Revista ELO – Diálogos em Extensão https://periodicos.ufv.br/elo <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Revista Elo – Diálogos em Extensão – </span><strong style="font-size: medium;">ISSN 2317 5451</strong></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão é uma publicação mantida pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal de Viçosa. Lançada em novembro de 2010, a revista é voltada principalmente para a divulgação de artigos científicos relativos à extensão universitária desenvolvidos no Brasil e em outros países. A revista prevê as seções de artigos, relatos de experiência, resenha e a divulgação de programas de extensão.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão recebe trabalhos relacionados às seguintes áreas temáticas da extensão universitária: Agroecologia, Associativismo, Cooperativismo, Comunicação, Cultura, Direitos Humanos, Educação, Gênero, Meio Ambiente, Políticas Públicas, Ruralidade, Saúde, Segurança Alimentar, Tecnologia, Teorias e Metodologias em Extensão, Trabalho, Territoriedade.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">O periódico atualmente adota o formato online, primando pela regularidade, qualidade e agilidade no processo de avaliação dos trabalhos submetidos, buscando, assim, alcançar os melhores resultados junto aos órgãos indexadores, mas a Revista ELO – Diálogos em Extensão já está indexada ao: DOAJ, Latindex, </span><span style="font-size: medium;">Google Acadêmico, Sumários, LivRe, Periodicos, Periodicos de Minas, Miar.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">A Revista ELO – Diálogos em Extensão é uma publicação eletrônica de periodicidade semestral e utiliza o Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas (OJS/SEER), recebendo trabalhos em fluxo contínuo.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os interessados devem submeter trabalhos e o acompanhar o trâmite para publicação pelo site www.elo.ufv.br.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Todos os trabalhos enviados para apreciação deverão enquadrar-se na formatação exigida no espaço “SUBMISSÕES ONLINE”, sob pena de não serem analisados quanto ao mérito e conteúdo.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os artigos devem ser submetidos em português, espanhol ou inglês.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Os Editores reservam o direito de garantir um intervalo de duas edições entre duas publicações de um mesmo autor e/ou de um mesmo grupo de trabalho, projeto ou programa de extensão.</span></p> <p class="western" align="justify"><span style="font-size: medium;">Este periódico não faz nenhuma restrição à titulação acadêmica mínima para submissão de trabalhos e a avaliação é feita com base no sistema de análise “cega” por pares.</span></p> Universidade Federal de Viçosa pt-BR Revista ELO – Diálogos em Extensão 2317-191X <p><strong>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</strong></p> <ol> <li class="show"><span style="font-weight: 400;"> Autores concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho&nbsp;simultaneamente licenciado sob a </span><em><span style="font-weight: 400;">Creative Commons Attribution License </span></em><span style="font-weight: 400;">que permite o&nbsp;compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta&nbsp;revista.</span></li> <li class="show"><span style="font-weight: 400;"> Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para&nbsp;distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar&nbsp;em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</span></li> <li class="show"><span style="font-weight: 400;"> A Revista reserva-se o direito de efetuar alterações nos originais de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores.</span></li> <li class="show"><span style="font-weight: 400;"> As opiniões emitidas pelos autores são de sua exclusiva responsabilidade.</span></li> </ol> Floresta Júnior: projeto de apoio à formação e a capacitação acadêmica https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/10954 <p><em>O termo "Empresa Júnior'', surgiu em 1967, na França, e tratava-se de um projeto do governo para incentivar a criação de empresas no país. Hoje, o papel das empresas juniores é dar aos acadêmicos a oportunidade de aprimoramento técnico através da realização de trabalhos que possibilitem a resolução de tarefas práticas, desenvolvimento pessoal e valorização da profissão, além de contribuir com o desenvolvimento da sociedade, através dos trabalhos de extensão realizados em sua área de atuação, tendo como resultado final a interação Universidade/Comunidade. Como forma de cooperar para a formação técnica e humana da comunidade em geral e dos acadêmicos de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Santa Maria, a Floresta Jr. propõe a realização de trabalhos técnicos, palestras e cursos. Deste modo, facilita a inserção dos acadêmicos no mercado de trabalho, com a criação de um canal de divulgação da profissão e de contato dos estudantes com empresas e profissionais do ramo.