Dissimilaridade genética entre famílias de melancia

  • Luniara Bastos Santos Universidade Federal do Tocantins
  • Aline Torquato Tavares Universidade Federal do Tocantins
  • Tiago Alves Ferreira Universidade Federal do Tocantins
  • Gil Rodrigues Santos Universidade Federal do Tocantins
  • Renato Almeida Sarmento Universidade Federal do Tocantins
  • Danilo Alves Porto da Silva Lopes Universidade Federal do Tocantins
  • Ildon Rodrigues Nascimento Universidade Federal do Tocantins

Resumo

As cucurbitáceas em geral, dentre elas a melancia, estão sujeitas a várias doenças causadas por vírus que podem reduzir substancialmente a sua produtividade, tanto quantitativa como qualitativamente. A resistência às viroses PRSV-W e WMV ainda não foi bem explorada na cultura da melancia. Objetivou-se avaliar a dissimilaridade genética de famílias de melancia tipo Crimson Sweet obtidas do retrocruzamento do acesso resistente PI 595201 com Crimson Sweet e selecionadas para resistência a WMV e PRSV-W. Foram utilizados 25 tratamentos sendo eles: 23 famílias obtidas de quatro retrocruzamentos do acesso PI 595201 (Genitor não-recorrente) com a cultivar Crimson Sweet (Genitor recorrente), selecionadas para resistência a PRSV-W e WMV e duas cultivares comerciais do tipo Crimson Sweet. Foram avaliadas 13 características para o estudo da similaridade genética e os componentes principais. Há variação genética entre os genótipos avaliado com formação de dez grupos distintos. As características que mais contribuíram para a dissimilaridade genética foram coloração da polpa (18,87%), sólidos solúveis (17,04%), pH (11,55%) e acidez titulável (9,98%). Os genótipos mais dissimilares foram a cultivar Crimson Sweet® - Sakata e as famílias 19 - WMX-001G-14-02-55-01pl#10, 15 - WMX-001G-14-02-55-01pl#05 e 2 - WMX-001G-09-04-58-07pl#08.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luniara Bastos Santos, Universidade Federal do Tocantins

Engenheira Agrônoma, mestre em Produção Vegetal

Departamento de Agronomia

Área: Melhoramento de Plantas

Aline Torquato Tavares, Universidade Federal do Tocantins

Pós-doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal na Universidade Federal do Tocantins

Departamento de Agronomia

Área: Melhoramento de Plantas

Tiago Alves Ferreira, Universidade Federal do Tocantins

Doutorando em Produção Vegetal na Universidade Federal do Tocantins

Departamento de Agronomia

Área: Melhoramento de Plantas

Gil Rodrigues Santos, Universidade Federal do Tocantins

Professor Associado da Universidade Federal do Tocantins

Departamento de Agronomia

Área: Fitossanidade

Renato Almeida Sarmento, Universidade Federal do Tocantins
Professor Associado da Universidade Federal do Tocantins

Departamento de Agronomia

Área: Fitossanidade

Danilo Alves Porto da Silva Lopes, Universidade Federal do Tocantins

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal da Universidade Federal do Tocantins

Departamento de Agronomia

Área: Melhoramento de Plantas

Ildon Rodrigues Nascimento, Universidade Federal do Tocantins

Professor Adjunto II da Universidade Federal do Tocantins

Departamento de Agronomia

Área: Melhoramento de Plantas/Olericultura

Referências

AGUIAR, R.W.S., RODRIGUES, A., PORTELLA, A.C.F.; LOPES, M.M., LIMA, M.F., RESENDE, R.O. e NAGATA, T. Serological Identification of Virus in Watermelon Production Fields in the Tocantins State. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 1, n. 2, p.1-6, 2015.

AMARAL JÚNIOR, A.T. Análise multivariada e isoenzimática da divergência genética entre acessos de moranga (Cucurbita maxima Duchesne). Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento). Viçosa-MG: UGV, 1994. 95p.

AZEVEDO, S.M.; MALUF, W.R.; FARIA, M.V.; RESENDE, J.T.V.; MENEZES, C.B.; NASCIMENTO, I.R. Inheritance of resistance to the Papaya ringspot virus-watermelon strain (PRSV-W) from watermelon accession ‘PI 595201’. Crop Breeding and Applied Biotechnology, Viçosa, v. 12, n. 1, p.67-75, 2012.

BORÉM, A.; MIRANDA, G.V. Melhoramento de Plantas. Viçosa: UFV, 2009. 449p.

CRUZ, C.D. Programa genes: aplicativo computacional em genética e estatística. Viçosa: UFV, 2001. 648p.

CRUZ, C.D; REGAZZI, A.J. 2001. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. UFV, 3. (eds.), Viçosa, 390 p.

CRUZ, C.D.; VENCOVSKY, R.; CARVALHO, S.P. Estudo sobre divergência genética III. Comparação de técnicas multivariadas. Revista Ceres, Viçosa, v.41, n.234, p.191-201, 1994.
CRUZ, C.D.; REGAZZI, A.J. Modelos Biométricos Aplicados ao Melhoramento Genético. Viçosa: UFV, Imprensa Universitária. 2001, 390 p.

