DESEMPENHO DE LINHAGENS DE ABÓBORAS NO OESTE GOIANO, BRASIL

  • Lucas Jorge dos Santos Instituto Federal Goiano, Câmpus Iporá http://orcid.org/0000-0001-6500-0130
  • Bárbara Miranda Borges Instituto Federal Goiano
  • Aldo Máx Custódio Instituto Federal de Rondônia, Campus Colorado do Oeste. Professor.
  • Flavio Lopes Claudio Instituto Federal Goiano, Campus Iporá
  • Alexandra Almeida Gléria Instituto Federal Goiano, Campus Iporá
  • Guido Calgaro Junior Instituto Federal Goiano, Campus Iporá
  • Tiago do Prado Paim Instituto Federal Goiano, Campus Iporá http://orcid.org/0000-0002-9486-7128
  • Estenio Moreira Alves Instituto Federal Goiano, Câmpus Iporá http://orcid.org/0000-0002-2208-7384
Palavras-chave: Biometria de frutos, Cucurbita moschata, Prolificidade, Produtividade.

Resumo

As abóboras possuem fundamental importância para a alimentação humana. Alimento com características físico-químicas da polpa rica em nutrientes e vitaminas. Objetivou-se avaliar o desempenho fitotécnico de linhagens de abóboras no município de Iporá, Goiás, Brasil. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com cinco tratamentos e cinco repetições. Os tratamentos foram: cv. ‘Rajada seca melhorada’; cv. ‘Bahiana tropical’; cv. ‘Itapuã 301 (Jacararezinho)’; Linhagem de abóbora (‘LA 16B - F1’); Linhagem de abóbora (‘LA 26C - F1’). As linhagens foram obtidas a partir do banco de germoplasma do IF Goiano, Campus de Iporá. As parcelas foram compostas por cinco plantas. As abóboras dos cultivares, cv. ‘Seca Rajada Melhorada’ e cv. ‘Itapuã 301 ‘(Jacarezinho)’, apresentaram um grande potencial produtivo. Nota-se a necessidade de realizar mais cruzamentos entre as linhagens avaliadas no intuito de aprimorar utilizá-las futuramente em sistemas produtivos locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Jorge dos Santos, Instituto Federal Goiano, Câmpus Iporá
Graduando em Agronomia, Bolsista ITI-A e IEX / CNPq.
Bárbara Miranda Borges, Instituto Federal Goiano
Técnica em Agropecuária (IF Goiano), Graduando em Agronomia, Bolsista ITI-B/CNPq.
Aldo Máx Custódio, Instituto Federal de Rondônia, Campus Colorado do Oeste. Professor.
Engenheiro Agrônomo (UNEMAT), Mestre em Agroecologia, (UFV), Professor no IFRO, Campus Colorado do Oeste, Bolsista DTI-B/ CNPq.
Flavio Lopes Claudio, Instituto Federal Goiano, Campus Iporá
Técnico em Agropecuária, Graduando em Gestão do Agronegócio (IF Goiano).
Alexandra Almeida Gléria, Instituto Federal Goiano, Campus Iporá
Zootecnista (UEG), Mestre em Desenvolvimento Rural Sustentavel (UEG).
Guido Calgaro Junior, Instituto Federal Goiano, Campus Iporá
Técnico em Agropecuária, Gestor do Agronegócio.
Tiago do Prado Paim, Instituto Federal Goiano, Campus Iporá
Médico Veterinário (UnB), Mestre em Ciências (USP).
Estenio Moreira Alves, Instituto Federal Goiano, Câmpus Iporá
Pré-qualificado em Agropecuária (1995) pela Escola Agrícola Municipal de Barra do Garças-MT (IFMT), Técnico em Agropecuária (1998) pela Escola Agrotécnica Federal de Cáceres-MT (IFMT), Pós -Técnico em Zootecnia (1999) pela Escola Agrotécnica Federal de Santa Teresa-ES (IFES), Engenheiro Agrônomo (2007) pela Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT - Campus Universitário de Tangará da Serra-MT, Especialista em Proteção de Plantas (2009) e Mestre em Agroecologia (2014) pela Universidade Federal de Viçosa - UFV. Cooperado da Cooperativa de Trabalho Agronômico - UNICAMPO. Tem experiência em Agronomia, Agrossilvicultura (ILP), Olericultura e Agroecologia. Atua como pesquisador em sistemas integrados de produção vegetal e animal, contemplando grandes culturas e olerícolas com enfase em agroecologia. Engenheiro Agrônomo do Instituto Federal Goiano - Câmpus Iporá, GO.

