Fatores Mediadores da Aprendizagem na Educação a Distância em Administração Pública

Autores

  • Jammilly Mikaela Fagundes Brandão Universidade Federal da Paraíba
  • Anielson Barbosa da Silva Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.21118/apgs.v9i4.5058

Palavras-chave:

Educação de Adultos, Andragogia, Ensino Superior. Experiência

Resumo

Este estudo tem como objetivo identificar os fatores mediadores da aprendizagem na educação a distância em administração pública vinculados ao Programa Nacional de Administração Pública – PNAP. Na fundamentação teórica é apresentada a aprendizagem de adultos com base na abordagem andragógica, incluindo o modelo andragógico desenvolvido por Knowles, Holton e Seanson (2011). A pesquisa é quantitativa e de caráter descritivo, tendo utilizado o método survey aplicado a 273 estudantes de 10 instituições de ensino superior de diferentes estados brasileiros. Os resultados possibilitaram a identificação de seis princípios andragógicos que caracterizam o processo de aprendizagem, bem como a existência de fatores mediadores do processo de aprendizagem associados às diferenças individuais dos aprendizes e envolvem um processo de desenvolvimento pessoal que está intimamente ligado à experiência, que pode tornar os alunos mais abertos à mudança e interessados em aprender ou pode torná-los mais resistentes ou desinteressados no processo de aprendizagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jammilly Mikaela Fagundes Brandão, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda em Administração do Programa de Pós-Graduação em Administração – PPGA, da Universidade Federal da Paraíba. Mestre em Administração pelo PPGA/UFPB. Especialista em Turismo e Desenvolvimento Local, pelo CCTA/UFPB. Bacharel em Hotelaria e em Administração pela UFPB. Pesquisadora do Núcleo de Estudos em Aprendizagem e Conhecimento - NAC

Anielson Barbosa da Silva, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) e do Departamento de Administração da Universidade Federal da Paraíba – UFPB. Coordenador do Núcleo de Estudos em Aprendizagem e Conhecimento - NAC. Interesse em pesquisa nas áreas de Aprendizagem Gerencial e Organizacional, Gestão por Competências, Educação em Administração e Gestão Pública.

Referências

Alves, R. M., Zambalde, A. L., & Figueiredo, C. X. (2004). Ensino a distância. Lavras: UFLA, FAEPE.

Antonacopolou, E. P., & Gabriel, Y. (2001). Emotion, learning and organizational change: towards an integration of psyco-analytic and other perspective. Journal of Organizational Change, (v. 14, n. 5), p. 435-451.

Argyris, Chris. (1982). Reasoning, learning and action: individual and organizational. San Francisco: Jossey-Bass.

Bennis, W. G., & O’toole, J. (2005). How business schools lost their way. Harvard Business Review, (v. 83, n. 5), p. 96-105.

Brandão, J. M. F. (2014). Princípios Andragógicos e Fatores Mediadores da Aprendizagem na Educação a Distância em Administração Pública. (Dissertação - Mestrado) - UFPB/CCSA - João Pessoa, 193f.

Brookfield, S. D. (1986) Understanding and facilitating adult learning: a comprehensive analysis of principles and effective practices. San Francisco: Jossey-Bass.

Brookfield, S. D. (1987). Reframing research into 'self-direction' in adult education: a constructivist perspective. (Tese - Doutorado). University of British Columbia, Ottawa.

Cieglinski, A. (2015). Educação a distância já responde por quase 15% das matrículas no ensino superior. Agência Brasil, 07 nov. 2011. Disponível em: <http://memoria.ebc.com.br/agenciabrasil/noticia/2011-11-07/educacao-distancia-ja-responde-por-quase-15-das-matriculas-no-ensino-superior>. Acesso em: 12 out.

Costa, F. J. (2012). A análise exploratória de dados: uma abordagem moderna. Mimeografado. João Pessoa.

Cranton, P. (2006). Understanding and promoting transformative learning: aguide for educators of adults. SecondEdition. San Francisco: Jossey-Bass.

Demarco, D. J. (2013) Um balanço do Programa Nacional de Formação em Administração Pública (PNAP) como estratégia de fortalecimento da gestão pública: ocaso da Escola de Administração da UFRGS. In: Congresso de Gestão Pública, 6, Brasília. Anais...Brasília: Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

Dewey, J. (1973). Vida e educação. (Tradução de Anísio Teixeira). São Paulo: Melhoramentos.

Ferraz, S. F.S., Lima, T. C.B., & Silva, S. M. O. (2004). Contratos de aprendizagem: princípios andragógicos e ferramenta de gestão da aprendizagem. In: Encontro da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Administração-ENANPAD, 28., 2004, Salvador. Anais… Salvador: ANPAD, 2004. 1 CD-ROM.

Fonseca, J. J. S. (2002). Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC.

Freire, P. (1987). Pedagogia do oprimido. 27.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freire, P. (2003). Pedagogia da autonomia– saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, H., Oliveira, M., Sacol, A. Z., & Moscarola, J. (2000) O método de pesquisa survey. Revista de Administração, São Paulo, v. 35, n.3, p. 105-112, jul./set.

Gil, A. C. (2007). Como elaborar projetos de pesquisa. (4. Ed). São Paulo: Atlas.

