Educação integral em tempo integral

o bairro como território educativo

Palavras-chave: Educação integral. Tempo integral. Território educativo.

Resumo

O artigo tem como cenário o debate da educação integral/tempo integral que convoca as escolas a uma maior abertura para a cidade e apresenta resultados de uma pesquisa que cartografa territórios educativos em um bairro da cidade de Governador Valadares. O aporte teórico se sustenta em autores que abordam a educação integral e nos estudos de Henri Lefebvre, Paul Claval e Michel de Certeau. Os dados foram coletados por meio de documentos e observação caminhante. Os resultados apontam um bairro com praças e ruas com pouca circulação de pessoas e de práticas cotidianas de moradores. As conclusões destacam a necessidade da garantia do direito à cidade e refletem sobre a importância de um maior diálogo entre a escola e o bairro, que pode se converter em território de aprendizagens cidadãs.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Rômulo de Carvalho Rocha, Secretaria Municipal de Educação de Governador Valadares
Mestre em Gestão Integrada do Território. Inspetor escolar atuando na Secretaria Municipal de Educação de Governador Valadares e Professor da Educação Básica na rede estadual de ensino.
Maria Celeste Reis Fernandes de Souza, Universidade Vale do Rio Doce
Doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Gestão Integrada do Território da Universidade Vale do Rio Doce.

Referências

BRASIL. Constituição 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, v. 134, n. 248, 23 dez. 1996.

BRASIL. Portaria Interministerial nº. 17, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa Mais Educação. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 17, 24 abr. 2007.

BRASIL. Educação integral: texto referência para o debate nacional. Brasília, 2009a.

BRASIL. Educação Patrimonial: Programa Mais Educação. Brasília, 2009b.

BRASIL. Decreto Federal nº 7.083, de 27 de Janeiro de 2010. Dispõe sobre o Programa Mais Educação. Brasília, 2010a.

BRASIL. Educação integral/educação integrada e(m) tempo integral: concepções e práticas na educação brasileira. Mapeamento das experiências de jornada escolar ampliada no Brasil: estudo quantitativo. Brasília, 2010b.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília, DF, 26 jun. 2018.

BRASIL. Portaria nº 1.144, de 10 de outubro de 2016. Institui o Programa Novo Mais Educação, que visa melhorar a aprendizagem em língua portuguesa e matemática no ensino fundamental. Brasília, DF, 11 out. 2016.

CAMPOS, Renata Bernardes Faria et al. Risco, desastre e educação ambiental: a terceira margem do rio Doce. Revista PerCursos, Florianópolis, v. 18, n. 36, p. 66-94, jan./abr. 2017.

CAVALIERE, Ana Maria. As zonas de educação prioritária francesas: repercussões e paralelos no Brasil. In: MAURÍCIO, Lúcia Velloso (org.). Tempos e espaços escolares: experiências, políticas e debates no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: Ponteio: FAPERJ, 2014. p. 147-164.

CERTEAU, Michel de. A cultura no plural. 7ª ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1. Artes de fazer. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. 22 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 2. Morar, cozinhar. Tradução de Ephraim Ferreira. 12 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

CLAVAL, Paul. A Geografia Cultural. 3 ed. Florianópolis: Ed. UFSC, 2007.

CLAVAL, Paul. A geografia cultural no Brasil. In: BARTHE-DELOIZY, Francine; SERPA, Angelo (org.). Visões do Brasil: estudos culturais em Geografia. Salvador: EDUFBA; 2012. p. 11-25.

CLAVAL, Paul. Epistemologia da Geografia. 2 ed. Florianópolis: Editora UFSC, 2014.

ESPINDOLA, Haruf Salmen et al. Desastre da Samarco no Brasil: desafios para a conservação da biodiversidade. Fronteiras: Jornal of Social, Techonological and Environmental Science. Anápolis, v. 5, n. 3, p. 72-100, jul./dez. 2016.

GOVERNADOR VALADARES. Secretaria Municipal de Educação. Escola em Tempo Integral. Caderno 1. Governador Valadares, 2009.

IBGE. Panorama população 2010. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/governador-valadares/panorama. Acesso em: 18 mar. 2018.

INEP. Censo Escolar da Educação Básica 2016. Notas Estatísticas. Brasília, DF, fev. 2017. Disponível em: encurtador.com.br/akz59. Acesso em: 08 jan. 2018.

IPEA. Atlas da violência 2017. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/170609_atlas_da_violencia_2017.pdf. Acesso em: 18 mar. 2018.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1999.

LEFEBVRE, Henri. O direito a cidade. São Paulo: Centauro, 2001.

LOPES, João Teixeira. Andante, andante: tempo para andar e descobrir o espaço público. Sociologia, Revista da Faculdade de letras da Universidade do Porto, Porto, v. 17, p. 69-80, 2007. Disponível em: http://ojs.letras.up.pt/index.php/Sociologia/article/view/2345. Acesso em: 24 abr. 2018.

MOLL, Jaqueline (org.). Caminhos da Educação Integral no Brasil: direito a outros tempos e espaços educativos. Porto Alegre: Penso, 2012.

MOLL, Jaqueline. Mais Educação e PIBID: intersecções entre agendas estruturais para a Educação Brasileira. In: SIMÕES, Regina; BARBOSA, Juliana Bertucci; MOREIRA, Wagner Wey (org.). Escola em Tempo Integral: linguagens e expressões. 1 ed. Uberaba: UFTM, 2014. p. 17-37.

SANTOS, Wagner Fabiano dos. O território do crime em Governador Valadares: diagnósticos e perspectivas. 2012. 99 f. Dissertação (Mestrado em Gestão Integrada do Território) - Universidade Vale do Rio Doce, Governador Valadares, 2012.

SOUZA, Maria Celeste dos Reis Fernandes; CHARLOT, Bernard. Relação com o saber na Escola de Tempo Integral. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 41, n. 4, p. 1071-1093, out./dez. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/edreal/v41n4/2175-6236-edreal-59843.pdf. Acesso em: 24 abr. 2018.

UFMG. Universidade Federal de Minas Gerais. Faculdade de Educação. GRUPO TEIA – Territórios, Educação Integral e Cidadania. Relatório do Projeto de Avaliação e Monitoramento do Programa Escola de Tempo Integral (ETI) da Secretaria Municipal de Educação de Governador Valadares – MG. Belo Horizonte, 2012.

Publicado
2019-10-10
Como Citar
Rocha, D. R. de C., & Souza, M. C. R. F. de. (2019). Educação integral em tempo integral: o bairro como território educativo. Educação Em Perspectiva, 10, e019010. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i0.7084