Diversidade étnico-racial, formação e trabalho docente

(as)simetrias do tempo presente

Palavras-chave: Formação de professores, Trabalho docente, Educação das relações étnico-raciais, Ciências da Natureza e Matemática

Resumo

O artigo busca compreender as relações que docentes das áreas de Ciências da Natureza e Matemática estabelecem entre diversidade étnico-racial, formação e trabalho no contexto de escolas de Ensino Médio de Acarape e Redenção, no Maciço de Baturité/CE. Metodologicamente, a investigação de abordagem qualitativa, utilizou-se do estudo de caso e desenvolveu-se por meio de entrevistas com doze docentes. O conjunto de dados revelou possibilidades de diálogo entre a Educação das Relações Étnico-Raciais e as áreas de Ciências da Natureza e Matemática, o que pode contribuir para que os docentes desenvolvam uma educação emancipatória, com visão crítica da própria formação e do seu trabalho nas escolas. Os resultados sinalizaram, ainda, a necessidade de superar questões ligadas ao preconceito e às diversas formas de discriminação, mas também sugerem possibilidades. Urge, portanto, o favorecimento de uma pedagogia antirracista, a valorização do universo das culturas tradicionais e o combate às diversas práticas discriminatórias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elcimar Simão Martins, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Pós-Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo. Doutor e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Ceará. Professor Adjunto A da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB). 

Selma Garrido Pimenta, Universidade de São Paulo e Universidade Católica de Santos

Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora Titular Sênior da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo e Professora Assistente no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Católica de Santos. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 1A.

Referências

BEHRENS, Marilda Aparecida. O paradigma da complexidade na formação e no desenvolvimento profissional de professores universitários. Educação, Porto Alegre, v. 30, n. 3, p. 439-455, set./dez. 2007.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

BOURDIEU, Pierre. A escola conservadora: as desigualdades frente à escola e à cultura. In: NOGUEIRA, Maria Alice; CATANI, Afrânio Mendes (org.). Pierre Bourdieu: escritos de educação. 9 ed. Petrópolis: Vozes, 2007. p. 39-64.

BRASIL. Lei n° 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-brasileira”, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2003.

BRASIL. Lei nº 12.288, de 20 de julho de 2010. Institui o Estatuto da Igualdade Racial; altera as Leis nos 7.716, de 5 de janeiro de 1989, 9.029, de 13 de abril de 1995, 7.347, de 24 de julho de 1985, e 10.778, de 24 de novembro de 2003. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2010a.

BRASIL. Lei no 12.289, de 20 de julho de 2010. Dispõe sobre a criação da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 138, 21 jul. 2010b. Seção I, p. 4.

BRASIL. Orientações e ações para educação das relações étnico-raciais. Brasília, DF: SECAD, 2006.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 003, de 10 de março de 2004. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 mar. 2004a.

BRASIL. Plano nacional de implementação das diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnico-raciais e para o ensino de história e cultura afro-brasileira e africana. Brasília, DF: MEC, 2013.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 1, de 17 de junho de 2004. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 jun. 2004b.

CAPRINI, Aldieris Braz Amorim; DEORCE, Mariluza Sartori. Formação de professores e prática de ensino: diálogos a partir da perspectiva multicultural crítica. In: CAPRINI, Aldieris Braz Amorim; BECALLI, Fernanda Zanetti (org.). Educação para as relações étnico-raciais: experiências e reflexões. 1 ed. Vitória: EdIFES, 2018. p. 6-18.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Etnomatemática: elo entre as tradições e a modernidade. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

D’AMBROSIO, Ubiratan. Sociedade, cultura, matemática e seu ensino. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 99-120, jan./abr. 2005. https://doi.org/10.1590/S1517-97022005000100008

DAUANNY, Erika Barroso. O estágio no contexto dos processos formativos dos professores de Matemática para a Educação Básica: entre o proposto e o vivido. 2015. 375 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 30 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2004.

FRIGOTTO, Gaudêncio. O enfoque da dialética materialista histórica na pesquisa educacional. In: FAZENDA, Ivani. Metodologia da pesquisa educacional. 12 ed. São Paulo: Cortez, 2010. p. 69-90.

