EXTRATOS VEGETAIS, FORMULAÇÕES A BASE DE EXTRATO VEGETAL E PRODUTOS QUÍMICOS NO CONTROLE DA MANCHA BACTERIANA DO MARACUJAZEIRO

  • Rosemary Corrêa Costa Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Alessandra Keiko Nakasone Ishida Embrapa Amazônia Oriental
  • Vicente Savonitti Miranda Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Antonio Saraiva Damasceno Filho Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Clenilda Tolentino Bento Silva Embrapa Amazônia Oriental
  • Mário Lúcio Vilela Resende Universidade Federal de Lavras
  • Luana Cardoso Oliveira Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: Passiflora edulis f. flavicarpa, Xanthomonas axonopodis pv. passiflorae, Acibenzolar-S-metil

Resumo

mancha bacteriana é uma importante doença na cultura do maracujazeiro, responsável por perdas econômicas e pela redução da frutificação e do período de exploração comercial das plantas afetadas. O presente trabalho teve como objetivo avaliar o efeito dos produtos químicos oxitetraciclina, fluazinam, mancozeb, oxicloreto de cobre e Acibenzolar-S-Metil (ASM), das formulações Fitoforce Cobre, Fitoforce Plus e dos extratos de folhas de Artocarpus heterophyllus e Morinda citrifolia sobre o crescimento in vitro de Xanthomonas axonopodis pv. passiflorae e sobre a severidade da mancha bacteriana do maracujazeiro em casa-de-vegetação. Nos ensaios in vitro, os tratamentos foram incorporados ao meio de cultura 523, em suas respectivas dosagens
e as avaliações foram realizadas pela contagem do número de colônias do patógeno. Nos ensaios em casade-vegetação a aplicação dos tratamentos foi realizada 7 dias antes da inoculação de X. axonopodis pv. passiflorae para as formulações e extratos e 2 dias antes da inoculação para os produtos químicos. As avaliações de severidade da doença foram realizadas em intervalos de 48 horas. Os produtos oxitetraciclina, fluazinam, mancozeb, oxicloreto de cobre, Fitoforce Cobre e Fitoforce Plus inibiram totalmente o crescimento in vitro da bactéria. Em casa-de-vegetação, todos os tratamentos reduziram significativamente a severidade da mancha bacteriana com reduções entre 54 e 62%, com exceção do Fitoforce Plus que apresentou porcentagem de controle abaixo de 50%.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGROFIT. Sistema de agrotóxicos fitossanitários. 2016. In: http://extranet.agricultura.gov.br/agrofit_cons/principal_agrofit_cons (acessado em 24 de maio de 2016).
AMORIM, E.P.R.; ANDRADE, F.W.R.; MORAES, E.M.S. et al. Atividade antibacteriana de óleos essenciais e extratos vegetais sobre o desenvolvimento de Ralstonia solanacearum em mudas de bananeira. Revista Brasileira de Fruticultura, v.33, p.392-398, 2011.
ARAFAT, H.H.; HANAN, S.A.; RABAB, A.M. Antibacterial activity of antagonistic bacteria and plant extract on Erwinia amylovora the pathogen of fire blight disease in Egypt. International Journal of Phytopathology, v.4, n.2, p.73-79, 2015.
ARAÚJO, J.S.P.; GONÇALVES, K.S.; OLIVEIRA, B.C. et al. Efeito do acibenzolar-S-methyl sobre murcha-bacteriana do tomateiro. Horticultura Brasileira, v.23, p.5-8, 2005.
BIERMANN, A.C.S. Bioatividade e de inseticidas botânicos sobre Ascia monuste orseis (Lepdoptera: Pieridae). Dissertação (Mestrado em Agronomia). Santa Maria, RS: Universidade Federal de Santa Maria, 2009. 73p.
BORO, M.C.; BERIAM, L.O.S.; GUZZO, S.D. Induced resistance against Xanthomonas axonopodis pv. passiflorae in passion fruit plants. Tropical Plant Pathology, v.36, p.74-80, 2011.
CAVALCANTI, F.R.; RESENDE, M.L.V.; ZACARONI, A.B. et al. Acibenzolar-S-Metil e Ecolife® na indução de respostas de defesa do tomateiro contra a mancha bacteriana (Xanthomonas vesicatoria). Fitopatologia Brasileira, v.31, p.372-380, 2006.
FORMIGHIERI, A.P.; STANGARLIN, J.R.; MEINERZ, C.C. et al. Avaliação do potencial da planta Adiantum capillus-veneris (L.) no controle de fitopatógenos. Arquivos do Instituto Biológico, v.77, p.487-496, 2010.
HAFLE, O.M.; RAMOS, J.D.; ARAÚJO NETO, S.E. et al. Rentabilidade econômica do cultivo do maracujazeiro-amarelo sob diferentes podas de formação. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 32, n. 4, p. 1082-1088, 2010.
IBGE. Produção Agrícola Municipal, v.41, p.1-100, 2015. In: http://www.ibge.gov.br (acessado em 19 de Abril de 2016).
