Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://periodicos.ufv.br/rbas Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável pt-BR <h4>1. Proposta de Política para Periódicos de Acesso Livre</h4> <p><br>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <p>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> rbas@ufv.br (Rogério de Paula Lana) rbas@ufv.br (Rogério de Paula Lana) Ter, 31 Mar 2020 00:00:00 -0300 OJS 3.1.2.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 ADUBAÇÃO NITROGENADA EM COBERTURA EM DIFERENTES ESTÁDIOS FENOLÓGICOS DA CULTURA DO TRIGO https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/6284 <p>A deficiência de nitrogênio (N) em determinado estádio fenológico pode comprometer as variáveis de produção das plantas, sendo de suma importância obter o conhecimento do momento ideal para o fornecimento suplementar deste nutriente a planta. Objetivando detectar a influência do N aplicado em cobertura na cultura do trigo em diferentes estádios fenológicos, foi realizado um experimento na região oeste do Paraná, com a cultivar CD150 e adubação de base de 200 kg ha<sup>-1</sup> da formulação 10-15-15 de NPK. Como fonte de nitrogênio aplicado em cobertura nos diferentes tratamentos, foi utilizado o super N. O delineamento experimental adotado foi o de blocos casualizados com 5 tratamentos e 4 repetições, sendo os diferentes estádios fenológicos; testemunha, início do afilhamento, metade do afilhamento, alongamento do colmo e emborrachamento. Todos os tratamentos foram submetidos a mesma dose de N (120 kg ha<sup>-1</sup>). A aplicação de N em cobertura no estádio de alongamento de colmo proporcionou maior altura e diâmetro de colmo como já era esperado, pois neste período a planta de trigo exerce rápido alongamento dos entrenós do colmo. A aplicação na metade da fase de afilhamento permitiu uma maior diferenciação de espiguetas por espiga, entretanto, esta variável não foi suficiente para influenciar positivamente a produtividade final de grãos. Já as aplicações tardias como no emborrachamento, acarretou em maior qualidade de grão como o PH, pois possivelmente propiciou em maior síntese de substâncias proteicas aumentado o peso por volume, pois o N estava prontamente disponível no início do período de enchimento do grão. Atendendo o objetivo do trabalho, não foi possível detectar o estádio mais adequado para aplicação de N em cobertura para fins de produtividade devido possivelmente a questão hídrica da região. Entretanto, aplicações tardias como no emborrachamento, pode melhorar a qualidade do grão e a remuneração do produtor rural pelo produto entregue.</p> Martios Ecco, Danilo Lulu Bedulli, Alleson Britti Lopes, Alfredo Richart, Pablo Kieling Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/6284 Ter, 31 Mar 2020 00:00:00 -0300 EFEITO DO ROLO COMPACTADOR NA SEMEADURA DE VARIEDADES DE ARROZ EM VÁRZEAS TROPICAIS https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/8473 A utilização do rolo compactador como prática de manejo (rolagem) é comum no Vale do Araguaia antes da semeadura, visando refazer a microporosidade capilar do solo e, consequentemente, a movimentação da água, beneficiando assim o estabelecimento da cultura do arroz. Objetivou-se avaliar características agronômicas e densidade do solo perante operação de compactação superficial do solo (rolagem) na implantação da cultura do arroz em solos de várzea tropical. O experimento foi conduzido em faixas, e em delineamento de blocos casualizados, com 12 tratamentos e 4 repetições, sendo parte constituinte das faixas os tipos de compactação superficial e os cultivares aleatorizados dentro de cada faixa. Os tratamentos estudados em cada cultivar foram: ausência da rolagem; rolagem mediante uma única passada de rolo compactador antes do plantio; rolagem mediante duas passadas de rolo, sendo uma antes e outro logo após plantio; rolagem uma única vez depois do plantio. Verificou-se que a prática da rolagem não resultou em aumento da produtividade de grãos, apesar de ter promovido melhor estabelecimento da cultura, não modifica a densidade do solo e pode afetar negativamente o número de panículas de alguns cultivares. RODRIGO RIBEIRO FIDELIS, Elisângela Kischel, Eduardo Lopes Cancellier, Taynar Coelho de Oliveira Tavares, Marilia Barcelos Souza Lopes, Kleycianne Ribeiro Marques Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/8473 Ter, 31 Mar 2020 00:00:00 -0300 ASPECTOS PRODUTIVOS DO CAPIM MARANDU SUBMETIDO A ADUBAÇÃO FOSFATADA EM NÍVEIS DE SATURAÇÃO POR BASES https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/8710 <p>Um dos principais problemas para a degradação das pastagens brasileiras é a não correção e reposição de nutrientes do solo, uma vez que essas práticas são comuns na agricultura, no entanto negligenciadas em pastagens. Objetivou-se avaliar o desempenho da forrageira Marandu em doses de adubação fosfatada nos diferentes níveis de saturação por bases recomendados para pastagens. O experimento foi conduzido em uma fazenda no município de Gurupi–TO. O delineamento utilizado foi blocos casualizados, em arranjo fatorial 3x5, com quatro repetições. Foram avaliadas plantas em doses de adubação fosfatada (0, 30, 60, 90 e 120 kg/ha de P<sub>2</sub>O<sub>5</sub>) nos níveis de saturação por bases (V%) para pastagens (baixo = 35%, adequado = 45% e alto = 65%). As variáveis analisadas foram altura de plantas, número de perfilhos e massa de forragem. Plantas de capim Marandu apresentaram melhor resposta a adubação fosfatada em maiores níveis de saturação por bases.</p> Hugo Valério Moreira Rodrigues, Rubson Costa Leite, Gilson Araújo de Freitas, Igo Moreira de Oliveira, Saulo Oliveira Lima Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/8710 Ter, 31 Mar 2020 00:00:00 -0300 CRESCIMENTO DE PANICUM MAXIMUM CV. BRS ZURI EM RESPOSTA A RIZOBACTÉRIA E NITROGÊNIO https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/8865 <p>Avaliou-se o crescimento de <em>Panicum maximum </em>cv. BRS Zuri em resposta a <em>Azospirillum brasilense </em>e nitrogênio. O experimento foi realizado em casa de vegetação, no delineamento inteiramente casualizado em esquema fatorial 2 x 2, com 8 repetições, considerando a ausência e a presença de <em>Azospirillum brasilense </em>&nbsp;inoculado nas sementes e nitrogênio (50 kg ha<sup>-1</sup>) aplicado no solo. Verificou-se interação dupla entre os fatores, sendo que na ausência da adubação nitrogenada, por ocasião da semeadura, <em>Azospirillum brasilense </em>foi eficiente no aumento da altura das plantas. Além disso, a inoculação das sementes com este microrganismo resultou no aumento da massa seca da parte aérea, nitrogênio, potássio, cálcio e magnésio total acumulado na parte aérea <em>Panicum maximum </em>cv. BRS Zuri.</p> Angelita Aparecida Coutinho Picazevicz, Leonardo dos Santos França Shockness, Arnaldo Libório Santos Filho, Izabel Rodrigues do Nascimento, Lariana Diniz Maciel, Lucas Rodrigues da Silva, Gabriel Elias Gil Costa Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/8865 Ter, 31 Mar 2020 00:00:00 -0300 EFEITO DE PREBIÓTICO SOBRE O DESEMPENHO E MORFOMETRIA INTESTINAL DE FRANGOS DE CORTE https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9229 <p>O experimento foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito aditivo de um prebiótico a base de mananoligossacarídeos e β-glucanos sobre desempenho e morfometria intestinal de frangos de corte. Foram utilizados 180 pintos de corte machos distribuídos em delineamento experimental inteiramente casualizado com três tratamentos, seis repetições e dez aves por unidade experimental. Os tratamentos consistiram em: T1 – dieta controle (DC) sem adição de prebiótico, T2 – DC + 0,1% de prebiótico e T3 – DC + 0,15% de prebiótico. Aos 42 dias de idade, a suplementação de 0,1% de prebiótico na dieta melhorou o peso final, o ganho de peso e a conversão alimentar das aves, bem como promoveu maior relação vilo:cripta, maior largura dos vilos, menor distância entre os vilos e maior área de absorção (<em>P </em>= 0,0016) no duodeno das aves, em comparação as aves que receberam a dieta controle. Conclui-se que a suplementação de 0,1% do prebiótico a base de mananoligossacarídeos e β-glucanos melhora o desempenho e a qualidade intestinal de frangos de corte.</p> Kedima Swyelle Pontes Azevedo, Danilo Teixeira Cavalcante, Paulo Henrique Reis Furtado Campos, Gabriel Cipriano Rocha, Samuel Oliveira Borges, Beatriz Garcia do Vale, João Victor de Souza Miranda, Arele Arlindo Calderano Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9229 Ter, 31 Mar 2020 00:00:00 -0300 DIAGNÓSTICO DO USO DE AGROTÓXICOS POR TOMATICULTORES DO MUNICIPIO DE SÃO JOSÉ DE UBÁ, RJ https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/8579 <p>O município de São José de Ubá é o maior produtor de tomate do Estado do Rio de Janeiro. A horticultura, no geral, é responsável por grande parte da utilização de agrotóxico, devido a grande susceptibilidade à pragas e doenças<strong>. </strong>O<strong> </strong>objetivo desse trabalho foi analisar o manejo de pragas e doenças realizado pelos produtores de São José de Ubá.<strong> </strong>Foram entrevistados 55 tomaticultores, utilizando-se um questionário para identificar o perfil do produtor e da produção, assim como aspectos relacionados ao manejo de pragas e doenças e as formas de aplicações agrotóxicos. <strong> </strong>Apesar da cidade ser responsável pela metade da produção do estado, a tomaticultura da São José de Ubá se característica como uma pequena atividade rural familiar, com atividade realizadas por familiares e vizinhos. Cerca de 24 produtores diferentes (75% inseticidas e 25% fungicidas) são usados de forma indiscriminada: sem necessidade, sem respeitar período de carência, sem assistência técnica durante todo o ciclo da cultura e em o uso do EPI de forma completa e correta. O uso dos agrotóxicos representa grande parte dos custos, e a maioria dos entrevistados acreditam que uma produção sem agrotóxicos é uma produção sem proteção. Esses relatos refletem a necessidade de difusão de conhecimentos desses produtos que além de diminuir os custos de produção trará menos impacto aos agricultores, consumidores e ao meio ambiente.</p> Jaomara Nascimento da Silva, Tainá Costa Araujo, Niraldo José Ponciano, Claudio Luiz Melo Souza Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/8579 Sáb, 27 Jun 2020 00:40:34 -0300 DESEMPENHO PRODUTIVO DE MINIMILHO COM ADUBAÇÃO ORGÂNICA E SUA INFLUÊNCIA NOS DANOS DA LAGARTA-DO-CARTUCHO https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9061 <p>O milho (<em>Zea mays</em> L.), em sua forma de cultivo para minimilho, atende bastante as exigências dos consumidores devida sua delicadeza e baixo valor calórico quando comparado como milho convencional (grãos). Com o objetivo de avaliar a produtividade do minimilho adubado com diferentes doses de composto orgânico e sua influência sobre a lagarta <em>Spodoptera frugiperda</em> foi instalado um experimento com seis tratamentos, doses de composto orgânico (0, 4, 8, 12, 16 e 20 Mg ha<sup>-1</sup>), em blocos casualizados com 10 repetições. As avaliações dos danos provocados pela <em>S. frugiperda</em> foram realizadas aos sete, 14, 21, 28, 35, 42 e 49 dias após a emergência das plantas. Para a produtividade do minimilho as avaliações foram em função do número de espigas comerciais, bem como o peso, comprimento e o diâmetro das espigas comerciais em cada tratamento. Os resultados da produtividade de minimilho, comprimento, diâmetro e o peso das espigas, bem como as notas de danos da <em>S. frugiperda</em> não foram afetados pelas diferentes doses de composto orgânico. Informações a esse respeito podem contribuir para a decisão do produtor, visto que os muitos híbridos destinados para a produção de minimilho já possuem alto potencial produtivo e não necessitaria de adubações químicas complementares, bem como, não proporcionar problemas ambientais através da adubação com nitrogênio N em excesso.</p> Ivana Fernandes Silva, Fábio Cunha Coelho, Ivan Cruz Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9061 Sáb, 27 Jun 2020 00:49:56 -0300 INITIAL GROWTH OF Clitoria fairchildiana UNDER ORGANIC SUBSTRATES https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9254 <p>Substratos orgânicos formulados a partir de adições de solo a compostos orgânicos de diferentes<br>origens podem interferir no crescimento inicial e qualidade de mudas de espécies arbóreas. Avaliamos a<br>interação entre tipos e proporções de compostos orgânicos (CO) na nodulação e produção de mudas de<br>Clitoria fairchildiana. O experimento foi disposto em delineamento inteiramente casualizado com fatorial<br>2 x 5, dois tipos de CO [COP (de poda de árvore) e CLU (de lixo urbano)] e cinco proporções de composto<br>orgânico:solo (0:100; 20:80; 40:60; 60:40; 80:20; v:v), com cinco repetições. Avaliaram-se: a nodulação<br>natural (NN), altura da planta (H), diâmetro do caule (DC), número de folhas (NF) e comprimento da raiz<br>(CR), massa seca da parte aérea (MSPA), massa seca de raízes (MSR), massa seca total (MST), relações<br>entre altura sobre massa seca da parte aérea (H/MSPA), massa seca da parte aérea sobre massa seca da raiz<br>(MSPA/MSR) e o Índice de Qualidade de Dickson (IQD). As proporções de CO influenciaram H, NF, DC,<br>CR, MSPA, MSR, MST, H/MSPA, MSPA/MSR e IQD das mudas de C. fairchildiana. Houve interação entre<br>os tipos e proporções de CO para H, MSPA, MSR, MST, H/MSPA, IQD e CR. Substratos constituídos por<br>proporções de COP ou de CLU adicionados a Latossolo reduzem o crescimento inicial e a nodulação natural<br>das mudas. O substrato indicado para o crescimento inicial de mudas de C. fairchildiana pode ser constituído<br>apenas por Latossolo Amarelo.</p> Janildes de Jesus da Silva, Caliane da Silva Braulio, Flavia Melo Moreira, Angela Santos de Jesus Cavalcante, Juan Manuel Anda Rocabado, Rafaela Simao Nobrega Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9254 Sáb, 27 Jun 2020 00:55:27 -0300 INVERTEBRADOS EDÁFICOS EM CULTURAS DE VERÃO E INVERNO NO NOROESTE DO RIO GRANDE DO SUL https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9281 <p>A biota edáfica apresenta importância fundamental nos processos naturais. O clima, os tipos<br>de culturas utilizadas e as práticas agrícolas adotadas podem ser limitantes para a diversidade biológica da<br>comunidade desses invertebrados. A região noroeste do Rio Grande do Sul é uma das principais produtoras<br>de grãos do Estado, entretanto, estudos avaliando a qualidade da biota edáfica são escassos nestes cultivos.<br>Objetivou-se identificar os invertebrados edáficos em duas épocas sazonais distintas em áreas agrícolas<br>cultivadas com diferentes tipos de coberturas vegetais em Santo Ângelo/RS. Para tanto, foram realizadas<br>coletas em cinco diferentes coberturas vegetais (soja, milho e milheto no verão e trigo e consórcio de nabo<br>forrageiro/azevém no inverno), utilizando armadilhas de queda “pitfall trap” por quatro dias no campo.<br>Foram calculadas a abundância, a riqueza, a frequência relativa e os índices de diversidade para cada<br>área avaliada. No total foram amostrados 11 diferentes ordens e 1.083 indivíduos, dos quais 1.051 foram<br>artrópodes da classe Insecta, Arachnida e Entognatha. Observou-se que tanto a cobertura vegetal, quanto a<br>sazonalidade influenciaram a comunidade de invertebrados edáficos no noroeste do Rio Grande do Sul. As<br>áreas cultivadas com milho, milheto e nabo/azevém foram as mais diversas, enquanto que a área com trigo foi a mais dominada, apresentando uma alta abundância de Colembolla. No período do inverno predominaram os colêmbolos enquanto que no verão foram as formigas, principalmente no milheto e na soja.</p> Eduarda Mott Lucero, Renan Costa Beber Vieira, Ângela Denise Hübert Neufeld Vieira Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9281 Sáb, 27 Jun 2020 00:58:31 -0300 POTENCIAL FISIOLÓGICO DAS SEMENTES DE Vigna radiata PRODUZIDAS EM DIFERENTES DENSIDADES POPULACIONAIS https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9603 <p>EO presente trabalho teve como objetivo avaliar a qualidade fisiológica de sementes de feijão<br>mungo em função do espaçamento entre fileiras e número de plantas por metro linear. O experimento foi<br>conduzido na Universidade Estadual de Goiás, Câmpus Ipameri, utilizando-se sementes produzidas no<br>mesmo local. Para avaliação da qualidade fisiológica das sementes foram realizados testes para determinação do teor de água, germinação e vigor. As análises foram realizadas no laboratório Multidisciplinar II. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, com os tratamentos dispostos em esquema fatorial 2 x 6, tendo como fatores os espaçamentos entre fileiras (25 e 50 cm) e números de plantas por metro linear (4, 8, 12, 16, 20 e 24 plantas), com quatro repetições. Os testes foram realizados com sementes armazenadas durante seis meses. De acordo com os resultados da análise de variância, na primeira contagem de germinação, comprimento de parte aérea, comprimento de raiz e condutividade elétrica houve interação significativa entre os fatores estudados. A massa seca de plântulas apresentou efeito significativo para os espaçamentos entre fileiras e números de plantas por metro linear de forma isolada. Para a massa de mil sementes, envelhecimento acelerado, emergência de plântulas em areia e índice de velocidade de emergência, verificou-se efeito significativo isolado apenas para os espaçamentos entre fileiras. A germinação não foi influenciada pelos espaçamentos entre fileiras e números de plantas por metro linear. O espaçamento entre fileiras de 50 cm, com 24 plantas m-1 linear entre fileiras, apresentaram melhor potencial fisiológico, evidenciado pela massa de mil sementes e condutividade elétrica. As sementes de feijão mungo produzidas em 24 plantas m-1 linear e espaçamento de 50 cm entre fileiras, apresentam melhor potencial fisiológico.