RESPOSTA DE CULTIVARES DE BATATA A NÍVEIS DE INFESTAÇÃO DE LARVA-ALFINETE

Autores

  • Calisc de Oliveira Trecha UFPel
  • Letícia Hellwig UFPel
  • Carlos Rogério Mauch UFPel
  • Willian Silva Barros Ufpel
  • Ana Paula Schneid Afonso da Rosa

DOI:

https://doi.org/10.21206/bjsa.v7i4.427

Palavras-chave:

Consumo, Solanum tuberosum, infestação, Diabrotica speciosa, tubéculos.

Resumo

A cultura da batata é considerada uma das mais importantes do mundo, superada em produção, apenas pelo trigo, milho e arroz. O cultivo da batata sofre com problemas fitossanitários decorrentes do ataque de insetos, com destaque para a Diabrotica speciosa (Germar 1824) (Coleoptera: Chrysomelidae), cujas injúrias por suas larvas causam consideráveis danos aos tubérculos. Assim, o objetivo desse trabalho foi avaliar a produção de tubérculos de duas cultivares de batata quando as plantas foram infestadas com diferentes densidades larvais de D. speciosa em diferentes épocas de desenvolvimento das plantas em casa de vegetação, nas safras de verão e outono. Plantas das cultivares, Agata e BRS Clara, foram infestadas com 0, 5, 15, 30 e 40 larvas/planta, aos 14, 30, 40 e 50 dias após a emergência (DAE) das plantas. O número de cinco larvas agrava o índice de ataque aos tubérculos de ambas as cultivares, no verão, período favorável para o desenvolvimento do inseto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Calisc de Oliveira Trecha, UFPel

Engenheira Agrônoma formada pela Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM/UFPel - 2009). Possui Mestrado em Agronomia pelo Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar (FAEM/UFPEL- 2014). Atualmente, bolsista CAPES de Doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar pela Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fitotecnia e Entomologia, atuando principalmente na transição agroecológica, manejo fitossanitário e plantas bioativas.

Letícia Hellwig, UFPel

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Pelotas, (FAEM/UFPel - 2012). Mestre em Ciências (área de concentração em Entomologia) pela Universidade Federal de Pelotas, (FAEM/UFPel - 2015). Atualmente, bolsista CAPES de Doutorado pelo Programa de Pós-graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar pela Universidade Federal de Pelotas. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Entomologia, atuando principalmente na transição agroecológica, através dos seguintes temas: manejo fitossanitário, plantas bioativas, controle biológico conservativo e manejo do habitat.

Carlos Rogério Mauch, UFPel

Graduado em Agronomia (UFPel, 1988), Mestre em Fitotecnia (UFRGS, 1993) e Doutor em Agronomia (Universidad Politécnica de Valencia-España , 2001), com título revalidado no Brasil como Doutor em Ciências na área de Biotecnologia Agrícola (2001, UFPel). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal de Pelotas, desenvolvendo suas atividades profissionais (ensino e pesquisa) na área de Horticultura/Olericultura. Orientador de mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar da UFPel onde atua na linha de pesquisa ?Processos biológicos nos sistemas de produção agrícola? com ênfase em ?Produção hortícola em sistemas de transição agroecológica?. No âmbito administrativo foi coordenador do PPGAgronomia/UFPel por dois mandatos (2003-2005, 2005-2007), do Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar/UFPel (2009-2011 e 2011-2012) e conselheiro no Conselho Universitário da UFPel (2006-2008). Atua nas atividades de graduação e pós-graduação da UFPel. Consultor ad hoc da Revista Ciência Rural, Revista Brasileira de Agrociência e Horticultura Brasileira. Consultor ad hoc CAPES. Avaliador Institucional e de cursos do sistema INEP/SINAES/MEC. Vice-Reitor da UFPel (01/2013-12/2013).

Willian Silva Barros, Ufpel

Atualmente é professor Adjunto da Universidade Federal de Pelotas - UFPel. Tem experiência na área Estatística, Genética e Melhoramento. Atua como consultor ad-hoc de artigos nas revistas científicas nacionais e internacionais. Possui graduação em Agronomia (2002) pela Universidade Federal de Viçosa - UFV, mestrado em Genética e Melhoramento (2004) pela UFV, doutorado em Genética e Melhoramento (2007) pela UFV e pós-doutorado (2008) pela UFV. Foi pesquisador da Universidade Federal do Amazonas - UFAM (2008-2009).

Ana Paula Schneid Afonso da Rosa

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (1998), mestrado em Programa de Pós Graduação Em Fitossanidade pela Universidade Federal de Pelotas (2001) e doutorado em Programa de Pós Graduação Em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas (2005). Atualmente é pesquisador da Embrapa Clima Temperado. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Entomologia Agrícola, atuando principalmente nos seguintes temas: manejo integrado de pragas e controle químico.

Referências

AGRIANUAL. Anuário da agricultura brasileira. São Paulo: FNP Consultoria e Comércio, 2010. 715 pp.

AMARAL, A.O., S.C. GUTH, M.E.V. MOTTA, M.E. CAMARGO, M.L.A. MEGEGOTTO & PACHECO, M.T.M. 2012. A viabilidade econômica da cultura da batata. Custos e @gronegócio On line, Recife, v. 8, n. 2, pp. 15-43.

ANDREU, M.A. 2005. Associação entre características agronômicas da batata nos plantios de primavera e outono no Rio Grande do Sul. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 29, n. 5, pp.925-929.

ÁVILA, J.C., A.C.P. TABAI & J.R.P. PARRA. 2000. Comparação de técnicas para criação de Diabrotica speciosa (Germar) (Coleoptera: Chrysomelidae) em dietas natural e artificial. Anais da Sociedade Entomológica do Brasil, Londrina, v. 29, n. 2, pp. 257-26.

BISOGNIN, D.A., D.R. MÜLLER, N.A. STRECK, J.L. ANDRIOLO & D. SAUSEN. 2008. Desenvolvimento e rendimento de clones de batata na primavera e no outono. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 43, n. 6. pp. 699-705.

BONINE, D.P. 1997. Suscetibilidade de cultivares de batata (Solanum tuberosum L.) à Diabrotica speciosa (Germ.) (Coleoptera: Chrysomelidae) e ocorrência de outras pragas subterrâneas. Pelotas, 1997. Dissertação (Mestrado em Fitossanidade) - Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 68pp.
BUENO, L.C.S., A.N.G. MENDES, & S.P. CARVALHO. 2006. Melhoramento genético de plantas: princípios e conceitos 2º. ed. Lavras: MG, UFLA. 221 –219pp.

FONTES, P.C.R. 2005. Oleiricultura teoria e prática: In Cultura da batata. Viçosa, MG: UFV. 486pp.

FURIATTI, R.S. 2009. Efeito de genótipos de batata sobre Diabrotica speciosa (Coleoptera: Chrysomelidae) em condições de campo. Revista Acadêmica: Ciências Agrárias e Ambientais, Curitiba, v. 7, n. 1, pp. 101-107.

GONÇALVES, M.M. 2012 Avaliação de insumos fitossanitários para o controle de Diabrotica speciosa (Germar, 1824) (Coleoptera: Chrysomelidae) e Phytophthora infestans (Mont.) de bary. no cultivo de batata em sistema de produção orgânico. 2012. Tese (Doutorado em Ciências) Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 135pp.

HARE, J.D. & R.E.B. MOORE. 1988. Impact and management of late-season populations of the Colorado potato beetle (Coleoptera: Chrysomelidae) on potato in Connecticut. Journal of Economic Entomology, Lanham, v. 81, pp. 914-921.

IBGE- INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. 2013. Levantamento sistemático da produção agrícola: pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil. Rio de Janeiro. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/lspa/lspa_201012.pdf>. Último acesso: Outubro 2016.

KWON, M., Y.I. HAHM, K.Y. SHIN & Y.J. AHN. 1999. Evaluation of various potato cultivars for resistence to wireworms (Coleoptera: Elateridae). American Journal of Potato Research, Orono, v. 76, n. 5, pp. 317-319.

