CALCÁRIO E SUA INFLUENCIA NO CULTIVO DE MANDIOCA NA AMAZÔNIA TOCANTINA

Jefferson dos Santos Martins, Mariana Casari Parreira, Rafael Coelho Ribeiro, Evaldo Morais da Silva

Resumo


O cultivo de raízes de mandioca é muito importante nas regiões do Brasil, principalmente por pessoas de baixa renda. Apesar do aumento da área plantada, a produtividade desta cultura é baixa, devido principalmente a baixa fertilidade e manejo dos solos utilizados para o plantio. Este trabalho teve como objetivo avaliar a influencia do calcário na cultura da mandioca no Nordeste Paraense (Amazônia Tocantina). O experimento foi realizado sob condições de campo, no período de novembro de 2015 a setembro de 2016, em uma propriedade rural de caráter familiar no município de Cametá, estado do Pará. O experimento foi conduzido em delineamento em blocos casualizados – DBC, com quatro repetições. Os tratamentos utilizados foram dosagens crescentes de calcário: 500 kg ha-1; 750 kg ha-1; 1.000 kg ha-1; 1.500 kg ha-1, mais uma testemunha sem aplicação. A cultura foi conduzida de acordo com os produtores familiares da Amazônia Tocantina, sem irrigação e adubação complementares. Foram avaliados: comprimento, diâmetro, número e peso de raízes por planta, produção total de raízes e também a quantificação de ácido cianídrico. Verificou-se que o maior peso de raízes por planta e a máxima produção foram obtidos utilizando a menor dosagem. A quantidade de ácido cianídrico nas raízes não foi diminuída com o aumento das doses de calcário, sendo a cultivar utilizada, classificada como mandioca mansa ou de mesa.


Palavras-chave


Manihot esculenta Crantz; calagem; cianogênico; produtividade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21206/rbas.v8i1.460

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN Online 2236-9724, ISSN Impresso 2317-5818, ISSN Cd rom 2178-5317