ESTADO E AGROINDÚSTRIA DE JUTA NA ÍNDIA: LIÇÕES PARA A AMAZÔNIA

Autores

  • Aldenor da Silva Ferreira Professor Adjunto na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Alfredo Kingo Oyama Homma Pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Amazônia Oriental).
  • Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco É professora titular da Universidade Estadual de Campinas.

DOI:

https://doi.org/10.25070/rea.v16i3.7909

Resumo

Este texto analisa o desenvolvimento da agroindústria de juta na Índia e a importância das ações governamentais para a sua manutenção. Trata-se de uma pesquisa documental, bibliográfica e de campo realizada no estado de West Bengal, com objetivo de produzir novos conhecimentos acerca dos fatores que possibilitaram o surgimento e a longevidade dessa atividade naquele país, visando fornecer subsídios teóricos e práticos para a revitalização da agroindústria de juta na Amazônia. As estratégias de investigação utilizadas constaram de uma revisão da literatura acerca do tema, na análise de documentos oficiais do governo indiano e das indústrias e, também, de visita às fábricas e às plantações. A manutenção de toda a cadeia produtiva da juta na Índia está ligada diretamente às ações do Estado que, por meio do Ministry of Textiles, atua fortemente no desenvolvimento dessa atividade, e não só desta, mas também de outras culturas que produzem fibras, como o rami, o sisal, o algodão, o kenaf e o linho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aldenor da Silva Ferreira, Professor Adjunto na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Sou Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) (2005). Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade de Educação também da UFAM (2006) e Mestre em Sociedade e Cultura na Amazônia pela mesma Universidade (2009). Fui vencedor do Prêmio Samuel Benchimol em 2010 na categoria Econômico-Tecnológica e em 2014 na categoria Social. Por 4 anos fui pesquisador bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Amazonas (FAPEAM). Fiz estágio doutoral no Department of South & South East Asian Studies, University of Calcutta em 2013, pelo Programa de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE/CAPES). Concluí o Doutorado no Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) em 2016. Desenvolvo pesquisas nas áreas de Sociologia Rural, Sociologia Ambiental e História da Agricultura, investigando os seguintes temas: ecodesenvolvimento, etnoconhecimento, campesinato, agricultura familiar e assentamentos rurais, processos de adaptabilidade e etnoconservação na várzea amazônica. Tive a oportunidade de ser Coordenador do GT Agricultura Familiar: desafios e perspectivas no II e III Encontro Norte da Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS), realizado respectivamente em Belém no ano de 2010 e em Manaus no ano de 2012. Organizei três livros sobre temas amazônicos: A cultura da juta e malva na Amazônia Ocidental: sementes de uma nova racionalidade ambiental? São Paulo: Annablume, 2010. Imigração Japonesa na Amazônia: sua contribuição na agricultura e vínculo com o desenvolvimento regional. Manaus: Edua, 2011 e A vida dos trabalhadores da juta e da malva no baixo Solimões. Manaus: Edua, 2014. Atualmente, sou Professor Adjunto I da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), campus de Naviraí.

Alfredo Kingo Oyama Homma, Pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Amazônia Oriental).

