Produção Científica e Rede de Pesquisadores em Administração Pública no Brasil: uma investigação sobre a primeira década dos anos 2000

  • Victor Corrêa Programa de Pós-Graduação em Administração de Organizações - FEARP-USP
  • Fernando de Souza Coelho Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas - EACH-USP
  • Paula Trottmann Programa de Pós-Graduação em Ciência Política - PPGPol-UFSCar
  • Flávia Mori Sarti Programa de Pós-Graduação em Modelagem de Sistemas Complexos - EACH-USP
Palavras-chave: Administração Pública, Produção Científica, Comunidade Acadêmica, Brasil

Resumo

Este artigo descreve e analisa os resultados de uma pesquisa sobre a rede de produção científica em Administração Pública no Brasil no período de 2000-2010. Metodologicamente, foram coletados os dados dos principais eventos e periódicos nacionais que ampararam o campo do saber na última década. Como resultado, verificou-se o crescimento do volume da produção científica e do número de pesquisadores, o padrão de colaboração e a categorização do perfil dos autores, a identificação dos mais prolíficos, além da ilustração de rede de pesquisa e das medidas de propriedade. Esses índices permitiram tanto rediscutir alguns problemas históricos do campo, já levados a cabo por outros autores, como desvelar algumas características dessa comunidade acadêmica no presente, tais como: a persistência da falta de identidade e insuficiente delimitação do campo do saber, a hodierna dispersão e 'vale tudo' temático na produção científica e a existência de um rol de autores continuantes basAtante reduzido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Victor Corrêa, Programa de Pós-Graduação em Administração de Organizações - FEARP-USP
Graduado em Gestão de Políticas Públicas (2008), mestre em Ciências (2012) e doutor em Administração (2017) pela Universidade de São Paulo (USP). Possui como objeto de estudo o campo do saber da administração pública, estudando a rede de pesquisadores e de produção científica (dissertação) e o seu caráter multifacetado - como teoria, técnica e prática (tese). Tem experiência em docência, em cursos de graduação e pós graduação voltados à área pública, e também atuação profissional em órgãos da administração pública municipal, estadual e federal. Atualmente é professor do curso de Administração Pública da Academia da Força Aérea.
Fernando de Souza Coelho, Programa de Pós-Graduação em Gestão de Políticas Públicas - EACH-USP
Doutor em Administração Pública e Governo pela Escola de Administração da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (EAESP-FGV) em 2006, com aperfeiçoamento em Desenvolvimento Local no Weitz Center for Development Studies em Israel (CERUR). Mestre em Administração e Governo pela EAESP-FGV em 2002, com intercâmbio na Maestría en Administración (MBA) del Instituto Tecnológico Autónomo de México (ITAM). Bacharel em Economia pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FEARP-USP), concluído em 1998. Entre 1999 e 2006 foi professor universitário e coordenador acadêmico em diversas Instituições de Educação Superior e desde 2007 é docente (MS-3) da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), na especialidade de Administração Pública, atuando no Curso de Graduação em Gestão de Políticas Públicas (o qual coordenou entre 2011/1-2013/1) e no Programa de Mestrado em Gestão de Políticas Públicas (área de Administração Pública e de Empresas, Ciências Contábeis e Turismo da Capes), bem como, anteriormente, no Programa de Mestrado em Modelagem de Sistemas Complexos (área Interdisciplinar da Capes). Tem experiência em pesquisa nos campos do saber de Gestão Governamental e Gerência de Organizações Públicas, com publicações nos temas de: ensino em administração pública, capacitação no setor público e escolas de governo, processo de seleção e carreiras em gestão pública, planejamento governamental e políticas públicas de educação. Editor adjunto da Revista de Administração Pública (RAP) da FGV-RJ, Coordenador da Divisão Acadêmica de Administração Pública da ANPAD no triênio 2018-2020, integra o Comitê Científico do Congresso CONSAD, pertence ao Conselho Científico da Revista do Serviço Público da ENAP, é revisor de periódicos como O&S, RAC e RAE, e preside a Sociedade Brasileira de Administração Pública (SBAP) no mandato 2016-2018. No setor público atua - em atividades de extensão - como palestrante e assessor técnico em Escolas de Governo como ESAF, ENAP, Instituto do Legislativo Paulista (ILP), Escola de Contas do TCE-SP, Escola do Parlamento de São Paulo, Centro de Liderança Pública (CLP), ONG Oficina Municipal, dentre outras.
Paula Trottmann, Programa de Pós-Graduação em Ciência Política - PPGPol-UFSCar
Bacharel em Gestão de Políticas Públicas, Mestre em Ciências pela Universidade de São Paulo e doutoranda em Ciência Política pela Universidade Federal de São Carlos; possui experiência em docência na área de Administração Pública e Políticas Públicas. Atualmente é Analista de Gestão Municipal e responsável pelo Núcleo de Ações Estratégicas e Convênios da da Prefeitura do Município de Leme (SP), onde desenvolve projetos relacionados a políticas públicas em âmbito municipal
Flávia Mori Sarti, Programa de Pós-Graduação em Modelagem de Sistemas Complexos - EACH-USP

Bacharelado em Economia pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP). Bacharelado em Nutrição pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP). Doutorado direto em Nutrição Humana Aplicada (PRONUT) pela Universidade de São Paulo (FCF/FEA/FSP-USP). Professora associada (nível 2) da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP), área de concentração de Economia e Políticas Públicas. Pesquisadora do Grupo Interdisciplinar de Pesquisa em Modelagem de Sistemas Complexos (GRIFE) desde 2006, atualmente integrado ao Núcleo de Pesquisas em Estudos Interdisciplinares de Sistemas Complexos, tendo sido líder do grupo junto ao Diretório de Grupos de Pesquisa CNPq entre 2008 e 2011. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Modelagem de Sistemas Complexos (primeiro programa de pós-graduação da EACH-USP) de 2010 a 2014. Presidente da Comissão de Pós-Graduação da EACH-USP e membro do Conselho de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo de 2011 a 2014. Orientadora de pós-graduação nos programas de Nutrição em Saúde Pública, Modelagem de Sistemas Complexos e Nutrição Humana Aplicada. Experiência na coordenação de projetos de pesquisa na área de Economia Aplicada, especialmente em Economia da Saúde, Políticas Públicas de Alimentação e Nutrição e Avaliação de Tecnologias em Saúde. Temáticas de interesse: avaliação de tecnologias em saúde; avaliação econômica de programas em saúde; farmacoeconomia; políticas públicas de saúde, alimentação e nutrição; estratégias de concorrência no setor de alimentos; marketing nutricional; cadeias de produção de alimentos; padrões de consumo alimentar; dispêndio público em saúde.

