https://periodicos.ufv.br/elo/issue/feed Revista ELO – Diálogos em Extensão 2021-09-09T08:23:44-03:00 Elo elo@ufv.br Open Journal Systems <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Revista Elo – Diálogos em Extensão – </span><strong style="font-size: medium;">ISSN 2317 5451</strong></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão é uma publicação mantida pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal de Viçosa. Lançada em novembro de 2010, a revista é voltada principalmente para a divulgação de artigos científicos relativos à extensão universitária desenvolvidos no Brasil e em outros países. A revista prevê as seções de artigos, relatos de experiência, resenha e a divulgação de programas de extensão.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão recebe trabalhos relacionados às seguintes áreas temáticas da extensão universitária: Agroecologia, Associativismo, Cooperativismo, Comunicação, Cultura, Direitos Humanos, Educação, Gênero, Meio Ambiente, Políticas Públicas, Ruralidade, Saúde, Segurança Alimentar, Tecnologia, Teorias e Metodologias em Extensão, Trabalho, Territoriedade.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">O periódico atualmente adota o formato online, primando pela regularidade, qualidade e agilidade no processo de avaliação dos trabalhos submetidos, buscando, assim, alcançar os melhores resultados junto aos órgãos indexadores, mas a Revista ELO – Diálogos em Extensão já está indexada ao: DOAJ, Latindex, </span><span style="font-size: medium;">Google Acadêmico, Sumários, LivRe, Periodicos, Periodicos de Minas, Miar.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão é uma publicação eletrônica de periodicidade semestral e utiliza o Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas (OJS/SEER), recebendo trabalhos em fluxo contínuo.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os interessados devem submeter trabalhos e o acompanhar o trâmite para publicação pelo site www.elo.ufv.br.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Todos os trabalhos enviados para apreciação deverão enquadrar-se na formatação exigida no espaço “SUBMISSÕES ONLINE”, sob pena de não serem analisados quanto ao mérito e conteúdo.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os artigos devem ser submetidos em português, espanhol ou inglês.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os Editores reservam o direito de garantir um intervalo de duas edições entre duas publicações de um mesmo autor e/ou de um mesmo grupo de trabalho, projeto ou programa de extensão.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Este periódico não faz nenhuma restrição à titulação acadêmica mínima para submissão de trabalhos e a avaliação é feita com base no sistema de análise “cega” por pares.</span></p> https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11014 A atuação do projeto de extensão “COMSEA, O QUE É?”, na propagação do conceito de Segurança Alimentar e Nutricional e seus deveres 2020-11-25T16:38:22-03:00 Maria Clara Marinho RABELLO mariaclarararabello@gmail.com Vitoria Maria Rodrigues Marques da Silva Pinto PEREIRA vitoriamrmarques6@gmail.com Ana Claudia Peres RODRIGUES anaacprodrigues@gmail.com <p><em>O propósito do artigo foi ressaltar a atuação do Projeto de Extensão da UFJF “COMSEA, o que é?” na cidade de Juiz de Fora/MG, enfatizando a necessária interação do saber popular e o conhecimento acadêmico. O projeto contribuiu para divulgação do Conselho Municipal de Segurança Alimentar, órgão municipal precursor do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) e criou-se um acervo sobre políticas públicas de SAN. A metodologia utilizada foi a abordagem qualitativa, de caráter exploratório. O método adotado envolve análise documental de atas das reuniões plenárias do COMSEA-JF no período de 5 anos, entrevistas com conselheiros da cidade e a realização de atividades de capacitação de conselheiros. Concluiu-se ser positiva a parceria do projeto “COMSEA, o que é?”, com o COMSEA-JF e a população, que em um processo dialógico conseguem articular políticas públicas efetivas de Segurança Alimentar e Nutricional. O marco teórico foi Paulo Freire e Luciene Burlandy.