https://periodicos.ufv.br/reves/issue/feed REVES - Revista Relações Sociais 2021-01-07T12:33:40-02:00 REVES EDITOR-IN-CHIEF/EDITOR GERENTE reves.journal@ufv.br Open Journal Systems https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/10278 Os meandros da educação e da aprendizagem em meio à pandemia covid-19: os desafios e as lições 2020-10-23T15:28:19-03:00 Hercules Guimarães Honorato hghhhma@gmail.com <p><em>O presente estudo tem por objetivo apresentar as lições que estão surgindo como possíveis ações a serem empreendidas pelos gestores escolares, professores e legisladores de políticas públicas durante o fechamento das escolas devido à Pandemia COVID-19. Os aspectos abordados são do campo da educação, alinhavados com a educação a distância e no aprendizado do alunado nesse período em questão. A abordagem foi qualitativa, com pesquisas documental e bibliográfica como técnicas exploratórias iniciais. A coleta de dados foi via survey on-line, cujo link foi encaminhado às redes sociais deste autor na internet. O artigo está estruturado em quatro seções principais: a primeira trata da metodologia; a seguinte apresenta o quadro teórico; a terceira discute a educação e a pandemia; e a última seção apresenta as análises dos dados levantados. Ao final, as seguintes lições foram destacadas, em especial: (i) os professores não estavam preparados para o ensino remoto; (ii) democratizar o acesso a? internet e conduzir orientações de aprendizado e aulas por meio do uso da televisão aberta, telefone e rádio; (iii) incluir, no Projeto Político Pedagógico e nos currículos, alternativas de ensino, aprendizagem e avaliação para um período escolar anormal; (iv) avaliar as Diretrizes Curriculares Nacionais e os currículos de formação dos professores com a inclusão de disciplinas obrigatórias ligadas a tecnologias educacionais; e (v) rever os marcos regulatórios da EAD para sua utilização na educação básica. A passagem das atividades formais e presenciais para a virtual, infere-se que trará diversas consequências, em especial deverá haver aumento nas desigualdades educacionais.</em></p> 2021-01-01T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2021 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11173 Análise do comportamento com relação ao isolamento social da população de Itaqui – RS 2020-09-28T19:02:06-03:00 Dieison Morozoli da Silva dieison.ufp@gmail.com Taináh Espinosa tainahespinosa.aluno@unipampa.edu.br Kellen da Rosa Carlosso kellencarlosso.aluno@unipampa.edu.br Felipe Batista Ethur felipeethur@unipampa.edu.br Luciana Zago Ethur lucianaethur@unipampa.edu.br <p><em>A pandemia de coronavírus (Covid-19) motivou medidas de isolamento social (quarentena), que trouxeram mudanças consideráveis à rotina da população em geral. No que concerne ao ser humano enquanto integrante de uma sociedade, a realização de um isolamento social em massa requer uma ampla compreensão dos reflexos desse distanciamento. Assim, este trabalho objetivou investigar os impactos do isolamento social sobre o comportamento da população de Itaqui – RS, no período inicial do isolamento social recomendado pelo Ministério da Saúde. Itaqui, situada na fronteira oeste do Rio Grande do Sul, é a cidade mais distante da capital do Estado. A pesquisa constou de um questionário semiestruturado, com aplicação remota por redes sociais. Foram analisadas duas questões relacionadas à fonte e natureza das informações recebidas e duas relacionadas às vivências e aos hábitos no período do isolamento. Identificou-se que se sobressaem como fonte de informações para a população itaquiense a televisão, que atinge 49,59% dos respondentes, e os sites da internet, com 31,78%. Com relação ao estado emocional, manifestaram-se majoritariamente estressados e angustiados (61,65%). Isso demonstra que, mesmo em uma cidade distante de grandes centros urbanos, a tensão sobre um tema tão preocupante atinge a maioria da população. E com relação ao que mudou na sua rotina, 40,27% apontou que foi o isolamento social/familiar; 30,14% a higiene e 8,77% a rotina profissional ou estudantil. Pôde-se observar a desacomodação gerada pelo novo coronavírus, que interferiu em diversos aspectos da vida da maioria da população itaquiense, à semelhança da população brasileira e mundial.