Revista de Economia e Agronegócio https://periodicos.ufv.br/rea <p>A Revista de Economia e Agronegócio (REA) é uma publicação quadrimestral do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Seu primeiro número foi editado no início de 2003 e, até 2007, sua periodicidade foi trimestral. A partir de 2008, sua periodicidade foi mudada para quadrimestral. A REA aceita artigos e editorais (em inglês, espanhol ou português) que apresentem contribuições originais nas áreas de economia e, ou, agronegócio.&nbsp;</p> Universidade Federal de Viçosa pt-BR Revista de Economia e Agronegócio 1679-1614 <p><span>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</span></p><p>O artigo não infringe direitos autorais e estes direitos, no caso de o artigo ser aceito para publicação, serão cedidos, de forma exclusiva, à Universidade Federal de Viçosa.</p> Tipificação de produtores por nível de inovação: análise na fruticultura do vale do São Francisco https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/9252 <p>As áreas irrigadas conseguem, dentro do semiárido brasileiro, produzir com elevada produtividade, como é o caso do Submédio Vale do São Francisco, devido ao uso intensivo de tecnologia. O objetivo deste estudo é tipificar os produtores no Arranjo Produtivo Local de Fruticultura Irrigada do Polo Petrolina/Juazeiro, com relação ao nível de inovação tecnológica. A base de dados é constituída de informações coletadas com 85 fruticultores e a metodologia utiliza-se de técnicas da estatística multivariada. Os resultados mostram que 16 variáveis representativas podem ser condensadas em quatro fatores, sendo a produtividade/faturamento e perfil/cooperação os dois fatores com maior poder de explicar o dinamismo do arranjo. A análise de cluster identificou 3 grupos distintos sobre o qual foram definidos os produtores como mais inovadores, inovadores e inovadores moderados. Conclui-se que o dinamismo atual, especialização agrícola na produção de frutas, completa-se com a existência de competitividade e inovação, que explicam em parte as razões da modernidade de produção na Região. A fruticultura irrigada continua ajudando a construir novas trajetórias para a atividade agrícola e seus impactos no meio rural, regional e urbano.</p> Gescilene dos Santos Barbosa João Ricardo Ferreira de Lima Monaliza de Oliveira Ferreira Copyright (c) 2021 Revista de Economia e Agronegócio 2021-07-01 2021-07-01 18 3 1 21 10.25070/rea.v18i3.9252 Relações de causalidade entre variáveis ambientais e econômicas https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/11073 <p>Este estudo analisa as relações entre mudança técnica, crescimento econômico e a emissão de dióxido de carbono, CO<sub>2</sub>, por meio da estimação de testes de causalidade de Granger em painel para uma amostra de 56 países entre 1980 e 2014. A estratégia empírica inova ao considerar os efeitos fixos e a dependência transversal entre as unidades do painel. Os resultados sugerem o predomínio de relações de causalidade partindo de variáveis econômicas para ambientais. Contudo, novas evidências robustas mostram que variações na emissão de CO<sub>2</sub> precedem variações na intensidade de capital e consumo de energia em todos os subgrupos de países da amostra.</p> José Martins dos Santos Adalmir Antônio Marquetti Guilherme de Oliveira Copyright (c) 2021 2021-06-30 2021-06-30 18 3 1 26 10.25070/rea.v18i3.11073 Sistemas de produção de grãos e risco econômico em áreas consolidadas e de expansão agrícola no Brasil https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/9661 <p style="margin: 0cm; margin-bottom: .0001pt; text-align: justify; line-height: 200%;">Este trabalho teve por objetivo analisar o risco econômico em sistemas de produção de grãos nas cinco regiões brasileiras. Foram coletados dados primários da estrutura de custos e de receita em propriedades rurais nos municípios de Querência (MT), Cascavel (PR), Uberaba (MG), Balsas (MA), Araguaína (TO) e Paragominas (PA), na safra 2017/2018. Aplicou-se o método de Monte Carlo nas simulações de risco, tendo como variáveis séries históricas de produtividade e preços de grãos e de insumos nos mercados locais. Os resultados indicaram que soja é o cultivo de maior estabilidade econômica, enquanto milho safrinha e trigo apresentaram os maiores níveis de risco. A análise de sensibilidade mostrou que preço é o fator de maior impacto nos resultados de risco para soja e milho verão, sobretudo em áreas consolidadas. Fertilizante foi o insumo de maior impacto em áreas consolidados e semente foi mais influente em áreas de expansão recente. O estudo corrobora o alto risco na agricultura e a importância de ações para mitigação.</p> Rosana do Carmo Nascimento Guiducci Marcelo Hiroshi Hirakuri Copyright (c) 2021 2021-07-11 2021-07-11 18 3 1 24 10.25070/rea.v18i3.9661 Genetically modified corn adoption in Brazil, costs and production strategy: Results from a four-year field survey https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/11083 <p>Genetically modified (GM) corn accounting for 90% of total area in Brazil. In this paper, we report the results of a four-year field survey (2010/11, 2013/14, 2014/15 and 2015/16) on corn production costs in Brazil, for two harvests and eleven states. The survey used both a quantitative and a qualitative approach: the first one compares GM and NonGM varieties costs in the two harvests, as well as the evolution of costs for GM corn, and the second part reports the results of a qualitative field survey. Results showed that GM corn costs are higher when compared to NonGM corn, due to higher GM seed prices, which more than compensate for the decrease in insecticides costs. When comparing the evolution of GM corn costs, seed costs tended to decrease, but insecticides had an increasing trend. The qualitative survey interviewed 314 agents, and the results showed that, in most cases, risk reduction, genetic potential, and low availability of NonGM seeds explained GM adoption. These two last factors may reflect a commercial strategy of seed companies, an issue that deserves more attention.</p> Lucilio Rogerio Aparecido Alves Joaquim Bento de Souza Ferreira Filho Jose Maria Ferreira Jardim da Silveira Matheus Sleiman da Costa Mauro Osaki Fábio Francisco de Lima Renato Garcia Ribeiro Copyright (c) 2021 2021-04-24 2021-04-24 18 3 1 23 10.25070/rea.v18i3.11083 Mecanização sustentável da agricultura familiar: o caso do Noroeste Matogrossense https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/11152 <p>O subsídio à mecanização da agropecuária de pequeno porte visando maior produtividade e menor impacto ambiental tem sido obstado por barreiras infraestruturais, administrativas e financeiras. Procurando contribuir para identificar opções factíveis para a Amazônia brasileira, o presente artigo confronta a experiência da Ásia, África e França com pesquisa de campo realizada no Noroeste Mato-Grossense. Nesta foram identificadas duas modalidades de mecanização subsidiada, a prestação do serviço pelo governo municipal e a cessão, pelo mesmo, de tratores para serem temporariamente administrados por associações de produtores. Não obstante ter sido atestado o potencial de tais alternativas, foram detectados problemas de implementação, compreendendo déficit de tratores, indisponibilidade de fundos para manutenção e maior custo contábil da modalidade associativa. Como medidas corretivas, recomendam-se (i) aumento do orçamento público alocado para assistência técnica e extensão rural voltada ao fortalecimento financeiro e administrativo das associações, (ii) focalização do subsídio na modalidade associativa sempre que possível, mas também em serviços de reparo e manutenção, bem como (iii) uma opção, pelas associações, entre microtratores e tratores, embasada em viabilidade financeira e não em preferências subjetivas.</p> Thiago Morello Claudia Heck Leonela Guimarães Copyright (c) 2021 2021-03-01 2021-03-01 18 3 1 22 10.25070/rea.v18i3.11152 Amazônia: manter a floresta em pé ou plantar? https://periodicos.ufv.br/rea/article/view/11134 Alfredo Kingo Oyama Homma Copyright (c) 2021 2021-03-01 2021-03-01 18 3 1 17 10.25070/rea.v18i3.11134