Sobre a Revista

Foco e Escopo

A Revista ELO – Diálogos em Extensão é uma publicação mantida pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal de Viçosa. 

Não há pagamento de taxas

Não há cobrança de taxas tanto para a submissão quanto para a avaliação de textos a serem publicados na Revista Elo - Diálogos em Extensão.

A publicação segue as principais diretrizes da extensão universitária da UFV:

 

1. Indissociação ensino, pesquisa e extensão: a indissociação é um princípio fundamental, que caracteriza a autêntica extensão universitária. O fazer acadêmico intitula-se como tal quando vê ensino, pesquisa e extensão como atividades que no interior da universidade são capazes de produzir e difundir o conhecimento. Pesquisa e extensão se relacionam quando a produção do conhecimento é capaz de contribuir para a transformação da sociedade; ensino e extensão, quando se compreende que o aprendizado se constrói na experiência, tendo alunos como sujeitos do ato de aprender; e a extensão, porque se propõe interagir com a sociedade, sendo elemento vital para operacionalizar a relação teoria e prática.

 

Nesse sentido, buscar metodologias de pesquisa e de ensino que privilegiem a inserção na realidade e a transformação desta é tarefa para garantir a indissociação ensino, pesquisa e extensão. Metodologias de pesquisa-ação e pesquisa participante, desenvolvimento de tecnologias sociais e experiências de flexibilização curricular são exemplos de interação entre as três atividades. Nessas perspectivas, ampliam-se o conceito de sala de aula e a visão de ciência.

 

2. Impacto social: as ações de extensão devem buscar uma relação social de impacto, ou seja, uma relação entre a universidade e os outros setores da sociedade, buscando a transformação. Relação de impacto significa produzir melhoria na qualidade de vida em todos os seus aspectos. Para isso, é necessário que a extensão universitária esteja atenta a interesses e necessidades da maioria da população, buscando superar desigualdades, garantir diversidade, evitar exclusões, implementar o desenvolvimento regional e desenvolver políticas públicas.

 

3. Interação social: a extensão universitária deve primar pelo diálogo e pela interação com a comunidade, privilegiando modos de fazer em conjunto e metodologias que busquem a participação de todos os agentes envolvidos. Escutar, compreender, discutir, buscar inovações, criar novos conhecimentos são possibilidades e oportunidades para todos os que participam do processo, sem visões hierárquicas de conhecimentos, mas compreendendo-os como diferentes e/ou distintos. O saber científico e o saber popular compartilhados retornam à universidade produzindo novos questionamentos. A extensão possibilita produção de conhecimento resultado do confronto com a realidade e a participação comunitária, ocorrendo a troca entre os saberes sistematizado e acadêmico e o saber popular.

 

4. Interdisciplinaridade: a extensão é um dos espaços que melhor pode propiciar a realização de atividades acadêmicas de caráter multi, inter e transdisciplinar, isso porque a realidade na qual alunos, professores e técnicos intervirão não se separa em áreas de conhecimento; ela é complexa e multifacetada, exigindo ação de integração de áreas distintas do conhecimento. Essa postura contribui para a nova forma de tratar, produzir e socializar o conhecimento de forma integrada.



Processo de Avaliação pelos Pares

Os trabalhos serão avaliados por, no mínimo, dois pareceristas independentes, permanentes ou indicados pelo Conselho Editorial da Revista ELO: Diálogos em Extensão ligados as diferentes áreas de atuação da extensão universitária.

O Formulário utilizado no processo de avaliação está disponível em: FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO.

Periodicidade: Quadrimestral.

Periodicidade

Semestral

Política de Acesso Livre

A revista ELO oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. Não é cobrado pela submissão de trabalhos e não há custos para os autores.

Política antiplágio

Os artigos submetidos estão sujeitos à política de verificação de plagio da Revista Elo - Diálogos em Extensão. A verificação de plágio e autoplagio é realizada por meio de  avaliação dos Revisores e Editores especializados na área de conhecimento e revisão final de todos os artigos aprovados pela Comissão Editorial.

Os trabalhos científicos enviados à Revista Elo - Diálogos em Extensão devem ser inéditos em veículos de divulgação científica no que se refere ao texto, às tabelas e às figuras, exceto para os casos em que parte do trabalho tenha sido publicada como Resumo em Anais ou no Livro de Resumos de eventos acadêmicos.

A utilização total ou parcial de textos, dados, tabelas ou figuras previamente publicados pelo próprio autor do trabalho ou por terceiros é permitida quando devidamente citada segundo as normas vigentes na Revista Elo.

 



Indexadores

 

A Revista ELO - Diálogos em Extensão está indexada em:




     

Histórico do periódico

A Universidade Federal de Viçosa lançou em novembro de 2010 a Revista ELO – Diálogos em Extensão. Voltada principalmente para a divulgação de artigos científicos relativos à extensão universitária, a Revista também ressalta a importância das experiências extensionistas.