</em></p> Débora da Silva Teixeira Jorge Antonio de Farias Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-22 2021-02-22 10 1 7 10.21284/elo.v10i.10954 NAF: um projeto de extensão que contribui para o desenvolvimento de estudantes, sociedade e instituições públicas https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11625 <p><em>O “Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal da UFCA” é um projeto de extensão criado em 2019. O objetivo desse relato é descrever as atividades desenvolvidas pelo projeto de extensão NAF. Inicialmente, foram realizados treinamentos ofertados pela Receita Federal, SEFAZ-CE e pelo professor orientador para a capacitação dos discentes. Também realizou-se reuniões para a organização do projeto. Logo após, começaram os atendimentos para a sociedade. Percebeu-se que houve bastante participação dos alunos, aumento de suas relações interpessoais e melhoria na comunicação. Assim, identificou-se que o projeto é de grande relevância para todos os envolvidos</em>.</p> Geysa Gabriela Pinheiro GOMES Hugo Azevedo Rangel de Morais MORAIS Ricardo Aladim MONTEIRO Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-03-18 2021-03-18 10 1 7 10.21284/elo.v10i.11625 Cultura de paz nas escolas de educação infantil: uma revisão de literatura https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11913 <p><em>Trata-se de um relato de experiência do projeto de extensão Diagnóstico da Violência e Estratégias de Construção da Paz nas Escolas Municipais de Feira de Santana-BA. O projeto de extensão é voltado a crianças quilombolas de três a cinco anos e seus familiares.Tem como objetivo descrever as atividades de um projeto extensionista realizado com crianças matriculadas na Escola Municipal de Educação Infantil em uma comunidade quilombola. A metodologia adotada foi a roda de conversa, apresentação da proposta e identificação dos fatores de risco relatados e proposição de atividades sobre prevenção da violência, noções básicas do corpo humano, higiene corporal e valores como ética, respeito e cooperação. O trabalho foi desenvolvido no período de outubro de 2018 a julho de 2019. A realização dos encontros com as crianças proporcionou a promoção do pensamento crítico, além da participação e dinamicidade nas atividades elaboradas.</em></p> Rayciane Santos Suzart RAMOS Aisiane Cedraz MORAIS Iandra Sara dos Santos FERREIRA Sinara de Lima SOUZA Rosely Cabral de CARVALHO Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-04-30 2021-04-30 10 10.21284/elo.v10i.11913 A atuação do projeto de extensão “COMSEA, O QUE É?”, na propagação do conceito de Segurança Alimentar e Nutricional e seus deveres https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11014 <p><em>O propósito do artigo foi ressaltar a atuação do Projeto de Extensão da UFJF “COMSEA, o que é?” na cidade de Juiz de Fora/MG, enfatizando a necessária interação do saber popular e o conhecimento acadêmico. O projeto contribuiu para divulgação do Conselho Municipal de Segurança Alimentar, órgão municipal precursor do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) e criou-se um acervo sobre políticas públicas de SAN. A metodologia utilizada foi a abordagem qualitativa, de caráter exploratório. O método adotado envolve análise documental de atas das reuniões plenárias do COMSEA-JF no período de 5 anos, entrevistas com conselheiros da cidade e a realização de atividades de capacitação de conselheiros. Concluiu-se ser positiva a parceria do projeto “COMSEA, o que é?”, com o COMSEA-JF e a população, que em um processo dialógico conseguem articular políticas públicas efetivas de Segurança Alimentar e Nutricional. O marco teórico foi Paulo Freire e Luciene Burlandy.</em></p> Maria Clara Marinho RABELLO Vitoria Maria Rodrigues Marques da Silva Pinto PEREIRA Ana Claudia Peres RODRIGUES Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-01-29 2021-01-29 10 10.21284/elo.v10i.11014 Inclusão Digital para adultos: Relato de experiência https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11869 <p><strong>Resumo:</strong> <em>Este artigo apresenta o relato de experiência do projeto de extensão Inclusão Digital para Adultos. O projeto teve como objetivo principal desenvolver a inclusão digital do educando, fazendo com que após sua inserção no mundo digital ele possa interagir com esse novo paradigma social, sentindo-se valorizado como indivíduo, realizando-se como profissional, contribuindo assim para a melhoria de seu contexto social, de acordo com a formação obtida por meio das oficinas práticas. O projeto desenvolveu, por meio de oficinas educativas e práticas, a inclusão do público específico a ser atendido, contribuindo assim para a aproximação da comunidade externa com o Instituto Federal de Santa Catarina - campus Tubarão. Ao final do projeto conclui-se que os objetivos foram alcançados. No total, foram atendidos 30 alunos.</em></p> <p>&nbsp;</p> Fernanda Corrêa GARCIA Diego Ramos GOMES Felipe Schneider COSTA Rebeca Guedes Maria da SILVA Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-04-19 2021-04-19 10 10.21284/elo.v10i.11869 Segurança alimentar de agricultores agroecológicos do Semiárido Brasileiro https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11021 <p><em>O presente estudo buscou descrever a situação de segurança alimentar vivenciada por famílias de agricultores agroecológicos dos municípios de Choró, Massapê e Tauá, assistidos pela ONG ESPLAR no Ceará. Utilizou-se a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (EBIA), que tem o fator renda como principal determinante e uma escala adaptada da EBIA que leva em consideração a produção para autoconsumo. Foram investigadas 61 famílias de agricultores agroecológicos que continham em seu núcleo pelo menos um membro menor e outra com todos os membros maiores de 18 anos. Os resultados sugerem que o fator renda não foi o único determinante na segurança alimentar e nutricional desses agricultores, enfatizando a importância da produção para autoconsumo. A verificação da insegurança alimentar pela EBIA pode ser superestimada por não considerar a produção para o autoconsumo. Os métodos agroecológicos combinados com a troca de conhecimentos podem aumentar a segurança alimentar.</em></p> José Vagner SILVA Vanessa Schiavon LOPES Maria Valdenira Rodrigues de ALMEIDA Ana Leônia de Araújo GIRÃO Pollyanna da Silva QUEMEL Renato Teixeira de OLIVEIRA Teogenes Senna de OLIVEIRA Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-04-06 2021-04-06 10 10.21284/elo.v10i.11021 Formação de multiplicadores para reciclagem de resíduos orgânicos por meio da compostagem em tempos de pandemia https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11875 <p><em><span style="font-weight: 400;">Em 2016 o Brasil gerou cerca de 78,3 milhões de toneladas de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), sendo que a metade de todo este resíduo é orgânico. Na degradação da fração orgânica dos RSU aterrados ocorre a produção de gases do efeito estufa e lixiviados que oferecem riscos ao solo, ar, águas e à saúde pública. O tratamento mais simples para este tipo de resíduo é a compostagem. Por isso, este projeto de extensão teve como objetivo formar multiplicadores da comunidade externa para reciclagem de resíduos orgânicos por meio da compostagem. A capacitação ofertada à comunidade externa 100% online gerou quinze vídeos sobre o assunto, na forma de Lives, que estão disponíveis canal do YouTube do IFSC - Campus Garopaba, onde além das palestras, houve troca saberes com a comunidade externa. inicialmente foram recebidas 1291 inscrições de diversas regiões do Brasil e ao final foram emitidos 417 certificados de participação para aqueles que conseguiram cumprir 75% de frequência no curso.</span></em></p> Juliano da Cunha GOMES Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-04-26 2021-04-26 10 10.21284/elo.v9i.11875 Agroecologia como alternativa de produção no campo: um estudo de caso no assentamento João Batista II, em Castanhal-PA https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/12044 <p><em>Objetiva-se neste trabalho analisar a contribuição da agroecologia como forma de produção e de luta dos trabalhadores rurais que vivem no território do assentamento João Batista II em Castanhal/PA. Para tanto, adotamos como procedimento metodológico a elaboração de entrevistas com base em roteiro semiestruturado na perspectiva de Brumer et. al (2008) e conversas informais com as (os) agricultoras (es). Desse modo, observou-se, que uma característica marcante nos discursos dos entrevistados foi de que, para eles a agroecologia é muito mais do que uma técnica produtiva ou uma ciência, pois envolve uma variedade de outras dimensões, além do manejo de um determinado agroecossistema, o que permite concluir que os assentados possuem o processo agroecológico conscientemente internalizados, compreendendo que a forma de produção agroecológica possibilita benefícios não somente para si, mas também para todo o contexto social e ambiental em que estão inseridos.