Panorama histórico da formação dos professores de ciências

problemáticas e implicações permeando a Lei de Diretrizes e Bases

Palavras-chave: Ciências biológicas, Licenciatura, Formação docente, LDB

Resumo

Este artigo pretende compreender de que maneira as Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e respectivas alterações contemplaram a formação dos professores de Ciências e Biologia apontando as principais problemáticas e implicações, a partir de uma perspectiva histórica. Por meio de análise documental e bibliográfica destacou-se que há uma herança histórica na licenciatura do modelo “3 + 1”, caracterizada como apêndice do bacharelado, levando a não identificação do perfil do professor formado; a separação dos conhecimentos em científicos e pedagógicos desse modelo fragmentou ainda mais o currículo do curso; a má qualidade das licenciaturas criadas, principalmente via iniciativa privada, após LDB/96, formou professores desqualificados prejudicando a aprendizagem do ensino. Em última análise, atuais modificações na LDB retrocedem ao atestar a possibilidade de se atribuir o exercício da docência a pessoas com “notório saber”. Pontua-se a relevância de se recorrer aos textos legais, uma vez que a forma como a formação de professores é abordada revela, também, a importância atribuída a este campo por determinado grupo social em seu conjunto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudení Marques Santos, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Mestrado em Educação pela UNIRIO. Bacharel em Ciências Biológicas pela UFRPE e Licenciada em Ciências Biológicas pela UFES. 

Lucia Helena Pralon de Souza, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Professora adjunta da Escola de Educação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO. Doutora em Educação em Ciências e Saúde pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. 

Referências

AMARAL, Nelson Cardoso. PEC 241/55: a “morte” do PNE (2014-2024) e o poder de diminuição dos recursos educacionais. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação. Goiânia, v. 32, n. 3, p. 653-673, set./dez. 2016.

ANPEd. Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. A política de formação de professores no Brasil de 2018: uma análise dos editais Capes e Residência pedagógica e Pibid e a reafirmação da resolução CNE/CP 02/2015. Documento apresentado pela ANPEd em audiência do CNE em 09 de abril de 2018. Disponível em: http://www.anped.org.br/sites/default/files/images/formacaoprofessores_anped_final.pdf. Acesso em: 29 set. 2018.

ANPEd et al. Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação et al. Entidades se posicionam contrárias à padronização e controle impostos pelo Programa de Residência Pedagógica! Não à BNCC! 06 de março de 2018. Disponível em: http://www.anped.org.br/news/entidades-se-posicionam-contrarias-padronizacao-e-controle-impostos-pelo-programa-de-residencia. Acesso em: 10 out. 2018.

AYRES, Ana Cléa Moreira; SELLES, Sandra Escovedo. História da formação de professores: diálogos com a disciplina escolar ciências no ensino fundamental. Revista Ensaio. Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 95-107, maio/ago. 2012.

BRASIL. LDB: Lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017a.

BRASIL. Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961. Fixa as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF, 1961.

BRASIL. Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971. Fixa diretrizes e bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Brasília, DF, 1971.

BRASIL. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Conversão da Medida Provisória nº 746, de 2016. Brasília, DF, 2017b.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Ensino Superior. Descrição da área e padrões de qualidade dos cursos de graduação em Ciências Biológicas. Brasília, DF, 1997.

CUNHA, Luiz Antônio. Ensino médio: atalho para o passado. Educação & Sociedade. Campinas, v. 38, n. 139, p. 373-384, abr./jun. 2017.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. A situação atual dos cursos de licenciatura no Brasil frente à hegemonia da educação mercantil e empresarial. Revista Eletrônica de Educação. São Carlos, v. 9, n. 3, p. 273-280, 2015b.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. Formação de professores da Educação Básica no Brasil no limiar dos 20 anos da LDBEN. Notandum. São Paulo, n. 42, p. 139-160, set./dez. 2016.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. Formação de professores, trabalho e saberes docentes. Trabalho & Educação. Belo Horizonte, v. 24, n. 3, p. 143-152, set./dez. 2015a.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. O ovo ou a galinha: a crise da profissão docente e a aparente falta de perspectiva para a educação brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília, v. 92, n. 230, p 34-51, jan./abr. 2011.

