FREQUÊNCIA CARDÍACA E PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE ESFORÇO NO CICLISMO AQUÁTICO EM DUAS PROFUNDIDADES DE IMERSÃO

  • Vitor Pereira Costa Doutorando em Educação Física, Universidade Federal de Santa Catarina
  • Jonas de Almeida Neves Martins Mestre em Educação Física, Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Ricardo Dantas de Lucas Doutor em Educação Física, Universidade Federal de Santa Catarina
  • Luiz Guilherme Antonacci Guglielmo Doutor em Ciências da Motricidade, Universidade Federal de Santa Catarina
  • Jorge Roberto Perrout de Lima Doutor em Educação Física, Universidade Federal de Juiz de Fora

Resumo

O objetivo deste estudo foi verificar a resposta da frequência cardíaca (FC) e da percepção subjetiva de esforço (PSE) no ciclismo aquático na profundidade da cicatriz umbilical (UMB) e processo xifoide (XIF). Dez sujeitos realizaram dois testes incrementais em bicicleta aquática, onde o incremento de cargas é realizado pelo aumento da cadência. A cadência inicial foi de 50 rpm, com incremento de 3 rpm a cada estágio de 1 min até exaustão. Observaram-se maiores valores de FCmáx na profundidade do XIF, sem diferenças na cadência e PSE máxima, respectivamente. Houve dissociação da FC a partir do quinto estágio, sendo mais elevada na profundidade do XIF. Assim, ao manipular a imersão no ciclismo aquático, podem-se obter diferentes respostas cardíacas para uma mesma cadência de pedalada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACHTEN, J.; JEUKENDRUP, A.E. Heart Rate Monitoring: Applications and Limitations. Sports Medicine, Auckland, v.33, n.7, p.5117-538, 2003.

BARBOSA, T. M.; MARINHO, D.A.; REIS, V.M.; SILVA, A.J.; BRAGADA, J.A. Physiological assessment of head-out aquatic exercises in healthy subjects: A qualitative review. Journal of Sports Science and Medicine, Bursa, v.8, p.179-189, 2009.

BORG, G. Escalas de Borg para a Dor e o Esforço Perce¬bido. São Paulo: Manole, 2000.

BRASIL, R.M.; DI MASI, F. Manual de Aquaspin, Rio de Janeiro: Sprint, 2005.

CAROMANO, F.A.; THEMUDO FILHO, M.R.F.; CANDE¬LORO, J.M. Efeitos fisiológicos da imersão e do exercício na água. Fisiologia Brasil, São Paulo, v.4, n.1, p.61-66, 2003.

CHEN, A.A.; KENNY, P.; JOHNSTON, C.E.; GIESBRECHT, G.G. Design and evaluation of a modified underwater cycle ergometer. Canadian Journal of Applied Physiology, Ottawa, v.21,n.2,p.134-148, 1996.

CHRISTIE, J.A.; SHELDAHL, L.M.; TRISTANI, F.E.; WANN, L.S.; SAGAR, K.B.; LEVANDOSKI, S.G.; PTACIN, M.J.; SOBOCINSKI, K.A.; MORRIS, R.D. Cardiovascular regulation during head-out water immersion exercise. Journal of Applied Physiology, Bethesda, v.69, p.657-664, 1990.

DERESZ, C.S.; DANTAS, E.H.M.; PERANTONI, C.B.; MARTINS, J.A.N.; LIMA, J.R.P.; NOVAES, J.S. Prescrição de exercício em bicicleta aquática para mulheres com a utilização da freqüência cardíaca e percepção do esforço. HU Revista, Juiz de Fora, v.34, n.2, p.93-97, 2008.

DENISON, D.M.; WAGNER, P.D.; KINGABY, G.L.; WEST, J.B. Cardio-respiratory responses to exercise in air and underwater. Journal of Applied Physiology, Bethesda, v.33, p.426-430, 1972.

ESTON, R. Use of ratings of perceived exertion is sports. International Journal of Sports Physiology and Performance, Champaign, v.7, p. 175-182, 2012

FERREIRA, A.C.; BRASIL, R.M.; SA, G.B.; BARRETO, A.C.L.Y.G.; SANTOS, M.A.; VALE, R.G.S.; NOVAES, J.S. Com¬paração das respostas hemodinâmicas entre ciclismo indoor e aquático. Arquivos em Movimento, Rio de Janeiro, v.1, p.29-38, 2005.

GIACOMINI, F.; DITROILO, M.; LUCERTINI, F.; DE VITO, G.; GATTA, G.; BENELLI, P. The cardiovascular response to underwater pedaling at different intensities: a comparison of 4 different water stationary bikes. Journal of Sports Medicine and Physical Fitness, Torino, v.4, n.49, p.432-439, 2009.

GRAEF, F.I.; KRUEL, L.F.M. Freqüência cardíaca e per¬cepção subjetiva do esforço no meio aquático: diferenças em relação ao terrestre e aplicações na prescrição do exercício. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v.12,n.4, p.221-228,2006.

JOHNSON, B.L.; STRAMINE, S.B.; ADAMEZYK, J.W. Comparison of oxygen uptake and heart rate during exercises on land and in water. Physical Therapy. Alexandria, v.57, p.273 -278,1977.

KRUEL, L.F.M.; TARTARUGA, L.A.P.; DIAS, A.C.; SILVA, R.C.; PICANÇO, P.S.P.; RANGEL, A.B. Freqüência cardíaca durante imersão no meio aquático. Fitness and Performance Journal. Rio de Janeiro, v.6, p.46-51, 2002.

MAGLISCHO, E. W. Nadando Ainda Mais Rápido: Padrão de referência para o nadador profissional. 1ª Ed. São Paulo: Manole, 1999.

MARTINS, J. N.; FILHO, M.G.B.; COSTA, V.P.; LIMA, J.R.P Teste de Conconi adaptado para bicicleta aquática. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, São Paulo, v.13, n.5, p.317-320,2007.

RISCH, W. D.; KOUBENEC, H. J.; BECKMANN, U. The effeçt of graded immersion on heart volume, central venous pressure, pulmonary blood distribuition, and heart rate in man. Pflugers Archiv, Berlin, v.374, p.115-118, 1978.
Publicado
2013-07-30
Como Citar
Costa, V. P., Martins, J. de A. N., Lucas, R. D. de, Guglielmo, L. G. A., & Lima, J. R. P. de. (2013). FREQUÊNCIA CARDÍACA E PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE ESFORÇO NO CICLISMO AQUÁTICO EM DUAS PROFUNDIDADES DE IMERSÃO. Revista Mineira De Educação Física, 21(2), 23-35. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/revminef/article/view/10129