As condições de moradia, o nível de satisfação das famílias assentadas em sergipe e as interfaces com a política nacional de reforma agrária

Junia Marise Matos de Sousa, Daniela do Carmo de Lara, Iris Ferreira de Souza

Resumo


A realidade agrária de Sergipe, marcada pela concentração histórica de terras e pela luta dos movimentos sociais no campo, é aqui analisada com o intuito de verificar as condições atuais de moradia e do microambiente familiar das famílias assentadas em Sergipe, bem como as suas implicações sobre a qualidade de vida. A proposta metodológica combinou técnicas e instrumentos quantitativos e qualitativos, de forma a obter dados que pudessem retratar esta realidade na concepção dos envolvidos e, ao mesmo tempo, permitir inferências sobre a política publica de reforma agrária. Numa análise crítica do quadro observado, pode-se inferir que os domicílios apresentam parcialmente boas condições de habitabilidade, estruturalmente os domicílios apresentam segurança e conforto, cobertura de energia elétrica e abastecimento de água, porém, os índices relacionados à coleta de lixo e saneamento básico são baixos, contudo esses índices precisam ser melhorados a nível nacional, não sendo somente um problema dos assentamentos. Neste contexto e diante dos resultados apresentados, considera-se que a reforma agrária enquanto Política Pública, apesar de não ter como objetivo específico a questão da moradia, apresenta uma interface positiva neste aspecto, uma vez que, através do Crédito específico para a construção das moradias, proporciona as famílias as condições que atendem as suas necessidades, tendo em vista o nível de satisfação apresentado.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais