programas de extensão.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão recebe trabalhos relacionados às seguintes áreas temáticas da extensão universitária: Agroecologia, Associativismo, Cooperativismo, Comunicação, Cultura, Direitos Humanos, Educação, Gênero, Meio Ambiente, Políticas Públicas, Ruralidade, Saúde, Segurança Alimentar, Tecnologia, Teorias e Metodologias em Extensão, Trabalho, Territoriedade.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">O periódico atualmente adota o formato online, primando pela regularidade, qualidade e agilidade no processo de avaliação dos trabalhos submetidos, buscando, assim, alcançar os melhores resultados junto aos órgãos indexadores, mas a Revista ELO – Diálogos em Extensão já está indexada ao: DOAJ, Latindex, </span><span style="font-size: medium;">Google Acadêmico, Sumários, LivRe, Periodicos, Periodicos de Minas, Miar.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão é uma publicação eletrônica de periodicidade semestral e utiliza o Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas (OJS/SEER), recebendo trabalhos em fluxo contínuo.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os interessados devem submeter trabalhos e o acompanhar o trâmite para publicação pelo site www.elo.ufv.br.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Todos os trabalhos enviados para apreciação deverão enquadrar-se na formatação exigida no espaço “SUBMISSÕES ONLINE”, sob pena de não serem analisados quanto ao mérito e conteúdo.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os artigos devem ser submetidos em português, espanhol ou inglês.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os Editores reservam o direito de garantir um intervalo de duas edições entre duas publicações de um mesmo autor e/ou de um mesmo grupo de trabalho, projeto ou programa de extensão.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Este periódico não faz nenhuma restrição à titulação acadêmica mínima para submissão de trabalhos e a avaliação é feita com base no sistema de análise “cega” por pares.</span></p> https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11014 A atuação do projeto de extensão “COMSEA, O QUE É?”, na propagação do conceito de Segurança Alimentar e Nutricional e seus deveres 2020-11-25T16:38:22-03:00 Maria Clara Marinho RABELLO mariaclarararabello@gmail.com Vitoria Maria Rodrigues Marques da Silva Pinto PEREIRA vitoriamrmarques6@gmail.com Ana Claudia Peres RODRIGUES anaacprodrigues@gmail.com <p><em>O propósito do artigo foi ressaltar a atuação do Projeto de Extensão da UFJF “COMSEA, o que é?” na cidade de Juiz de Fora/MG, enfatizando a necessária interação do saber popular e o conhecimento acadêmico. O projeto contribuiu para divulgação do Conselho Municipal de Segurança Alimentar, órgão municipal precursor do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) e criou-se um acervo sobre políticas públicas de SAN. A metodologia utilizada foi a abordagem qualitativa, de caráter exploratório. O método adotado envolve análise documental de atas das reuniões plenárias do COMSEA-JF no período de 5 anos, entrevistas com conselheiros da cidade e a realização de atividades de capacitação de conselheiros. Concluiu-se ser positiva a parceria do projeto “COMSEA, o que é?”, com o COMSEA-JF e a população, que em um processo dialógico conseguem articular políticas públicas efetivas de Segurança Alimentar e Nutricional. O marco teórico foi Paulo Freire e Luciene Burlandy.</em></p> 2021-01-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11869 Inclusão Digital para adultos: Relato de experiência 2021-04-05T08:50:40-03:00 Fernanda Corrêa GARCIA fernanda.garcia@ifsc.edu.br Diego Ramos GOMES diego.rg@aluno.ifsc.edu.br Felipe Schneider COSTA felipe.costa@ifsc.edu.br Rebeca Guedes Maria da SILVA rebekg.97@gmail.com <p><strong>Resumo:</strong> <em>Este artigo apresenta o relato de experiência do projeto de extensão Inclusão Digital para Adultos. O projeto teve como objetivo principal desenvolver a inclusão digital do educando, fazendo com que após sua inserção no mundo digital ele possa interagir com esse novo paradigma social, sentindo-se valorizado como indivíduo, realizando-se como profissional, contribuindo assim para a melhoria de seu contexto social, de acordo com a formação obtida por meio das oficinas práticas. O projeto desenvolveu, por meio de oficinas educativas e práticas, a inclusão do público específico a ser atendido, contribuindo assim para a aproximação da comunidade externa com o Instituto Federal de Santa Catarina - campus Tubarão. Ao final do projeto conclui-se que os objetivos foram alcançados. No total, foram atendidos 30 alunos.