</em></p> 2021-01-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11869 Inclusão Digital para adultos: Relato de experiência 2021-04-05T08:50:40-03:00 Fernanda Corrêa GARCIA fernanda.garcia@ifsc.edu.br Diego Ramos GOMES diego.rg@aluno.ifsc.edu.br Felipe Schneider COSTA felipe.costa@ifsc.edu.br Rebeca Guedes Maria da SILVA rebekg.97@gmail.com <p><strong>Resumo:</strong> <em>Este artigo apresenta o relato de experiência do projeto de extensão Inclusão Digital para Adultos. O projeto teve como objetivo principal desenvolver a inclusão digital do educando, fazendo com que após sua inserção no mundo digital ele possa interagir com esse novo paradigma social, sentindo-se valorizado como indivíduo, realizando-se como profissional, contribuindo assim para a melhoria de seu contexto social, de acordo com a formação obtida por meio das oficinas práticas. O projeto desenvolveu, por meio de oficinas educativas e práticas, a inclusão do público específico a ser atendido, contribuindo assim para a aproximação da comunidade externa com o Instituto Federal de Santa Catarina - campus Tubarão. Ao final do projeto conclui-se que os objetivos foram alcançados. No total, foram atendidos 30 alunos.</em></p> <p>&nbsp;</p> 2021-04-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11913 Cultura de paz nas escolas de educação infantil: uma revisão de literatura 2021-03-29T14:45:21-03:00 Rayciane Santos Suzart RAMOS rays.suzart1@gmail.com Aisiane Cedraz MORAIS aisicedraz@hotmail.com Iandra Sara dos Santos FERREIRA iandra.sara4@gmail.com Sinara de Lima SOUZA sinarals@uefs.br Rosely Cabral de CARVALHO roselycarvalho056@gmail.com <p><em>Trata-se de um relato de experiência do projeto de extensão Diagnóstico da Violência e Estratégias de Construção da Paz nas Escolas Municipais de Feira de Santana-BA. O projeto de extensão é voltado a crianças quilombolas de três a cinco anos e seus familiares.Tem como objetivo descrever as atividades de um projeto extensionista realizado com crianças matriculadas na Escola Municipal de Educação Infantil em uma comunidade quilombola. A metodologia adotada foi a roda de conversa, apresentação da proposta e identificação dos fatores de risco relatados e proposição de atividades sobre prevenção da violência, noções básicas do corpo humano, higiene corporal e valores como ética, respeito e cooperação. O trabalho foi desenvolvido no período de outubro de 2018 a julho de 2019. A realização dos encontros com as crianças proporcionou a promoção do pensamento crítico, além da participação e dinamicidade nas atividades elaboradas.</em></p> 2021-04-30T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12275 Semana de Arte e Cultura no IFSC Araranguá: experiência em tempos de pandemia 2021-05-06T11:35:53-03:00 Nayara SALBEGO nayara.salbego@ifsc.edu.br William Moreno BOENAVIDES william.boenavides@ifsc.edu.br Emerson Cardoso NASCIMENTO emerson.cardoso@ifsc.edu.br Fabiana Santos FERNANDES fabiana.fernandes@ifsc.edu.br Karla Goularte da Silva GRÜNDLER karla.grundler@ifsc.edu.br <p><em>O projeto de extensão intitulado Semana de Arte e Cultura, realizado em 2020 por docentes do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), campus Araranguá, efetuou sua 5ª edição, sendo a primeira experiência do evento em formato virtual devido à pandemia. Este relato descreve as atividades didáticas que compuseram os trabalhos apresentados no evento também nomeado Semana de Arte e Cultura. Da mesma forma, apresentam-se os objetivos, métodos e procedimentos elencados para o desenvolvimento dos trabalhos, especialmente enfatizando as atividades que culminaram na V Semana de Arte e Cultura. Por fim, trazem-se as percepções resultantes da realização do projeto como uma experiência positiva em tempos de pandemia. Apesar das adversidades, consideram-se as atividades exitosas, como alto número de acessos, muito engajamento da comunidade e satisfatório aproveitamento formativo.</em></p> 2021-05-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12455 A teoria da expectativa de Vroom no encontro de capacitação da equipe do projeto de extensão Esporte Sem Parar 2021-06-08T19:02:25-03:00 Cristiane Rodrigues da ROCHA cristiane.r.rocha@unirio.br Giulia Neres PONTES giulianeres@edu.unirio.br Thalia Jardim DOURADO thalia.dourado@edu.unirio.br Andre Luis do Nascimento FERREIRA andrenascimento@edu.unirio.br Vinicius Antônio Alves PEREIRA vinicius.a.pereira@edu.unirio.br Luisa Colares RIBEIRO luisacolares@edu.unirio.br Andressa Teoli NUNCIARONI andressa.nunciaroni@unirio.br Édira Castello Branco de Andrade GONÇALVES ediracba.analisedealimentos@unirio.br Vinicius Pinheiro ISRAEL vinicius.israel@uniriotec.br <p><em>O Esporte Sem Parar é um projeto de extensão da Secretaria Nacional de Esporte, Lazer e Inclusão Social, em parceria com a ONG Contato e a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Este artigo objetiva relatar a experiência do encontro de capacitação presencial da equipe do projeto durante a pandemia de COVID-19, na perspectiva da Teoria da Expectativa de Vroom. Estudo qualitativo, do tipo relato de experiência. Os resultados mostram que a biossegurança, diante de estabilidade epidemiológica, viabiliza treinamentos presenciais. A expectativa encontrada foi que o esforço empregado pela equipe conduzirá à realização pessoal, criação de vínculo, inclusão social, melhora da saúde, relacionamento interpessoal, espaço de convivência e apoio às pessoas socialmente vulneráveis. Conclui-se que a melhora na qualidade de vida possui valência para estes participantes, segundo a Teoria da Expectativa de Vroom, e pode ser a motivação para profissionais e participantes continuarem as atividades</em></p> 2021-07-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12748 Manipulação segura de hortaliças: experiência extensionista em tempos de pandemia de COVID-19 2021-08-04T08:38:57-03:00 Daniel Felipe Oliveira GENTIL dfgentil@ufam.edu.br <p><em>O presente relato descreve as atividades realizadas pelos integrantes da ação curricular de extensão da Universidade Federal do Amazonas, intitulada "Manipulação segura de hortaliças", em uma comunidade de agricultores familiares de Manaus, Amazonas, no decorrer do segundo semestre de 2020. Desse modo, são apresentados os objetivos, </em><em>as estratégias e os instrumentos metodológicos para o desenvolvimento da ação extensionista. As novas experiências, com o uso de tecnologias de informação e comunicação e mídias digitais, possibilitaram alcançar os objetivos propostos, mesmo com as dificuldades no acesso e no uso dessas tecnologias.</em></p> 2021-08-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/10954 Floresta Júnior: projeto de apoio à formação e a capacitação acadêmica 2020-12-30T09:53:50-03:00 Débora da Silva Teixeira dehbora_teixeira@hotmail.com Jorge Antonio de Farias fariasufsm@gmail.com <p><em>O termo "Empresa Júnior'', surgiu em 1967, na França, e tratava-se de um projeto do governo para incentivar a criação de empresas no país. Hoje, o papel das empresas juniores é dar aos acadêmicos a oportunidade de aprimoramento técnico através da realização de trabalhos que possibilitem a resolução de tarefas práticas, desenvolvimento pessoal e valorização da profissão, além de contribuir com o desenvolvimento da sociedade, através dos trabalhos de extensão realizados em sua área de atuação, tendo como resultado final a interação Universidade/Comunidade. Como forma de cooperar para a formação técnica e humana da comunidade em geral e dos acadêmicos de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Santa Maria, a Floresta Jr. propõe a realização de trabalhos técnicos, palestras e cursos. Deste modo, facilita a inserção dos acadêmicos no mercado de trabalho, com a criação de um canal de divulgação da profissão e de contato dos estudantes com empresas e profissionais do ramo.</em></p> 2021-02-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11625 NAF: um projeto de extensão que contribui para o desenvolvimento de estudantes, sociedade e instituições públicas 2021-03-03T13:01:08-03:00 Geysa Gabriela Pinheiro GOMES geysapinheiro0@gmail.com Hugo Azevedo Rangel de Morais MORAIS hugoazevedomorais@gmail.com Ricardo Aladim MONTEIRO profricardoaladim@gmail.com <p><em>O “Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal da UFCA” é um projeto de extensão criado em 2019. O objetivo desse relato é descrever as atividades desenvolvidas pelo projeto de extensão NAF. Inicialmente, foram realizados treinamentos ofertados pela Receita Federal, SEFAZ-CE e pelo professor orientador para a capacitação dos discentes. Também realizou-se reuniões para a organização do projeto. Logo após, começaram os atendimentos para a sociedade. Percebeu-se que houve bastante participação dos alunos, aumento de suas relações interpessoais e melhoria na comunicação. Assim, identificou-se que o projeto é de grande relevância para todos os envolvidos</em>.