Três categorias que marcaram a Pedagogia do Oprimido

Palavras-chave: Diálogo. Oprimido. Liberdade. Pedagogia.

Resumo

Este ensaio, escrito a seis mãos, trata de uma difícil escolha: dentre os inúmeros conceitos e categorias desenvolvidos por Paulo Freire em sua obra máxima, Pedagogia do oprimido, os autores tiveram de selecionar apenas três e sobre eles desenvolver uma reflexão que permitisse conhecer, um pouco mais em profundidade, os fundamentos do legado de nosso educador maior. Foram escolhidos os conceitos de “diálogo”, “liberdade” e “oprimido” que, no entendimento dos autores são princípios fundantes na obra de Freire, na medida em que eles seriam retomados e reinventados, pelo próprio Freire, nos novos contextos em que produziu suas demais obras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Angela Biz Antunes, Instituto Paulo Freire

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Presidente do Instituto Paulo Freire do Brasil.

Moacir Gadotti, Instituto Paulo Freire

Doutor em Educação pela Universidade de Genebra. Presidente de Honra do Instituto Paulo Freire do Brasil. Professor Titular da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (aposentado). 

 

Paulo Roberto Padilha, Instituto Paulo Freire

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo. Diretor do Instituto Paulo Freire do Brasil.

Referências

ANTUNES, Ângela. Pedagogia do oprimido: escolha, compromisso e luta. In: GADOTTI, Moacir (Org.). 40 olhares sobre os 40 anos da Pedagogia do oprimido. São Paulo: Instituto Paulo Freire, p. 19-20, 2008.

ARROYO, Miguel Gonzalez. Pedagogia do oprimido. In: CALDART, Roseli Salete; PEREIRA, Isabel Brasil; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio (Org.). Dicionário da educação no campo. São Paulo: Expressão Popular, p. 553-561, 2012.

FIORI, Ernani Maria. Prefácio: Aprender a dizer sua palavra. In: FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1974.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. São Paulo: Paz e Terra, 1974.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Cortez, 1997.

GADOTTI, Moacir. Saber aprender: um olhar sobre Paulo Freire e as perspectivas atuais da educação. Centro de Referência Paulo Freire, p. 01-08, 2000. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2018.

GADOTTI, Moacir. O paradigma do oprimido. Revista Pátio. Porto Alegre, v. 4, n. 35, p. 12-15, ago./out. 2005.

GADOTTI, Moacir. Educar para um outro mundo possível: o Fórum Social Mundial como espaço de aprendizagem de uma nova cultura política e como processo transformador da sociedade civil planetária. São Paulo, Publisher Brasil, 2007.

GADOTTI, Moacir (Org.). 40 olhares sobre os 40 anos da pedagogia do oprimido. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2008.

GADOTTI, Moacir. Escola sem partido, uma escola a favor da cultura da indiferença. Carta Educação, 05 set. 2016. Disponível em:. Acesso em: 13 jun. 2018.

PADILHA, Paulo Roberto. Currículo intertranscultural: novos itinerários para a educação. São Paulo: IPF/Cortez, 2004.

PADILHA, Paulo Roberto. Educar em todos os cantos: por uma educação intertranscultural. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2012.

ROMÃO, José Eustáquio. A civilização do oprimido. Revista Lusófona de Ciências Sociais. Lisboa: Universidade Lusófona, n. 1, p. 31- 47, 2004.

ROMÃO, José Eustáquio. Opção radical pelo oprimido. In: GADOTTI, Moacir (Org.). 40 olhares sobre os 40 anos da Pedagogia do oprimido. São Paulo: Instituto Paulo Freire, p. 11-12, 2008.
Publicado
2018-12-30
Como Citar
Antunes, A. B., Gadotti, M., & Padilha, P. R. (2018). Três categorias que marcaram a Pedagogia do Oprimido. Educação Em Perspectiva, 9(3), 514-526. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v9i3.1104
Seção
Dossiê