</em></p> <p>&nbsp;</p> 2021-04-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/10954 Floresta Júnior: projeto de apoio à formação e a capacitação acadêmica 2020-12-30T09:53:50-03:00 Débora da Silva Teixeira dehbora_teixeira@hotmail.com Jorge Antonio de Farias fariasufsm@gmail.com <p><em>O termo "Empresa Júnior'', surgiu em 1967, na França, e tratava-se de um projeto do governo para incentivar a criação de empresas no país. Hoje, o papel das empresas juniores é dar aos acadêmicos a oportunidade de aprimoramento técnico através da realização de trabalhos que possibilitem a resolução de tarefas práticas, desenvolvimento pessoal e valorização da profissão, além de contribuir com o desenvolvimento da sociedade, através dos trabalhos de extensão realizados em sua área de atuação, tendo como resultado final a interação Universidade/Comunidade. Como forma de cooperar para a formação técnica e humana da comunidade em geral e dos acadêmicos de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Santa Maria, a Floresta Jr. propõe a realização de trabalhos técnicos, palestras e cursos. Deste modo, facilita a inserção dos acadêmicos no mercado de trabalho, com a criação de um canal de divulgação da profissão e de contato dos estudantes com empresas e profissionais do ramo.</em></p> 2021-02-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11625 NAF: um projeto de extensão que contribui para o desenvolvimento de estudantes, sociedade e instituições públicas 2021-03-03T13:01:08-03:00 Geysa Gabriela Pinheiro GOMES geysapinheiro0@gmail.com Hugo Azevedo Rangel de Morais MORAIS hugoazevedomorais@gmail.com Ricardo Aladim MONTEIRO profricardoaladim@gmail.com <p><em>O “Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal da UFCA” é um projeto de extensão criado em 2019. O objetivo desse relato é descrever as atividades desenvolvidas pelo projeto de extensão NAF. Inicialmente, foram realizados treinamentos ofertados pela Receita Federal, SEFAZ-CE e pelo professor orientador para a capacitação dos discentes. Também realizou-se reuniões para a organização do projeto. Logo após, começaram os atendimentos para a sociedade. Percebeu-se que houve bastante participação dos alunos, aumento de suas relações interpessoais e melhoria na comunicação. Assim, identificou-se que o projeto é de grande relevância para todos os envolvidos</em>.</p> 2021-03-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11373 A educação ambiental em curso formativo: uma proposta para a formação de jovens do ensino médio por meio das artes 2021-01-22T12:26:35-03:00 Thiago EZIDIO ezidiouenp@gmail.com Dayanne da Silva ALVES dayanne_silvaalves@hotmail.com Lucken Bueno LUCAS luckenlucas@uenp.edu.br Rodrigo de Souza POLETTO rodrigopoletto@uenp.edu.br <p><strong>Resumo: </strong><em>Considerando as macrotendências que se referem aos segmentos da Educação Ambiental, o presente trabalho teve como objetivo desenvolver ações que mitigassem os problemas ambientais. Para o alcance deste objetivo foram utilizadas práticas artísticas e ambientais visando o ensino de Educação Ambiental aos jovens do Ensino médio. Durante um curso, foram desenvolvidas atividades compostas por práticas a campo estruturadas em conceitos agroflorestais, resíduos sólidos urbanos mediadas por atividades artísticas, com animações e desenhos de observação (mapeamento ambiental). Os resultados mostraram que abordagens artísticas e práticas ambientais ajudam a promover um processo de sensibilização ambiental por serem integrativas com o meio ambiente, para tanto os cursistas realizaram apontamentos ilustrativos sobre problemas ambientais tendo como destaque resíduos de sólidos urbanos, posteriormente sugeriram a implantação de uma horta em uma área abandonada dentro da Universidade, estes processos contribuíram para que aos alunos adquirissem uma visão consciente dos recursos naturais e preservação do meio ambiente.</em></p> <p><strong>Palavras-Chaves</strong>: Educação ambiental. Práticas artísticas. Resíduos sólidos urbanos.