CRUZ, C.D.; REGAZZI, A.J. CARNEIRO, P.C.S. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético, v.1, 3 ed. Viçosa: UFV, 2004, 480p.

FEHR, W.R. Principles of cultivar development: theory and technique. New York: MacMillan. 1987, 536p.

FERREIRA, M.A.J.F.; QUEIRÓZ, M.A; BRAZ, L.T; VENCOVSKY, R. Correlações genotípicas, fenotípicas e de ambiente entre dez caracteres de melancia e suas implicações para o melhoramento genético. Horticultura Brasileira, v. 21, n. 3, p. 438-442. 2003.

GARCIA, L.A.C.; PINTO, L.R.; LANDELL, M.G.A. Importância da manutenção de variabilidade genética para os produtores rurais. Pesquisa & Tecnologia, v. 10, n. 2, jul-dez de 2013.

KVITSCHAL, M.V. Caracterização e divergência genética de germoplasma de mandioca-de-mesa da região urbana de Maringá, Paraná. Tese (Doutorado em Genética e Melhoramento). Universidade Estadual de Maringá – UEM, Maringá, 2008. 140f.

QUEIRÓZ, M.A.; DIAS, R.C.S.; SOUZA, F.F.; FERREIRA, M.A.J.F.; ASSIS, J.G.A.; BORGES, R.M.E.; ROMÃO, R.L.; RAMOS, S.R.R.; COSTA, M.S.V.; MOURA, M.C.C.L. Recursos genéticos e melhoramento de melancia no Nordeste brasileiro. In.: QUEIRÓZ, M.A.; GOEDERT, C.O.; RAMOS, S.R.R., ed. Recursos Genéticos e Melhoramento de Plantas para o Nordeste brasileiro. (on line). Petrolina: Embrapa Semi-Árido/ Brasília-DF: Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, 1999. In: http:// www.cpatsa.embrapa.br. (acessado em Julho de 2017).

SILVA, M.L.; QUEIRÓZ, M.A.; FERREIRA, M.A.J.F.; BUSO, G.S.C. 2006. Caracterização morfológica e molecular de acessos de melancia. Horticultura Brasileira, Brasília, v.24, n.4, p.405-409, 2006.

SOUZA, F.F.; QUEIRÓZ, M.A.; DIAS, R.S.C. Divergência genética em famílias de melancia. Horticultura Brasileira, Brasília, v.23, n.2, p.179-183, 2005.

VIEIRA, J.V; ÁVILA, A.C de; PINTO, M.N; SILVA, B.M da; BORGES, C.L; 2005. Avaliação da Coleção de Germoplasma de Melancia da Embrapa Hortaliças para Tolerância a Viroses. Boletim de pesquisa e desenvolvimento, 1ª ed., 13 p. EMBRAPA, Brasília.

VIDIGAL, M.C.G.; VIDIGAL FILHO, P.S, AMARAL JÚNIOR, A.T, RACCINI, A.L. 1997. Divergência genética entre cultivares de mandioca por meio de estatística multivariada. Bragantia, v.56, n.2, p. 45-51, 1997.

FURLANETO, F.P.B., BERTANI, R.M.A. Melancia – Do Brasil para o Mundo. Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) – Polo Centro-oeste. Revista Campo & Negócios Hortifrúti, 2015. In: http://www.revistacampoenegocios.com.br/melancia-do-brasil-para-o-mundo/. (acessado em 28 de Junho de 2017).

SANTOS, R.C.; MOREIRA, J.N.A.; FARIAS, R.H.; DUARTE, J.M. Classificação de genótipos de amendoim baseados nos descritores agromorfológicos e isoenzimáticos. Ciência Rural, v.30, n.1, p.55-59, 2000.

SCOTT, A.J.; KNOTT, M. A cluster analysis method for grouping means in the analysis of variance. Biometrics, v.30, p.507-512, 1974.

TAVARES, A.T.; CHAVES, P.P.N.; AGUIAR, R.W.; SANTOS, M.F.; SARMENTO, R.A.; NASCIMENTO, I.R. Reação fenotípica de plantas de abóbora e melão à infecção por isolados simples de ZYMV e misto de ZYMV+SQMV. Journal of Biotechnology and Biodiversity, v.5, n.1, p. 79-87, 2014.

TAVARES, A.T.; FERREIRA, T.A.; ZANATTA, E.E.; REYES, I.D.P.; BARROS, H.B.; NASCIMENTO, I.R. Estabilidade e adaptabilidade de genótipos de melancia em várzea tropical. Cultura Agronômica, Ilha Solteira, v.26, n.3, p.362-374, 2017.
Publicado
2018-06-13
Como Citar
Santos, L. B., Tavares, A. T., Ferreira, T. A., Santos, G. R., Sarmento, R. A., Lopes, D. A. P. da S., & Nascimento, I. R. (2018). Dissimilaridade genética entre famílias de melancia. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 8(1). https://doi.org/10.21206/rbas.v8i1.480
Seção
Artigos