RESPOSTAS FISIOLÓGICAS DE DENDÊ SUBMETIDAS AO ESTRESSE HÍDRICO EM CONDIÇÕES DO CERRADO

Sérgio José da Costa, Eduardo Andrea Lemus Erasmo, Taynar Coelho de Oliveira Tavares, Joedna Silva

Resumo


Avaliou-se o desempenho de quatro híbridos de dendê sob estresse hídrico e irrigados em condições de cerrado. As variáveis consideradas em todos os materiais foram a fotossíntese líquida (A), os valores de transpiração (E), a condutância estomática (gs), a concentração de carbono interno (Ci) e a eficiência do uso da água (A E-1). Os cinco híbridos avaliados reduziram drasticamente a fotossíntese líquida sob condição de estresse hídrico. O BRS Manicoré e o BRS 2001 apresentaram redução drástica na condutância estomática. Para o balanço de carbono (Ci) os valores sugeriram que a manutenção de concentrações internas de CO2 foram relativamente altas sob estresse em todos os materiais, sendo o BRS 2001 com maior Ci, entretanto este mesmo material apresentou menor eficiência no uso da água. As plantas de Elaeis guineensis apresentaram baixa tolerância à deficiência hídrica nos solos de cerrado, entretanto nas condições que foi desenvolvido o trabalho pode se considerar que os híbridos BRS 2501 e BRS 2528, foram os mais eficientes fisiologicamente nas condições de estresse hídrico.


Palavras-chave


Elaeis Guineensis, manejo hídrico, Tocantins

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN Online 2236-9724, ISSN Impresso 2317-5818, ISSN Cd rom 2178-5317