A ordem dos fatores não altera o resultado?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22294/eduperppgeufv.v12i01.9779

Palavras-chave:

Alfabetização matemática, Números e operações, PNAIC

Resumo

O artigo apresenta uma investigação que utilizou jogos matemáticos propostos pelo Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). O objetivo foi analisar episódios relacionados ao campo multiplicativo, referentes ao jogo “A bota de muitas léguas”. Apresentam-se reflexões da pesquisadora, alusivas às experiências proporcionadas pelo uso do jogo. Utilizaram-se diário de campo, fotografias, áudio e videogravações. Como resultado, as análises sobre a abordagem do campo multiplicativo indicam a potencialidade do uso de práticas pedagógicas amparadas em jogos para ampliar a compreensão do referido conteúdo pelas crianças, a partir da mediação da professora, o que contribuiu para a resolução da situação-problema apresentada. Ainda, verificou-se a importância da identificação do multiplicador e do multiplicando, apesar de a comutatividade, presente na multiplicação, não alterar o resultado da operação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ester Mendonça Ramos, Secretaria Municipal de Educação de Campinas

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.  Mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Atualmente é professora da educação básica da Prefeitura Municipal de Campinas

Maria Auxiliadora Bueno Andrade Megid , Pontifícia Universidade Católica de Campinas

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professora titular da Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação e membro do corpo docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE PUC-Campinas). Coordena o Grupo Colaborativo de Estudos Professores Matematizando nos Anos Iniciais (GEProMAI).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: alfabetização matemática. Caderno de Jogos na Alfabetização Matemática. Brasília: MEC; SEB, 2014a.

BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: alfabetização matemática. Caderno 3. Construção do Sistema de Numeração Decimal. Brasília: MEC; SEB, 2014b.

BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: alfabetização matemática. Caderno de jogos na alfabetização matemática. Brasília: MEC; SEB, 2014c.

CEBOLA, Graça. Do número ao sentido do número. In: PONTE, J. P. et al. (org.). Actividades de investigação na aprendizagem da matemática e na formação de professores. Lisboa: SPCE-SEM, 2002. p. 223-239.

GRANDO, Regina Célia. O conhecimento matemático e o uso de jogo na sala de aula. 2000. 224 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2000.

GRANDO, Regina Célia. O jogo e a matemática no contexto da sala de aula. 1. ed. São Paulo: Paulus, 2004.

GRANDO, Regina Célia. O jogo [e] suas possibilidades metodológicas no processo ensino-aprendizagem da matemática. 1995. 175 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 1995.

LIMA, Claudia Neves do Monte Freitas de; NACARATO, Adair Mendes. A investigação da própria prática: mobilização e apropriação de saberes profissionais em Matemática. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 25, n. 2, p. 241-266, ago. 2009. https://doi.org/10.1590/S0102-46982009000200011.

MEGID, Maria Auxiliadora Bueno Andrade. As operações com números naturais. In: KLEINK, Mauricio Urban; MEGID NETO, Jorge (org.). Fundamentos da matemática, ciências e informática para anos iniciais do ensino fundamental. 1. ed. Campinas: FE/UNICAMP, 2010. p. 115-124.

MEGID, Maria Auxiliadora Bueno Andrade. Insubordinação criativa, consentida e esperada na formação de professores dos anos iniciais. In: D'AMBROSIO, Beatriz Silva; LOPES, Celi Espasandin (org.). Ousadia criativa nas práticas de educadores matemáticos. 1. ed. Campinas: Mercado de Letras, 2015. p. 21-41.

MUNIZ, Cristiano Alberto. Brincar e jogar: enlaces teóricos e metodológicos no campo da educação matemática. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

NACARATO, Adair Mendes; MENGALI, Brenda Leme da Silva; PASSOS, Cármen Lúcia Brancaglion. A matemática nos anos iniciais do ensino fundamental: tecendo fios de ensinar e do aprender. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

NUNES, Terezinha et al. Educação Matemática: números e operações numéricas. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

PASSOS, Cármen Lúcia Brancaglion; NACARATO, Adair Mendes. Trajetória e perspectivas para o ensino de Matemática nos anos iniciais. Estudos Avançados, Ribeirão Preto, v. 32, n. 94, p. 119-135, 2018. https://doi.org/10.1590/s0103-40142018.3294.0010.

PONTE, João Pedro. Investigar a nossa própria prática. In: PONTE, João Pedro (org.). Reflectir e investigar sobre a prática profissional. Lisboa: APM, 2002. p. 5-28.

SMOLE, Kátia Stocco; DINIZ, Maria Ignez; CÂNDIDO, Patrícia. Jogos de Matemática de 1º ao 5º ano. Porto Alegre: Artmed, 2007.

TEIXEIRA, Paulo Marcelo Marini; MEGID NETO, Jorge. Uma proposta de tipologia para pesquisas de natureza interventiva. Ciências e Educação, Bauru, v. 23, n. 4, p. 1055-1076, 2017. https://doi.org/10.1590/1516-731320170040013.

TOLEDO, Marília; TOLEDO, Mauro. Teoria e prática de Matemática: como dois e dois. São Paulo: FTD, 2009.

VAN DE WALLE, John A. Matemática no ensino fundamental: formação de professores e aplicação em sala de aula. Tradução de Paulo Henrique Colonese. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

Publicado

2021-01-15

Como Citar

RAMOS, E. M. .; MEGID , M. A. B. A. . A ordem dos fatores não altera o resultado?. Educação em Perspectiva, Viçosa, MG, v. 12, p. e021003, 2021. DOI: 10.22294/eduperppgeufv.v12i01.9779. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/9779. Acesso em: 26 maio. 2022.

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.