Chamada pública de artigos para o dossiê Velhices e idadismo na américa latina: Um combate coletivo, porque velho não é o outro...

2022-06-27

A proposta do dossiê é refletir sobre o idadismo, preconceito baseado na idade cronológica que ocasiona diferentes formas de discriminação. Essa forma de opressão emerge de uma visão generalizante e negativa da velhice, desconsiderando a subjetividade, as singularidades do envelhecer e as contribuições das pessoas idosas na família e na sociedade como um todo. Ademais, um dos principais equívocos é sempre relacionar a velhice à doença, sem atentar para as relações sociais como dimensão estrutural e estruturante do processo de envelhecimento, no âmago da sociabilidade capitalista. Também interessa, nessa problematização, ampliar o debate em torno da visibilidade de tal preconceito, bem como as formas de resistências de velhos(as) por meio de suas capacidades inventivas e criativas de ser, viver e envelhecer.

Priorizamos a América Latina tendo em vista a ampliação do envelhecimento, somada à alta incidência de pobreza nessa região, situação preocupante, em que a desigualdade se desponta como uma marca concreta quando se esboça as particularidades do contexto latino-americano.

Para compor o dossiê, serão bem-vindas contribuições de pesquisadores(as), docentes, estudantes, profissionais e ativistas de diversas áreas do conhecimento.

A seguir, algumas questões sobre a temática:

- O idadismo no âmbito cultural: reflexões sobre potencialidades e desafios do viver/ envelhecer em nossa sociedade;

- O idadismo e os seus impactos na elaboração e implementação de políticas públicas, a partir da perspectiva da consubstancialidade (classe, raça e sexo);

- O idadismo e os seus desdobramentos nos arranjos familiares, comunitários e inserção da pessoa idosa no mercado de trabalho.

- O idadismo e os seus reflexos na saúde das pessoas idosas e de seus pares em momento pandêmico.

- O idadismo e o debate a ser construído no âmbito do ensino formal, da educação não formal e coeducação entre gerações;

- O idadismo frente à transformação do corpo e à padronização da beleza;

- Contribuições do Direito no combate ao idadismo.

Organizadoras do dossiê:

Adriana de Oliveira Alcântara

Doutora em Antropologia Social, Mestre em Gerontologia e Graduada em Serviço Social. É referência nos estudos sobre a velhice, tendo publicado livros e artigos sobre o tema. Ministra disciplina na Especialização em Gerontologia na Unifor (Universidade de Fortaleza). Vice-Líder do Grupo de Pesquisa Velhice, Cultura e Sociedade/GEVCS-IFMA-CNPq. Pesquisadora sênior (CNPq) no Núcleo de Pesquisa sobre Estado e Políticas Públicas, da Universidade Federal do Piauí.

Aurea Eleotério Soares Barroso

Doutora em Serviço Social, Mestre em Gerontologia e Graduada em Pedagogia. É referência nos estudos sobre a velhice, tendo publicado livros e artigos sobre o tema. Pesquisadora em projetos apoiados pela Capes, Fapesp, Unfpa, SEADE e Unesco. Membro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (SBGG).

Data limite para submissão de artigos: 31 de dezembro de 2022.
Link para submissão aqui.

Além do dossiê, o periódico também recebe artigos em fluxo contínuo sobre temáticas diversas.

A Oikos: Família e Sociedade em Debate é uma publicação semestral do Programa de Pós-Graduação em Economia Doméstica da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

As normas para submissão podem ser acessadas aqui.

Normas de formatação: https://periodicos.ufv.br/oikos/Temp

Pedimos, por gentileza, que divulguem entre amigos, pesquisadores e estudantes de sua universidade e círculo científico.