Referências

Andion, C. (2012). Por uma Nova Interpretação das Mudanças de Paradigma na Administração Pública. Cadernos EBAPE.BR, 10(1), 1-19.
Bhen, R. D. (1995). The Big Questions of Public Management. Public Administration Review, 55(4), 313-324.
Bourdieu, P. (2004). Usos sociais da ciência. Livraria UNESP.
Fadul, E. M. C., & Silva, M. A. M. (2009) Limites e possibilidades disciplinares da administração pública e dos estudos organizacionais. Revista de Administração Contemporânea, 13 (3), 351-365.
Fadul, E., &; Silva, M. A. M., & Silva, L. P. (2010, setembro) Ensaiando Explicações e Explorando Caminhos para o Campo da Administração Pública. Anais do Encontro da Associação Nacional de Programas de Pós-graduação em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 34.
Fadul, E., & Silva, L. P., & Cerqueira, L. S. (2011) Uma Análise do Campo da Administração Pública através da Produção Científica Publicada nos Anais dos EnAPGs. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, 16(59), 1-16.
Fadul, E., & Coelho, F. S., & Costa, F. J. L., & Gomes, R. C. (2012, setembro). Apontamentos sobre o Campo do Saber de Administração Pública no Brasil: uma reflexão a partir da Divisão Acadêmica de Administração Pública da ANPAD (2009 – 2012). Anais do Encontro da Associação Nacional de Programas de Pós-graduação em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 36.
Fadul, E., & Coelho, F. S., & Costa, F. J. L., & Gomes, R. C. (2014). Administração pública no Brasil: reflexões sobre o campo de saber a partir da Divisão Acadêmica da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (2009-2013). Revista Brasileira de Administração Pública - RAP, 48(5), 1329-1354.
Graeml, A.R., & Macadar, M.A., & Guarido Filho, E.R., & Rossoni, L. (2010) Redes Sociais e Intelectuais em Administração da Informação: uma análise cientométrica do período 1997-2006. Informação e Sociedade, 20, 95-110.
Henry, N. (1975). Paradigms of public administration. Public Administration Review, 35 (4), 378-386.
Hocayen-da-Silva, A.J., & Rossoni, L., & Ferreira Junior, I. (2008). Administração pública e gestão social: a produção científica brasileira entre 2000 e 2005. Revista de Administração Pública - RAP, 42(4), 655-680.
Keinert, T. M. M. (2000). Administração Pública no Brasil: crises e mudanças de paradigmas. Annablume.
_______________. (2014). O Movimento “Campo de Públicas”: construindo uma comunidade científica dedicada ao interesse público. Revista Administração Pública e Gestão Social - APGS, 6(4), 168-219.
Keinert, T. M. M. (1994). Os paradigmas da administração pública no Brasil (1900-92). Revista de Administração de Empresas - RAE, 34(3), 41-48.
Kellough, E.J., & Pitts, D.W. (2005). Who contributes for Public Administration Review? Examining the characteristics of author who submit manuscripts to the journal. Public Administration Review, 65(1), 3-7.
Machado-da-Silva, C., & Amboni, N., & Cunha, V. C. (1990, setembro) Organizações: o estado da arte da produção acadêmica do Brasil. Anais do Encontro da Associação Nacional de Programas de Pós-graduação em Administração, Belo Horizonte, MG, Brasil, 15.
Martins, G. S. (2009). A Construção do Conhecimento Científico no Campo de Gestão de Operações no Brasil: uma análise sob a ótica de Redes Sociais do período 1997-2008 (Dissertação de mestrado). Fundação Getúlio Vargas – FGV, São Paulo, SP, Brasil.
Martins, G. S., & Rossoni, L., & SCILLAG, J. M., & Martins, M. E., & Pereira, S. C. F. (2010). Gestão de Operações no Brasil: Uma análise do Campo Científico a partir da Rede Social de Pesquisadores. Revista de Administração de Empresas - RAE, 9 (2), 1-26.
Ospina Bozzi, S. M. (1998). La administración pública como comunidad discursiva: algunas lecciones del caso estadounidense para América Latina. Reforma y Democracia, 10, 85-112.
Pacheco, R. S. (2003). Administração Pública nas Revistas Especializadas – Brasil, 1995-2002. Revista de Administração de Empresas - RAE, 43 (4), 63-71.
Peci, A., & Ribeiro, A.J.G., & Rodrigues, F.B.S., & Forzanin, M. (2011, setembro). Paradigmas Orientadores da Pesquisa em Administração Pública no Contexto Brasileiro. Anais do Encontro da Associação Nacional de Programas de Pós-graduação em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 35.
Pires, V., & Silva, S. M., & Fonseca, S. A., & Vendramini, P., & Coelho, F. S. (2014). Dossiê – Campo de Públicas no Brasil: definição, movimento constitutivo e desafios atuais. Revista Administração Públiva e Gestão Social - APGS, 6(3), 109-167.
Rossoni, L., & Ferreira Junior, I., & Hocayen-da-Silva, A.J.. (2009). Administração de Ciência e Tecnologia: A Produção Científica Brasileira entre 2000 e 2005. Revista de Administração da Unimep, 7 (3), 1-23.
Rossoni, L., & Guarido Filho, E.R., & Machado-da-Silva, C. (2010). A questão da agência em redes acadêmicas de pesquisa: colaboração, preferência e continuidade. Revista Hispanica para el Análisis de Redes Sociales, 19 (5), 87-113.
Rossoni, L., & Hocayen-da-Silva, A.J. (2008). Cooperação entre Pesquisadores da Área de Administração da Informação: Evidências Estruturais de Fragmentação das Relações no Campo Científico. Revista de Administração - RAUSP, 43 (2), 138-151.
Smolscki, F. M.; & Dalcin, D.; & Visentini, M.; & Bamberg, J.; & kern, J. S. (2017). Análise do perfil da produção científica da Revista de Administração Pública (RAP) no período 2003-16. Revista de Administração Pública - RAP, 51 (5), 1139-1163.
Souza, C. (1998). Pesquisa em Administração Pública no Brasil: uma agenda para debate. Revista de Administração Pública, 32 (4), 43-61.
Publicado
2019-07-01
Como Citar
Corrêa, V., Coelho, F. de S., Trottmann, P., & Sarti, F. M. (2019). Produção Científica e Rede de Pesquisadores em Administração Pública no Brasil: uma investigação sobre a primeira década dos anos 2000. Administração Pública E Gestão Social, 11(3), 1-23. Recuperado de https://periodicos.ufv.br/apgs/article/view/5847
Seção
Artigos