AUTOGESTÃO: ESTADO OU PROCESSO? (RE)REFLETINDO AS EXPERIÊNCIAS NO VALE DO SÃO FRANCISCO

  • Ariadne Scalfoni Rigo Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Ana Carolina Araújo de Almeida Universidade Federal do Vale do São Francisco
Palavras-chave: Autogestão, Cooperativismo, Associativismo

Resumo

Este ensaio objetiva estimular a reflexão acerca do conceito e da prática de autogestão por meio da análise de experiências ou tentativas autogestionárias. Dois tipos de experiências ocorridas no Vale do São Francisco foram a base para tal intento. Uma refere-se à implementação de cooperativas agrícolas nos perímetros da região irrigados pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF). Foi uma experiência repleta de aspectos que dificultaram o processo autogestionário. Outra remete à criação do assentamento rural Mandacaru, na qual notam-se elementos fundamentais do processo de autogestão. O que se pode apreender desta reanálise é que a autogestão deve ser vista como meio na procura de alternativas às relações de trabalho decorrentes de um sistema explorador, e não como um fim a ser alcançado. Deve ser vista como processo de grande valor social aos indivíduos envolvidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Araújo de Almeida, Universidade Federal do Vale do São Francisco
Graduanda em Administração pela Universidade Federal do Vale do São Francisco

Referências

ALMEIDA. Heloísa Maia Mendes de. Autogestão: das idéias às práticas. Rio de Janeiro:
Revista de Administração de Empresas. v. 23(1), 37-57, jan/mar., 1983.
BASTIANI, Ivoneti Catharina Rigão. Cooperativismo: a maximização da riqueza. Revista de
Administração de Empresas (entrevista). Maio/Jun 1994.
BLANC, Louis. 1839. Parábola. In TEIXEIRA, Aloísio (org). Utópicos, heréticos e
malditos: os precursores do pensamento social de nossa época. Rio de Janeiro: Record, 2002.
BRAVERMAN, H. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século
XX. Rio de Janeiro, Guanabara, 1987.
CANÇADO, Airton Cardoso; PEREIRA, José Roberto; SILVA JÚNIOR, Jeová Torres
(Orgs). Economia Solidária, cooperativismo popular e autogestão: as experiências em
Palmas-TO. Palmas, TO: Nesol/UFT, 2007.
CRÚZIO, Helnon de Oliveira. Por que as cooperativas agropecuárias e agroindustriais
brasileiras estão falindo? Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 39, n. 2, p.
18-26.
LIBONI, Maria Therezinha Loddi; PEREIRA, Magali Cecili Surjus. Entre contradições e
inovações: a pesquisa de uma empresa de autogestão. O risco da naturalização da realidade.
MOTTA, Fernando C. Prestes; CALDAS, Miguel P. (org). Cultura organizacional e cultura
brasileira. 1 ed. São Paulo: Atlas, 1997.
PEREIRA, José Roberto; RIGO, Ariádne Scalfoni. Cooperativas de trabalho em Minas
Gerais: organização do trabalho. In. ENCONTRO INTERNACIONAL DE ECONOMIA
SOLIDÁRIA, 4, São Paulo , 2006. Anais..., São Paulo: NESOL/FEAUSP, 2006.
PERES, Fernando Curi. Capital social: a nova estrela do crescimento econômico. Preços
agrícolas, p.6-9, maio/2000.
RIOS, Gilvando Sá Leitão. Cooperativas agrícolas no Nordeste brasileiro e mudança
social. João Pessoa: UFPB. 1979.
TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em
educação. São Paulo: Atlas, 1987.
OWEN, Robert. 1836-1844. O livro do novo mundo moral. In TEIXEIRA, Aloísio (org).
Utópicos, heréticos e malditos: os precursores do pensamento social de nossa época. Rio de
Janeiro: Record, 2002.
ROUBAQUIM, Antônio; QUINTAES, Roberto Antônio. Autogestão: alternativa socialista
para o capitalismo. Rio de Janeiro: Revista de Administração de Empresas. V. 12(3), 96-
99, jul/set., 1972.
SANTOS, Boaventura de Sousa; RODRÍGUEZ, César. Para ampliar o cânone da produção.
In. Produzir para Viver: os caminhos da produção não capitalista. 2 ed. Rio de Janeiro:
Civilização Brasileira, 2005.
SHAW, George Bernard. 1888. A transição para a Socialdemocracia. In TEIXEIRA, Aloísio
(org). Utópicos, heréticos e malditos: os precursores do pensamento social de nossa época.
Rio de Janeiro: Record, 2002.
SINGER, Paul. Introdução à economia solidária. São Paulo: Ed. Perseu Abramo, 2002.
________. A recente ressurreição da economia solidária no Brasil. In. SANTOS, Boaventura
de Sousa. Produzir para Viver: os caminhos da produção não capitalista. 2 ed. Rio de
Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.
TEIXEIRA, Aloísio. Utópicos, heréticos e malditos: os precursores do pensamento social de
nossa época. Rio de Janeiro: Record, 2002.
VENOSA, Roberto. A institucionalização de tipologias organizacionais. Um estudo de caso: a
autogestão na Iugoslávia. Rio de Janeiro: Revista de Administração de Empresas. V 22(2),
23-36, abr/jun, 1982.
WEBB, Sidney. 1889. As bases históricas do socialismo. In TEIXEIRA, Aloísio (org).
Utópicos, heréticos e malditos: os precursores do pensamento social de nossa época. Rio de
Janeiro: Record, 2002.
Publicado
2010-07-21
Como Citar
Scalfoni Rigo, A., & Araújo de Almeida, A. C. (2010). AUTOGESTÃO: ESTADO OU PROCESSO? (RE)REFLETINDO AS EXPERIÊNCIAS NO VALE DO SÃO FRANCISCO. Administração Pública E Gestão Social, 1(3), 294-314. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/4005
Seção
Artigos