A distribuição da população e do escolarizar no território: elementos para compreensão da emergência da escola rural em Minas Gerais (1892-1899)

Autores

  • Gilvanice Barbosa da Silva Musial FAE/UEMG

DOI:

https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v3i1.261

Palavras-chave:

Escola rural, instrução primária, historia da escola rural em Minas Gerais

Resumo

O referido trabalho tem como objetivos apreender a distribuição da população e do escolarizar em 11 municípios e relacionar essa distribuição com emergência da escola rural em Minas Gerais, no final do séc. XIX. O estudo está baseado, teórica e metodologicamente, nos pressupostos da História Cultural e, em particular, nas formulações de Chartier. Para a compreensão das possibilidades e limites da estatística como fonte para a História da Educação trabalhamos com Luc (1985), Faria Filho e Biccas (2000) e Gil (2008). No final do século XIX, na região estudada, não era a localização geográfica que definia, principalmente, o acesso desigual ao escolarizar, mas, provavelmente, outras questões, como, por exemplo, o lugar social dos homens e das mulheres. A ampliação e redução no número de escolas de instrução primária, nesse momento, nos ajudam a apreender a emergência da escola rural em Minas Gerais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2012-08-29

Como Citar

MUSIAL, G. B. da S. A distribuição da população e do escolarizar no território: elementos para compreensão da emergência da escola rural em Minas Gerais (1892-1899). Educação em Perspectiva, Viçosa, MG, v. 3, n. 1, 2012. DOI: 10.22294/eduper/ppge/ufv.v3i1.261. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/6550. Acesso em: 16 maio. 2022.

Edição

Seção

Artigos