Hair Jr, J. F, Black, W. C., Babin, B. J., Anderson, R. E., & Tatham, R. L. (2005). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

James-Gordon, Y.; Young, A.; & Bal, J. (2003). External environment forces affecting e-learning providers. Marketing Intelligence e Planning, (v.21, n.3).

Jarvis, P. (2006). Towards a comprehensive theory of human learning: lifelong learning and the learning society. New York: Routledge.

Knowles, M. S. (1975). Self-directed learning: aguide for learners and teachers. Englewood Cliffs: Prentice Hall.

Knowles, M. S. (1980). The modern practice of adult education:from pedagogy to andragogy. Cambridge: Adult Education.

Knowles, M. S., Holton, E. F., & Swanson, R. A. (2011). The adult learner:the definitive classic in adult education and human resource development (7th edition). London: Elsevier.

Kolb, D. (1984). Experiential learning: experience as the source of learning and development. EnglewoodCliffs: Prentice Hall.

Laruccia, M. M., Almeida, R., & Ruiz, T. T. (2010). O desenvolvimento das habilidades e competências profissionais de um grupo de estudantes de Administração.Inter Science Place: Revista Científica Internacional, (ano 3, n. 11), jan./fev.

Le Boterf, G. (2003). Desenvolvendo a competência dos profissionais. Porto Alegre: Artmed.

Merriam, S., Caffarella, R., & Baumgartner, L. (2006). Learning in adulthood (3rd ed.). San Francisco: John Wiley e Sons.

Merriam, S. B., Caffarella, R. S. (1991). Learning adulthood: a comprehensive guide. San Francisco: Jossey-Bass.

Mezirow, J. (1985) A critical theory of self-directed learning. In: BROOKFIELD, Stephen (Ed.).Self-directed learning: from theory to practice.San Francisco: Jossey-Bass, p.17-30.

Mezirow, J. (1991). Learning to think like an adult: core concepts of transformative learning. In: MEZIROW, Jack et al. Learning as transformation: critical perspectives on a theory in progress. San Francisco: Jossey-Bass.

Moraes, L. V. S., Silva, M. A., &. Cunha, C. J. C. A. (2004). A dinâmica da aprendizagem gerencial em um hospital. Revista de Administração de Empresas, (v. 3, n.2) art. 18, jul/dez. Disponível em: <http://www.rae.com.br/eletronica/index.cfm>. Acesso em: 27 set. 2014.

Palloff, R. M. E., & Pratt, K. (2004). O aluno virtual. 1ª ed. São Paulo: Artemed.

Reymão, G. (2015). A educação à distância – EaD. s/d. Disponível em: <http://www.crapa.org.br/artigos-detalhes.asp?codigo=421>. Acesso em: 12 out.

Rogers, C. R. (1969). Freedom to learn. Columbus: Merrill.

Rogers, J. (2011). Aprendizagem de adultos: fundamentos para educação corporativa. Porto Alegre: Artmed.

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, P. B. (1991). Metodología de la investigación. México: Mcgraw Hill.

Schnitman, I. (2011, março). A mediação pedagógica e o sucesso de uma experiência educacional on-line. ETD – Educ. Tem. Dig., Campinas, (v.12, n.esp.), p.287-314.

Schön, D. (1987). Educating the reflective practitioner:toward a new design for teaching and learning in the professions. San Francisco: Jossey-Bass.

Silva, A. R. M, Domingues, M. J. C. S. (2010). Atributos de retenção no ensino a distância na perspectiva dos alunos. In: Colóquio Internacional sobre Gestión Universitaria em América Del Sur, X., Mar del Plata, Anais... Mar del Plata: CIGU.

Silva, A. B. (2009). Como os gerentes aprendem?. São Paulo: Saraiva.

Silva, A. B., Godoi, C. K., & Rambo, J. A. M. (2003). Fatores individuais e organizacionais associados à aprendizagem dos gerentes de uma instituição de ensino. In: Seminário Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica Altec, X., Ciudad de México, Anais...Ciudad de México.

Smith, M. K. (2002). Malcolm Knowles, informal adult education, self-direction and andragogy. The encyclopedia of informal education. 2002. Disponível em: <www.infed.org/thinkers/et-knowl.htm>. Acesso em: 31 ago. 2011.

Soares, V. B.; Castro, D. C. (2012). Ou Isto ou Aquilo? A Integração entre Pesquisa Qualitativa e Quantitativa em Estudos Organizacionais no Brasil. In: Encontro da Divisão de Estudos Organizacionais - EnEO, (7., 2012), Curitiba. Anais…Curitiba: ANPAD, 1 CD-ROM.

Souza, Y. S. (2004). Organizações de aprendizagem ou aprendizagem organizacional. Revista de Administração de Empresas, v.3, n.1, Art.5, jan./jun.

Downloads

Publicado

2017-10-01

Como Citar

Brandão, J. M. F., & Silva, A. B. da. (2017). Fatores Mediadores da Aprendizagem na Educação a Distância em Administração Pública. Administração Pública E Gestão Social, 9(4), 265-275. https://doi.org/10.21118/apgs.v9i4.5058

Edição

Seção

Artigos