Atlas narrativo de vidas na rua: experimentações éticas de uma metodologia

Palavras-chave: Subjetividade. Situação de rua. Governo dos pobres.

Resumo

Este artigo problematiza as relações de poder que têm destituído a vida na rua de sua força de existir na atualidade, inviabilizando suas táticas de existência e deslegitimando sua presença na cidade. No intuito de investigar possíveis resistências a estes exercícios do poder, propomos a composição de um Atlas constituído por fragmentos narrativos produzidos no deslocamento pelo Centro Histórico de Vitória/ES realizado com a população de rua que ocupa esta região da cidade. O Atlas Narrativo visa explicitar a dimensão ético-política das ocupações realizadas por essa população. Ressaltamos o caráter minoritário que constitui essa experiência narrativa da cidade, atuando na constituição de pontos de passagem por onde se procurou pensar a dimensão inventiva da vida nas ruas sem abandonar-se, porém, a qualquer tipo de romantização de suas condições de vida. Concluímos no artigo como o Atlas possibilita pontos de vertigem capazes de abrir o pensamento a outra política da existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Arthur Lima Pinheiro, Universidade Estadual de Feira de Santana
Doutor em Psicologia pela Universidade Federal Fluminense. Professor na Universidade Estadual de Feira de Santana. 
Luis Antônio dos Santos Baptista, Universidade Federal Fluminense
Professor Titular do Instituto de Psicologia e do Programa de Pós-graduação em Psicologia da Universidade Federal Fluminense.

Referências

BARROS, Regina Benevides de. Dispositivos em ação: o grupo. In: LANCETTI, Antônio (org.). SaúdeLoucura. São Paulo: Hucitec, n. 6, 1997.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Rocco, 2011.

BLANCHOT, Maurice. O livro por vir. Trad. Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. Trad. Diogo Mainardi. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

DELEUZE, Gilles. O que é um dispositivo? In: DELEUZE, Gilles. O mistério de Ariana. Lisboa: Vega, 1996. p. 83-96.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. Trad. Peter Pál Pelbart. São Paulo: Ed. 34, 1997.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Trad. Ana Lúcia de Oliveira e Lúcia Cláudia Leão. São Paulo: Ed. 34, v. 2, 1995.

HECKERT, Ana Lucia Coelho et al. Andarilhos na cidade: população em situação de rua e políticas públicas. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE POLÍTICA SOCIAL, 2.; ENCONTRO NACIONAL DE POLÍTICA SOCIAL, 9., 2014, Vitória. Anais do... Vitória: [s.n.], 2014. p. 1-13.

SERRES, Michel. Atlas. Trad. João Paz. Lisboa: Instituto Piaget, 1994.

Publicado
2019-09-05
Como Citar
Pinheiro, D. A. L., & Baptista, L. A. dos S. (2019). Atlas narrativo de vidas na rua: experimentações éticas de uma metodologia. Educação Em Perspectiva, 10, e019008. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i0.7148