EMERGÊNCIA E DESENVOLVIMENTO INICIAL DA BACABEIRA EM DIFERENTES SUBSTRATOS E AMBIENTES

  • Nouglas Veloso Barbosa Mendes Universidade Federal do Ceará
  • Denise de Castro Lima Universidade Federal do Ceará
  • Márcio Cleber de Medeiros Corrêa Universidade Federal do Ceará
  • William Natale Universidade Federal do Ceará
Palavras-chave: Oenocarpus bacaba Mart., palmeira nativa, frutífera tropical.

Resumo

A bacabeira (Oenocarpus bacaba Mart.) é uma palmeira nativa da Amazônia e dispersa pelo norte do Brasil. A germinação das sementes de palmeiras é relativamente lenta e desuniforme, sendo de grande importância pesquisas que avaliem o potencial germinativo da espécie. Objetivou-se avaliar o efeito de diferentes substratos e ambientes na emergência e no desenvolvimento inicial da bacabeira. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente ao acaso, com os tratamentos distribuídos em esquema fatorial 5 x 2, sendo os fatores, substratos: S1 = fibra de coco, S2 = húmus de minhoca, S3 = fibra de coco + húmus de minhoca (1:1 v/v), S4 = vermiculita e S5 = bagana de carnaúba; os ambientes: A1 = casa de vegetação e A2 = sombreado, com quatro repetições de 50 sementes por parcela. Determinou-se a emergência, o índice de velocidade de emergência, o tempo médio de emergência, o comprimento da parte aérea e da raiz principal e a massa seca da parte aérea e das raízes. Verificou-se que os substratos S2 (húmus de minhoca) e S4 (vermiculita), são os mais indicados para a emergência e o desenvolvimento inicial da bacabeira. E o ambiente A1 (casa de vegetação) é o mais indicado para a propagação e desenvolvimento inicial da bacabeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nouglas Veloso Barbosa Mendes, Universidade Federal do Ceará
Fitotecnia / Agronomia
Denise de Castro Lima, Universidade Federal do Ceará
Ciência do Solo / Agronomia
Márcio Cleber de Medeiros Corrêa, Universidade Federal do Ceará
Fitotecnia / Agronomia
William Natale, Universidade Federal do Ceará
Fitotecnia / Agronomia

 

Referências

AFONSO, M.V.; MARTINAZZO, E.G.; AUMONDE, T.Z.; VILLELA, F.A. Composição do substrato, vigor e parâmetros fisiológicos de mudas de timbaúva (Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong). Revista Árvore, v.36, n.6, p.1019-1026, 2012.

ANDRADE, A.C.S.; LOUREIRO, M.B.; SOUZA, A.D.O.; RAMOS, F.N.; CRUZ, A.P.M. Reavaliação do efeito do substrato e da temperatura na germinação de sementes de palmiteiro (Euterpe edulis Mart.). Revista Árvore, v.23, n.3, p.279-283, 1999.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 399p.

BECKMANN-CAVALCANTE, M.Z.; PIVETTA, K.F.L; ILHA, L.L.; TAKANE, R.J. Temperatura, escarificação mecânica e substrato na germinação de sementes das palmeiras juçara e açaí. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v.7, n.4, p.569-573, 2012.

CARNEIRO, J.G.A. Produção e controle de qualidade de mudas florestais. Curitiba: UFPR/FUPEF; Campos: UNEF, 1995. 451p.
CAVALCANTE, P.B. Frutas comestíveis na Amazônia. 7. ed. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2010. 282p.

COSTA, E.; FERREIRA, A.F.A.; SILVA, P.N.L.; NARDELLI, E.M.V. Diferentes composições de substratos e ambientes protegidos na formação de mudas de pé-franco de tamarindeiro. Revista Brasileira de Fruticultura, v.34, n.4, p.1189-1198, 2012.

EDMOND, J.B.; DRAPALA, W.J. The effects of temperature, sand and soil, and acetone on germination of okra seed. Proceedings of the American Society Horticutural Science, v.71, n.2, p.428-434, 1958.

FERREIRA, M.G.R.; ROCHA, R.B.; GONCALVES, E.P.; ALVES, E.U.; RIBEIRO, G.D. Influência do substrato no crescimento de mudas de cupuaçu. Acta Scientiarum. Agronomy, v.31, n.4, p.677-681, 2009.

FERREIRA, D.F. SISVAR®: Sistema de análise de variância para dados balanceados, versão 5.3. Lavras-MG: DEX/UFLA, 2010. (Software estatístico).

GAMA, J.S.N.; MONTE, D.M.O.; ALVES, E.U.; BRUNO, R.L.A.; JÚNIOR, J.M.B. Temperaturas e substratos para germinação e vigor de sementes de Euterpe oleracea Mart. Revista Ciência Agronômica, v.41, n.4, p.664-670, 2010.

