CULTIVO DE TILÁPIAS NA TERRA INDÍGENA BRACUÍ, RIO DE JANEIRO, BRASIL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21206/rbas.v10i1.9305

Palavras-chave:

Aquicultura, Viveiro escavado, Oreochromis niloticus, Angra dos Reis, Guarani.

Resumo

O incentivo da piscicultura em comunidades tradicionais de difícil acesso pode ser uma alternativaviável para o desenvolvimento territorial sustentável, contribuindo com a segurança alimentar e a geração de renda dentro dessas localidades. O cultivo de tilápias Oreochromis niloticus em tanques escavados é uma atividade largamente difundida no Brasil, apresenta uma cadeia produtiva bem consolidada podendo ser viabilizada com um baixo grau tecnológico. Tendo em vista a demanda de representantes da Terra Indígena Bracuí pela inserção da piscicultura e a atuação do serviço de Assitência Técnica e Extensão Rural junto as comunidades tradicionais do Território Rural da Baía da Ilha Grande, este trabalho teve como objetivo avaliar o desempenho zootécnico do cultivo de tilápias em tanques escavados realizado na comunidade. Ao longo de seis meses, foram monitorados dois tanques escavados de produção semi-intensiva (T1 e T2) povoados com alevinos apresentando peso médio inicial de 1,28 gramas. Após 183 dias de acompanhamento os exemplares cultivados atingiram peso médio de 258,2 ±129,0 gramas e 195,6 ±58,7 gramas nos tanques T1 e T2. De um modo geral, os peixes monitorados neste estudo apresentaram um crescimento inferior quando comparado a outras áreas de produção no Brasil. Fatores como a dificuldade de adequação ao protocolo de rotinas de manejo produtivo, a impossibilidade de fertilização prévia dos tanques, o início do cultivo realizado no inverno e a utilização de ração com baixo teor de proteínas durante a fase inicial de cultivo provavelmente influenciaram no lento crescimento dos peixes. A continuidade das ações de ATER se faz necessária para o aprimoramento do cultivo de tilápias pelos indígenas Guarani na Terra Indígena Bracuí.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BACCARIN, A.E.; LEONARDO, A.F.G.; TACHIBANA, L.; CORREIA, C.F. Piscicultura em comunidade remanescente de quilombo: um estudo de caso. Informações Econômicas, SP, v.39(11), p.42-47,2009.

BARBOSA, A.C.B.; CARNEIRO, P.L.S.; MALHADO, C.H.M.; AFFONSO, P.R.A.M.; CARNEIRO, J.C.S.; ROCHA, L.G.; CARNEIRO, J.D.S. Desempenho e avaliação sensorial de duas linhagens de Tilápia do Nilo. Revista Científica de Produção Animal, v.10(1), p.50-59, 2008.

BARROSO, R.M.; MUÑOZ, A.E.P.; CAI, J. Social and economic performance of tilapia farming in Brazil. FAO Fisheries and Aquaculture Circular No. 1181. Rome: FAO, 2019, p.44.

BORBA, M.R.; MUELBERT, B.; WEINGARTNER, M.; et al. Piscicultura nas Terras Indígenas da Cantuquiriguaçu. In: 35° SEURS - Seminário de Extensão Universitária da Região Sul. Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), 2017, p.1101-1106.

BRASIL. Diagnóstico Territorial: Território Baía da Ilha Grande – Rio de Janeiro. Ministério do Desenvolvimento Agrário - Secretaria do Desenvolvimento Territorial. União das Associações e cooperativas Usuárias do Pavilhão 30. PROGRAMA PRONAT, 2011.

CARMO, J.L.; FERREIRA, D.A.; SILVA-JUNIOR, R.F.; SANTOS, R.M.S.; CORREIA, E.S. Crescimento de três linhagens de tilápia sob cultivo semi-intensivo em viveiros. Caatinga, v.21(2), p.20-26, 2008.

CARNEIRO, C.; SANTOS, C. A Importância do Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais para a Inclusão Produtiva de Povos e Comunidades Tradicionais. Revista Baru - Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos, v.2(2), p.164-175, 2016.

CODEVASF. Manual de criação de peixes em viveiros. Brasília: Codevasf, 2013, p.136.

CUNHA, A.A.; RAJÃO,H.Mamíferos terrestres e aves da Terra Indígena Sapukai (Aldeia Guarani do Bracui), Angra dos Reis, RJ, Brasil. Boletim do Museu de Biologia Mello Leitão, v.21, p.19-34, 2007.