Referências

CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. A. Agroecologia e extensão rural: Contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável. Brasília: MDA/SAF/DATER-IICA, 2004.
FILGUEIRA, F.A.R. Novo manual de olericultura: Agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3.ed. Viçosa: Editora da Universidade Federal de Viçosa, 2008. 421p.
FREITAS, P.G.; CLAUDIO, M.T.R.A.; TAVARES, E.B.; MAGRO, F.O.; CARDOSO, A.I..I.; BARDIVIESSO, E. M. Poda apical para produção de frutos e sementes de abóbora. Agro@ mbiente On-line, v.8, n.2, p.230-237, 2014. http://dx.doi.org/10.18227/1982-8470ragro.v8i2.1891
LATIFI, M.; BARIMAVANDI, A.; SEDAGHARHOOR, S.; LIPAYI, S.R. Sowing date and plant population effects on seed yield of Cucurbita pepo. International Journal Agriculture Biology, v.14, n.4, p.641-644, 2012. http://www.fspublishers.org/published_papers/24637_..pdf
LIMA NETO, S. Pré-melhoramento de abóbora (Cucurbita moschata Duch.) visando biofortificação em carotenoides. Tese (Doctor scientiae). Viçosa, MG: UFV, 2013. 96p. http://text-br.123dok.com/document/lzg85o2y-pre-melhoramento-de-abobora-cucurbita-moschata-duch-visando-biofortificacao-em-carotenoides.html
MENDES, I. B.; SANTOS, L. J.; SOUZA, S.R.; BATISTA, G.S.; CALGARO JUNIOR, G.; CUSTÓDIO, A.M.; SANTOS, L.C.; PAIM, T.P.; ALVES, E.M. Desempenho e características de acessos de abóboras (Cucurbita moschata). Revista Eletrônica Interdisciplinar, v.1, n.17, p.1-6, 2017. http://revista.univar.edu.br/index.php/interdisciplinar/article/view/585
RAMOS, S.R.R.; LIMA, N.R.S.; ANJOS, J.L.; CARVALHO, H.W.L. Aspectos técnicos do cultivo da abóbora na região Nordeste do Brasil. Aracaju: Embrapa Tabuleiros Costeiros, (Série Documentos, 154). 2010. 36p. http://www.cpatc.embrapa.br/publicacoes_2010/doc_154.pdf
RESENDE, G.M.; BORGES, R.M.E.; GONÇALVES, N.P.S. Produtividade da cultura da abóbora em diferentes densidades de plantio no Vale do São Francisco. Horticultura Brasileira, v.31, n.3, p.504-508, 2013. http://www.scielo.br/pdf/hb/v31n3/27.pdf
RIBEIRO, A.C.; GUIMRÃES, P.T.G. & ALVAREZ V., V.H., (Eds). Recomendações para uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais – 5ª Aproximação. Viçosa, Universidade Federal de Viçosa-MG, 1999. 359p.
RODRIGUEZ-AMAYA, D.B.; KIMURA, M.; AMAYA-FARFAN, J. Fontes Brasileiras de Carotenóides: Tabela brasileira de composição de carotenoides em alimentos. 2.ed. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2008. 99p. http://www.mma.gov.br/estruturas/sbf_agrobio/_publicacao/89_publicacao09032009113306.pdf
SANTOS, J.O.; RODRIGUES, R.; LEAL, N.R.; SUDRÉ ,C.P.; FERREIRA, R.T.; LIMA, F.H. Estabilidade fenotípica em abóbora. Horticultura Brasileira, v.33, n.4 p.498-503, 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-053620150000400015
SHI, X.; WU, H.; SHI, J.; XUE, S. J.; WANG, D.; WANG, W. CHENG, A.; GONG, Z.; CHEN, X.; WANG, C. Effect of modifier on the composition and antioxidant activity of carotenoid extracts from pumpkin (Cucurbita maxima) by supercritical CO2. Food Science and Technology, v. 51, n. 2, p 433 – 440, 2013. https://doi.org/10.1016/j.lwt.2012.11.003
SILVA, F. A. S.; AZEVEDO, C. A. V. The Assistat Software Version 7.7 and its use in the analysis of experimental data. African Journal Agricultural Research, v.11, n.39, p.3733-3740, 2016. http://www.academicjournals.org/journal/AJAR/article-full-text-pdf/5E8596460818
VERONEZI, C.M; JORGE, N. Aproveitamento de sementes de abóbora (Cucurbita sp) como fonte alimentar. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v.14, n.1, p.113-124, 2012. http://www.deag.ufcg.edu.br/rbpa/rev141/Art1410.pdf
Publicado
2018-08-16
Como Citar
Santos, L. J. dos, Borges, B. M., Custódio, A. M., Claudio, F. L., Gléria, A. A., Junior, G. C., Paim, T. do P., & Alves, E. M. (2018). DESEMPENHO DE LINHAGENS DE ABÓBORAS NO OESTE GOIANO, BRASIL. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 8(2). https://doi.org/10.21206/rbas.v8i2.439
Seção
Artigos