</p> 2021-03-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11873 Ações educativas sobre imunização em menores de cinco anos: um relato de experiência 2021-05-05T09:48:28-03:00 Maria Clara Cordeiro ANDRADE clara.andrade@upe.br Maria Aparecida BESERRA aparecida.beserra@upe.br Cláudia Alves de SENA claudia.sena@upe.br <p><em>Um dos maiores desafios da saúde pública em todo o mundo - e especialmente sua gestão principal da Atenção Primária à Saúde - é a carga crescente de doenças evitáveis. Assim, o presente estudo tem como objetivo descrever as ações de educação em saúde realizadas por acadêmicos de enfermagem acerca da importância da imunização em crianças menores de 5 anos e recém-nascidos. Trata-se de um estudo descritivo, do tipo relato de experiência, realizado por discentes de Enfermagem e extensionistas do grupo ‘’Vacinas: atuação da enfermagem’’ na maternidade e no ambulatório de pediatria. Como resultado, além do retorno dado pelas mães e pelos responsáveis das crianças quanto à importância de pessoas disponíveis no serviço para esclarecer dúvidas, é perceptível a relevância dessa prática na formação dos acadêmicos. Essa experiência proporciona ao extensionista, discente de enfermagem, um maior contato com os usuários, exercendo papel atribuído à sua futura formação como educadores em saúde.</em></p> 2021-05-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12173 Auxílio emergencial em tempos de pandemia: uma estratégia além da vida 2021-04-28T18:00:26-03:00 Juliana Vitoria Vieira Mattiello SILVA julianamattiello@unemat.br Almir Rodrigues DURIGON almir@unemat.br Rubens dos SANTOS rubens@unemat.br Aldo Cesar da Silva ORTIZ aldo@unemat.br Enézio Mariano da COSTA eneziocon@gmail.com Tatiana Rosa Carvalho RIBEIRO tatiana.ribeiro@unemat.br <p><em>O objetivo do projeto foi assessorar os empreendedores individuais, trabalhadores informais, autônomos, desempregado que estavam com dúvidas na solicitação do auxílio emergencial instituído pela Lei 13.982/2020. O projeto foi desenvolvimento por meio de ferramenta digital whatsapp, cujo objetivo era manter o distanciamento social para atender as recomendações estabelecidas pelo Governo Federal, Estadual e Municipal. Foi elaborado um folder para divulgação dos atendimentos, nele continham os números dos telefones e o nome das pessoas que fariam o atendimento. Foram atendidas 254 pessoas em um período de 40 dias. Os beneficiários faziam as ligações para os números disponíveis no folder e apresentavam as dúvidas. Os principais resultados do atendimento foram os esclarecimentos sobre dúvidas de toda a ordem, tais como auxílio no preenchimento do cadastro; auxílio no acesso do aplicativo “Caixa Tem”; solicitação do benefício; auxílio na criação da conta digital.</em></p> 2021-05-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12400 Medidas de educação em saúde sobre infecções sexualmente adquiridas para escolares do ensino médio 2021-06-21T13:02:07-03:00 Daniela Raguer Valadão de SOUZA daniraguer@gmail.com Ruaan Oliveira CARVALHO ruaanoliveir@hotmail.com Willamis Tenório RAMOS willams.tr.love@gmail.com Magna Galvão PEIXOTO magnagp@yahoo.com.br Gabrielle Novais MANZOLI gabymanzoli@yahoo.com.br Deison Soares de LIMA deison1@hotmail.com <p><em>As Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são um problema de saúde pública mundial. No Brasil, as</em><em> IST atingem todas as faixas etárias, em especial, os adolescentes. O objetivo do trabalho é relatar o processo de construção de uma intervenção de educação em saúde sobre IST, com público alvo os escolares do ensino médio do município de Lagarto, SE. Trata-se de um estudo do tipo relato de experiência. Participaram da construção da intervenção 40 extensionistas, sendo 12 membros executores e 28 monitores dos cursos da área da saúde. Além disso, foram construídas 12 estações, abordando: HIV/AIDS, Hepatite, Sífilis, Gonorréia, HTLV-1, Herpes, Candidíase, HPV/Cancro, Vaginite Bacteriana, Sistema Reprodutor Masculino/Feminino, Comodidades AIDS e Tricomonas. O material dissolvido possibilitará, aos escolares, embasamento de qualidade científica que poderão norteá-los nas decisões que contemplem a temática das IST.</em></p> 2021-07-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11373 A educação ambiental em curso formativo: uma proposta para a formação de jovens do ensino médio por meio das artes 2021-01-22T12:26:35-03:00 Thiago EZIDIO ezidiouenp@gmail.com Dayanne da Silva ALVES dayanne_silvaalves@hotmail.com Lucken Bueno LUCAS luckenlucas@uenp.edu.br Rodrigo de Souza POLETTO rodrigopoletto@uenp.edu.br <p><strong>Resumo: </strong><em>Considerando as macrotendências que se referem aos segmentos da Educação Ambiental, o presente trabalho teve como objetivo desenvolver ações que mitigassem os problemas ambientais. Para o alcance deste objetivo foram utilizadas práticas artísticas e ambientais visando o ensino de Educação Ambiental aos jovens do Ensino médio. Durante um curso, foram desenvolvidas atividades compostas por práticas a campo estruturadas em conceitos agroflorestais, resíduos sólidos urbanos mediadas por atividades artísticas, com animações e desenhos de observação (mapeamento ambiental). Os resultados mostraram que abordagens artísticas e práticas ambientais ajudam a promover um processo de sensibilização ambiental por serem integrativas com o meio ambiente, para tanto os cursistas realizaram apontamentos ilustrativos sobre problemas ambientais tendo como destaque resíduos de sólidos urbanos, posteriormente sugeriram a implantação de uma horta em uma área abandonada dentro da Universidade, estes processos contribuíram para que aos alunos adquirissem uma visão consciente dos recursos naturais e preservação do meio ambiente.</em></p> <p><strong>Palavras-Chaves</strong>: Educação ambiental. Práticas artísticas. Resíduos sólidos urbanos.</p> <p><strong>Área Temática: <em>Educação Ambiental</em></strong></p> 2021-02-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11702 Análise das técnicas argumentativas nos textos dissertativo-argumentativos dos alunos do curso de redação PROENEM (UNILAB) 2021-03-22T14:25:47-03:00 Leonardo FERREIRA leonardochavesferreira@gmail.com José Olavo da Silva Garantizado JÚNIOR olavogarantizado@unilab.edu.br <p><em>O presente trabalho tem o objetivo de analisar como os estudantes pré-universitários do Curso de Redação Gratuito ProEnem, promovido pelo Projeto Palestras Interdisciplinares e Oficinas de Produção Textual para o Enem (PROENEM), usam as estratégias argumentativas em redações dissertativo-argumentativas. Para darmos conta desse objetivo, a nossa base teórica está nos postulados de Perelman e Tyteca (1996), sobre as técnicas argumentativas, Fiorin (2018), em sua investigação sobre a argumentação, e Garantizado Júnior (2015), em seu modelo de análise e descrição do fenômeno argumentativo sob uma perspectiva textual e retórica. Para este trabalho, analisamos 25 redações produzidas por 25 estudantes pré-universitários da Turma 1 do primeiro módulo do Curso de Redação. Nossos resultados apontam que, após intervenção didática do ProEnem, as estratégias argumentativas de comparação, exemplificação, vínculo causal, e referência à autoridade foram mais adequadamente utilizadas nos textos produzidos pelos pré-universitários com os quais realizamos a pesquisa.</em></p> 2021-04-12T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11875 Formação de multiplicadores para reciclagem de resíduos orgânicos por meio da compostagem em tempos de pandemia 2021-03-29T11:25:26-03:00 Juliano da Cunha GOMES juliano.gomes@ifsc.edu.br <p><em><span style="font-weight: 400;">Em 2016 o Brasil gerou cerca de 78,3 milhões de toneladas de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), sendo que a metade de todo este resíduo é orgânico. Na degradação da fração orgânica dos RSU aterrados ocorre a produção de gases do efeito estufa e lixiviados que oferecem riscos ao solo, ar, águas e à saúde pública. O tratamento mais simples para este tipo de resíduo é a compostagem. Por isso, este projeto de extensão teve como objetivo formar multiplicadores da comunidade externa para reciclagem de resíduos orgânicos por meio da compostagem. A capacitação ofertada à comunidade externa 100% online gerou quinze vídeos sobre o assunto, na forma de Lives, que estão disponíveis canal do YouTube do IFSC - Campus Garopaba, onde além das palestras, houve troca saberes com a comunidade externa. inicialmente foram recebidas 1291 inscrições de diversas regiões do Brasil e ao final foram emitidos 417 certificados de participação para aqueles que conseguiram cumprir 75% de frequência no curso.