Dissimilaridade genética entre famílias de melancia

Luniara Bastos Santos, Aline Torquato Tavares, Tiago Alves Ferreira, Gil Rodrigues Santos, Renato Almeida Sarmento, Danilo Alves Porto da Silva Lopes, Ildon Rodrigues Nascimento

Resumo


As cucurbitáceas em geral, dentre elas a melancia, estão sujeitas a várias doenças causadas por vírus que podem reduzir substancialmente a sua produtividade, tanto quantitativa como qualitativamente. A resistência às viroses PRSV-W e WMV ainda não foi bem explorada na cultura da melancia. Objetivou-se avaliar a dissimilaridade genética de famílias de melancia tipo Crimson Sweet obtidas do retrocruzamento do acesso resistente PI 595201 com Crimson Sweet e selecionadas para resistência a WMV e PRSV-W. Foram utilizados 25 tratamentos sendo eles: 23 famílias obtidas de quatro retrocruzamentos do acesso PI 595201 (Genitor não-recorrente) com a cultivar Crimson Sweet (Genitor recorrente), selecionadas para resistência a PRSV-W e WMV e duas cultivares comerciais do tipo Crimson Sweet. Foram avaliadas 13 características para o estudo da similaridade genética e os componentes principais. Há variação genética entre os genótipos avaliado com formação de dez grupos distintos. As características que mais contribuíram para a dissimilaridade genética foram coloração da polpa (18,87%), sólidos solúveis (17,04%), pH (11,55%) e acidez titulável (9,98%). Os genótipos mais dissimilares foram a cultivar Crimson Sweet® - Sakata e as famílias 19 - WMX-001G-14-02-55-01pl#10, 15 - WMX-001G-14-02-55-01pl#05 e 2 - WMX-001G-09-04-58-07pl#08.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN Online 2236-9724, ISSN Impresso 2317-5818, ISSN Cd rom 2178-5317