</em></p> Livia Silva SANTOS Leonardo Figueiredo de SOUZA Gilson da Silva COSTA Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-05-10 2021-05-10 10 10.21284/elo.v10i.12044 A educação ambiental em curso formativo: uma proposta para a formação de jovens do ensino médio por meio das artes https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11373 <p><strong>Resumo: </strong><em>Considerando as macrotendências que se referem aos segmentos da Educação Ambiental, o presente trabalho teve como objetivo desenvolver ações que mitigassem os problemas ambientais. Para o alcance deste objetivo foram utilizadas práticas artísticas e ambientais visando o ensino de Educação Ambiental aos jovens do Ensino médio. Durante um curso, foram desenvolvidas atividades compostas por práticas a campo estruturadas em conceitos agroflorestais, resíduos sólidos urbanos mediadas por atividades artísticas, com animações e desenhos de observação (mapeamento ambiental). Os resultados mostraram que abordagens artísticas e práticas ambientais ajudam a promover um processo de sensibilização ambiental por serem integrativas com o meio ambiente, para tanto os cursistas realizaram apontamentos ilustrativos sobre problemas ambientais tendo como destaque resíduos de sólidos urbanos, posteriormente sugeriram a implantação de uma horta em uma área abandonada dentro da Universidade, estes processos contribuíram para que aos alunos adquirissem uma visão consciente dos recursos naturais e preservação do meio ambiente.</em></p> <p><strong>Palavras-Chaves</strong>: Educação ambiental. Práticas artísticas. Resíduos sólidos urbanos.</p> <p><strong>Área Temática: <em>Educação Ambiental</em></strong></p> Thiago EZIDIO Dayanne da Silva ALVES Lucken Bueno LUCAS Rodrigo de Souza POLETTO Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-02-25 2021-02-25 10 10.21284/elo.v10i.11373 Análise das técnicas argumentativas nos textos dissertativo-argumentativos dos alunos do curso de redação PROENEM (UNILAB) https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11702 <p><em>O presente trabalho tem o objetivo de analisar como os estudantes pré-universitários do Curso de Redação Gratuito ProEnem, promovido pelo Projeto Palestras Interdisciplinares e Oficinas de Produção Textual para o Enem (PROENEM), usam as estratégias argumentativas em redações dissertativo-argumentativas. Para darmos conta desse objetivo, a nossa base teórica está nos postulados de Perelman e Tyteca (1996), sobre as técnicas argumentativas, Fiorin (2018), em sua investigação sobre a argumentação, e Garantizado Júnior (2015), em seu modelo de análise e descrição do fenômeno argumentativo sob uma perspectiva textual e retórica. Para este trabalho, analisamos 25 redações produzidas por 25 estudantes pré-universitários da Turma 1 do primeiro módulo do Curso de Redação. Nossos resultados apontam que, após intervenção didática do ProEnem, as estratégias argumentativas de comparação, exemplificação, vínculo causal, e referência à autoridade foram mais adequadamente utilizadas nos textos produzidos pelos pré-universitários com os quais realizamos a pesquisa.</em></p> Leonardo FERREIRA José Olavo da Silva Garantizado JÚNIOR Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-04-12 2021-04-12 10 10.21284/elo.v10i.11702 Análise da pertinência do teatro do oprimido para a extensão universitária: perspectivas de jovens residentes em Crato, Ceará https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11904 <p><em>Esse artigo tem por objetivo avaliar a pertinência da metodologia Teatro do Oprimido para a promoção de ações de extensão universitária em contextos periférico-urbanos por meio da análise dos discursos dos jovens participantes das ações de extensão do Laurbs no bairro Alto da Penha, em Crato - CE. Mediante isso, realizou-se uma pesquisa exploratória, cuja coleta dos dados se deu a partir de um questionário semiestruturado aplicado com jovens residentes na comunidade. O tratamento dos dados qualitativos se deu por meio da técnica análise de conteúdo, já os quantitativos foram tratados com base na estatística descritiva. Os resultados apontam que os participantes enxergam a pertinência do Teatro do Oprimido, avaliando-o positivamente. Conclui-se que metodologias lúdicas como o Teatro do Oprimido são importantes para impactar positivamente a consciência dos jovens sobre o seu território e os seus papéis nele, provocando, assim, o despertar à participação social e cidadania.</em></p> Geovane Gesteira Sales TORRES Caio Ricardo da SILVA Regina Pimentel CRUZ Maria Isabel de Sousa BEZERRA Diego Coelho do NASCIMENTO Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-03-25 2021-03-25 10 10.21284/elo.v10i.11904 Expediente https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11817 Admin Revista ELO Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-01-29 2021-01-29 10 SPIGOLON, Nima Imaculada; LEITE, Sandra Fernandes; PALMEN, Sueli; FABIANO, Edson; DRI, Wisllayne de Oliveira; SOUZA, Vanessa Cristina de (Orgs.). Reinventar a universidade: extensão universitária com a EJA. Uberlândia: Navegando Publicações, 2019 https://periodicos.ufv.br/elo/article/view/11963 <p>O resumo do artigo em português deve ser apresentado em fonte Times New Roman, em itálico, tamanho 10, espaçamento simples entre linhas e alinhamento justificado. Cada resumo deve conter, no máximo, 500 caracteres com espaço. Precedido da Palavra “Resumo:” com a mesma formatação e em negrito</p> Victor Hugo Nedel OLIVEIRA Copyright (c) 2021 Revista ELO – Diálogos em Extensão http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2021-03-02 2021-03-02 10 1 2 10.21284/elo.v10i.11963