LARA, F.M., A.L. SCARANELLO; E.L.L. BALDIN; A.L. BOIÇA JÚNIOR & A.L. LOURENÇÃO. 2004. Resistência de genótipos de batata a larvas e adultos de Diabrotica speciosa. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 22, n. 4, pp. 761-765.

LAUMANN, R.A., P.H. RIBEIRO, N. RAMOS, C.S.S. PIRES, F.G.V. SCHMIDT, M. BORGES, M.C.B. MORAIS & E.R. SUJII. 2003. Rítmos diários de atividades comportamentais de Diabrotica speciosa (Germar, 1824) (Coleoptera: Chrysomelidae) relacionados à temperatura. EMBRAPA - Recursos Genéticos e Biotecnológicos, Brasília, 5pp. (Documento Técnico, 90).

MARQUES, G.B.C., C.J. ÁVILA & J.R.P. PARRA. 1999. Danos causados por larvas e adultos de D. speciosa (Coleoptera: Chrysomelidae) em milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 34, n. 11, pp 1938-1986.

MARTEL, P., J. BELCOURT, D. CHOQUETTE & G. BOIVIN. 1986. Spatial dispertion and sequential sampling plan for the Colorado potato beetle (Coleoptera: Chrysomelidae). Jounal of Economic Entomology, College Park, v. 79, n. 2, p. 414-417.

MILANEZ, J.M. 1995. Técnicas de criação e bioecologia de Diabrotica speciosa (Germar, 1824) (Coleoptera: Chrysomelidae). Tese (Doutorado em Entomologia) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, 102pp.

NARDIN, I. 2007. Associação Brasileira da Batata. Batata Show, Itapetininga, v. 7, n. 19, pp. 34-36.

NOURI-GANBALANI, G., A. FATHI, & A.NOURI-GANBALANI. 2010. Economic injury level for colorado potato Beetle, Leptinotarsa Decemlineata (Say), on ‘Agria’ potatoes in Ardabil, Iran. Munis Entomology and Zoology, Ankara, v. 5, n. 2, pp. 764-770.

REICHERT, L.J., M.C. GOMES, J.E. SCHWENGBER & A.S. PEREIRA. 2013. Avaliação de sistemas de produção de batata orgânica na região Sul do Rio Grande do Sul. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 31, n. 2, pp. 220-230.

RIEDELL, W.E. 1989. Western corn rootworm damage in maize: greenhouse technique and plant response. Crop Science, v. 29, pp. 412-415.

SOUZA, V.Q.M., A.S. PEREIRA, G.O. SILVA, R. FRITSCHE NETO & C.M. CASTRO. 2008. Avaliação de genótipos de batata selecionados para resistência a insetos-praga. EMBRAPA - CPACT, Pelotas, 29 pp. (Documento Técnico, 65).

SOUZA V.Q., A.S. PEREIRA, G.O. SILVA & F.I.F. CARVALHO. 2006. Correlation between insect resistance and horticultural traits in potatoes. Crop Breeding and Applied Biotechnology, Viçosa, v. 6, pp. 278-284.

SOUZA, V.Q., A.S. PEREIRA, R.F. NETO, G.O. SILVA & A.C. OLIVEIRA. 2005. Potential of selection among and within potato clonal families. Crop Breeding and Applied Biotechnology, Viçosa, v. 5, pp.199-206.

STATISTIX®. Statistix 9 Analytical Software. Tallahassee, FL, USA. 2008. Disponível em < http://www.statistix.com/freetrial.html > Último acesso: Junho 2016.

THEODORO, J.S. 2013. Resistência de genótipos de batata a Diabrotica speciosa (Germar, 1824) (Coleoptera: Chrysomelidae). Dissertação (Mestrado em Entomologia) – Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 82pp.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2018-02-05

Como Citar

Trecha, C. de O., Hellwig, L., Mauch, C. R., Barros, W. S., & da Rosa, A. P. S. A. (2018). RESPOSTA DE CULTIVARES DE BATATA A NÍVEIS DE INFESTAÇÃO DE LARVA-ALFINETE. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 7(4). https://doi.org/10.21206/bjsa.v7i4.427

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.