TRATAMENTO DE SEMENTES DE MILHO COM ZINCO SEMEADAS EM DIFERENTES PROFUNDIDADES

Adão Felipe dos Santos, Mailson Freire de Oliveira, Paulina Diniz Junqueira, Lígia Negri Correa, Rouverson Pereira da Silva

Resumo


A profundidade de semeadura e a nutrição das plântulas com micronutrientes na fase de desenvolvimento inicial são imprescindíveis para se atingir o estande recomendado para cultura do milho. Nesse sentido, objetivou-se verificar se o tratamento de sementes com zinco afeta os parâmetros fitotécnicos e fisiológicos no estádio de desenvolvimento inicial da cultura do milho até os 21 dias após a emergência, bem como verificar a relação do tratamento de semente com a profundidade de semeadura. O experimento foi realizado em blocos casualizados com quatro repetições, em esquema fatorial 3x4, sendo duas fontes de zinco (sulfato e óxido de zinco) no tratamento de semente e uma testemunha (sem zinco), combinadas com quatro profundidades de semeadura (2, 4, 6 e 8 cm). Avaliou-se a média do número de dias para a emergência, a porcentagem de germinação, o diâmetro de colmo, a área foliar e o teor de zinco na parte aérea, bem como a eficiência de uso do zinco aos 21 dias. Independentemente da fonte de zinco e das profundidades de semeadura, não foram observadas diferenças em nenhuma das variáveis analisadas. O tratamento de sementes com zinco não afetou os parâmetros germinativos e fisiológicos do milho até os 21 dias após a emergência.

Palavras-chave


Zea mays L.; parâmetros germinativos; adubação com micronutrientes

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13083/reveng.v27i2.779

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 ENGENHARIA NA AGRICULTURA / Engineering in Agriculture