Possui graduação em Agronomia (1970), mestrado (1976) e doutorado em Economia Rural todas pela Universidade Federal de Viçosa (1988). Recebeu o Prêmio Nacional de Ecologia (1989), Honra ao Mérito 1989 (CREA-PA), Prêmio Prof. Edson Potsch Magalhães (1989), Prêmio Frederico Menezes da Veiga (1997), Prêmio Jabuti (1999), Destaque Científico 2000 (CREA-PA/Clube de Engenharia do Pará), Prêmio Prof. Samuel Benchimol (2004, 2010) , Homenagem Festa Anual da Árvore 2007 pelo Museu Paraense Emílio Goeldi, Comenda do Mérito Agronômico 2007 concedida pela Associação dos Engenheiros Agrônomos do Pará (AEAPA) em 2008, agraciado nas comemorações do 50 anos do Curso de Mestrado em Economia Rural da UFV, Membro Correspondente da Academia Amazonense de Letras (2011), Homenagem Especial Personalidades Nipo-brasileiras pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará em 2015, Membro Legendário da SOBER (2015) e Medalha do Mérito 2015 CONFEA. É pesquisador da EMBRAPA desde 1974. Proferiu palestras de abertura do 33 Congresso Brasileiro de Fitopatologia (2000), do 45 Congresso Brasileiro de Fitopatologia (2012), do XI Semana de Integração de Ciências Agrárias (2011), 24 Seminário Internacional de Política Econômica (2012), I Simpósio Internacional de Agroecologia do Acre (2013), 51 Congresso Brasileiro de Economia, Administração e Sociologia Rural e Palestra Magna Inaugural da 74 Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (74 SOEA/CONFEA) (2017). Proferiu Aula Inaugural do Programa de Pós-Graduação em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento Local na Amazônia ? PPGEDAM, Núcleo de Meio Ambiente (NUMA) (2012), do Instituto Tecnológico Vale Mestrado Profissional Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais (2014) e do Programa de Formação Interdisciplinar de Meio Ambiente (PROFIMA/NUMA/UFPa). Tem experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Agrária e dos Recursos Naturais, atuando principalmente nos seguintes temas: Amazônia, desenvolvimento agrícola, economia de recursos naturais, extrativismo vegetal e recursos naturais.

Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco, É professora titular da Universidade Estadual de Campinas.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade de São Paulo (1969) e graduação em Economia pelo Instituto de Ensino de Marília (1972 - diploma registrado pela USP), mestrado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa (1976) e doutorado em Ciências pela UNESP (1974). Pós-doutorado pela Universidade Estadual de Campinas (1980), especialização em Extensão Rural para o Desenvolvimento Sócioeconomico pela Wageningen University (1985), pós-doutorado pela École de Hautés Études em Sciences Sociales 1990/91. É professora titular da Universidade Estadual Paulista - UNESP/Botucatu e pela Universidade Estadual de Campinas, atuando junto à Faculdade de Engenharia Agrícola na área de Planejamento e Desenvolvimento Rural Sustentável. Tem experiência nas áreas de Extensão Rural, atuando principalmente nos seguintes temas: Desenvolvimento Rural Sustentável, Reforma Agrária e Assentamentos Rurais e avaliação de Políticas Públicas para Agricultura Familiar. É autora de mais de 16 livros, dentre eles ?O que são Assentamentos Rurais? da Coleção Primeiros Passo da Editora Brasiliense. Apresenta mais de 100 artigos publicados em periódicos com seletiva política editorial e mais de 35 capítulos de livros. Participou como assessora do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA-Brasil), do IICA, da FAO e do IFPRI, em trabalhos de formação de extensionistas, de avaliação da Política de Assistência Técnica e Extensão Rural, bem como de políticas de Crédito Rural e Políticas de Comercialização para a Agricultura Familiar.

Referências

ANNUAL REPORT. The Jute Corporation of India Limited. Disponível em: <http://www.jci.gov.in:8080/jci/common/Documents/Annual%20Report%2014-15.pdf>. Acesso em: 22 jun. 2016.

BHARADWAJ, Prashant; FENSKE, James. Partition, Migration, and Jute Cultivation in India. Journal of Development Studies 1-24, 2012. Disponível em: <http://www.tandfonline.com>. Acesso em: 23 nov. 2015. 27p.

CENSUS OF INDIA 2011. Census Data Online. Disponível em: <censusindia.gov.in>. Acesso em: 2 jun. 2013.

CHAKRABARTY, Dipesh. Rethinking Working-Class History: Bengal 1890-1940. Princeton University Press: New Jersey, 1989.