</em></p> 2021-01-01T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11162 Planejando remotamente com o google forms: uma proposta e prática pedagógica 2020-09-28T19:01:33-03:00 Claudemir Cosme da Silva claudemircosme@gmail.com Renata Makelly Tomaz do Nascimento rmrenatamakelly@gmail.com <p><em>O presente artigo tem como objetivo propor e descrever uma prática de planejamento remoto utilizando a ferramenta digital Google Forms, desenvolvido em duas escolas do município de Horizonte-Ceará. Para tanto, foi utilizado metodologicamente no trabalho a pesquisa bibliográfica acerca da temática e posterior compilação de dados. Conclui-se que propor e praticar novas maneiras no ato de planejar é inovar o controle do saber-fazer pedagógico para o sucesso no processo de ensino-aprendizagem.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11189 Sobre o compromisso político da educação escolar e as práticas de avaliação do ensino-aprendizado 2020-09-28T19:04:23-03:00 Leonardo Nunes Domingos leodnl@gmail.com Danielle Piontkovsky danielle.ifes@gmail.com <p><em>A escola moderna, constituída no contexto histórico capitalista como instrumento de reprodução do sistema, seja pela socialização dos novos membros aos códigos sociais, seja pela manutenção ou agravamento das desigualdades sociais existentes, também abre, contraditoriamente, a possibilidade de transformação dessa realidade. Isso ocorre, quando a educação formal, ancorada ao compromisso político de ampliar o acesso aos conhecimentos produzidos pela humanidade, promove a potencialização da atuação do homem na construção coletiva de uma sociedade mais justa e igualitária. Nesse contexto, e considerando a avaliação do ensino-aprendizado como ferramenta crucial para a consecução do compromisso político assumido pela educação, buscaremos investigar os processos de regulação capitalista na educação a partir do estudo das teorizações de avaliação. Para isso, optamos pela abordagem qualitativa, de cunho exploratório e com o uso de pesquisa bibliográfica, com base em Minayo (2009) e Gil (2002). Nessa análise, conforme a organização de Fernandes (2009), privilegiamos as teorizações partidárias da terceira e da quarta gerações de avaliação, cujos autores - notadamente Afonso (2000), Esteban (2001; 2008; 2010), Luckesi (2011), Lugli e Gualtieri (2012) e Vasconcellos (2000) - reconhecem o seu carácter sociológico, em detrimento de uma visão estritamente operacional da avaliação. Identificamos que os processos de regulação escolar, realizados por meio da avaliação do ensino-aprendizado, podem ocorrer de forma imediata e/ou mediata, levantando a necessidade de colocar em suspeição as práticas avaliativas cristalizadas ao longo do tempo.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/10740 Entre duas culturas e dois modelos nos espaços escolares: diálogos sobre a deficiência 2020-09-28T19:01:49-03:00 Edson Mendes da Silva Júnior edsonmsjr@gmail.com Fernando Seffner fernandoseffner@gmail.com <p><em>O artigo reflete acerca do direito à educação das pessoas com deficiência, particularmente no seu percurso escolar e nas dinâmicas de sociabilidade e possibilidades de aprendizagem. A questão da deficiência, na sua interface com a obrigatoriedade de educação escolar, tem sido tema de numerosas políticas públicas desde a Constituição Federal de 1988, mas os resultados dessas políticas ainda estão longe de mostrar um bom desempenho. Assumimos que as chances de reconhecimento e de aprendizagem derivam de complexas articulações entre quatro grandes construtos teóricos e com implicações nas práticas e modos de lidar com a deficiência: a cultura escolar, as culturas juvenis, o modelo médico e o modelo social da deficiência. O artigo apresenta esses quatro construtos, discutindo suas origens e configurações de modo breve, e os toma como ferramentas para ajudar a pensar diretrizes educacionais inclusivas. A partir de cenas oriundas de projetos de pesquisa que realizaram etnografia em escolas, ensaia considerações sobre as possibilidades de inclusão de pessoas com deficiência nas trajetórias escolares.