</span></em></p> 2021-04-26T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12018 Percepção dos impactos ambientais dos domissanitários: resultados do projeto de extensão com grupos de mulheres das comunidades de Garopaba e Imbituba 2021-07-27T08:22:30-03:00 Victoria Brito JURQUET victoriabritojurquet@gmail.com <p><em> O presente artigo descreve e analisa a atividade de extensão realizada no município de Garopaba e Imbituba </em><em>a respeito da percepção dos impactos ambientais dos domissanitários. Foram realizadas oficinas a respeito dos produtos </em><em>domissanitários, seus impactos ambientais, como utilizá-los e a fabricação de produtos que podem ser utilizados em </em><em>higienização. As atividades foram realizadas em três fases, um questionário para obter informações sobre o conhecimento</em><br /><em>prévio das participantes, a realização de uma exposição dialogada e um questionário de avaliação. A pesquisa apontou </em><em>que há falta de conhecimento sobre os impactos ambientais causados pelo uso de produtos domissanitários, também o </em><em>desconhecimento das normas de manipulação dos produtos, armazenamento e descarte e que a maioria dos pesquisados</em><br /><em>não utiliza Equipamento de Proteção Individual (EPI). Com a atividade de extensão conseguiu-se sensibilizar a </em><em>comunidade quanto aos impactos ambientais e sociais causados pelos domissanitários.</em></p> 2021-08-31T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12166 Percepção de agricultores (as) sobre práticas de conservação de solo e água implantados com apoio de órgãos públicos 2021-09-09T08:23:44-03:00 Vanessa Schiavon LOPES vanessaschyavon@gmail.com Irene Maria CARDOSO irene@ufv.br Angélica da Silva LOPES angelicalopes.solos@gmail.com <p><em>O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), de Viçosa (MG), em parceria com outras instituições, executou, de 2012 a 2015, um Projeto de implantação de práticas de conservação do solo e da água em propriedades de agricultores/as da Bacia do Rio Turvo Sujo. Objetivou-se identificar, no campo, as práticas implantadas pelo SAAE e as percepções dos agricultores/as sobre os resultados obtidos após a implantação destas práticas. Utilizou-se entrevistas semiestruturadas com 19 agricultores/as beneficiados pelo projeto. A maioria dos entrevistados tinha consciência da importância das práticas para reduzir a erosão e aumentar o volume de água nas nascentes. Os terraços (67%) e as barraginhas (61%) foram apontados como as práticas mais eficientes no controle da erosão do solo. O plantio de árvores e a revegetação dos topos dos morros foram consideradas práticas necessárias para conservação do solo e da água. É importante a inclusão dos agricultores/as em todas as etapas do projeto.</em></p> 2021-10-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12393 Cooperação entre a universidade pública e a gestão municipal no combate a COVID-19: experiências do serviço de teleatendimento em Viçosa, Minas Gerais 2021-05-24T08:31:37-03:00 Brunnella Alcantara Chagas de FREITAS brunnella.freitas@ufv.br Mara Rúbia Maciel Cardoso do PRADO mara.prado@ufv.br Wilmara Lopes FIALHO wilmara.fialho@ufv.br Sophia Leonel ALMEIDA sophia.almeida@ufv.br Thuany Caroline Souza e SILVA thuanyvicosa@gmail.com Wesley ABIJAUDE wesley.a.abijaude@ufv.br <p><em>Diante do cenário da COVID-19, representantes da Universidade Federal de Viçosa, Prefeitura Municipal de Viçosa-MG, e outros serviços de saúde do município implementaram o serviço “Telessaúde Covid”. O objetivo é oferecer atendimento e monitoramento por telefone a pacientes residentes em Viçosa-MG. Até 31 de dezembro de 2020, dos 21.286 casos notificados no município, 85,5% foram testados. Após oito meses de funcionamento, o Telessaúde realizou 3.426 novos atendimentos e 2.407 notificações, perfazendo 11,3% do total de notificações do município, e um total de 17.071 atendimentos. O serviço realizado pelo Telessaúde COVID vem contribuindo nesse cenário epidêmico, destacando-se como grande facilitador aos pacientes nesse cenário atual, fazendo com que o paciente se sinta seguro, acolhido e cuidado pelo nosso serviço. Diante da vivência atual, esse serviço permanecerá como facilitador e integrador das ações em saúde como principal missão de colaborar no controle e combate a essa epidemia.