A percepção da prática pedagógica pelo discente de matemática do PARFOR

Palavras-chave: Programa de Formação de Professor. Percepção da Prática Pedagógica. Perfil do Professor-Estudante.

Resumo

Esta pesquisa foi feita no Pará, estado da Região Amazônica, de 2010 a 2013, durante o período de realização da formação de professores em Licenciatura em Matemática no âmbito do Programa de Formação de Professores da Educação Básica (Parfor). O objetivo é compreender a percepção dos sujeitos em relação à prática pedagógica a partir de suas experiências e vivências como estudantes do Programa. Concluiu-se que, em relação aos elementos da prática pedagógica, os professores-estudantes demonstraram certo nível de criticidade, ao mesmo tempo em que procuravam reconhecer em sua experiência como discentes as realidades que apresentavam correlação com o contexto no qual sua prática profissional é desenvolvida na educação básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Willams Campos Lima, Universidade do Estado do Pará
Doutor em Educação pela Universidade do Estado do Pará. Professor Adjunto da Universidade do Estado do Pará.
Emina Marcia Nery dos Santos, Universidade Federal do Pará
Doutora em Ciências Sócio Ambientais pela Universidade Federal do Pará. Professora Titular do Instituto de Ciências da Educação (ICED) na Universidade Federal do Pará.

Referências

ARROYO, Miguel. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis: Vozes, 2000.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Resolução n.º 2, de 1º de julho de 2015. Ministério da Educação, [on-line], 2015. Disponível em: https://goo.gl/GgjT2B. Acesso em: 02 fev. 2018.

BRASIL. Decreto nº 6.755, de 29 de janeiro de 2009: Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica. Capes, [on-line], 2009. Disponível em: https://goo.gl/m5VmF2. Acesso em: 09 set. 2017.

BRASIL. Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica - DEB: relatório de gestão 2009-2012. Brasília: DEB/Capes, 2012. Disponível em: https://goo.gl/MpRP9z. Acesso em: 08 ago. 2017.

BRUSCHINI, Cristina. Mulher e trabalho: engenheiras, enfermeiras e professoras. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 27, p. 5-17, dez. 1978.

MAROY, Christian. Réforme de l’inspection et montée de la régulation par les résultats en Belgique. Incidences des instituitions, des intérêts et des idées. In: PELLETIER, Guy (Dir.). La gouvernance en éducation Régulation encadrement dans les politiques éducatives. Bruxelles: DeBoeck, 2009. p. 53-71.

MOORE JUNIOR, Barrington. As origens sociais da Ditadura e da Democracia. Lisboa: Edições Cosmos, 1957.

PARÁ. Plano Decenal de Formação Docente do Estado do Pará. Belém: SEDUC, 2009. Disponível em: https://goo.gl/tD4jWv. Acesso em: 28 ago. 2017.

PERONI, Vera Maria Vidal; CAETANO, Maria Raquel. O público e o privado na educação - Projetos em disputa? Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 337-352, jul./dez. 2015.

VIANNA, Cláudia Pereira. O sexo e o gênero da docência. Cadernos Pagu, Campinas, n. 17-18, p. 81-103, 2002.

Publicado
2019-02-18
Como Citar
Lima, F. W. C., & Santos, E. M. N. dos. (2019). A percepção da prática pedagógica pelo discente de matemática do PARFOR. Educação Em Perspectiva, 10, e019004. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i0.7062