REPRESENTAÇÕES DA ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTURA ORGÂNICA SOBRE A AGRICULTURA ORGÂNICA

  • Túlio Luís Borges de Lima Universidade Federal de Viçosa
  • Marcelo Leles Romarco de Oliveira Universidade Federal de Viçosa
  • Sheila Maria Doula Universidade Federal de Viçosa
  • Diana Dias Universidade Federal de Viçosa

Resumo

O objetivo deste trabalho é estudar as representações sociais – apoiado na respectiva teoria – de uma instituição representativa da agricultura orgânica no Brasil – a Associação de Agricultura Orgânica. A metodologia baseia-se numa abordagem qualitativa, tratando-se de um estudo do tipo descritivo-exploratório onde foram aplicados os métodos da revisão bibliográfica e da análise documental. Dentre as conclusões, afirma-se que o imaginário da instituição estudada constitui-se de diferentes tipologias de agriculturas alternativas mas que se unificam enquanto agricultura orgânica (nós), assim como sua identidade coloca-se, sob diferentes perspectivas, em oposição à Revolução Verde (o outro).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Túlio Luís Borges de Lima, Universidade Federal de Viçosa
Mestrando em Extensão Rural no Programa de Pós-graduação em Extensão Rural, do Departamento de Economia Rural (DER) da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Minas Gerais, Brasil.
Marcelo Leles Romarco de Oliveira, Universidade Federal de Viçosa
Professor adjunto III do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa
Sheila Maria Doula, Universidade Federal de Viçosa
Professora associada II do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa
Diana Dias, Universidade Federal de Viçosa
Mestrando em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa.

Referências

ALEXANDRE, M. O papel da mídia na difusão das representações sociais. Comum, Rio de Janeiro, v. 6, n. 17, p. 111-125, Jul./Dez. 2001.

ARRUDA, A. Teoria das representações sociais e teorias de gênero. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 117, p. 127-147, Nov. 2002.

ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTURA ORGÂNICA – AAO. Quem somos - A criação da Associação de Agricultura Orgânica, 2016a.

______. Artigos e Notícias, 2016b.

BERNAL CUENCA, E. Comparación socioeconómica de las empresas agrarias de producción ecológica y convencional en Aragón, España: Problemas y oportunidades. Mundo agrário, La Plata, v. 11, n. 22, jun. 2011.

BIHANNIC, L.; MICHEL-GUILLOU, É. Développement durable et agriculture durable: sens du concept de “durabilité” à travers la presse régionale et le discours des agriculteurs. Développement durable et territoires, Vol. 2, n. 3, dez. 2011.

BONZI, R. S. Meio século de Primavera Silenciosa: um livro que mudou o mundo. Desenvolvimento e Meio Ambiente. Editora UFPR, n. 28, p. 207-215, jul./dez. 2013. Editora UFPR.

BOTTON BARCELLOS, S. Mundo agrário, La Plata, v. 12, n. 23, dic. 2011.

BRASIL. Instrução Normativa n. 007 de 17 de maio de 1999. Estabelece normas para produção de produtos orgânicos vegetais e animais. Diário Oficial da União, Brasília, n. 94, Seção 1, p. 11-19, Maio 1999.

CANDAU, J. Antropologia da memória. Instituto Piaget. Lisboa, 2005.

CARSON, R. Primavera Silenciosa. Editora Pórtico. 2ª edição. São Paulo, 1969.

CLAY, E.; CHAMON, E. M. Q. de O.; RODRIGUES, A. M. Representações sociais dos alimentos orgânicos para agricultores – uma revisão da literatura nacional. Desenvolvimento em Questão. Editora Unijuí, ano 14, n. 35, jul./set., 2016.

EHLERS, E. M. O que se entende por agricultura sustentável? 1994. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

GLIESSMAN, S. R. A agricultura pode ser sustentável. EMATER/RS, Rio Grande do Sul, 2003. Entrevista concedida a Ângela Felippi.

GONCALVES, H. S. et al. Problemas da juventude e seus enfrentamentos: um estudo de representações sociais. Psicologia e Sociedade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 217-225, Ago. 2008.

JODELET, D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001. p. 17- 44.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 1-5, 2º Sem.1996.

PESAVENTO, S. Trabalhadores e máquinas: representações do progresso (Brasil: 1880-1920). Anos 90, Porto Alegre, v. 2, n. 2, 1994.

SÁ-SILVA, J. R.; ALMEIDA, C. D. de; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais, São Leopoldo, ano I, n. I, Jul. 2009.

SÊGA, R. A. O conceito de representação social nas obras de Denise Jodelet e Serge Moscovici. Anos 90, Porto Alegre, v. 8, n. 13, Jul. 2000.

SILVA, A. J. da; JUNIOR, M. F. S. Representações sociais e agricultura familiar: indícios de práticas agrícolas sustentáveis no Vale do Bananal - Salinas, Minas Gerais. Sociedade e Natureza. Uberlândia, v. 22, n. 3, p. 525-538, Dez. 2010.

TODOROV, T. A Conquista da América – a Questão do Outro. Martins Fontes. São Paulo,1993.
Publicado
2017-09-29
Como Citar
Borges de Lima, T. L., Romarco de Oliveira, M. L., Doula, S. M., & Dias, D. (2017). REPRESENTAÇÕES DA ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTURA ORGÂNICA SOBRE A AGRICULTURA ORGÂNICA. Revista De Extensão E Estudos Rurais, 6(1), 100-118. https://doi.org/10.18540/rever612017100-118