GUEDES, R.S.; ALVES, E.U.; GONCALVES, E.P.; BRAGA JUNIOR, J.M.; VIANA, J.S.; COLARES, P.N.Q. Substratos e temperaturas para testes de germinação e vigor de sementes de Amburana cearensis (Allemão) A.C. Smith. Revista Árvore, v.34, n.1, p.57-64, 2010.

JOSÉ, A.C.; ERASMO, E.A.L.; COUTINHO, A.B. Germinação e tolerância à dessecação de sementes de bacaba (Oenocarpus bacaba Mart.). Revista Brasileira de Sementes, v.34, n.4, p.651-657, 2012.

MAGUIRE, J.D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v.2, n.1, p.176-177, 1962.

MEEROW, A.W.; BROSCHAT, T.K. Palm seed germination. Gainesville: Institute of Food and Agricultural Sciences, University of Florida Cooperative Extension Service, 2012. Bulletin 274. Disponível em: http://edis.ifas.ufl.edu/pdffiles/EP/EP23800.pdf (acessado em 19 de fevereiro de 2018).

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA NETO, J.B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p.2-13.

OLIVEIRA, R.B.; LIMA, J.S.S.; SOUZA, C.A.M.; SILVA, S.A.; MARTINS FILHO, S. Produção de mudas de essências florestais em diferentes substratos e acompanhamento do desenvolvimento em campo. Ciência e Agrotecnologia, v.32, n.1, p.122-128, 2008.

OLIVEIRA, A.B.; MEDEIROS FILHO, S.; BEZERRA, A.M.E.; BRUNO, R.L.A. Emergência de plântulas de Copernicia hospita Martius em função do tamanho da semente, do substrato e do ambiente. Revista Brasileira de Sementes, v.31, n.1, p.281-287, 2009.

QUEIROZ, M.S.M.; BIANCO, R. Morfologia e desenvolvimento germinativo de Oenocarpus bacaba Mart. (arecaceae) da Amazônia Ocidental. Revista Árvore, v.33, n.6, p.1037-1042, 2009.

ROWEDER, C.; NASCIMENTO, M.S.; SILVA, J.B. Uso de diferentes substratos e ambiência na germinação e desenvolvimento inicial de plântulas de cedro. Pesquisa Aplicada & Agrotecnologia, v.5, n.1, p.27-46, 2012.

SCALON, S.P.Q.; MUSSURY, R.M.; RIGONI, M.R.; SCALON FILHO, H. Crescimento inicial de mudas de Bombacopsis glabra (Pasq.) A. Robyns sob condição de sombreamento. Revista Árvore, v.27, n.6, p.753-758, 2003.

SILVA, R.P.D.; PEIXOTO, J.R.; JUNQUEIRA, N.T.V. Influência de diversos substratos no desenvolvimento de mudas de maracujazeiro azedo (Passiflora edulis Sims f. flavicarpa DEG). Revista Brasileira de Fruticultura, v.23, n.2, p.377-381, 2001.

SILVA, R. R.; FREITAS, G. A.; SIEBENEICHLERR, S. C.; MATA, J. F.; CHAGAS, J. F. R. Desenvolvimento inicial de plântulas de Theobroma grandiflorum (Willd. ex Spreng.) Schum. sob influência de sombreamento. Revista Acta Amazônica, v.37, n.3, p.365-370, 2007.

SILVA, R. A. M.; MOTA, M. G. C.; FARIAS NETO, J. T. Emergência e crescimento de plântulas de bacabi (Oenocarpus mapora Karsten) e bacaba (Oenocarpus distichus Mart.) e estimativas de parâmetros genéticos. Revista Acta Amazônica, v.39, n.3, p. 601-608, 2009.

SOUSA, N.A.; SILVA, K.B.; OLIVEIRA, A.N.P.; AGUIAR, V.A.; PINTO, M.S.C. Emergência e crescimento inicial de plântulas de Caesalpinia pulcherrima (L.) Swartz sob diferentes substratos. Revista Agrotec, v. 35, n.1, p. 106-112, 2014.

TOMLINSON, P. B. The structural biology of palms. Oxford: Clarendon Press, 1990. 460p.
Publicado
2018-08-16
Como Citar
Mendes, N. V. B., Lima, D. de C., Corrêa, M. C. de M., & Natale, W. (2018). EMERGÊNCIA E DESENVOLVIMENTO INICIAL DA BACABEIRA EM DIFERENTES SUBSTRATOS E AMBIENTES. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 8(2). https://doi.org/10.21206/rbas.v8i2.503
Seção
Artigos