Policiais Militares do Estado do RS: Relação entre Satisfação no Trabalho e Estresse Ocupacional

  • Damiana Machado de Almeida Universidade Federal de Santa Maria
  • Luis Felipe Dias LOPES Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)
  • Vânia Medianeira Flores COSTA Universidade Federal de Santa Maria
  • Rita de Cássia Trindade dos Santos Universidade Federal de Santa Maria
Palavras-chave: Satisfação no Trabalho, Estresse Ocupacional, Policiais Militares, Trabalho

Resumo

Objetiva-se analisar as relações entre satisfação no trabalho e estresse ocupacional na perspectiva dos policiais militares do estado do Rio Grande do Sul. Realizou-se uma pesquisa descritiva, do tipo survey, com abordagem quantitativa. Participaram 519 policiais militares de 97 cidades do Rio Grande do Sul. Aplicou-se a Escala de Satisfação no Trabalho (SIQUEIRA, 2008) e a Escala de Estresse no Trabalho (PASCHOAL e TAMAYO, 2004). Identificou-se correlação negativa e estatisticamente significante entre o estresse ocupacional e a satisfação no trabalho e suas dimensões, classificando tais relações como moderadas e negativas, isto demonstra que quanto maior o estresse ocupacional, menor a satisfação no trabalho, e vice-versa. Houve associação entre a satisfação baixa e o estresse alto, e da mesma forma, houve associação entre satisfação média e estresse médio. Assim, demonstrou-se relação entre a satisfação no trabalho e o estresse ocupacional, influenciando-se inversamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Damiana Machado de Almeida, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Professora substituta do Departamento de Ciências Administrativas da Universidade Federal de Santa Maria

Luis Felipe Dias LOPES, Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professor Associado 4 do Departamento de Ciências Administrativas da Universidade Federal de Santa Maria

Vânia Medianeira Flores COSTA, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Administração pela Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Professora Adjunta do Departamento de Ciências Administrativas da Universidade Federal de Santa Maria

Rita de Cássia Trindade dos Santos, Universidade Federal de Santa Maria
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)