FERREIRA, J.; LEOMIL, H.; ISHIKAWA, C.; DIAS, E.; PINHEIRO, S. Introdução de piscicultura de subsistência em duas comunidades indígenas, localizadas em Parelheiros, município de São Paulo (SP). Revista Ciência em Extensão, v.2(2), p.69-79, 2006.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE (FUNASA). Censo Demográfico, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, 2010.

IGARASHI, M.A. Aspectos econômicos do cultivo de tilápia e perspectivas para o desenvolvimento da atividade no Brasil, principalmente no estado do Paraná. Revista Unimar Ciências, v.27, p.1-18, 2018.

KUBITZA, F. Nutrição e alimentação de tilápias. Parte 1. Panorama da Aquicultura, p.42-50, 1999.

KUBITZA, F. Tilápia: tecnologia e planejamento na produção comercial - 2a. Edição. Jundiaí: Aquaimagem, 2011, p.316.

LIMA, A.F.; SILVA, A.P.; RODRIGUES, A.P.O.; FILHO, M.X.P.; MACIEL, P.O.; FLORES, R.M.V.; BEZERRA, T.A. Metodologia para o Monitoramento de Dados Técnicos e Econômicos em Pisciculturas Familiares. Palmas: Embrapa Pesca e Aquicultura, 2014, p.66.

MELLO, S.C.R.P.; OLIVEIRA, E.C.P.; SEIXAS-FILHO, J.T. Aspectos da aquicultura e sua importância na produção de alimentos de alto valor biológico. Revista Semioses, v.11(2), p.28-34, 2017.

MORO, G.V.; RODRIGUES, A.P.O. Rações para organismos aquáticos: tipos e formas de processamento. Palmas: Embrapa Pesca e Aquicultura, 2015, p.32.

MUELBERT, B.; WEINGARTNER, M.; BORBA, M.R.; DURAT, C.A.; CORNÉLIO, I. ; ROSSIGNOL, V. Uma Experiência de Piscicultura na Terra Indígena Rio das Cobras. In: Cadernos de Agroecologia – Anais do III CPA2019, v.14, n.1.

OLIVEIRA, E.G.; SANTOS, F.J.S.; PEREIRA, A.M.L.; LIMA, C.B. Produção de tilápia: Mercado, espécie, biologia e recria. Teresina: Embrapa Circular técnica n°45, 2007, p.12.

SALGADO, C.A.B. Segurança alimentar e nutricional em terras indígenas. Revista de Estudos e Pesquisas. Brasília: FUNAI: CGEP/CGDTI, v.4(1), 2007.

SANTOS, V.B.; MARECO, E.A.; SILVA, M.D.P. Growth curves of Nile tilapia (Oreochromis niloticus) strains cultivated at different temperatures. Acta Scientiarum. Animal Sciences Maringá, v.35(3), p.235-242, 2013.

SILVA, P.C.; KRONKA, S.N.; SIPAÚBA-TAVARES, L.H.; SOUZA, V.L. Desempenho produtivo da tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus L.) em diferentes densidades e trocas de água em “raceway”. Acta Scientiarum Maringá, v.24(4), p.935-941, 2002.

TROMBETA, T.D.; BUENO, G.W.; MATTOS, B.O. Análise econômica da produção de tilápia em viveiros escavados no Distrito Federal, 2016. Informações Econômicas, SP, v.47(2), p.42-49, 2017.

VAZ, R.M.G.F.C.; NORDER, L.A. A gestão de projetos agroambientais no programa carteira indígena na Baixada Santista (SP). Espaço Ameríndio, v.11(2), p.214-228, 2017.

VIEIRA, V.P.; RIBEIRO, R.P.; MOREIRA, H.L.M.; POVH, J.A.; VARGAS, L.; BARRERO, N.M.L. Avaliação do desempenho produtivo de linhagens de tilápia do nilo (Oreochromis niloticus) em Maringá-PR. Revista Acadêmica Ciência Animal, v.3(3), p.19-26, 2005.

WACHHOLZ, L.; EGEWART, J.F.; TSUTSUMI, C.Y.; KRUMENAUER, R.; ESCHER, F.L. 2015. Cultivo de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) na fase de terminação em tanque escavado. Nutritime Revista Eletrônica, v.12(6), p.4470-4477, 2015.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Como Citar

Silvestri, F., Cordeiro, G. B., Thuller, M. A. O., da Costa, S. R., Bernadochi, L. C., Machado, C. A. C., Nunes, R. M., & Costa, P. M. S. (2020). CULTIVO DE TILÁPIAS NA TERRA INDÍGENA BRACUÍ, RIO DE JANEIRO, BRASIL. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 10(1), 175-180. https://doi.org/10.21206/rbas.v10i1.9305