ISHIDA, A.K.N.; SOUZA, R.M.; RESENDE, M.L.V. et al. Rhizobacterium and acibenzolar-S-methyl (ASM) in resistance induction against bacterial blight and expression of defense responses in cotton. Tropical Plant Pathology, v.33, p. 27-34, 2008.
JUNQUEIRA, K.P.; FALEIRO, F.G.; UESUGI, C.H. et al. Desempenho agronômico de maracujazeiros tratados com produtos alternativos e fertilizantes foliares. Revista Brasileira de Fruticultura, v.33, p.40-47, 2011.
KADO, C.I.; HESKETT, M.G. Selective media for isolation of Agrobacterium, Corynebacterium, Erwinia, Pseudomonas and Xanthomonas. Phytopathology, v.60, p.969-976, 1970.
KHAN, M.R.; OMOLOSO, A.D.; KIHARA, M. Antibacterial activity of Artocarpus heterophyllus. Fitoterapia, v.74, p.501-505, 2003.
KUHN, O.J.; PASCHOLATI, S.F. Custo adaptativo da indução de resistência em feijoeiro mediada pela rizobactéria Bacillus cereus ou acibenzolar-S-metil: atividade de enzimas, síntese de fenóis e lignina e biomassa. Summa Phytopathologica, v.36, p.107-114, 2010.
KUHN, O.J.; PORTZ, R.L.; STANGARLIN, J.R. et al. Efeito do extrato aquoso de cúrcuma (Curcuma longa) em Xanthomonas axonopodis pv. manihotis. Ciências Agrárias, v.27, p.13-20, 2006.
MBEGA, E. R.; MORTENSEN, C. N.; MABAGALA, R. B. et al. The effect of plant extracts as seed treatments to control bacterial leaf spot of tomato in Tanzania. Journal of General Plant Pathology, v.78, n.4, p.277-286, 2012.
MEDEIROS, F.C.L.; RESENDE, M.L.V.; MEDEIROS, F.H.V. et al. Defense gene expression induced by a coffee-leaf extract formulation in tomato. Physiological and Molecular Plant Pathology, v.74, p.175-183, 2009.
PANDEY, A.; SOCCOL, C.R.; NIGAM, P. et al. Biotechnological potential of coffee pulp and coffee husk for bioprocesses. Biochemical Engineering Journal, v.6, p.153-162, 2000.
RAMIREZ, J. Compuestos fenólicos en la pulpa de café. Cromatografia de papel da pulpa fresca de 12 cultivares de Coffea arabica L. Turrialba, v.37, p.317-323, 1987.
RIBEIRO, L.F.C., HEMKEMEIER, S.; CLEIDIANY, S.S. et al. Efeito inibitório de extratos vegetais sobre Clavibacter michiganensis subsp. michiganensis agente etiológico do cancro bacteriano do tomateiro. Revista Brasileira de Agroecologia, v.4, p.070-074, 2009.
SCOTT, A.; KNOTT, M. Acluster-analysis method for grouping means in the analysis of variance. Biometrics, v.30, p.507-512, 1974.
SELVAM, P.; RAJ, K.; VIMISHA, V. Antimicrobial activity of fruit extracts of Morinda citrifolia. Journal of Applied Chemical Research, v.10, p.61-63, 2009.
SHANER, G.; FINNEY, R. The effect of nitrogen fertilization on the expression of slow–mildewing resistance in Knox Wheat. Phytopathology, v.67, n.8, p.1051-1056, 1977.
SIDHU, G.S.; WEBSTER, J.M. The use of aminoacid fungal auxotrophs to study the predisposition phenomena in the root-knot: wilt fungus disease complex. Physiological Plant Pathology, v.11, p.117-127, 1977.
SILVA, R.F.; PASCHOLATI, S.F.; BEDENDO, I.P. Indução de resistência em tomateiro por extratos aquosos de Lentinula edodes e Agaricus blazei contra Ralstonia solanacearum. Fitopatologia Brasileira, v.32, p.189-196, 2007.
SIMEON, A.U.; ABUBAKAR, A. Evaluation of some plant extracts for the control of bacterial soft rot of tubers. American Journal of Experimental Agriculture, v. 4, n.12, p.1869-1876, 2014.
SUNDER, J.; JEYAKUMAR, S.; KUNDU, A. et al. Effect of Morinda citrifolia extracts on in-vitro growth of Ralstonia solanacearum. Archives of Applied Science Research, v.3, p.394-402, 2011.
VIANA, F. M. P.; FREIRE, F. C. O.; CARDOSO, J. E. et al. Principais doenças do maracujazeiro na Região Nordeste e seu controle. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical (Comunicado técnico, 86), 2003. 12 p.
ZACARONI, A.B. Desenvolvimento de formulações à base de extratos vegetais combinados ou não com ASM, fertilizantes foliares e óleos para o manejo da mancha angular do algodoeiro e do crestamento bacteriano comum do feijoeiro. Dissertação (Mestrado em Fitopatologia). Lavras, MG: Universidade Federal de Lavras, 2008. 79p.
Publicado
2017-05-17
Como Citar
Costa, R. C., Ishida, A. K. N., Miranda, V. S., Damasceno Filho, A. S., Silva, C. T. B., Resende, M. L. V., & Oliveira, L. C. (2017). EXTRATOS VEGETAIS, FORMULAÇÕES A BASE DE EXTRATO VEGETAL E PRODUTOS QUÍMICOS NO CONTROLE DA MANCHA BACTERIANA DO MARACUJAZEIRO. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 7(1). https://doi.org/10.21206/rbas.v7i1.375
Seção
Artigos