LEVANTAMENTO FITOSSOCIOLÓGICO DE PLANTAS DANINHAS NA CULTURA DA PIMENTA-DO-REINO NA AMAZÔNIA ORIENTAL

Mateus Pantoja Martins, Mariana Casari Parreira, Jefferson dos Santos Martins, Jefferson Bruno Carvalho Soares, Rafael Coelho Ribeiro

Resumo


O cultivo de pimenta-do-reino (Piper nigrum L.) no território brasileiro teve origem na década de 1930 por meio da imigração japonesa, e desde então perdura como um dos principais cultivos agrícolas de interesse econômico na região amazônica. Este trabalho teve como objetivo avaliar a comunidade infestante, na cultura da pimenta-do-reino, na região da Amazônia Oriental. As coletas de dados ocorreram em cinco áreas com cultivo de pimenta-do-reino na localidade de Belos Prazeres, localizada na zona rural do município de Cametá, estado do Pará. Para a avaliação da comunidade infestante, em cada área de cultivo avaliada, foram adotadas quatro amostras de 1 m2. Com base nos dados coletados das espécies foram determinados os índices fitossociológicos: densidade, densidade relativa, frequência, frequência relativa, abundância, abundância relativa, massa fresca relativa, índice de valor de importância e o índice de valor de importância relativo. Entre as espécies que consistiram a comunidade infestante nas áreas avaliadas com cultivo de pimenta-do-reino, a Spergula arvensis, assim como a Galinsoga parviflora, a Tarenaya spinosa e a Cabomba furcata foram as mais significativas, integrando a maioria dos parâmetros analisados. Sendo que a S. arvensis foi a única espécie a ser representada em todos os índices fitossociológicos avaliados

Palavras-chave


Piper nigrum L.; comunidade infestante; índice

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN Online 2236-9724, ISSN Impresso 2317-5818, ISSN Cd rom 2178-5317