O Programa “De Braços Abertos” – Um Olhar à Luz dos seus Arranjos Institucionais

  • Erick de Moura Sotero Universidade Federal do ABC
  • Ebenezer Marcelo Marques de Oliveira Universidade Federal do ABC
  • Gabriela Spanghero Lotta Universidade Federal do ABC
Palavras-chave: arranjos institucionais, intersetorialidade, interdisciplinaridade

Resumo

O Programa “De Braços Abertos” foi lançado em janeiro de 2014 pela gestão do Prefeito Fernando Haddad (2013-2016), buscando inovar ao destacar a perspectiva de redução de danos para a população com vulnerabilidade social da região da Luz (centro de São Paulo), atuando com interdisciplinaridade e integração entre diversas secretarias municipais, na construção de um pacote de direitos (moradia, alimentação, trabalho e renda) que proporcionasse a seus beneficiários um projeto de autonomia. Diante da relevância, bem como da inovação dessa política no que tange a sua articulação entre diversas secretarias, o presente artigo faz uma análise do Programa “De Braços Abertos” à luz dos seus arranjos institucionais, construídos para sua elaboração e execução. A análise é feita destacando quatro elementos constituintes dos arranjos institucionais: intersetorialidade, relações federativas, participação de atores não estatais e aspectos territoriais.

Palavras-chave: arranjos institucionais; intersetorialidade; interdisciplinaridade

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Erick de Moura Sotero, Universidade Federal do ABC
Possui graduação em Gestão de Políticas Públicas pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades (USP) (2012) e Especialização em Economia Aplicada à Gestão pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2015). Atualmente é Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas da Universidade Federal do ABC (UFABC). Atua como Assessor Técnico II na Secretaria Municipal de Gestão da Prefeitura Municipal de São Paulo. Pesquisador do Núcleo de Estudos da Burocracia (NEB) da Universidade Federal do ABC. Interesse acadêmico na área de Ciência Política, com ênfase em Políticas Públicas (implementação e análise da burocracia implementadora). Experiência profissional na área de estudos econômicos e área pública administrativa.
Ebenezer Marcelo Marques de Oliveira, Universidade Federal do ABC
Possui graduação em história pela Universidade de Sorocaba (2009) e Extensão Universitária em história da África e afrodescendência brasileira pela Universidade de São Paulo - USP (2010). Especializando em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mestrando em Políticas Públicas na Universidade Federal do ABC. Tem desenvolvido atividades profissionais e acadêmicas no campo das políticas públicas em Direitos Humanos com ênfase em trabalho escravo contemporâneo, tráfico de pessoas e migração laboral. Interessa-se também pelo estudo das relações sociais escravistas e pós-escravistas e pelo estudo da pobreza e a relação entre estes dois campos.
Gabriela Spanghero Lotta, Universidade Federal do ABC
Professora adjunta do bacharelado de políticas públicas e da pós graduação em Políticas Públicas da UFABC. Doutora em Ciência Política pela USP, mestre e graduada em administração pública pela FGV. Coordenadora do Núcleo de Estudos da Burocracia (NEB) da UFABC. Docente da Escola Nacional de Administração Pública, ENAP. Coordenadora da AT Estado e políticas públicas da ABCP. Trabalhou com assessoria, pesquisa e formação para diversos governos. Atua principalmente nas áreas de políticas públicas, burocracia, implementação e gestão governamental.

Referências

ALVES, Y. O programa De Braços Abertos da prefeitura paulistana: surgimento, consolidação e perspectivas. In: Mais substâncias para o trabalho em saúde com usuários de drogas. 1 ed. Porto Alegre: Rede UNIDA, 2014, p. 213-226.
BONDUKI, Nabil. De braços abertos para a cidade. Carta Capital. Disponível em: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/debracos-abertos-para-a-cidade-564.html. Último acesso em: 18.dez.2016.
CANATO, P. C. Intersetorialidade e redes sociais: uma análise da implementação de projetos para população em situação de rua em São Paulo. 2017. 148 f. Mestrado em Ciências – Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017.
COSTA, B.; BRONZO, C. Intersetorialidade no enfrentamento da pobreza: o papel da implementação e da gestão. In FARIA, C. A. P. (Org.). Implementação de políticas públicas: teoria e prática. Belo Horizonte: Editora PUC Minas, 2012.
GAROFALO, B. S.; SOARES, C. B.; CORDEIRO, L. Políticas Públicas Estatais na Área de Drogas: O Caso do Programa “De Braços Abertos”. In: Revista Sociologia em Rede, Goiás, n. 5, vol. 5, p.119-142, 2015.
GOMIDE, A.; PIRES, R. Capacidades estatais e democracia: a abordagem dos arranjos institucionais para a análise de políticas públicas. In Capacidades estatais e democracia: arranjos institucionais de políticas públicas / editores: Alexandre de Ávila Gomide, Roberto Rocha C. Pires. IPEA, Brasília, 2014.
LOTTA, G.; FAVARETO, A. Desafios da integração nos novos arranjos institucionais de políticas públicas no Brasil. Revista de Sociologia e Política, v. 24, n. 57, p. 49-65, mar. 2016.
PIRES, R. R. C. Intersetorialidade, arranjos institucionais e instrumentos da ação pública. In MACEDO, J.; XEREZ, F. e LOFRANO, R. (org.) Intersetorialidade nas políticas sociais: perspectivas a partir do programa bolsa família. Cadernos de Estudos Desenvolvimento Social em Debate. – N. 26. MDS, Brasília, 2016.
PIRES, R.; GOMIDE, A. Governança e capacidades estatais: uma análise comparativa de programas federais. In GOMIDE, A. e PIRES, R. (org). Capacidades Estatais e Democracia. Arranjos Institucionais de políticas públicas. IPEA, Brasília, 2014.
PORTAL VERMELHO. "Cracolândia não é um problema de polícia", diz defensora pública. Portal Vermelho [Internet]. 2012. Disponível em: http://vermelho.org.br/noticia/172633-8. Último acesso em: 19.mai.2017.
RUI T.; FIORE, M.; TÓFOLI, L. F. Pesquisa preliminar de avaliação do Programa ‘De Braços Abertos’. Plataforma Brasileira de Política de Drogas (PBPD)/ Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM). São Paulo, 2016.
SÃO PAULO (Município). Portaria 332/13 – PREF. Disponível em: http://www3.prefeitura.sp.gov.br/cadlem/secretarias/negocios_juridicos/cadlem/integra.asp?alt=01112013P%20003322013PREF. Último acesso em: 14.dez.2016.
SÃO PAULO (Município). Decreto nº 55.067, de 28 de abril de 2014.
SÃO PAULO (Município). Secretaria Municipal de Saúde. De Braços Abertos para a Cidade de São Paulo. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/noticias/?p=186198. Último acesso em: 14.dez.2016.
SÃO PAULO (Município). Secretaria Municipal de Saúde. O Programa de Braços Abertos. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/DBAAGO2015.pdf. Último acesso em: 14.dez.2016.
Publicado
2019-07-01
Como Citar
Sotero, E. de M., Oliveira, E. M. M. de, & Lotta, G. S. (2019). O Programa “De Braços Abertos” – Um Olhar à Luz dos seus Arranjos Institucionais. Administração Pública E Gestão Social, 11(3), 1-17. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/5591
Seção
Artigos