Referências

Babbie, E. (2001) Métodos de Pequisas de Survey. Belo Horizonte: UFMG.
Brasil. (2001). Ministério da Saúde do Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho. Manual de procedimentos para os serviços de saúde. Organização Pan-Americana da Saúde/Brasil. Série A. Normas e manuais técnicos, n. 114, Brasília: DF.
Caldas, C. B.; Somensari, P.; Costa, S. N.; Siqueira, M. M. M.; Claro, J. A. C. S. (2013). Satisfação e engajamento no trabalho: docentes temáticos e auxiliares da EAD de universidade privada brasileira. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 6, n. 2, p. 225-237.
Canova, K. R.; Porto, J. B. (2010, set./out.) O Impacto dos Valores Organizacionais no Estresse Ocupacional: um estudo com professores de ensino médio. RAM – Revista de Administração Mackenzie, v. 11, n. 5.
Cappelle, M. C. A.; Melo, M. C. O. L. (2010, mai./jun.). Mulheres policiais, relações de poder e de gênero na polícia militar de Minas Gerais. RAM, Rev. Adm. Mackenzie, v. 11, n. 3, Edição Especial.
Costa, M.; Accioly JR, H.; Oliveira, J.; Maia, E. (2007). Estresse: diagnóstico dos policiais militares em uma cidade brasileira. Revista Panamericana de Salud Pública, v. 21, n. 4, p. 217–22.
Diehl, A. A.; Tatim, D. C. (2004). Pesquisa em Ciências Sociais Aplicadas: métodos e técnicas. São Paulo: Prentice Hall.
Ferreira, M. L. C. B.; Siqueira, M. M. M. (2005). Antecedentes de Intenção de Rotatividade: estudo de um modelo psicossocial. Organizações em contexto, ano 1, n. 2, p. 47-67.
Figueiredo, J. M. (2012). Estudo Sobre a Satisfação no Trabalho dos Profissionais de Informação de Uma IFES. 2012. 175 f. Dissertação (Mestrado em Sistemas de Gestão) – Universidade Federal Fluminense, Niterói.
Gil, A. C. (2007). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.
Gondim, S. M. G.; Siqueira, M. M. M. (2004). Emoções e afetos no trabalho. In: Zanelli, J.C.; Borges-Andrade, J. E.; Bastos, A.V. B. (Orgs.). Psicologia, Organizações e Trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed.
Hair Jr., J. F.; Babin, B.; Money, A. H.; Samouel, P. (2005). Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman.
Hurrell Jr., J. J.; Sauter, S. L. (2011). Stress Ocupacional: causas, consequências, prevenção e intervenção. In: Rossi, A. M.; Perrewé, P. L.; Meurs, J. A (Org.). Stress e Qualidade de Vida no Trabalho: stress social – enfrentamento e prevenção. São Paulo: Atlas.
Jex, S. M.; Cunningham, C. J. L.; Rosa, G. D. L.; Broadfoot, A. (2012). Stress e Eficácia dos Funcionários. In: Rossi, A. M.; Perrewé, P. L.; Sauter, S. L. (Org.). Stress e Qualidade de Vida no Trabalho: perspectivas atuais da saúde ocupacional. São Paulo: Atlas.
Johnson, R. R. (2012). Police Officer Job Satisfaction: a multidimensional analysis. Policy Quarterly, v. 15, n. 2, p. 157–176.
Lelis, J. W. F. (2013). Estresse e satisfação no trabalho de profissionais que exercem a função de gestores na área comercial. 2013. 117 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.
Lopes, L. F. D.; Muller, I.; Souza, A. M. Ansuj, A. P.; Moraes, D. A. O.; Moreira Jr.; F. J.; Pulgati, F. H.; Strazzabosco, F. (2008). Estatística geral. Caderno didático. 3. ed. Santa Maria: UFSM.
Malhotra, N. F. N. (2006). Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman.
Marras, J. P.; Veloso, H. M. (2012). Estresse Ocupacional. Rio de Janeiro: Elsevier.
Martinez, M. C.; Paraguay, A. I. B. B. (2003). Satisfação e saúde no trabalho: aspectos conceituais e metodológicos. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 6, p. 59-78.
Martinez, M. C. (2002). As relações entre a satisfação com aspectos psicossociais no trabalho e a saúde do trabalhador. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) - Universidade de São Paulo, São Paulo.
Martins, M. C. F.; Santos, G. E. (2006). Adaptação e validação da Escala de Satisfação no Trabalho. Psico-USF, v. 11, n. 2, p. 195-205.
Neves, V. F. (2012). Impacto da satisfação no trabalho e da percepção de suporte organizacional sobre a Síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem de um Hospital Universitário. 2012. 135 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Aplicada) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.
Oliveira, A. L. M.; Bardagi, M. P. (2010). Estresse e comprometimento com a carreira em policiais militares. Boletim de Psicologia, v. LIX, n. 131.
Oliveira, I. (2012). A relação entre as práticas de gestão de pessoas, satisfação no trabalho e desempenho organizacional nos hotéis turísticos da zona central de Manaus. 2012. 172 f. Dissertação (Mestrado em Turismo e Hotelaria) – Universidade do Vale do Itajaí, Balneário Camboriú.
Paschoal, T.; Tamayo, A. (2004). Validação da escala de estresse no trabalho. Estudos de psicologia, v. 9, n. 1, p. 45-52.
Rio Grande do Sul. (1997). Lei n. 10.999, de 18 de agosto de 1997. Fixa o efetivo da Brigada Militar do Estado e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2014.
Robbins, S. P.; Judge, T. A.; Sobral, F.(2010). Comportamento Organizacional: teoria e prática no contexto brasileiro. 14 ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall.
Rothmann, I.; Cooper, C. (2009). Fundamentos de Psicologia Organizacional e do Trabalho. Rio de Janeiro: Elsevier.
Selokar, D.; Nimbarte, S.; Ahana, S.; Gaidhane, A.; Wagh, V. (2011). Occupational stress among police personnel of Wardha City, India. Australasian Medical Journal AMJ, v. 4, n. 3, p. 114-117.
Siqueira, M. M. M. (2008). Satisfação no trabalho. In: SIQUEIRA, M.M.M. (Org.) Medidas do Comportamento Organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed.
Siqueira, M. M. M.; Gomide Júnior, S. (2004). Vínculos do indivíduo com o trabalho e com a organização. In: Zanelli, J. C.; Borges-Andrade, J. E; Bastos, A.V.B. (Orgs.). Psicologia, Organizações e Trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, p. 300-328.
Souza, E. R.; Minayo, M. C. S. (2005). Policial, risco como profissão: morbimortalidade vinculada ao trabalho. Ciência & Saúde Coletiva, v. 10, n. 4, p. 917-928.
Souza, E. R; Minayo, M. C. S.; Silva, J. G.; Pires, T. O. (2012, jul.). Fatores associados ao sofrimento psíquico de policiais militares da cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 28, n. 7, p.1297-1311.
Spector, E. P. (2012). Psicologia nas Organizações. 4. ed. São Paulo: Saraiva.
Tamayo, A.; Lima, D.; Silva, A.V. (2002). Impacto do clima organizacional sobre o estresse no trabalho. In: XXVI ENCONTRO NACIONAL DA ANPAD, 2002, Salvador. Anais... Salvador. Disponível em: . Acesso em: 30 jan. 2015.
Valle, A. R. (2007). Monitoramento da Satisfação no Trabalho em uma Empresa Financeira. 2007. 195 f. Tese (Doutorado em Psicologia) – Universidade de Brasília, Brasília.
Vasconcelos, T. S. (2011). Programas de Gerenciamento do Estresse e Qualidade de Vida no Trabalho na Área de Segurança Pública. In: Rossi, A. M.; Perrewé, P. L.; Meurs, J. A (Org.). Stress e Qualidade de Vida no Trabalho: stress social – enfrentamento e prevenção. São Paulo: Atlas.
Publicado
2018-01-01
Como Citar
Almeida, D. M. de, LOPES, L. F. D., COSTA, V. M. F., & Santos, R. de C. T. dos. (2018). Policiais Militares do Estado do RS: Relação entre Satisfação no Trabalho e Estresse Ocupacional. Administração Pública E Gestão Social, 55-65. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/5173
Seção
Artigos