ISOTERMAS E CALOR ISOSTÉRICO DE DESSORÇÃO DA ÁGUA EM SEMENTES DE TRIGO

Suian José Granella, Divair Christ, Taise Raquel Bechlin, Ivan Werncke

Resumo


As condições de umidade relativa e temperatura determinarão mudanças na manutenção da qualidade do produto até que o produto atinja o teor de água em equilíbrio, sendo diretamente relacionado à secagem e ao armazenamento. Assim, objetivou-se neste estudo especificar as isotermas de dessorção da água em sementes de trigo e obter os valores do calor isostérico de dessorção em função do teor de água de equilíbrio. Os dados das isotermas de dessorção do teor de água das sementes de trigo foram obtidos pelo método estático gravimétrico, em cinco temperaturas (5, 10, 15, 25 e 40°C), e pela atividade de água entre 0,204 e 0,7567. Foram utilizados cinco modelos matemáticos, Chung-Pfost, Copace, Sigma-Copace, GAB e Sabbah, para descrever os dados experimentais obtidos. O teor de água de equilíbrio das sementes de trigo se reduz com o aumento da temperatura a um teor de água constante. O modelo Chung-Pfost é o que melhor representa as isotermas de dessorção da água das sementes de trigo para faixa de atividade de água estudada. O calor isostérico de dessorção das sementes de trigo aumenta com a redução do teor de água, variando de 2.602,85 a 4.280,60 kJ.kg-1; para a faixa de teor de água estudada de 9,42 a 17,92% (b.s.), o calor isostérico permite determinar o ponto final de secagem e a quantidade mínima de energia requerida para a secagem do alimento.


Palavras-chave


higroscopicidade, teor de água de equilíbrio, transferência de calor e massa

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.13083/reveng.v27i4.891

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 REVISTA ENGENHARIA NA AGRICULTURA - REVENG