CHAUDHURY, Nibaran Chandra. Jute in Bengal. W. Newman & Co., Ltd.: Calcutta, 1921.

CLARK, William Alexander Graham. Linen, Jute, and Hemp Industries in the United Kingdom: with notes on the growing and manufacture of jute in India. Special Agents Series n. 74. Department of Commerce: Washington, 1913.

DEMPSEY, James M. Juta. Estudos Específicos n. 04. Manaus: Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral (SEPLAN). Comissão de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (CODEAMA), 1974.

KUNDU, Balai Chand; BASAK, Kiran Chandra; SARKAR, Pulin Behari (Orgs). Jute in India. Indian Central Jute Committee: Calcutta, 1959.

MARX, Karl. Os Resultados Eventuais da Dominação Britânica na India. New York Daily Tribune, 1853. Disponível em: <https://www.marxists.org>. Acesso em: 5 de set. 2015.

McCARTNEY, Matthew. India: The political economy of growth, stagnation and the state (19512007). London; New York: Routledge, 2009.

MORELLI C.; TOMLINSON, J.; WRIGHT, V. Managing decline: the jute employer’s strategies. European Business History Conference Glasgow, August 2010. Disponível em: <http://www.gla.ac.uk/media/media_168461_en.pdf>. Acesso em: 22 dez. 2015.

NAYAR, Baldev Raj. The Myth of the Shrinking State: Globalization and the State in India. New Delhi: Oxford University Press, 2009.

NODA, Sandra do Nascimento. As relações de trabalho na produção amazonense de juta e malva. Dissertação (Mestrado em Agronomia) – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo, Piracicaba, 1985.

PRODUCTIVITY & shares of production of major jute producing countries, 2011. Collected from FAO. Disponível em: <http://faostat.fao.org>. Acesso em: 12 jan. 2016.

REPORT INDIAN JUTE MILLS ASSOCIATION. Disponível em: <http://www.ijma.org/>. Acesso em: 20 mai. 2015.

REPORT OF COMMISSION FOR AGRICULTURAL COSTS AND PRICES. Department of Agriculture & Cooperation. Government of India, New Delhi, 2013.

REPORT ON THE MARKETING OF JUTE AND JUTE PRODUCTS. Second Report. Indian Central Jute Committee, 1941. 149p.

ROUL, Chhabilendra. International Jute Commodity System. New Delhi: Northern Book Centre, 2009.

SARKAR, Pulin Behari. Science and Technology. Section III. In: KUNDU, Balai Chand; BASAK, Kiran Chandra; SARKAR, Pulin Behari (Orgs). Jute in India. Indian Central Jute Committee: Calcutta, 1959.

STATE WISE & DISTRICT WISE NAMES OF JUTE MILLS IN INDIA. Indian Jute Mills Association, 2014. Disponível em: <http://www.ijma.org/industry-at-a-glance.html>. Acesso em: 14 nov. 2015.

WOODHOUSE, Thomas; KILGOUR, Peter. The Jute Industry: from seed to finished cloth. Pitman's Common Commodities and Industries Series. Sir Isaac Pitman & Sons, Ltd.: London, 1921.

WRIGHT, Rita P.; LENTZ, David L.; BEAUBIEN, Harriet F.; KIMBROUGH, Christine K. New evidence for jute (Corchorus capsularis L.) in the Indus civilization. Archaeological and Anthropological Sciences, v. 4, n. 2, p.137-143, jun. 2012.

Downloads

Publicado

2019-03-06

Como Citar

Ferreira, A. da S., Oyama Homma, A. K., & Pessoa Pereira Bergamasco, S. M. (2019). ESTADO E AGROINDÚSTRIA DE JUTA NA ÍNDIA: LIÇÕES PARA A AMAZÔNIA. Revista De Economia E Agronegócio, 16(3), 402-421. https://doi.org/10.25070/rea.v16i3.7909

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)