</em></p> <p><strong>Palavras-chave: </strong><em>Coronavírus. Telemedicina. Saúde.</em></p> 2021-06-21T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11021 Segurança alimentar de agricultores agroecológicos do Semiárido Brasileiro 2021-02-17T13:39:46-03:00 José Vagner SILVA vagner.silva@ifro.edu.br Vanessa Schiavon LOPES vanessaschyavon@gmail.com Maria Valdenira Rodrigues de ALMEIDA val@veja.fr Ana Leônia de Araújo GIRÃO analeonia@yahoo.com.br Pollyanna da Silva QUEMEL agroquemel@gmail.com Renato Teixeira de OLIVEIRA renato.agro@yahoo.com.br Teogenes Senna de OLIVEIRA teo@ufv.br <p><em>O presente estudo buscou descrever a situação de segurança alimentar vivenciada por famílias de agricultores agroecológicos dos municípios de Choró, Massapê e Tauá, assistidos pela ONG ESPLAR no Ceará. Utilizou-se a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA), que tem o fator renda como principal determinante e uma escala adaptada da EBIA que leva em consideração a produção para autoconsumo. Foram investigadas 61 famílias de agricultores agroecológicos que continham em seu núcleo pelo menos um membro menor e outra com todos os membros maiores de 18 anos. Os resultados sugerem que o fator renda não foi o único determinante na segurança alimentar e nutricional desses agricultores, enfatizando a importância da produção para autoconsumo. A verificação da insegurança alimentar pela EBIA pode ser superestimada por não considerar a produção para o autoconsumo. Os métodos agroecológicos combinados com a troca de conhecimentos podem aumentar a segurança alimentar.</em></p> 2021-04-06T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11904 Análise da pertinência do teatro do oprimido para a extensão universitária: perspectivas de jovens residentes em Crato, Ceará 2021-03-10T16:56:06-03:00 Geovane Gesteira Sales TORRES geovanesalescrato@gmail.com Caio Ricardo da SILVA caio.ricardo042@gmail.com Regina Pimentel CRUZ reginapimentel932@gmail.com Maria Isabel de Sousa BEZERRA isabelsousabezerra@gmail.com Diego Coelho do NASCIMENTO diego.coelho@ufca.edu.br <p><em>Esse artigo tem por objetivo avaliar a pertinência da metodologia Teatro do Oprimido para a promoção de ações de extensão universitária em contextos periférico-urbanos por meio da análise dos discursos dos jovens participantes das ações de extensão do Laurbs no bairro Alto da Penha, em Crato - CE. Mediante isso, realizou-se uma pesquisa exploratória, cuja coleta dos dados se deu a partir de um questionário semiestruturado aplicado com jovens residentes na comunidade. O tratamento dos dados qualitativos se deu por meio da técnica análise de conteúdo, já os quantitativos foram tratados com base na estatística descritiva. Os resultados apontam que os participantes enxergam a pertinência do Teatro do Oprimido, avaliando-o positivamente. Conclui-se que metodologias lúdicas como o Teatro do Oprimido são importantes para impactar positivamente a consciência dos jovens sobre o seu território e os seus papéis nele, provocando, assim, o despertar à participação social e cidadania.</em></p> 2021-03-25T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12044 Agroecologia como alternativa de produção no campo: um estudo de caso no assentamento João Batista II, em Castanhal-PA 2021-03-25T08:31:45-03:00 Livia Silva SANTOS liviabida23@gmail.com Leonardo Figueiredo de SOUZA leof.amazonia@gmail.com Gilson da Silva COSTA gilsoncosta@ufpa.br <p><em>Objetiva-se neste trabalho analisar a contribuição da agroecologia como forma de produção e de luta dos trabalhadores rurais que vivem no território do assentamento João Batista II em Castanhal/PA. Para tanto, adotamos como procedimento metodológico a elaboração de entrevistas com base em roteiro semiestruturado na perspectiva de Brumer et. al (2008) e conversas informais com as (os) agricultoras (es). Desse modo, observou-se, que uma característica marcante nos discursos dos entrevistados foi de que, para eles a agroecologia é muito mais do que uma técnica produtiva ou uma ciência, pois envolve uma variedade de outras dimensões, além do manejo de um determinado agroecossistema, o que permite concluir que os assentados possuem o processo agroecológico conscientemente internalizados, compreendendo que a forma de produção agroecológica possibilita benefícios não somente para si, mas também para todo o contexto social e ambiental em que estão inseridos.