Governança aplicada às tecnologias sociais para populações em situação de risco socioeconômico associada ao paradigma da sustentabilidade

  • Alexandre Castilhos Renove Brasil
  • Tania Nunes da Silva Escola de Administração UFRGS.
Palavras-chave: sustentabilidade, governança, tecnologia social, desenvolvimento, políticas públicas

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar os resultados de uma pesquisa, estruturada a partir de uma perspectiva qualitativa, a fim de identificar os parâmetros iniciais para o desenvolvimento de uma abordagem de governança das tecnologias sociais associada à sustentabilidade, considerando a perspectiva multinível. A revisão de literatura compreendeu os eixos temáticos relacionados à governança, tecnologias sociais e abordagem multinível. O modelo analítico buscou relacionar informações obtidas junto às Instituições de Tecnologias Sociais no Brasil e, em um segundo momento, com as verificadas junto a outros dois grupos: i) as Instituições Formuladoras de Políticas Públicas em Tecnologias Sociais no Brasil e ii) as Instituições que Adotam Governança em Tecnologias Sociais no Brasil. Os resultados apontam para uma abordagem que busca uma nova forma de olhar a dinâmica das tecnologias sociais, problemas, inovações, modelos, estágios, transições, desafios e mudanças, a fim de contribuir para novos modelos de desenvolvimento social sustentável no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Castilhos, Renove Brasil

Mestre em Administração, ênfase em Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade, pela Escola de Administração da UFRGS. Atua na área de projetos estratégicos da Renove Brasil.

Tania Nunes da Silva, Escola de Administração UFRGS.
Doutora. Docente na Escola de Administração UFRGS.

Referências

Ansell, C. (2012). Collaborative Governance. In: Faur-Levi, D. Oxford Handbook of Governance. New York: University Press.

Baumgarten, M. (2008). Ciência, tecnologia e desenvolvimento – redes e inovação social. In: Parcerias Estratégicas (pp. 101-124). Brasília: CGEE – Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, Ministério da Ciência e Tecnologia, 26.

Bizelli, J. L. Estado, Democracia e Gestão da Inovação. (2009). In:
Bizelli, J. L., & Ferreira, D. A. O. (Orgs.). Governança Pública e Novos Arranjos de Gestão (pp. 15-34). Piracicaba: Jacintha Editores.

Born, R. H. (2012). Rio+20, Economia verde e governança do desenvolvimento sustentável: desafios associados às políticas públicas e construção de um mundo justo e saudável. In: Gerber, E., Papa, F., Tible, J., Sanseviero, R., & Balardini, S. (Orgs.). Modelos de Desenvolvimento, Trabalho e Sustentabilidade: desafios para o progressismo na América Latina (pp. 86-106). São Paulo: Fundação Friedrich Ebert.

Dagnino, R. (2004). A tecnologia social e seus desafios. Apresentação realizada para os participantes do processo de construção da Rede de Tecnologia Social (RTS). Recuperado de: .

Dagnino, R., Brandão, F.C., & Novaes, H.T. (2004). Sobre o marco analítico conceitual da tecnologia social. In: Lassance Jr. et al. Tecnologia Social – uma estratégia para o desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil.

Dowbor, L. (2009). Inovação Social e Sustentabilidade. Revista Brasileira de Gestão Urbana, Curitiba, 1(1), 109-125.

Faur-Levi, D. (2012). From “Big Government” to “Big Governance”. In: Faur-Levi, D. Oxford Handbook of Governance. New York: University Press.

Geels, F. W. (2011). The multi-level perspective on sustainability transitions: Responses to seven criticisms. Environmental Innovation and Societal Transitions (Vol.1, pp. 24–40).

Geels, F. W. (2004). From sectoral systems of innovation to socio-technical systems Insights about dynamics and change from sociology and institutional theory. Research Policy (Vol. 33, pp. 897–920).

Geels, F. W., & Kemp, R. (2007). Dynamics in socio-technical systems: Typology of change processes and contrasting case studies. Technology in Society (Vol. 29, pp. 441-455).

Hardin, G. (1977). Managing the Commons. In: Modern governance (pp. 35-48), edited by J. Kooiman. London: Sage.
ITS, Instituto de Tecnologia Social. (2004). Reflexões sobre a construção do conceito de tecnologia social. In: Lassance et al. Tecnologia Social – uma estratégia para o desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil.

Jesus, V. M. B., & Bagattolli, C. (2013). Integração de tecnologias sociais: reflexões sobre práticas iniciais. In: Costa, A. B. (Org.). Tecnologia Social e Políticas Públicas. Brasília: Fundação Banco do Brasil.

Lopes, Carlos. (2005). Cooperação e desenvolvimento humano: a agenda emergente para o novo milênio. São Paulo: Unesp.

Lynn, L. E. (2012). The Many Faces of Governance: Adaptation? Transformation? Both? Neither? In: Faur-Levi, D. Oxford Handbook of Governance. New York: University Press.

Novaes, H. T., & Dias, R. (2009). Contribuições ao Marco Analítico-Conceitual da Tecnologia Social. In: Dagnino, R. (Org.). Tecnologia social: ferramenta para construir outra sociedade. Campinas: IG/UNICAMP.

Ostrom, E. (1990). Governing the Commons: The Evolution on Institutions of Collective Action. Cambridge: Cambridge University Press.

Peters, B. G. (2012). Governance as political theory. In: Faur-Levi, D. Oxford Handbook of Governance. New York: University Press.

Rhodes, R.A.W. (2012). Waves of Governance. In: Faur-Levi, D. Oxford Handbook of Governance. New York: University Press.

Rodrigues, I., & Barbieri, J. C. (2008). A emergência da tecnologia social: revisitando o movimento da tecnologia apropriada como estratégia de desenvolvimento sustentável. RAP, 42(6), 1069-94.

Santos, M. M., Coelho, G. M., & Santos, D. M. (2005). Foresight, engajamento social e novos modelos de governança. In: Ciência, Tecnologia e Sociedade: Novos Modelos de Governança (pp. 281-303). Brasília: CGEE – Centro de Gestão e Estudos Estratégicos.

Schneider, V. (2012). Governance and Complexity. In: Faur-Levi, D. Oxford Handbook of Governance. New York: University Press.

Smith, A., Stirling, A., & Berkhout, F. (2005). The governance of sustainable socio-technical transitions. Research Policy (Vol.34, pp. 1491-1510).

Valadão, J. A. D., Andrade, J. A., & Cordeiro, J. R. (2014). Abordagens sociotécnicas e os estudos em Tecnologia Social. Revista Pretexto, 15(1), 44-61.
Publicado
2020-01-30
Como Citar
Castilhos, A., & Silva, T. N. da. (2020). Governança aplicada às tecnologias sociais para populações em situação de risco socioeconômico associada ao paradigma da sustentabilidade. Administração Pública E Gestão Social, 12(2). https://doi.org/10.21118/apgs.v12i2.5458
Seção
Artigos