Saberes e fazeres de uma professora de bebês na educação infantil

Palavras-chave: Professores-Formação, Educação infantil, Prática docente com bebês, Saberes docentes

Resumo

Considerando que ainda são poucos os estudos sobre as especificidades do trabalho com a Primeiríssima Infância na educação infantil, esta pesquisa, realizada em uma instituição de educação infantil pública, pretendeu descrever e discutir os saberes e fazeres de uma professora de bebês. Para tal, privilegiou-se abordagem qualitativa, por meio de observações de campo no agrupamento de berçário II e entrevistas com a professora participante. Os dados obtidos revelaram a complexidade dos saberes docentes, que se constituem como saber plural, construídos e constantemente reconstruídos por meio das experiências, formação e práticas diárias. Temáticas como relação entre cuidado e educação, planejamento e trabalho em equipe, mostraram-se de absoluta relevância no trabalho da profissional que atua com essa faixa etária. Os dados apontaram a importância da reflexão sobre a formação e as práticas dos professores das crianças de 0 a 3 anos, buscando superar a dicotomia entre a teoria e a prática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raiza Fernandes Bessa de Oliveira, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Professora de Educação Infantil, graduada em Pedagogia (UNESP) e mestre em Ensino e Processos Formativos (UNESP). Integra o Grupo de Pesquisa Professores e Gestores de Educação Infantil: formação, saberes e práticas.

Maévi Anabel Nono, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Doutora (apoio FAPESP) em Educação pela UFSCar. Professora Assistente na UNESP/IBILCE/Câmpus São José do Rio Preto. Docente do Programa Multidisciplinar Interunidades de Pós-Graduação Stricto Sensu Ensino e Processos Formativos (UNESP São José do Rio Preto/Ilha Solteira e Jaboticabal).

Referências

AMORIM, Ana Luísa Nogueira de; DIAS, Adelaide Alves. Formação do professor de educação infantil: políticas e processos. Revista de Educação PUC-Campinas. Campinas, v. 18, n. 1, p. 37-45, jan./abr. 2013.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira. As especificidades da ação pedagógica com os bebês. Ministério da Educação e Cultura, Secretaria da Educação Básica. Brasília, 2010.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Brasília: MEC, 2017a.

BRASIL. Censo escolar da educação básica 2016: notas estatísticas. Brasília; DF: INEP/MEC, 2017b.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2009.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Brasília: Câmara dos Deputados, 1990.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Política Nacional de Educação Infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à educação. Brasília: MEC/SEB, 2005.

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3 v.

BUFALO, Joseane Maria Patrice. O imprevisto previsto. Pro-Posições. Campinas, v. 10, n. 1, p. 119-131, mar. 2016.

CAMPOS, Maria Malta. Entre as políticas de qualidade e a qualidade das práticas. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v. 43, n. 148, p. 22-43, jan./abr. 2013.

COUTINHO, Angela Scalabrin. A prática docente com os bebês. Revista Pátio Educação Infantil. Porto Alegre, ano 11, n. 35, p. 8-11, abr./jun. 2013.

CRAIDY, Carmem Maria; KAERCHER, Gládis Elise Pereira da Silva. Educação infantil: pra que te quero? 1 ed. Porto Alegre: Artmed, 2001.

DRUMOND, Viviane. Formação de professoras e professores de Educação Infantil: por uma Pedagogia da Infância. Revista Zero-a-Seis. Florianópolis, v. 20, n. 38, p. 288-302, jul./dez. 2018.

GENTIL, Heloisa Salles; MICHELS, Maria Helena (org.). Práticas pedagógicas: política, currículo e espaço escolar. 1 ed. Araraquara: Junqueira&Marin; Brasília: CAPES, 2011.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Pedagogia e a formação de professores(as) de Educação Infantil. Pro-Posições. Campinas, v. 16, n. 3, p. 181-193, set./dez. 2005.

KRAMER, Sonia; NUNES, Maria Fernanda. Gestão pública, formação e identidade de profissionais de educação infantil. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v. 37, n. 131, p. 423-454, maio/ago. 2007.

KUHLMANN JR., Moysés. Histórias da educação infantil brasileira. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, n. 14, p. 5-18, maio/ago. 2000.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso de. Abordagens qualitativas de pesquisa: a pesquisa etnográfica e o estudo de caso. In: LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 2003. p. 11-24.

OLIVEIRA, Raiza Fernandes Bessa de. Saberes e fazeres de uma professora de bebês na educação infantil. 2018. 163 f. Dissertação (Mestrado em Ensino e Processos Formativos) - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, São José do Rio Preto, 2018.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. A construção de ambientes de convivência e aprendizagem em instituições de educação infantil. In: OLIVEIRA, Zilma Moraes et al. (org.). O trabalho do professor de educação infantil. 2. ed. São Paulo: Editora Biruta, 2014.

OLIVEIRA, Zilma de Moraes Ramos de. O currículo na educação infantil: o que propõem as novas diretrizes nacionais? In: I Seminário Nacional: Currículo em Movimento – Perspectivas Atuais. Anais... Belo Horizonte, nov. 2010.

PELIZON, Marina Helena. Formação em educação infantil: zero a três anos. 1 ed. São Paulo: Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal, 2014.

ROCHA, Eloisa Acires Candal. A Pedagogia e a Educação Infantil. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, n. 16, p. 27-34, jan./abr. 2001.

SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. Lei nº 11.767, de 22 de junho de 2015. Aprova o Plano Municipal de Educação - PME. São José do Rio Preto: SP, 2015.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: RJ, Vozes, 2002.

TRISTÃO, Fernanda Carolina Dias. Ser professora de bebês: um estudo de caso em uma creche conveniada. 2004. 213 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2004.

Publicado
2019-12-29
Como Citar
Oliveira, R. F. B. de, & Nono, M. A. (2019). Saberes e fazeres de uma professora de bebês na educação infantil. Educação Em Perspectiva, 10, e019039. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v10i.7120