Bachelard: a aprendizagem científica como ruptura

  • Marco Antonio Barroso Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Tarcísio Jorge Santos Pinto Universidade Federal de Juiz de Fora
Palavras-chave: Práticas educativas. Ensino científico. Filosofia da educação.

Resumo

A presente pesquisa tem por objetivo relacionar a proposta epistemológica desenvolvida por Gaston Bachelard à sua ideia de progresso da ciência e de educação científica, fundamentando-se em uma leitura monográfica da obra do filósofo francês. Logo, o presente trabalho procura refletir sobre as contribuições da epistemologia bachelardiana à educação em geral e particularmente para o ensino de ciências em sua relação com a formação de professores. Em suas referências primárias o trabalho tem, como foco principal, a leitura do livro A formação do espírito científico, obra em que o pensador desenvolve sua visão crítica sobre o papel da educação científica para o desenvolvimento da ciência como um todo. Contudo, para uma melhor hermenêutica do texto, também serão utilizadas outras obras de Bachelard, como A filosofia do não e O novo espírito científico, entre outros textos que tangenciam o assunto ora abordado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marco Antonio Barroso, Universidade do Estado de Minas Gerais
Licenciatura e Bacharelado em Filosofia pela Universidade Federal de Juiz de Fora; Especialização (2006), Mestrado e Doutorado em Ciência da Religião, pela mesma instituição.  Professor e pesquisador da UEMG/Unidade de Ubá.
Tarcísio Jorge Santos Pinto, Universidade Federal de Juiz de Fora
Professor Adjunto III da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Referências

BACHELARD, Gaston. A epistemologia. Lisboa: Edições 70, 1990a.

BACHELARD, Gaston. A filosofia do não; O novo espírito científico; A poética do espaço. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

BACHELARD, Gaston. A filosofia do não: O novo espírito científico; A poética do espaço. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

BACHELARD, Gaston. A formação do espírito científico. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BACHELARD, Gaston. Ensaio sobre o conhecimento aproximado. Rio de Janeiro: Contraponto, 2004.

BACHELARD, Gaston. Estudos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2008.

BACHELARD, Gaston. O materialismo racional. Lisboa: Edições 70, 1990b.

BACHELARD, Gaston. O pluralismo coerente da química moderna. Rio de Janeiro: Contraponto, 2009.

BACHELARD, Gaston. O racionalismo aplicado. Rio de Janeiro: Zahar ed., 1977.

BADARÓ, Cláudio Eduardo. Epistemologia e ciência: reflexão e prática em sala de aula. Bauru, SP: EDUSC, 2005.

BARBOSA, Elyana; BULCÃO, Marly. Bachelard: pedagogia da razão, pedagogia da imaginação. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

BULCÃO, Marly. O racionalismo da ciência Contemporânea: uma análise da Epistemologia de Gaston Bachelard. Rio de Janeiro: Ed. Antares, 1981.

CANGUILHEM, Georges. Introducción a Bachelard. Buenos Aires: Ediciones Caldén, 1973.

CESAR, Constança Marcondes. Bachelard: ciência e poesia. São Paulo: Paulinas, 1989.
DAGOGNET, François. Bachelard. Lisboa: edições 70, 1986.

FREITAS, Renan Springer. Judaísmo, racionalismo e teologia cristã da superação: um diálogo com Max Weber. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2010.

JAPIASSU, Hilton. Para ler Bachelard. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976.

KOYRÉ, Alexandre. Estudos de história do pensamento científico. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1991.

KUHN, Thomas Samuel. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1994.

MALUF, Vitérico Jabur. A contribuição da epistemologia de Gaston Bachelard para o ensino de ciências. 2006. (Tese de doutorado) - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2006.

MIALARET, Gaston. Le nouvel esprit scientifique et les sciences de l'éducation. Paris: Puf, 2015.

OLIVA, Alberto. Filosofia da ciência. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

QUILET, Pierre (Org.). Introdução ao pensamento de Bachelard. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1977.

PAIVA, Rita. Uma inserção no universo Bachelardiano: o alargamento da imaginação e a obsolescência do objetivismo na ciência e na sociologia. 1997. (Dissertação Mestrado) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1997.
Publicado
2017-09-24
Como Citar
Barroso, M. A., & Santos Pinto, T. J. (2017). Bachelard: a aprendizagem científica como ruptura. Educação Em Perspectiva, 8(2), 232-249. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v8i2.855
Seção
Artigos