DOURADO, Luiz Fernandes. Diretrizes curriculares nacionais para a formação inicial e continuada dos profissionais do magistério da educação básica: concepções e desafios. Educação & Sociedade. Campinas, v. 36, n. 131, p. 299-324, abr./jun. 2015.

FERRETI, Celso João; SILVA, Monica Ribeiro da. Reforma do ensino médio no contexto da medida provisória n° 746/2016: estado, currículo e disputas por hegemonia. Educação & Sociedade. Campinas, v. 38, n. 139, p. 385-404, abr./jun. 2017.

GATTI, Bernadete Angelina et al. Formação de professores para o ensino fundamental: instituições formadoras e seus currículos. Estudos & Pesquisas Educacionais. Fundação Victor Civita. São Paulo, n. 1, p. 95-138, maio 2010.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação & Sociedade. Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out./dez. 2010.

KRASILCHIK, Myriam. O professor e o currículo das ciências. São Paulo: EPU: Editora da Universidade de São Paulo, 1987.

KRASILCHIK, Myriam. Reformas e realidade: o caso do ensino das ciências. São Paulo em Perspectiva. São Paulo, v. 14, n. 1, p. 85-93, mar. 2000.

MAGALHÃES JÚNIOR, Carlos Alberto de Oliveira; PIETROCOLA, Maurício. Atuação de professores formados em licenciatura plena em ciências. ALEXANDRIA: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia. Florianópolis, v. 4, n. 1, p. 175-198, maio 2011.

MAGALHÃES JÚNIOR, Carlos Alberto de Oliveira; OLIVEIRA, Maurício Pietrocola Pinto de. Políticas educacionais e história da formação e atuação de professores para a disciplina de ciências. In: V Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Atas do V ENPEC. Bauru: ABRAPEC, 2006.

MOTTA, Vânia Cardoso da; FRIGOTTO, Gaudêncio. Por que a urgência da reforma do ensino médio? Medida Provisória nº 746/2016 (Lei nº 13.415/2017). Educação & Sociedade. Campinas, v. 38, n. 139, p. 355-372, abr./jun. 2017.

NASCIMENTO, Fabrício do; FERNANDES, Hylio Laganá; MENDONÇA, Viviane Melo de O ensino de ciências no Brasil: história, formação de professores e desafios atuais. Revista HISTEDBR On-line. Campinas, v. 10, n. 39, p. 225-249, set. 2010.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 14, n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009.

SAVIANI, Dermeval. História da formação docente no Brasil: três momentos decisivos. Educação. Santa Maria, v. 30, n. 2, p. 11-26, jul./dez. 2005

SAVIANI, Dermeval. História das ideias pedagógicas no Brasil. Campinas: Autores Associados, 2007.

SCHEIBE, Leda. Formação de professores no Brasil: a herança histórica. Revista Retratos da Escola. Brasília, v. 2, n. 2-3, p. 41-53, jan./dez. 2008.

SILVA, Monica Ribeiro da. Projetos de reformulação do ensino médio e inter-relações com a educação profissional: (im)possibilidades do ensino médio integrado. In: ARAÚJO, Adilson Cesar; SILVA, Cláudio Nei Nascimento da (org.) Ensino médio integrado no Brasil: fundamentos, práticas e desafios. 1. Ed. Brasília: Ed. IFB, 2017. p. 71-89.

Publicado
2019-12-24
Como Citar
Santos, C. M., & Souza, L. H. P. de. (2019). Panorama histórico da formação dos professores de ciências: problemáticas e implicações permeando a Lei de Diretrizes e Bases. Educação Em Perspectiva, 10, e019033. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i0.7096