</p> Edvan Costa da Silva, Nei Peixoto, Natália Arruda, Natália Cássia de Faria Ferreira, Carolina dos Santos Galvão, Luciana Sabini da Silva, Willian dos Reis, Wagner Menechini Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9603 Sáb, 27 Jun 2020 01:18:10 -0300 COMPORTAMENTO FENOLÓGICO, NUTRICIONAL E DE PRODUTIVIDADE DE CULTIVARES DE SOJA NO SUDESTE PARAENSE https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9626 <p>Avaliar o potencial de diferentes cultivares de soja em condições complexas como da região amazônica é necessário para investigar a capacidade de adaptação e o comportamento em vários aspectos dessas cultivares. Neste sentido, objetivou-se avaliar o comportamento fenológico, nutricional e de produtividade de cultivares de soja em condições edafoclimáticas do sudeste Paraense. Para isso, foram testadas nove cultivares: BRS 279RR, BRS 333RR, BRS 325RR, BRS 9090RR, BRS 8990RR, BRS SambaíbaRR, P98R31, P98Y51 e P98Y70. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com densidade de 240.000 plantas.ha<sup>-1</sup>, com quatro repetições. Foram avaliadas altura de planta e de inserção da primeira vagem (cm), florescimento e maturação (dias) e produtividade de grãos (kg.ha<sup>-1</sup>). Além disso, foi quantificado o teor de N, P e K nas folhas. Para altura de plantas, destacaram-se as cultivares BRS 9090 RR, BRS 333 RR e P98Y70, com alturas de 73,25; 72,25 e 71 cm, respectivamente. A inserção da primeira vagem variou de 8,75 (P98Y51) a 16,75 cm (BRS 333 RR). A floração foi atingida entre 34 (P98R31) e 42 (BRS 333RR e P98Y70) dias após a emergência. O período de maturação teve início mínimo aos 98 dias (P98R31) e máximo aos 119 dias (BRS 333 RR) após a emergência. As maiores produtividades foram registradas para as BRS’s e P98Y70, variando entre 1890 e 3192 kg.ha<sup>-1</sup>. O teor foliar de N, P, K não diferiu entre as cultivares testadas. A BRS 333 RR, mostrou excelente desempenho das características agronômicas.</p> Marcele de Cássia Henriques dos Santos Moraes, Letícia Cunha da Hungria, Jamil Chaar El-Husny, Priscila Pereira Sacramento, Izabelle Pereira Andrade Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9626 Sáb, 27 Jun 2020 01:20:46 -0300 ASPECTOS ETNOBOTÂNICOS DA FITOTERAPIA POPULAR NA COMUNIDADE QUILOMBOLA CONCEIÇÃO DE MIRINDEUA, MOJU-PA https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9609 <p class="western" style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt; text-align: justify; line-height: normal;"><span style="font-size: 12.0pt;">A Amazônia possui uma vasta riqueza de recursos naturais, dentre estes se encontram as espécies de plantas medicinais que tem um valor cultural bem presente para muitos povos tradicionais. No entanto, ainda existem várias espécies desconhecidas ou pouco elucidadas pela ciência que são bastante utilizadas por populações tradicionais. Diante disso, o presente estudo objetivou fazer um levantamento etnobotânico de plantas medicinais utilizadas pelos moradores da comunidade quilombola de Conceição de Mirindeua utilizando entrevistas semi-estruturadas. As entrevistas aconteceram no período de outubro a novembro de 2019, com 25 (vinte e cinco) moradores com idades entre 28 a 77 anos. Os resultados obtidos mostram que a maioria dos entrevistados (64% do total) possuem apenas o ensino fundamental incompleto e renda familiar de até 1 salário mínimo. Foram citadas 86 Etnoespécies, ocorrendo a identificação de 83 pelo laboratório de Botânica da Embrapa/Belém, sendo 1 a nível de família, 68 a nível de família e espécie e somente 14 a nível de família e gênero, tendo destaque para a família Lamiaceae com 16 espécies. A forma de preparo mais citada foi o chá e as folhas tiveram maior representatividade como parte utilizada.</span></p> Daniely Almada Copyright (c) 2020 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0 https://periodicos.ufv.br/rbas/article/view/9609 Sáb, 27 Jun 2020 01:24:24 -0300