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11180 Experiências educativas em espaços educativos não formais em um grupo de futuros professores de ciências e biologia 2020-09-28T19:03:45-03:00 Ryan Araújo de Sousa ryanrock1314@gmail.com João Gabriel Silva Silva gabrielufpa2018@gmail.com Reginaldo dos Santos reginaldosantosmira@gmail.com <p><em>Considerando que saber usar estratégias metodológicas adequadas aos objetivos de ensino-aprendizagem pretendidos, saber planejar e executar planos de ensino-aprendizagem contextualizados, e se possível interdisciplinar, representa hoje competências profissionais fundamentais para o exercício da profissão de professor, e ainda, considerando que usar espaços não formais no ensino formal pode ser uma importante possibilidade e estratégia didática para a promoção de um ensino escolar contextualizado e interdisciplinar, conforme apontaram os Parâmetros Curriculares Nacionais, na segunda metade da década de 1990, e recentemente ratificados pela Base Nacional Comum Curricular, este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa desenvolvida em 2019, com o objetivo de conhecer e analisar experiências educativas em espaços não formais que tiveram um grupo de licenciandos em Ciências Biológicas durante o período em que cursaram a Educação Básica. Como técnica e instrumento de coleta de dados, a pesquisa usou questionário com perguntas do tipo fechadas e do tipo aberta. Os resultados mostraram que esses licenciandos, na sua quase totalidade, não tiveram nenhuma oportunidade de experimentar aulas com uso desses espaços em seu processo formativo escolar no nível da Educação Básica.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11161 O ensino da microbiologia por meio de uma atividade experimental de lactobacilos 2020-09-28T19:01:21-03:00 Matheus Felipe dos Reis Rodrigues matheusfelipe2552@gmail.com Leonardo de Paula Pereira leonardopp127@gmail.com Márcio Pedro de Andrade pedromarcioandrade59@gmail.com Marisa Cristina da Fonseca Casteluber marisa.casteluber@uemg.br Fernanda de Jesus Costa fernanda.costa@uemg.br <p><em>A Microbiologia é o um ramo da Ciência que se dedica ao estudo dos seres microscópicos e a relação desses com outros seres e ainda com o meio no qual estão inseridos. Esse é um conteúdo de grande relevância dentro e fora do ambiente escolar, porém abordar conceitos dessa área no ensino de Ciências nas escolas é um grande desafio devido a sua abstração e falta de materiais e recursos. Nesse contexto o presente trabalho, teve por objetivo analisar as contribuições de uma atividade experimental sobre as bactérias. Para isso, foi desenvolvida uma atividade experimental com estudantes de quatro turmas do 7º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública no Munícipio de Ibirité, em Minas Gerais. Os dados obtidos foram provenientes da observação dos pesquisadores envolvidos e de um relatório preenchido pelos estudantes após a realização da atividade. Os resultados obtidos demonstram que a atividade experimental contribui para os processos de ensino e aprendizagem sobre os microrganismos, em especial as bactérias. Assim, sugere-se que atividades experimentais sejam inseridas de forma efetiva no ensino de Ciências.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11285 Instituições participativas: conselhos gestores e conferências de políticas públicas - diálogos e reflexões 2020-10-20T20:22:52-03:00 Everton Henrique Faria etohfaria@gmail.com <p><em>A Constituição Federal Brasileira de 1988, ao assegurar, dentre os seus princípios e diretrizes, “a participação da população por meio de organizações representativas, na formulação das políticas e no controle das ações em todos os níveis” (Art. 204), certamente instituía uma nova prática a ser implementada dentro da gestão pública que, por sua vez, transcendia as até então vigentes percepção e experiência de uma forma organizativa do Estado altamente centralizadora e avessa a formas alternativas, complexas e modernas de participação da sociedade civil brasileira. Neste sentido, este trabalho