</p> <p><strong>Área Temática: <em>Educação Ambiental</em></strong></p> 2021-02-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11702 Análise das técnicas argumentativas nos textos dissertativo-argumentativos dos alunos do curso de redação PROENEM (UNILAB) 2021-03-22T14:25:47-03:00 Leonardo FERREIRA leonardochavesferreira@gmail.com José Olavo da Silva Garantizado JÚNIOR olavogarantizado@unilab.edu.br <p><em>O presente trabalho tem o objetivo de analisar como os estudantes pré-universitários do Curso de Redação Gratuito ProEnem, promovido pelo Projeto Palestras Interdisciplinares e Oficinas de Produção Textual para o Enem (PROENEM), usam as estratégias argumentativas em redações dissertativo-argumentativas. Para darmos conta desse objetivo, a nossa base teórica está nos postulados de Perelman e Tyteca (1996), sobre as técnicas argumentativas, Fiorin (2018), em sua investigação sobre a argumentação, e Garantizado Júnior (2015), em seu modelo de análise e descrição do fenômeno argumentativo sob uma perspectiva textual e retórica. Para este trabalho, analisamos 25 redações produzidas por 25 estudantes pré-universitários da Turma 1 do primeiro módulo do Curso de Redação. Nossos resultados apontam que, após intervenção didática do ProEnem, as estratégias argumentativas de comparação, exemplificação, vínculo causal, e referência à autoridade foram mais adequadamente utilizadas nos textos produzidos pelos pré-universitários com os quais realizamos a pesquisa.</em></p> 2021-04-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11021 Segurança alimentar de agricultores agroecológicos do Semiárido Brasileiro 2021-02-17T13:39:46-03:00 José Vagner SILVA vagner.silva@ifro.edu.br Vanessa Schiavon LOPES vanessaschyavon@gmail.com Maria Valdenira Rodrigues de ALMEIDA val@veja.fr Ana Leônia de Araújo GIRÃO analeonia@yahoo.com.br Pollyanna da Silva QUEMEL agroquemel@gmail.com Renato Teixeira de OLIVEIRA renato.agro@yahoo.com.br Teogenes Senna de OLIVEIRA teo@ufv.br <p><em>O presente estudo buscou descrever a situação de segurança alimentar vivenciada por famílias de agricultores agroecológicos dos municípios de Choró, Massapê e Tauá, assistidos pela ONG ESPLAR no Ceará. Utilizou-se a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA), que tem o fator renda como principal determinante e uma escala adaptada da EBIA que leva em consideração a produção para autoconsumo. Foram investigadas 61 famílias de agricultores agroecológicos que continham em seu núcleo pelo menos um membro menor e outra com todos os membros maiores de 18 anos. Os resultados sugerem que o fator renda não foi o único determinante na segurança alimentar e nutricional desses agricultores, enfatizando a importância da produção para autoconsumo. A verificação da insegurança alimentar pela EBIA pode ser superestimada por não considerar a produção para o autoconsumo. Os métodos agroecológicos combinados com a troca de conhecimentos podem aumentar a segurança alimentar.</em></p> 2021-04-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11904 Análise da pertinência do teatro do oprimido para a extensão universitária: perspectivas de jovens residentes em Crato, Ceará 2021-03-10T16:56:06-03:00 Geovane Gesteira Sales TORRES geovanesalescrato@gmail.com Caio Ricardo da SILVA caio.ricardo042@gmail.com Regina Pimentel CRUZ reginapimentel932@gmail.com Maria Isabel de Sousa BEZERRA isabelsousabezerra@gmail.com Diego Coelho do NASCIMENTO diego.coelho@ufca.edu.br <p><em>Esse artigo tem por objetivo avaliar a pertinência da metodologia Teatro do Oprimido para a promoção de ações de extensão universitária em contextos periférico-urbanos por meio da análise dos discursos dos jovens participantes das ações de extensão do Laurbs no bairro Alto da Penha, em Crato - CE. Mediante isso, realizou-se uma pesquisa exploratória, cuja coleta dos dados se deu a partir de um questionário semiestruturado aplicado com jovens residentes na comunidade. O tratamento dos dados qualitativos se deu por meio da técnica análise de conteúdo, já os quantitativos foram tratados com base na estatística descritiva. Os resultados apontam que os participantes enxergam a pertinência do Teatro do Oprimido, avaliando-o positivamente. Conclui-se que metodologias lúdicas como o Teatro do Oprimido são importantes para impactar positivamente a consciência dos jovens sobre o seu território e os seus papéis nele, provocando, assim, o despertar à participação social e cidadania.</em></p> 2021-03-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11963 SPIGOLON, Nima Imaculada; LEITE, Sandra Fernandes; PALMEN, Sueli; FABIANO, Edson; DRI, Wisllayne de Oliveira; SOUZA, Vanessa Cristina de (Orgs.). Reinventar a universidade: extensão universitária com a EJA. Uberlândia: Navegando Publicações, 2019 2021-02-20T17:35:30-03:00 Victor Hugo Nedel OLIVEIRA victor.juventudes@gmail.com <p>O resumo do artigo em português deve ser apresentado em fonte Times New Roman, em itálico, tamanho 10, espaçamento simples entre linhas e alinhamento justificado. Cada resumo deve conter, no máximo, 500 caracteres com espaço. Precedido da Palavra “Resumo:” com a mesma formatação e em negrito</p> 2021-03-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11817 Expediente 2021-01-29T17:18:45-03:00 Admin Revista ELO elo@ufv.br 2021-01-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão