https://periodicos.ufv.br/reves/issue/feed REVES - Revista Relações Sociais 2023-01-16T10:40:02-03:00 REVES Editor-in-Chief reves.journal@ufv.br Open Journal Systems https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/15273 REVES - Diálogo plural, democrático e interdisciplinar 2023-01-16T10:40:02-03:00 Roberta Ferreira Coelho de Andrade roberta_ufam@yahoo.com.br Aldair Oliveira de Andrade aldairandrade@yahoo.com.br Antonio Marcos de Oliveira Siqueira antonio.siqueira@ufv.br Wagner dos Reis Marques Araujo marquesreis@hotmail.com <p>Neste número 4, volume 5, a Revista Relações Sociais (REVES) traz um conjunto de produções nas áreas de educação, engenharia, administração, na perspectiva do diálogo plural, democrático e interdisciplinar.</p> 2022-12-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14929 Comunidades de prática nos cursos de engenharia: um estudo comparativo desta estratégia de desenvolvimento de “soft skills” 2022-10-31T22:00:27-03:00 João Bosco de Sousa Junior jboscosousajunior@gmail.com Luan Pereira Carneiro luan.pereira@ufvjm.edu.br Marcelino Serretti Leone mserretti@ufvjm.edu.br Ulisses Barros de Abreu Maia umaia@ufvjm.edu.br <p><span style="font-weight: 400;">O enfoque deste trabalho é analisar uma estratégia sobre a necessidade dos discentes dos cursos de engenharia em desenvolver soft skills. Então foi feita uma análise na participação discente em uma das comunidades práticas da universidade sobre o desenvolvimento das competências de um membro participante. Por meio deste estudo comparativo entre relatórios de feedback de habilidades, a estratégia da participação em comunidades de prática se mostrou efetiva na aquisição de soft skills.</span></p> 2022-11-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14747 Teletrabalho e Qualidade de Vida: Estudo de Caso em uma Instituição Pública de Ensino no Brasil 2022-11-02T10:10:12-03:00 Gisley Lima de Menezes gisley.menezes@gmail.com André Luiz Mateus Socoloski almsxz@gmail.com Marcos Maia maia.marcosmaia@gmail.com <p>Em meio às transformações no mundo do trabalho, as instituições são constantemente forçadas a se adaptar, revisando suas políticas, seus processos, práticas e rotinas de trabalho. O teletrabalho tem sido amplamente discutido como tema muitas vezes polêmico na administração pública e merecedor de estudos mais aprofundados. O objetivo deste artigo é descrever e caracterizar as percepções dos servidores públicos de uma instituição pública de educação, em relação ao teletrabalho enquanto fator de melhora da qualidade de vida, assim como suas possíveis vantagens e desvantagens. Desta forma, realizou-se um estudo de caso com servidores da carreira técnico administrativa. Os dados foram coletados por meio de questionário enviado aos trabalhadores e entrevistas com diretores. A amostra foi obtida por meio de procedimentos de amostragem probabilística. Dentre as vantagens identificas estão a melhor qualidade de vida, menos interrupção do trabalho, assim como maior produtividade em cumprir o estabelecimento de metas; por outro lado, o isolamento profissional, a extensão da jornada de trabalho e o isolamento social foram apontados como as principais dificuldades dessa modalidade de trabalho.</p> 2022-11-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14712 Contribuições da LGPD Para Amenização dos Efeitos dos Mecanismos da Engenharia Social 2022-09-24T16:01:41-03:00 Bryan Felipe de Oliveira bryaanf@gmail.com José Simão de Paula Pinto simao@ufpr.br <p>Esta pesquisa tem como objetivo central a análise das contribuições que a lei geral de proteção de dados pessoais (LGPD) pode trazer, para amenizar os efeitos dos mecanismos da Engenharia Social (ES). Utiliza da abordagem descritiva e qualitativa, através de revisão de literatura e documental. A relevância do estudo se relaciona ao enfoque de temas contemporâneos, de extrema importância no atual contexto social e tecnológico, referentes à privacidade de dados e segurança virtual. Foi possível, através da pesquisa desenvolvida, inferir que a LGPD possui em seu arcabouço aspectos e previsões que podem inibir ações dos agentes da ES. O estudo também traz contribuições às pesquisas futuras acerca dos temas que correlacionam seus principais tópicos.</p> 2022-09-28T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14678 Fake News: Uma análise pragmática sobre os efeitos do fenômeno no Jornalismo e no Direito 2022-09-13T21:07:14-03:00 Matheus Aguiar Dornelas maguiardornelas@gmail.com Márcio Simeone Henriques simeone@ufmg.br <p><span style="font-weight: 400;">O artigo propõe uma reflexão sobre como o fenômeno das “fake news”, enquanto estratégia política, despertou transformações no Jornalismo e no Direito. Sob o viés do pragmatismo, analisamos casos concretos que contextualizam e apresentam consequências do fenômeno a fim de buscar as possibilidades para uma efetiva liberdade de expressão na comunicação digital. Para isso, adotamos a noção de Park (1940) de notícias como forma de conhecimento e a democratização do interesse público em Dewey (1927).</span></p> 2022-09-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14658 Um estudo de caso sobre cultura do Gerenciamento da Segurança Operacional em Operadores Aéreos do Brasil 2022-09-09T14:42:40-03:00 Francis Ferronato francisferronato@gmail.com Pedro Paulo de Andrade Junior pp.andrade@ufsc.br <p>O objetivo desse artigo foi demonstrar a eficácia do Sistema de Gerenciamento da Segurança Operacional (SGSO) da aviação civil brasileira nos procedimentos de operações aéreas; gestão segurança de voo; gestão da qualidade; controle de tráfego aéreo; Oficinas de Manutenção (OM); controle técnico de manutenção aeronáutica (CTM); procedimentos de operações de solo; operadores aéreos; zonas aeroportuárias; treinamento dos profissionais de solo e de voo; legislação aeronáutica brasileira; legislação internacional; Regulamentos Brasileiros de Aviação Civil (RBAC); tratado internacional da Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO). Este artigo contribuiu para o entendimento da percepção do SGSO pelos profissionais quanto aos procedimentos de Segurança Operacional em suas atividades laborais diárias. Em termos metodológicos foi utilizada a pesquisa bibliográfica e estudo de caso em múltiplos estados do Brasil, foram aplicados questionários quantitativos e qualitativos utilizando o método das Representações Sociais aos profissionais envolvidos na aviação civil brasileira. Dentre os profissionais que responderam à pesquisa supracitada tem-se: Gestores de Segurança Operacional (GSO); pilotos e copilotos de companhia aérea; instrutores de voo de Centros de Instrução de Aviação Civil (CIAC); pilotos e copilotos de aviação executiva; pilotos de aviação agrícola; pilotos de aviação geral; comissários de companhia aérea; controladores de tráfego aéreo; mecânicos de manutenção aeronáutica das áreas de Grupo Motopropulsor (GMP), Aviônicos (AVI), Célula (CEL); agentes aeroportuários de companhia aérea; Agentes de proteção contra atos de interferência ilícita da aviação civil.&nbsp; O problema desta pesquisa gira em torno identificação do nível de compreensão de cultura de segurança pelos profissionais da aviação quanto ao “Safety” (Segurança Operacional). Os resultados demonstram discrepâncias na interpretação do que é segurança operacional.</p> 2022-09-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14530 Biblioteca cultural itinerante: uma possibilidade de incentivo à leitura e a cultura 2022-08-03T23:04:32-03:00 Livia dos Reis Amorim liviaamorimdosreis@gmail.com Flávio Xavier de Macedo flavioxavierxe10@gmail.com Diosnel Centurion lensoid@gmail.com <p>O presente artigo evidencia os benefícios da instalação em um ônibus biarticulado de uma Biblioteca Cultural Itinerante. O objetivo do estudo é transformar a Biblioteca Itinerante em um espaço lúdico inovador, envolvente e motivador de incentivo à leitura e ao resgate de tradições culturais e construção de novas representações históricas e artísticas. O estudo utiliza a pesquisa qualitativa aplicada à proposta. Serão desenvolvidas atividades como; baús literários, exibição de filmes, exposição de fotos e arte, roda de leitura, contação de histórias, apresentações teatrais, teatro de fantoches, encontro com os escritores, poetas e artistas regionais e acesso a rede mundial de computadores. Para a comunidade local e pesquisadores, a Biblioteca será um centro de excelência, se tornando um espaço multidisciplinar de pesquisa com áreas para leitura, exposições e apresentação. A proposta será capaz de proporcionar a sensibilização sobre a importância da leitura e resgate e valorização da cultural local.</p> 2022-08-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14502 A pedagogia das reformas educacionais e a (semi) formação 2022-07-31T09:02:23-03:00 Ademir Henrique Manfré ademirmanfre@yahoo.com.br <p>Este texto é resultado de elaborações teóricas desenvolvidas junto à disciplina de Estrutura e Funcionamento da Educação Básica por mim ministrada a um curso de licenciatura no corrente ano. Tem como objetivo geral problematizar as propostas (semi) formativas educacionais alinhadas a um modelo contemporâneo de currículo que toma os estudantes como capital humano a ser investido. Partiu-se do seguinte questionamento: quais sentidos de formação humana são engendrados pela lógica das competências e do empreendedorismo? A metodologia constou da análise interpretativa de autores que sustentaram o debate proposto. O texto apresenta um diagnóstico de algumas reformas educacionais que articulam interesses empresariais e propostas (semi) formativas. Amparados no referencial teórico frankfurtiano, apresentamos em bases diferentes o lugar ocupado pela experiência formativa na escola, bem como os impactos de sua ausência nela.</p> <p> </p> 2022-08-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/15056 Análise de estratégias didáticas propostas por um periódico brasileiro para o ensino de genética, nos anos de 2017 a 2021 2022-12-09T10:00:11-03:00 Larissa Braga Rodrigues larissa.1393424@discente.uemg.br Lucas Marinho da Silva lucas.1393426@discente.uemg.br Fernanda de Jesus Costa fernanda.costa@uemg.br Fernanda Prieto Bruckner fernanda.bruckner@uemg.br <p>O ensino de Genética nas escolas é desafiador. Apesar de tratar de temas contemporâneos com aplicação direta na sociedade, os conteúdos são considerados abstratos e complexos, exigindo diversas competências para seu entendimento. As dificuldades no processo de ensino e aprendizagem dos conteúdos de genética podem ser minimizadas pelo uso de metodologias diferenciadas de ensino. O presente trabalho analisou as publicações da seção “Materiais Didáticos” da revista “Genética Na Escola”, de 2017 a 2021. Foram analisados 37 artigos de acordo com seu o seu público-alvo, estratégias didáticas propostas, conteúdos trabalhados e presença de interdisciplinaridade. Com base na análise, verificou-se a existência de diversas propostas para o ensino médio e superior, e um número menor para o ensino fundamental. As publicações trazem estratégias didáticas diferenciadas voltadas para o ensino de temas diversos em genética, o que demonstra a relevância da utilização de materiais de apoio para os professores, como a revista “Genética na Escola”.</p> 2022-12-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14920 Sociedade 5.0: explorando os dilemas do ecossistema social do futuro 2022-10-29T18:45:21-03:00 Michele Kremer Sott sott.mk@gmail.com Kamila da Silva Baum kamila.baum@edu.pucrs.br Mariluza Sott Bender mariluzabender@unisc.br <p>A Sociedade 5.0 é um conceito que tem ganhado força em todo o mundo, com o objetivo de usar tecnologias digitais e habilidades humanas para promover inclusão, sustentabilidade e equidade. Por meio de uma revisão sistemática da literatura, de cunho reflexivo-crítico, apoiada pelo protocolo PRISMA-P, este trabalho identifica as principais pesquisas do campo de estudo e explora o conceito de Sociedade 5.0. Além disso, são discutidos os principais dilemas associados a nova proposta de ecossistema social e seus impactos na sociedade. Devido a incipiência do campo de estudo, poucos trabalhos discutiram as implicações do conceito e do fenômeno da Sociedade 5.0, e os trabalhos existentes evidenciam um pulsante antagonismo entre os pesquisadores da área. Apesar das divergências acerca do conceito, os resultados desta pesquisa mostram alinhamento no que tange ao objetivo geral da Sociedade 5.0. Entende-se que a sociedade evolui quando cidadãos, organizações e governo, com intermédio da tecnologia, desenvolvem um ecossistema social sustentável, cujo objetivo final é a qualidade de vida humana. As discussões, dilemas e lacunas levantadas nesta pesquisa podem gerar <em>insights</em> para outros pesquisadores e nortear trabalhos futuros no campo de estudo.</p> 2022-11-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14687 Produtividade e Competividade para as Micro e Pequenas empresas através da participação no Projeto ALI do SEBRAE 2022-09-15T15:04:48-03:00 Anderson de Souza Nunes andersonnunes@alirs.com.br Rafael Mozart da Silva rafael.mozart@ufrgs.br <p>A presente pesquisa teve como objetivo geral investigar a repentina mudança de rotina imposta pela COVID-19 às MPEs atendidas pelo Projeto ALI do SEBRAE. Por meio de análises quantitativas foi possível concluir que as empresas pesquisadas que conseguiram retomar o seu faturamento não tiveram avanços significativos nas dimensões de gestão da operação e marketing, mostrando como as empresas renunciam a avanços e novas práticas em detrimento de ganhos de faturamento no curto prazo. A pesquisa também corrobora com a ideia de as MPEs ainda precisam de muita dedicação e abertura para a implantação real de novas culturas e de soluções digitais.</p> 2022-09-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14672 Gestão participativa e motivação em espaços pedagógicos 2022-09-12T14:52:33-03:00 Josefa Aparecida Pereira de Andrade josefa.pereira@ifro.edu.br Erinaldo Silva Oliveira ery-itb@hotmail.com Daniel Nascimento-e-Silva danielnss@gmail.com <p>A escassez de estudos vinculando a prática da gestão participativa com estratégias motivacionais, aliada ao interesse em verificar como esse processo acontece nos espaços pedagógicos, norteou esse trabalho. O Objetivo foi analisar as estratégias motivacionais utilizadas pelos gestores para obter a participação dos indivíduos na gestão de espaços pedagógicos. Foi utilizado a pesquisa qualitativa e como método de coleta dos dados, pesquisa bibliográfica e entrevista semiestruturada. Participaram do estudo três respondentes do espaço pedagógico de uma instituição de ensino da Região Norte. Evidenciou-se que todos os respondentes têm interesse em participar efetivamente dos processos gerenciais, todavia, o estudo revelou que apenas o gestor do espaço pesquisado, participa de todos esses processos. Supõe-se que essa motivação tenha um fundo, efetivamente, subjetivo, revelando um desejo interno dos indivíduos. O que nos remete, a partir da pirâmide de Maslow, que a motivação dos indivíduos respondentes pode estar associada as necessidades sociais e necessidades de estima.</p> 2022-09-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/15091 Principais desafios metodológicos enfrentados por professores da Educação de Jovens e Adultos (EJA) 2022-12-07T23:52:27-03:00 Alcemir Horácio Rosa alcemir.horacio@ifpi.edu.br Francisco Willan Costa dos Santos willianphb50@gmail.com Daniel Nascimento e Silva danielnss@gmail.com Marcus Marcelo Silva Barros marcus.barros@ifac.edu.br <p>O presente trabalho consiste em identificar os principais desafios metodológicos encarados pelos docentes no desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Levanta uma discussão sobre o tema em seu ponto mais crítico da ação docente, em sala de aula: a adequação dos métodos e técnicas de ensino à realidade dos alunos dessa modalidade. O objetivo geral da pesquisa é apontar os principais desafios metodológicos enfrentados pelos professores nas práticas pedagógicas da Educação de Jovens e Adultos. Diferentemente das estratégias e metodologias desenvolvidas vinculadas aos demais níveis e modalidades, no ensino regular, buscamos perceber por meio de pesquisas qualitativas e estudos bibliográficos, voltados ao tema; os avanços ao longo da história da EJA no Brasil, como as Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional para a EJA, as conferências internacionais e o Plano Nacional de Educação, propostas que consideram as especificidades de jovens e adultos, dando um olhar mais subjetivo ao tratamento dos conteúdos em relação aos anseios dos alunos da EJA. A educação de jovens e adultos é marcada pela alta taxa de evasão, pelo pouco tempo para trabalhar o conteúdo e um número reduzido de aulas para se desenvolver os conceitos de forma plena e completa, em comparação com alunos da educação básica que cursam seu nível de ensino no tempo considerado correto. Além disso, os resultados mostraram que os professores enfrentam dificuldades metodológicas para atingir o público da EJA, e isso se deve a: 1) pouca disponibilidade de tempo dos alunos, 2) curta duração do curso, 3) falta de motivação dos alunos, 4) falta de metodologias próprias para o EJA, e, 5) desconsideração das aulas do EJA com a realidade de vida dos alunos.</p> 2022-12-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14741 Reflexões sobre pigmentocracia e colorismo no Brasil 2022-09-30T20:01:28-03:00 Juliana Morais de Góes julianagoes.bsb@gmail.com <p>Esse artigo analisa as relações raciais no Brasil a partir de dois conceitos: colorismo e pigmentocracia. Alice Walker cunhou o primeiro conceito para descrever um sistema racial-patriarcal, criado pela comunidade negra estadunidense, que valoriza peles claras em detrimento das peles escuras. Alejandro Lipschütz criou o segundo conceito para descrever as dinâmicas raciais de sociedades latino-americanas, que hierarquizam pessoas segundo características fenotípicas (especialmente a cor da pele). Através da justaposição desses conceitos e da literatura sobre raça e racismo no Brasil, argumenta-se que o termo pigmentocracia capta melhor a realidade brasileira do que o termo colorismo. Afinal, perde-se uma caraterística fundamental das dinâmicas raciais brasileiras ao analisar este país pelas lentes do colorismo: a forma como o mito da democracia racial se estrutura pela ideologia do embranquecimento e pela violência contra a subjetividade da população negra. Já o conceito pigmentocracia ilumina tanto a violência relacionada a valorização de características fenotípicas tidas como europeias quanto a violência relacionada ao mito da democracia racial e a ideologia do embranquecimento.</p> 2022-10-03T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14539 A sexualização pela organização civil: o movimento LGBT brasileiro e patriarcado produtor de mercadorias 2022-08-06T08:16:40-03:00 Luiz Ismael Pereira luiz.ismael@ufv.br <p>Este trabalho apresenta reflexões sobre a relação em o patriarcado e a construção de regulamentações da vida social na modernidade a partir de uma lógica que dissocia o masculino (como razão esclarecida, o valor que se autovaloriza) e feminino (a natureza dominada, o valor-dissociação posto à sombra do valor). Assim, pretendo analisar as pautas do movimento LGBT brasileiro que em sua história tem navegado dentro da lógica da conquista de direitos e, portanto, ainda preso na lógica da dissociação. O referencial teórico em que caminho é a crítica do valor e da dissociação proposto por Roswitha Scholz que, junto à teoria crítica da sociedade construída iniciada por Adorno e Horkheimer, acompanha a análise do gênero como forma social fundamental para compreender a dominação do feminino e de todas as formas sociais que a ele se assemelham, postos ao largo do processo de valorização, localizados no campo do cuidado, carinho, afeto e atenção. Concluo que precisamos repensar os meios de luta política transformadora para além da lógica da organização e regulação jurídicas.