possibilita uma reflexão acerca da historicidade e importância das Instituições Participativas (IPs) para a democracia brasileira, especificamente a respeito dos Conselhos Gestores e Conferências de Políticas Públicas, refletindo sobre como estas instituições são capazes de estabelecer novos elos entre os diferentes atores presentes tanto na esfera pública quanto privada, mediante as relações de poder existentes no cenário político institucional. Em síntese, percebe-se que as IPs no Brasil tornaram-se importantes instrumentos de representação e participação para o fortalecimento da democracia, sobretudo, para a nova gestão pública, em que a gestão democrática consiste em um dos principais princípios, resultando, por sua vez, em discussões acerca de como estas instituições têm invertido a lógica centralizadora da gestão pública e implementado novos canais de diálogos entre o governo, as instituições sociais e a sociedade. Como metodologia foram utilizadas técnicas de pesquisa qualitativas como análises de produção bibliográfica e documental. </em></p> <p>&nbsp;</p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/10884 Democracia e política: limites e alcance do sufrágio universal 2020-10-22T15:55:22-03:00 Eder Aparecido de Carvalho carvalhoeder@hotmail.com Alexandre da Silva de Paula aledpaula@outlook.com Sergio Kodato skodato@ffclrp.usp.br <p><em>O problema que se coloca, neste ensaio teórico, é o da política, daquele poder que investe sobre a consciência, o corpo e a existência dos indivíduos, através de estratégias de micropoder e novas formas de dominação, como o sufrágio universal. Tendo em vista a democracia concorrencial, buscou-se analisar o distanciamento entre o cenário político ideal e o real e problematizar o papel do sufrágio, no sentido de assegurar a igualdade pretendida, em termos dos direitos constituídos. As eleições podem se constituir como um caminho para contestação do regime vigente e fator de transformação social? A pesquisa teve como objetivo analisar como o pleito eleitoral pode facilitar a escolha de um governo que atue em prol da maioria da população, pois isso é um fator preponderante para proteger o povo de um governo tirano. Conclui-se, portanto, que a participação cidadã através do sufrágio universal é uma das garantias para a existência de uma democracia “plena” (poliarquia), dentro de um cenário público em que é decisiva a ação dos movimentos coletivos, em busca da emancipação e da politização das camadas desfavorecidas.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11109 Hegel no tempo do fim: a filosofia contra o relógio 2020-09-28T19:02:29-03:00 Murilo Leite murilo.leite.pereira@gmail.com Carolina Peters carolinapeters50@gmail.com <p><em>No prefácio que escreveu à sua </em>Filosofia do Direito<em>, Hegel debate criticamente com seus contemporâneos e oferece uma das principais colaborações sobre o papel da filosofia e dos filósofos desenvolvidas na modernidade, defendendo a paciência como atributo indispensável ao fazer filosófico. O texto completa 200 anos em meio à pandemia de Covid-19, quando não apenas o vírus, mas também acaloradas contendas filosóficas se alastram em escala global. Em meio a esse cenário, a comemoração do bicentenário do prefácio traz à tona a pergunta: será que é possível filosofar no calor da hora?</em> <em>Motivados por esta questão, buscamos contrapor a leitura do texto hegeliano ao diagnóstico do tempo presente desenvolvido por Günther Anders, em suas “Teses para a Era Atômica”, a fim de refletir acerca do tempo adequado ao exercício filosófico e das dificuldades enfrentadas pela filosofia em momentos de emergência, quadro em que o coronavírus é apenas o mais recente episódio daquilo que Anders caracterizou como “Tempo do Fim”.