LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE INSETOS PREDADORES EM CULTIVO DE LARANJA (CITRUS SINENSIS L.) NA AMAZÔNIA TOCANTINA

Autores

  • Evanildo Gaia Moraes de Moraes Universidade Federal do Pará, Campus Universitário do Tocantins
  • Hilton Lucas Gonçalves Durão UFPA/INEAF
  • Jefferson Bruno Carvalho Soares Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Rafael Coelho Ribeiro Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Pará, Campus universitário do Tocantins

DOI:

https://doi.org/10.21206/rbas.v11i1.11934

Palavras-chave:

Controle Biológico; Entomofauna; Manejo Integrado de Pragas.

Resumo

– Esta pesquisa teve como objetivo estudar e registrar a dinâmica populacional de insetos predadores em um pomar de laranja e correlacionar a flutuação populacional dos principais agentes de controle biológico constatados com os elementos meteorológicos temperatura (°C), umidade relativa média (%) e precipitação pluviométrica (mm). O estudo foi realizado durante os meses de janeiro a dezembro de 2017, em um pomar de laranja localizado no município de Cametá (PA). Para a coleta dos insetos foram utilizadas duas armadilhas do tipo McPhail, nas quais continham como atrativo alimentar proteína hidrolisada a 5%, e 10 armadilhas do tio Pitffal contendo 200 ml de álcool 70º e 3 ml de detergente neutro como atrativo. As coletas foram realizadas quinzenalmente sendo imediatamente substituídos os atrativos por novos. Os espécimes coletados foram conduzidos ao laboratório para realizar as identificações. A análise faunística foi realizada por meio dos índices de frequência, dominância e constância, utilizando-se o índice de diversidade de Shannon-Wiener (H’), e a flutuação populacional foi estimada de acordo com a variância dos insetos coletados para as três
espécies que se destacaram na pesquisa. Foram amostrados 3068 espécimes, distribuídos em seis ordens e onze famílias. As famílias Formicidae e Vespidae apresentaram populações eudominantes, e as famílias de predadores Coccinellidae, Syrphidae e Sphecidae caracterizaram-se como populações subdominantes. A precipitação pluviométrica influenciou diretamente na densidade populacional das famílias Formicidae e Vespidae, não sendo observada correlação entre os demais elementos meteorológicos e os predadores amostrados. O estudo evidenciou a diversidade de insetos predadores em um agroecossistema na região amazônica, fornecendo subsídios para o manejo e conservação dessas espécies.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evanildo Gaia Moraes de Moraes, Universidade Federal do Pará, Campus Universitário do Tocantins

Engenheiro-agrônomo com formação na Universidade Federal do Pará, Campus Universitário do Tocantins, Cametá (UFPA/CUTINS),

Jefferson Bruno Carvalho Soares, Universidade Federal Rural da Amazônia

Doutor em agronomia pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e-mail: 

Rafael Coelho Ribeiro, Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Pará, Campus universitário do Tocantins

Doutor em fitotecnia pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e professor da Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Pará, Campus universitário do Tocantins, Cametá (UFPA/CUTINS), e-mail: rribeiro@ufpa.br.

Downloads

Publicado

2021-03-31

Como Citar

Gaia Moraes de Moraes, E. ., Hilton Lucas Gonçalves Durão, Bruno Carvalho Soares, J. ., & Coelho Ribeiro, R. . (2021). LEVANTAMENTO POPULACIONAL DE INSETOS PREDADORES EM CULTIVO DE LARANJA (CITRUS SINENSIS L.) NA AMAZÔNIA TOCANTINA. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 11(1), 29-35. https://doi.org/10.21206/rbas.v11i1.11934