</p> 2022-08-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14524 Impacto de variáveis macroeconómicas e as dívidas ocultas no Sentimento de Mercado 2022-08-03T05:29:23-03:00 Diana da Otília Manuel Fobra Fobra dfobra@isced.ac.com Lucio Daniel Mavundla ldmavundla@gmail.com <p>A pesquisa avaliou o impacto de variáveis macroeconómicas e do escândalo das dívidas ocultas no sentimento de mercado (medido através do índice de confiança do consumidor). Para tal optou-se pela abordagem quantitativa visto que a mesma ira recorrer a procedimentos estatísticos e matemáticos para analise e interpretação dos dados. Foram utilizados dados mensais de Janeiro de 2006 a Setembro de 2015 disponibilizados pelo INE e pelo Banco de Mocambique. Desenvolveu-se estatística descritiva com recurso ao software STATA que por meio de gráficos e modelo empírico baseado no método dos Mínimos Quadrados Ordinários. Observou-se que a taxa de câmbio, dummy Dívidas, Selic (-1) e IPCA (-1) exercem influência negativa no sentimento de mercado. O índice de confiança do consumidor no período anterior demonstrou-se com influência positiva sobre o índice do mês actual.</p> 2022-08-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/14155 Responsabilidade dos Administradores Societários das PME,s pela Violação do Dever de Diligência no Contexto da COVID-19 2022-08-18T15:47:05-03:00 João Romão Machai Joaormachai@gmail.com Giverage Alves do Amaral giverage.amaral@gmail.com <p>A COVID-19 é uma realidade negativamente impactante em todos os ordenamentos económicos e constitui um mal que origina por si outros males, ao mobilizar a restrição das liberdades de circulação, comunicação física, destruição do Sistema fiscal, económico e desenvolvimento, do tecido empresarial, originando inacessibilidade da empregabilidade e incapacidade dos serviços sociais. Ora, as Pequenas e Médias Empresas são os mais afectados por esta situação, na medida em que dependem em muitas das circunstâncias dos serviços sociais e estatais que são fornecidos, para além de possuírem uma capacidade deficitária de auto-financiamento e resiliência em momentos de crise. Neste contexto, são frequentes situações em que os gestores com desrespeito total das regras legalmente instituídas, assim como das regras de mercado recorrem a manobras desonestas para manterem o funcionamento pleno, a exoneração no pagamento dos impostos e taxas instituídas, especulação dos preços de bens e serviços, incumprimento de contratos, açambarcamentos de mercadorias e despedimentos em massa dos colaboradores com recurso ao pretexto COVID-19 como motivo fundamental para estas decisões, as vezes com o desconhecimento total dos sócios, do Estado e em prejuízo dos trabalhadores e terceiros. Neste contexto importa a reflexão sobre a <strong>Responsabilidade dos Administradores Societários das PME,s pela Violação do Dever de Diligência no Contexto da COVID-19, </strong>dada a consciência de que nem sempre o mercado, ou a crise sanitária é responsável pelas situações que se verificam, visto que em muitas circunstâncias pode se deparar com gestores incapazes e que não prezam com uma boa Administração e que lesam os investidores (Sócios), os colaboradores (Trabalhadores), os terceiros e o Estado.</p> 2022-08-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2022 REVES - Revista Relações Sociais