</em></p> 2021-05-10T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12290 O lúdico no ensino de biologia celular: possibilidades no ensino superior 2021-05-19T10:42:34-03:00 Nadja Biondine MARRIEL nadja_marriel@yahoo.com.br Luiz Carlos Maia LADEIRA luizmaialadeira@gmail.com Renan dos Santos ARAÚJO renandosantosaraujo@gmail.com Janaina da SILVA janacbio18@gmail.com Ana Luiza Pereira MARTINS analuizamartins321@gmail.com Mara Garcia TAVARES mtavares@ufv.br <p><em>Considerando as dificuldades que alguns alunos recém-ingressos na Universidade apresentam para compreender conceitos abstratos, este trabalho descreve um Curso de Extensão, na área de Biologia Celular, que foi realizado com o objetivo de </em><em>contribuir com a aprendizagem efetiva de um grupo de graduandos da Universidade Federal de Viçosa (MG)</em><em>.</em><em> O trabalho relata também a importância da experiência vivenciada para os pós-graduandos que ministraram o Curso. No Curso foram utilizadas </em><em>atividades lúdicas diversificadas, escolhidas de acordo com o tema que seria abordado. O</em><em>s resultados mostraram que o Curso foi muito bem aceito pelos graduandos, ajudando na compreensão dos conteúdos,</em><em> através de um processo agradável e acessível, que viabilizou a construção dos saberes.</em> <em>Para os discentes da pós-graduação que ministraram o Curso, a experiência foi única e contribuiu para sua formação profissional dos mesmos</em><em>. </em><em>Portanto, a experiência foi significativa para todos os envolvidos.</em></p> 2021-06-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12473 Novas realidades da produção agrícola: refletindo possibilidades de associação da educação do campo com o Projeto de Extensão - "Feira Agroecológica" 2021-06-15T09:55:43-03:00 Maria Gabriela STRECHAR mgabriela225@hotmail.com Audevir VERGEPKA audevir@gmail.com Cesar Renato Ferreira da COSTA professorcesarrenato@hotmail.com Gabriel Sedorko GULAK gaabrielkk@hotmail.com Jaine Mariele SZOREK jainemariele13@hotmail.com Marylia Gabriela Ortis da FONSECA maryliaortis18@gmail.com <p><em>A Agroecologia valoriza pessoas em espaços de troca de saberes, boas práticas e comércio justo. Este artigo reflete o Projeto de Extensão "Feira Agroecológica", associado a educação, propondo novas realidades de produção e modos de vida, versus sistemas agroindustriais integrados, atualmente hegemônicos. A reflexão teórica parte da ideia de transformações socioeconômicas e culturais, pela pedagogia da alternância, sugerindo produção e relações socioambientais diferentes do modelo hegemônico. Pela teoria observa-se a consistência dos três eixos do projeto: viabilidade de comercialização de produtos, a formação contextualizada de sujeitos sociais e produção agrícola humana e ambiental para vida. A educação no campo, convergente a ação da Feira Agroecológica, traria benefícios para agricultores e consumidores, viabilizando espaço para venda de produtos, com rentabilidade necessária, com vida saudável e humanizada fortalecendo a todos, apartir de uma educação contextualizada e constante.</em></p> 2021-09-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11817 Expediente 2021-01-29T17:18:45-03:00 Admin Revista ELO elo@ufv.br 2021-01-29T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11963 SPIGOLON, Nima Imaculada; LEITE, Sandra Fernandes; PALMEN, Sueli; FABIANO, Edson; DRI, Wisllayne de Oliveira; SOUZA, Vanessa Cristina de (Orgs.). Reinventar a universidade: extensão universitária com a EJA. Uberlândia: Navegando Publicações, 2019 2021-02-20T17:35:30-03:00 Victor Hugo Nedel OLIVEIRA victor.juventudes@gmail.com <p>O resumo do artigo em português deve ser apresentado em fonte Times New Roman, em itálico, tamanho 10, espaçamento simples entre linhas e alinhamento justificado. Cada resumo deve conter, no máximo, 500 caracteres com espaço. Precedido da Palavra “Resumo:” com a mesma formatação e em negrito</p> 2021-03-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão