ADUBAÇÃO BIOLÓGICA ASSOCIADA A ADUBAÇÃO QUÍMICA NOS PARÂMETROS DE SOLO, NUTRICIONAL E PRODUTIVO DO MILHO

Palavras-chave: microgeo®, sistema de plantio direto, bioativação do solo, Zea mays L.

Resumo

Este trabalho teve como objetivo verificar a possibilidade de redução da adubação com o uso de biofertilizante e sua influência nas características químicas do solo, na nutrição foliar e na produtividade na cultura do milho. O estudo foi desenvolvido na Unidade Experimental da UniEvangélica, no município de Anápolis, GO. O experimento foi conduzido em delineamento em blocos casualizados com quatro tratamentos e quatro repetições. Os tratamentos foram T1: sem adubação química (testemunha); T2: 50% da adubação; T3: 75% da adubação e T4: 100% da adubação NPK (400 kg ha-1 05-25-15 + 222 kg ha-1 uréia em cobertura).  Todos os tratamentos receberam a aplicação de 150 L ha-1 de fertilizante biológico. Procedeu-se à análise de variância, comparando-se as médias dos parâmetros de fertilidade do solo, nutricionais da planta e produção pelo teste de Tukey e as doses de NPK por análise de regressão. A aplicação do biofertilizante permite melhorar o estado nutricional e produtivo da cultura do milho com reflexos positivos na melhora da fertilidade do solo. A adubação biológica com utilização do biofertilizante apresenta-se como uma alternativa a redução no uso de adubação química a partir do segundo ano de uso em áreas de plantio direto. Novos estudos devem ser realizados a fim de verificar se o uso contínuo promove melhoras gradativas na fertilidade dos solos do Cerrado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Caixeta Pinheiro, UniEvangélica
Graduando do curso de Agronomia da UniEVANGÉLICA; Bolsista PBIC
Jéssica de Lima Pereira, UniEvangélica
Graduando do curso de Agronomia da UniEVANGÉLICA; Bolsista PBIC
Cláudia Fabiana Alves Rezende, UniEvangélica
Dra em Agronomia pela UFG e prof Titular do curso de Agronomia na UniEvangélica

Referências

ALENCAR, T. L.; CHAVES, A. F.; SANTOS, C. L. A. et al. Atributos físicos de um Cambissolo cultivado e tratado com biofertilizante na Chapada do Apodi, Ceará. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 39, n. 3, 2015.

ARAUJO, F. F.; SANTOS JÚNIOR, J. D. Desenvolvimento e nutrição de milho em solo degradado biofertilizado com fosfato natural, enxofre e Acidithiobacillus. Revista Caatinga, v. 22, n. 1, 2009.

BARROS, L.E.O.; LIBERALINO FILHO, J. Composto orgânico sólido e em suspensão na cultura do feijão-mungo-verde (Vigna radiata L, Wilkzeck). Revista Verde, Mossoró, v.3, n.1, p.114-122, 2008.

BELLINI, G.; SCHMIDT FILHO, E.; MORESKI, H. M. Influência da aplicação de um fertilizante biológico sobre alguns atributos físicos e químicos de solo de uma área cultivada com arroz (Oriza sativa). Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 6, n. 2, 2012.

FERREIRA, D. F. Sisvar: A Guide for its Bootstrap procedures in multiple comparisons. Ciência e Agrotecnologia, Lavras-MG, v. 38, n. 2, p. 109-112, 2014.

KAPPES, C.; CARVALHO, M. A. C.; YAMASHITA, O. M. et al. Influência do nitrogênio no desempenho produtivo do milho cultivado na segunda safra em sucessão à soja. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 39, p. 251-259, 2009.

KAPPES, C.; ARF, O.; ANDRADE, J. A. D. C. Produtividade do milho em condições de diferentes manejos do solo e de doses de nitrogênio. Revista Brasileira de Ciência do Solo, p. 1310-1321, 2013.

KUNESKI, H. F.; SANGOI, L.; COELHO, A. E. et al. Desempenho Agronômico de Híbridos de Milho no Alto Vale do Itajaí-SC. 14ª Jornada de Pós-Graduação e Pesquisa, Congrega Urcamp-2017, p. 1146-1159, 2017.

