DIAGNÓSTICO DO USO DE AGROTÓXICOS POR TOMATICULTORES DO MUNICIPIO DE SÃO JOSÉ DE UBÁ, RJ

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21206/rbas.v10i1.8579

Palavras-chave:

Solanum lycopersicum, Manejo, Equipamento de Proteção Individual

Resumo

O município de São José de Ubá é o maior produtor de tomate do Estado do Rio de Janeiro. A horticultura, no geral, é responsável por grande parte da utilização de agrotóxico, devido a grande susceptibilidade à pragas e doenças.   O objetivo desse trabalho foi analisar o manejo de pragas e doenças realizado pelos produtores de São José de Ubá. Foram entrevistados 55 tomaticultores, utilizando-se um questionário para identificar o perfil do produtor e da produção, assim como aspectos relacionados ao manejo de pragas e doenças e as formas de aplicações agrotóxicos.  Apesar da cidade ser responsável pela metade da produção do estado, a tomaticultura da São José de Ubá se característica como uma pequena atividade rural familiar, com atividade realizadas por familiares e vizinhos.  Cerca de 24 produtores diferentes (75% inseticidas e 25% fungicidas) são usados de forma indiscriminada: sem necessidade, sem respeitar período de carência, sem assistência técnica durante todo o ciclo da cultura e em o uso do EPI de forma completa e correta. O uso dos agrotóxicos representa grande parte dos custos, e a maioria dos entrevistados acreditam que uma produção sem agrotóxicos é uma produção sem proteção.  Esses relatos refletem a necessidade de difusão de conhecimentos desses produtos que além de diminuir os custos de produção trará menos impacto aos agricultores, consumidores e ao meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Niraldo José Ponciano, UENF

Professor Associado 

Departamento de Economia Rural

Referências

ALMEIDA, V. E. S.; CARNEIRO, F. F.; VILELA, N. J. Agrotóxicos em hortaliças: segurança alimentar, riscos socioambientais e políticas públicas para promoção da saúde. Tempus Actas de Saúde Coletiva, v. 4, n. 4, p. 84-99, 2009.

BEDOR, C. N. G.; RAMOS, L. O.; PEREIRA, P. J.; RÊGO, M. A. V.; PAVÃO, A. C.; AUGUSTO, L. G. D. S. Vulnerabilidades e situações de riscos relacionados ao uso de agrotóxicos na fruticultura irrigada. São Paulo: Revista Brasileira de Epidemiologia. v. 12, n. 1, p. 39-49, 2009.

CAMARGO, F.P. de.; FILHO, W.P.C. Produção de tomate de mesano Brasil, 1990-2006: contribuição da área e da produtividade. Horticultura Brasileira, v.26, n.2, p.S1018-S1021, 2008.

CARVALHO, C. R. F.; PONCIANO, N. J; SOUZA, C. L. M de. Levantamento dos Agrotóxicos e Manejo na Cultura do Tomateiro no Município de Cambuci - RJ. Ciência Agrícola, v. 14, n.1, p. 15-28, 2016.

CASTRO, M. G. G. M.; FERREIRA, A. P.; MATTOS, I. E.; Uso de agrotóxicos em assentamentos de reforma agrária no Município de Russas (Ceará, Brasil): um estudo de caso. Epidemiologia e Serviços de Saúde v.20 n.2, p. 245-254 . 2011

DE LIMA, C. A. B.; GRÜTZMACHER, D. D.; KRÜGER, L. R.; GRÜTZMACHER, A. D. Diagnóstico da exposição ocupacional a agrotóxicos na principal região produtora de pêssego para indústria do Brasil. Ciência Rural, Santa Maria, v. 39, n. 3, p. 900-903, 2009.

FERNANDES, A. A.; MARTINEZ, H. E. P.; DA SILVA, D. J. H.; BARBOSA, J. G.; PEDROSA, A. W. Cultivo sucessivo de plantas de tomate oriundas de sementes e propagação vegetativa em sistema hidropônico. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 42, n. 7. p. 1013- 1019, 2007.

FERNANDES, V. A.; SILVA, L. F.; MESQUITA, T. R. R.; CAPETTINI, L. S. A.; RODRIGUES, A. L. P.; SANTOS, S. L.. Scientia Plena, v. 8, n. 3, p. 1-6, 2012.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFICA E ESTATÍSTICA. Relatório da produção de lavouras temporárias dos anos 2014 a 2018. Disponível em: < http://seriesestatisticas.ibge.gov.br/lista_tema.aspx?op=0&no=1> Acessado em: 05/01/2019.

LIMA, K. K. P. S.; CAMPOS, K. C. Viabilidade financeira do tomate convencional e orgânico no estado do Ceará. Revista Sociais e Humanas, v. 27, n. 2, p. 26-39, 2014.

MARQUES, C. R. G.; NEVES, P. M. O. J.; VENTURA, M. U. Diagnóstico do conhecimento de informações básicas para o uso de agrotóxicos por produtores de hortaliças da Região de Londrina. Semina: Ciências Agrárias, v. 31, n. 3, p. 547-556, 2010

MONQUEIRO, P. A.; INÁCIO, E. M.; SILVA, A. C. Levantamento de agrotóxicos e utilização de equipamento de proteção individual entre os agricultores da região de Araras. Arquivos do Instituto Biológico, v. 76, n. 1, p. 135-139, 2009.

MONTORO, A. E. P.; BRANCO JUNIOR, A.C. Perfil de Produtores rurais quanto ao uso de defensivos agrícolas no interior do Estado de São Paulo. In: Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental. 2013. Anais. Salvador/BA: Ibeas, p.1 – 5, 2009.

OLIVEIRA-SILVA, J. J.; ALVES, S. R.; MEYER, A., PEREZ, F.; SARCINELLI, P. D. N.; DA MATTOS, R. D. C. O.; MOREIRA, J. C. Influência de fatores socioeconômicos na contaminação por agrotóxicos, Brasil. Revista de Saúde Pública, v. 35, n. 2, p. 130-135, 2001.

PEREIRA, R. B.; PINHEIRO, J. B.; DE CARVALHO, A. D. F. Diagnose e controle alternativo de doenças em tomate, pimentão, curcurbitáceas e cenoura. Brasília, DF: EMBRAPA HORTALIÇAS , 2013. 16p. ( Circular Técnica, 121)

REIS FILHO, J. D. S.; MARIN, J. O. B.; FERNANDES, P. M. Os agrotóxicos na produção de tomate de mesa na região de Goianápolis, Goiás. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 39, n. 4, p. 307-316. 2009.

STEVENSON, W. J. Estatística Aplicada à Administração. 1.ed. São Paulo: Habra. 2001.

ZORZETTI, J.; OLIVEIRA, M. J. N.; SANTORO, P. H.; CONSTANSKI, K. C. Conhecimento sobre a utilização segura de agrotóxicos por agricultores da mesorregião do Norte Central do Paraná. Semina: Ciências Agrárias, v. 35, n. 4, 2014.

Downloads

Publicado

2020-06-27

Como Citar

da Silva, J. N., Araujo, T. C., Ponciano, N. J., & Souza, C. L. M. (2020). DIAGNÓSTICO DO USO DE AGROTÓXICOS POR TOMATICULTORES DO MUNICIPIO DE SÃO JOSÉ DE UBÁ, RJ. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 10(1), 45-50. https://doi.org/10.21206/rbas.v10i1.8579