FUSARI, José Cerchi. Formação contínua de educadores na escola e em outras situações. In: BRUNO, Eliane Bambini Gorgueira; ALMEIDA, Laurinda Ramalho de; CHRISTOV, Luiza Helena da Silva (org.). O coordenador pedagógico e a formação docente. São Paulo: Loyola, 2002. p. 17-24.

FUSARI, José Cerchi; FRANCO, Alexandre de Paula. A formação contínua como um dos elementos organizadores do projeto político-pedagógico da escola. Formação contínua em serviço e projeto pedagógico: uma articulação necessária. Boletim 13, Brasília: Salto para o Futuro; TVESCOLA, ago. 2005. p. 18-23.

IMBERNÓN, Francisco. Formação permanente do professorado: novas tendências. São Paulo: Cortez, 2009.

LIMA, Maria Socorro Lucena. A formação contínua do professor nos caminhos e descaminhos do desenvolvimento profissional. 2001. 188 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

MARTINS, Elcimar Simão. Formação contínua e práticas de leitura: o olhar do professor dos anos finais do ensino fundamental. 2014. 190 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2014.

MARTINS, Elcimar Simão. Leitura e trabalho pedagógico: trajetórias e experiências de professores. Fortaleza: SEDUC, 2011.

NOGUEIRA, Rosalva Girão; DOMINGOS, Luís Tomás. A implementação da Lei 10.639/03 nas escolas estaduais da região do Maciço de Baturité: silenciamentos em torno da Educação das Relações Étnico-raciais. Revista Educare, João Pessoa, v. 2, n. 2, p. 141-163, jul./dez. 2018.

OLIVEIRA, Cristiane Coppe de. O Programa Etnomatemática no Contexto Etnicorracial. In: Simpósio Internacional de Pesquisa em Educação Matemática, 3., 2012, Fortaleza. Anais... Fortaleza, 26 a 29 jun. 2012.

PIMENTA, Selma Garrido. Centralidade da Didática e do Estágio nas Licenciaturas em Tempos Neoliberais. In: Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino: Para onde vai a didática?, 19., 2018, Salvador. Anais... Salvador, 03 a 06 set. 2018.

PIMENTA, Selma Garrido. Professor reflexivo: construindo uma crítica. In: PIMENTA, Selma Garrido; GHEDIN, Evandro (org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 7 ed. São Paulo: Cortez, 2012. p. 17-52.

SANTOMÉ, Jurjo Torres. Multiculturalismo Anti-racista. Porto: Profedições, 2008.

SANTOS, Renato Emerson Nascimento dos. Redefinindo os termos do debate sobre a democratização da universidade: as experiências do Programa Políticas da Cor. In: GOMES, Nilma Lino; MARTINS, Aracy Alves (org.). Afirmando direitos: acesso e permanência de jovens negros na universidade. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica 2006. p. 17-31.

SILVÉRIO, Valter Roberto. Ação Afirmativa e o combate ao racismo institucional no Brasil. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 117, p. 219-246, nov. 2002. https://doi.org/10.1590/S0100-15742002000300012

UNILAB. Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira. Projeto Político Pedagógico do Curso de Física – licenciatura. Redenção: CE, 2015.

VERRANGIA, Douglas. Criações docentes e o papel do ensino de ciências no combate ao racismo e a discriminações. Educação em Foco, Juiz de Fora, v. 21, n. 1, p. 79-103, mar./jun. 2016. https://doi.org/10.22195/2447-524620162119657

VERRANGIA, Douglas. Educação científica e diversidade étnico-racial: o ensino e a pesquisa em foco. Interacções, Santarém, Portugal, v. 10, n. 31, p. 2-27, 2014. https://doi.org/10.25755/int.6368

YIN, Robert K. Estudo de caso: Planejamento e Métodos. 3 ed. Tradução de Daniel Grassi. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Publicado
2020-07-27
Como Citar
Martins, E. S., & Pimenta, S. G. (2020). Diversidade étnico-racial, formação e trabalho docente: (as)simetrias do tempo presente . Educação Em Perspectiva, 11, e020014. https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v11i.9036