Revista de Economia e Agronegócio https://periodicos.ufv.br/rea <p>A Revista de Economia e Agronegócio (REA) é uma publicação quadrimestral do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Seu primeiro número foi editado no início de 2003 e, até 2007, sua periodicidade foi trimestral. A partir de 2008, sua periodicidade foi mudada para quadrimestral. A REA aceita artigos e editorais (em inglês, espanhol ou português) que apresentem contribuições originais nas áreas de economia e, ou, agronegócio.&nbsp;</p> Universidade Federal de Viçosa pt-BR Revista de Economia e Agronegócio 1679-1614 <p><span>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</span></p><p>O artigo não infringe direitos autorais e estes direitos, no caso de o artigo ser aceito para publicação, serão cedidos, de forma exclusiva, à Universidade Federal de Viçosa.</p> IMPACTOS DA CRISE DO CORONAVÍRUS NAS CADEIAS PRODUTIVAS DE FRUTAS E HORTALIÇAS BRASILEIRAS https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/11126 João Ricardo Ferreira de Lima Maria Thereza Macedo Pedroso Copyright (c) 2020 2020-11-24 2020-11-24 18 2 10.25070/rea.v18i2.11126 AS INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS DE DESENVOLVIMENTO (IFD) E OS DESAFIOS DE LONGO PRAZO https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/11354 Ana Cláudia Além Copyright (c) 2020 2020-11-23 2020-11-23 18 2 10.25070/rea.v18i2.11354 DIVERSIFICAÇÃO AGROPECUÁRIA: CONCEITOS E ESTATÍSTICAS NO BRASIL https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/9501 <p>Uma forma de reduzir incertezas da produção e obter economia de escopo é por meio do emprego da diversificação de atividades, que pode ser entendida por diferentes conceitos e abordagens. O presente trabalho tem como objetivo apresentar arcabouço teórico e empírico da diversificação agropecuária no Brasil, utilizando abordagens socioeconômica e agronômica. Além disso, apresenta-se as possíveis formas de diversificação agropecuária, ressaltando sua importância ambiental e econômica. Para isso, apresenta-se a evolução da produção agropecuária municipal a partir de dois índices: Shannon e Simpson, no período1987-2017. Os resultados revelam tendência à especialização de culturas, especialmente na região Centro-Oeste. No entanto, a produção agropecuária municipal ainda se encontra na categoria “diversificada” nesse período. Os estabelecimentos acima de 1000 hectares têm uma relação negativa com a diversificação agropecuária, contrária aos estabelecimentos entre 0 a 50 hectares da região Sul e Centro-Oeste.</p> Elena Beatriz Piedra-Bonilla Cicero Braga Marcelo José Braga Copyright (c) 2020 Revista de Economia e Agronegócio 2020-11-23 2020-11-23 18 2 1 28 10.25070/rea.v18i1.9501 ANÁLISE DOS INDÍCIOS DE CARTEL NAS REVENDEDORAS DE GASOLINA COMUM EM VIÇOSA-MG, 2016 a 2018 https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/9270 <p>Este artigo teve como objetivo analisar a presença de indícios de conduta colusiva no segmento da gasolina comum na cidade de Viçosa-MG de 2016 a 2018. Para tanto, utilizou-se do Índice Concorrencial de Preços (ICP), das Margens de comercialização na revenda (Mgr) e da Assimetria na Transmissão de Preços (ATP), o que é uma metodologia mais atual na análise de combustíveis no Brasil. Os resultados indicaram indícios de comportamento colusivo em 2016 e 2018, mas se constatou sinais de concorrência em 2017 pelos filtros ICP e Mgr. Por meio da ATP, observou-se a presença de Assimetria do Impacto Contemporâneo (AIC) cujo &nbsp;choque positivo no preço da gasolina comum é repassado mais rapidamente ao consumidor pelo revendedor, ao invés dos choques negativos. Além disso, a Assimetria na Trajetória de Equilíbrio (ATAE) apontou que a velocidade de convergência depende do preço na revendedora estar abaixo do equilíbrio de longo prazo.</p> Kamila Gabriela Jacob Rosangela Aparecida Soares Fernandes Leonardo Bornacki de Mattos Copyright (c) 2020 Revista de Economia e Agronegócio 2020-11-24 2020-11-24 18 2 1 23 10.25070/rea.v18i2.9270