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/10420 Foucault, a loucura e o cuidado de si: confrontação dialógica entre as obras “Holocausto Brasileiro” e “O Alienista” 2020-09-28T19:18:47-03:00 Ênio de Almeida Brito Neves eniobrito5@gmail.com Lucas Brasil Feitosa lbfeitosa1995@gmail.com Wilmar Roberto Gaião wilmar_uepb@yahoo.com.br <p><em>O mergulho nas entrelinhas da subjetividade está intrinsecamente ligado às práticas discursivas que atravessam os sujeitos e que, por sua vez, são atravessadas pelas relações de poder. No pensamento ocidental, o sujeito é olhado pelo viés da normalidade e/ou de seu contraponto, a anormalidade. Nessa mesma linha de raciocínio, quando se pensa a loucura, se estabelece a dicotomia razão-desrazão. Assim, o louco, enredado no discurso patologizante da desrazão, perde as suas possibilidades de existência, de apropriar-se dela e do exercício do cuidado de si. Dessa maneira, a partir da concepção de produção da verdade sobre a loucura e o exercício de poder que se encontra nos meandros desses discursos, realizamos uma confrontação dialógica entre as obras O Alienista, de Machado de Assis e Holocausto Brasileiro, de Daniela Arbex, com o objetivo de pôr em questionamento a maneira com que os loucos (e não loucos), mesmo sufocados pela dominação, podem, a partir do exercício sobre si mesmo e a sua existência, virem a se afirmar enquanto sujeitos singulares e, a partir do Cuidado de Si, serem resistência e colocarem em prática a ética da liberdade. Com isso, consideramos que o louco, enquanto sujeito, é também autor das suas produções e que possui uma voz que clama para ser escutada, com o objetivo de afirmar-se enquanto ser que vive, apesar de estar inserido numa trama de poder que busca sufocar essas possibilidades.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/10924 O niilismo pós-guerra em H.P. Lovecraft: uma análise histórico-filosófica de Dagon (1919) 2020-09-28T19:01:06-03:00 Alexandre Bartilotti Machado alexandrebmachado@yahoo.com Savio Queiroz Lima savio_roz@yahoo.com.br <p><em>Esta reflexão pretende pontuar as características em dinâmica que norteiam o conto Dagon, de Howard Phillips Lovecraft, e seu pertencimento histórico. Conto curto, Dagon fornece inúmeros elementos pertinentes para entender modos de pensar a realidade histórica no começo do século XX e suas heranças existenciais do final do século XIX. Trata de uma abordagem sensível sobre os elementos psicológicos, filosóficos e alegóricos que constituem a narrativa ficcional gótica de 1919. Como base teórica, os conceitos de Representação e Niilismo, frutos dos diálogos com Roger Chartier e Friedrich Nietzsche, respectivamente, nos são instrumentos possíveis de análise da fonte ficcional na interpretação da realidade histórica. Através dessa análise histórico-filosófica, esmiúça-se o conto Dagon para entender os aspectos construtivos de seu cenário verossimilhante e reconhecível de tempos bélicos e tal entrega interpessoal desesperante.</em></p> <p><strong> </strong></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/10428 A ânsia eterna, a violência, o silenciamento e o grotesco em Os Porcos, de Julia Lopes de Almeida 2020-09-28T19:24:10-03:00 Iaranda Jurema Ferreira Barbosa iarandabarbosa@gmail.com <p><em>Julia Lopes de Almeida foi uma abolicionista do século XIX e uma das idealizadoras da Academia Brasileira de Letras. O objetivo da discussão é resgatar essa escritora, tomando como base o processo de silenciamento e violência que atinge as mulheres dentro e fora do âmbito literário e personificado por Umbelina, em&nbsp;Os porcos, escrito em 1903. A referida obra não faz parte do cânone, dos renomados manuais de literatura, dos livros didáticos, nem tampouco do conhecimento do grande público. Contudo ela reflete as mazelas sociais resultantes de anos de submissão e ausência de reconhecimento, sobretudo da crítica que fomenta, grotescamente, pontos cegos na escrita feminina na historiografia da literatura. O diálogo entre a violência ficcional sofrida pela protagonista do conto e a violência simbólica e empírica vivida pela referida escritora andam ombro a ombro com as inúmeras violações de direitos vivenciadas pelas mulheres até os dias atuais. O referencial teórico compõe-se, principalmente, por Woolf (1928), Telles (1988), Perrot (2005) e Colling (2004). Discutiu-se a representação dessa mulher que anseia sair do silenciamento, que, por sua vez, também é uma forma de violência.