CARBONO LÁBIL E FRAÇÕES OXIDÁVEIS DE CARBONO EM SOLOS CULTIVADOS SOB DIFERENTES FORMAS DE USO E MANEJO

Taine Pereira de Oliveira, Simone Cândido Ensinas, Giselle Feliciani Barbosa, Marina Chiquito Nanzer, Paulo Gabriel Vechetin Barreta, Maiara Fernada Garcia Silva, Gustavo Reis Silva dos Santos Queiroz, Eber Augusto Ferreira do Prado

Resumo


O presente trabalho teve como objetivo quantificar e comparar os teores e estoques de carbono lábil e carbono nas frações F1, F2 e F3 da matéria orgânica do solo em um Neossolo Quartzarênico sob diferentes usos e manejos. Foram coletadas amostras de solo nas camadas 0-10, 10-20 e 20-30 cm nas áreas de: vegetação nativa de Cerrado, seringueira solteira (Hevea brasiliensis), seringueira consorciada com abacaxi (Ananas comosus), pastagem de Brachiaria sp., com 30 anos, pastagem de Brachiaria brizanta cv. Marandu com 3 anos e área cultivada com amendoim em sistema de preparo convencional. As diferentes formas de uso e manejo do solo influenciaram os teores e estoques de carbono lábil e as frações oxidáveis da matéria orgânica do solo. O sistema de preparo convencional proporciona menores teores de carbono lábil no solo. A utilização do solo com pastagens proporciona incrementos nos teores e estoques de carbono nas frações mais recalcitrantes da matéria orgânica do solo.


Palavras-chave


Fracionamento do carbono, matéria orgânica do solo, resíduos vegetais, aporte de carbono.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN Online 2236-9724, ISSN Impresso 2317-5818, ISSN Cd rom 2178-5317