LIMA, J. G. A.; VIANA, T. V. A.; SOUSA, G. G. et al. Crescimento inicial do milho fertirrigado com biofertilizante. Revista Agropecuária Científica no Semiárido, v.8, n.1, p.39-44, 2012.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G.C.; OLIVEIRA, S.A. Avaliação do estado nutricional das plantas - princípios e aplicações. Piracicaba, Potafos, 1989. 201p.

MALAVOLTA, E.; MORAES, M.F DE. LAVRES JÚNIOR, J. et al. Micronutrientes e metais pesados essencialidade e toxidez. Cap. 4. Ciência, agricultura e sociedade. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, p. 117-154, 2006.

OHLAND, R. A. A.; SOUZA, L. C. F.; HERNANI, L. C. et al. Culturas de cobertura do solo e adubação nitrogenada no milho em plantio direto. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 29, p. 538-544, 2005.

REBOUÇAS NETO, M. D. O.; CAMPOS, J. R.; VERAS, C. L. et al. Crescimento inicial do milho sob diferentes concentrações de biofertilizante bovino. Cadernos Cajuína, v. 1, n. 3, p. 4-14, 2016.

RODRIGUES, V. N; VON PINHO, R. G; PAGLIS, C. M et al. Comparação entre métodos para estimar a produtividade de grãos de milho. Ciência agrotecnica, Lavras, v. 29, n. 1, p. 34-42, 2005

ROLIM, R. R.; PINTO, A. A.; DA CAMARA, F. T. et al. Produtividade e rentabilidade do milho em função do manejo da adubação, em regime de sequeiro, na região do Cariri-CE. Revista Científica Rural, v. 20, n. 1, p. p. 204-221, 2018.

SANTOS, I. A.; NOGUEIRA, L. A. H. Estudo energético do esterco bovino: seu valor de substituição e impacto da biodigestão anaeróbia. Revista Agrogeoambiental, Pouso Alegre, v. 4, n. 1, p. 41-49, abr. 2012.

SANTOS, J. L. G.; GONDIM, A. R. O.; LIMA NETO, J. V. et al. Cultivo da cenoura submetida à aplicação de doses de biofertilizante. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, Vol.12(1), pp.55-60, 2017.

SEDIYAMA, M. A., SANTOS, M. R.; VIDIGAL, S. M., O, P. et al. Nutrição e produtividade de plantas de pimentão colorido, adubadas com biofertilizante de suíno. Revista Brasileira de Engenharia Agricola e Ambiental-Agriambi, v. 18, n. 6, 2014.

SILVA, J. C. P. M.; MOTTA, A. C. V; PAULETTI, V. et al. Esterco líquido de bovinos leiteiros combinado com adubação mineral sobre atributos químicos de um Latossolo Bruno. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 32, n. 6, 2008.

SILVA, F. C. (Ed.). Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. Embrapa Informação Tecnológica; Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2009.

SILVA, G. F.; OLIVEIRA, F. H.; PEREIRA, R. G. et al. Doses de nitrogênio e fósforo para produção econômica de milho na Chapada do Apodi, RN. Revista Brasileira de Engenharia Agricola e Ambiental-Agriambi, v. 18, n. 12, 2014.

SILVA, J. G.; NASCIMENTO, J. M. L.; SANTOS, M. R. B. et al. Archivos de zootecnia, Vol.64(248), pp.323-329, 2015.

SILVA, W. C.; MOTA, A. M. D.; DA SILVA, C. S. et al. Resposta do milho a doses de NPK na semeadura e de N em cobertura em sistema de plantio convencional. Revista Espacios, v.38, n. 36, 2017.

SOUSA, D. M. G.; LOBATO, E. (Ed.). Cerrado: correção do solo e adubação 2. ed. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2004. 416 p.

VALDERRAMA, M.; BUZETTI, S.; BENETT, C. G. S. et al. Fontes e doses de NPK em milho irrigado sob plantio direto. Pesquisa Agropecuária Tropical, p. 254-263, 2011.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Pinheiro, R. C., Pereira, J. de L., & Rezende, C. F. A. (2019). ADUBAÇÃO BIOLÓGICA ASSOCIADA A ADUBAÇÃO QUÍMICA NOS PARÂMETROS DE SOLO, NUTRICIONAL E PRODUTIVO DO MILHO. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 9(04), 9-20. https://doi.org/10.21206/rbas.v9i04.8459