</em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11181 Low environmental impact construction: fragilities and potentialities of hyperadobe as a solution for the Brazilian housing deficit 2020-09-28T19:03:57-03:00 Renata do Carmo Mota Alves renata.cmalves@unifei.edu.br Maria Gabriela Araújo Ranieri gabiranieri@unifei.edu.br Patrícia Capellato Pat_capellato@yahoo.com.br Daniele Ornaghi Sant'anna ornaghi@unifei.edu.br <p><em>Há cinco anos o Brasil enfrentava um déficit habitacional na ordem de 6 milhões de domicílios, concomitantemente aos contraditórios mais de 7 milhões de imóveis desocupados. Tanto o Governo quanto o setor da construção civil mostram-se incapazes de solucionar a questão, que compõem um quadro ainda mais grave quando somada aos problemas ambientais. O hiperadobe é um sistema de construção com terra ensacada que apresenta diversas vantagens para construções de interesse social, de modo que este trabalho se debruça sobre suas potencialidades e problemas de utilização no cenário nacional, com o objetivo de mostra-lo como um possível vetor de enfrentamento da questão. Mediante revisão bibliográfica, conclui-se que a tecnologia estudada apresenta características que a tornam particularmente vantajosas no enfrentamento do déficit, como o baixo custo, a velocidade de execução, a simplicidade da capacitação de mão-de-obra e a alta performance ambiental em conforto térmico e acústico. Assim, defende-se que seria de grande valia a introdução do hiperadobe nas políticas públicas de enfrentamento do déficit habitacional, trabalhando, para tal, nas dificuldades que esse sistema construtivo enfrenta na atualidade. </em></p> 2021-01-02T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2020 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11611 Estudo preliminar de indicadores de qualidade de um curso de graduação em engenharia química 2020-12-19T12:45:48-02:00 Lucas Geőcze Cotrim lucasgcotrim@gmail.com Danilo Magalhães Assunção do Carmo danilo.magalhaesac@gmail.com Antonio Marcos de Oliveira Siqueira antonio.siqueira@ufv.br <p><em>Diante do cenário de implementação das novas Diretrizes Curriculares Nacionais – DCNs-, o presente trabalho se propõe a fazer um estudo sobre os indicadores do curso de Engenharia Química da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Para tanto, foi realizado um estudo das propostas apresentadas pela nova resolução, bem como um levantamento de indicadores de qualidade de desempenho dos cursos de graduação no Brasil. Com o estudo, foi possível contextualizar o curso de Engenharia Química por meio da análise crítica dos indicadores levantados, bem como indicar caminhos pelos quais a confecção de um novo projeto pedagógico do curso possa atender aos objetivos das DCNs vigentes, buscando promover maior multidisciplinaridade e transdisciplinaridade em sua prática pedagógica, com maior ênfase no desenvolvimento de competências dos graduandos. </em></p> 2021-01-04T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2021 REVES - Revista Relações Sociais https://periodicos.ufv.br/reves/article/view/11708 Contribuições da educação não-formal em espaços não-formais para a educação básica na percepção de professores 2021-01-07T12:33:40-02:00 Manoel Augusto Polastreli Barbosa manoelpolastreli@hotmail.com Pedro José Garcia Júnior juniorgarciah@hotmail.com Rafael Almeida de Freitas rafaalmeida02@gmail.com <p><em>Esse estudo buscou analisar as contribuições da Educação Não-Formal em espaços não-formais para a Educação Básica na percepção de professores dos municípios de Venda Nova do Imigrante (ES) e Conceição do Castelo (ES). A pesquisa se caracteriza como qualitativa e descritiva. Realizou-se uma entrevista com 20 professores de duas escolas participantes. Utilizou-se da Análise de Conteúdo para categorização dos dados e, para análise, a interface RStudio. Verificou-se que os professores reconhecem a importância da Educação Não-Formal em espaços não-formais para a Educação Básica, apontando contribuições para a formação do aluno através da motivação, da aprendizagem curricular, da formação humana e da interdisciplinaridade.</em></p> 2021-01-07T00:00:00-02:00 Copyright (c) 2021 REVES - Revista Relações Sociais