Formação de multiplicadores para reciclagem de resíduos orgânicos por meio da compostagem em tempos de pandemia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21284/elo.v9i.11875

Palavras-chave:

Resíduos orgânicos, Reciclagem, Compostagem

Resumo

Em 2016 o Brasil gerou cerca de 78,3 milhões de toneladas de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), sendo que a metade de todo este resíduo é orgânico. Na degradação da fração orgânica dos RSU aterrados ocorre a produção de gases do efeito estufa e lixiviados que oferecem riscos ao solo, ar, águas e à saúde pública. O tratamento mais simples para este tipo de resíduo é a compostagem. Por isso, este projeto de extensão teve como objetivo formar multiplicadores da comunidade externa para reciclagem de resíduos orgânicos por meio da compostagem. A capacitação ofertada à comunidade externa 100% online gerou quinze vídeos sobre o assunto, na forma de Lives, que estão disponíveis canal do YouTube do IFSC - Campus Garopaba, onde além das palestras, houve troca saberes com a comunidade externa. inicialmente foram recebidas 1291 inscrições de diversas regiões do Brasil e ao final foram emitidos 417 certificados de participação para aqueles que conseguiram cumprir 75% de frequência no curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABNT. NBR 13591: Compostagem. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). 1996.

ABRELPE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2013. São Paulo: [s.n.], 2013. Disponível em: <https://abrelpe.org.br/panorama/> Acesso em: 08 Fev. 2021.

ABRELPE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2015. São Paulo: [s.n.], 2015. Disponível em: <https://abrelpe.org.br/panorama/>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

ABRELPE. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2017. São Paulo: [s.n.], 2017. Disponível em: <https://abrelpe.org.br/panorama/>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

ABUSHAMMALA, Mohammed F.M. et al. Methane and carbon dioxide emissions from Sungai Sedu open dumping during wet season in Malaysia. Ecological Engineering, v. 49, p. 254–263, dez. 2012. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S092585741200273X>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

ANDRADINA. Compostagem: Composteira Doméstica. 2018. Disponível em <https://www.andradina.sp.gov.br/portal/noticias/0/3/7821/compostagem-composteira-domestica/>. Acesso em: 15 Fev. 2021.

BRASIL. PLANO NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Brasília: [s.n.], 2011. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/253/_publicacao/253_publicacao02022012041757.pdf>. Acesso em: 25 Mar. 2019.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Compostagem doméstica, comunitária e institucional de resíduos orgânicos: manual de orientação / Ministério do Meio Ambiente, Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo, Serviço Social do Comércio. -- Brasília, DF: MMA, 2017. 168 p., il.; gráficos. ISBN: 978-85-7738-313-9.

COELHO, Vinicius Teixeira. DESENVOLVIMENTO DE UM PROTÓTIPO DE UMA COMPOSTEIRA ELETRÔNICA PARA USO RESIDENCIAL. Florianópolis: [s.n.], 2013. Disponível em: <http://www.professorpetry.com.br/Ensino/Defesas_Pos_Graduacao/Defesa%2041_Vinicius%20Teixeira%20Coelho_Desenvolvimento%20de%20um%20Proto%CC%81tipo%20de%20uma%20Composteira%20Eletro%CC%82nica%20para%20Uso%20Residencial.pdf>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

HOORNWEG, Daniel; BHADA-TATA, Perinaz. What a Waste?: A Global Review of Solid Waste Management. 1 mar. 2012. Disponível em: <https://openknowledge.worldbank.org/handle/10986/17388>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

IPCC. Fifth Assessment Report - Climate Change 2013. Disponível em: <https://www.ipcc.ch/report/ar5/wg1/>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

MALINOWSKY, Carina. Tratamento dos resíduos sólidos orgânicos da UFSC através de biodigestor anaeróbio. 2016. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/167638>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

NUCASE. NÚCLEO SUDESTE DE CAPACITAÇÃO E EXTENSÃO TECNOLÓGICA EM SANEAMENTO AMBIENTAL. Resíduos Sólidos: Projeto, Operação e Monitoramento de Aterros Sanitários.: Guia do profissional em treinamento: Nível 2. ReCESA, p. 112, 2008.

ONU. Objetivos do Desenvolvimento Sustentável. Disponível em: <https://brasil.un.org/pt-br/sdgs>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

PROSAB. MANUAL PRÁTICO PARA A COMPOSTAGEM DE BIOSSÓLIDOS. Londrina: [s.n.], [s.d.]. Disponível em: <https://www.finep.gov.br/images/apoio-e-financiamento/historico-de-programas/prosab/Livro_Compostagem.pdf>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

SANTOS, Ricardo Henrique Silva, et al. Compostagem: preparo, utilização e comercialização. SENAR, Brasília, 2011, 68 p. 3.ed.

SENAR. Programa Olericultura Orgânica. São Paulo: [s.n.], 2009. Disponível em: <http://www.agrarias.ufpr.br/portal/marzagao/wp-content/uploads/sites/25/2015/12/ApostilaSENAR-M2-Olericultura-Compostagem.pdf>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

SNIS. Diagnóstico do manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2011. 2011. Disponível em: <http://www.snis.gov.br/diagnosticos/residuos-solidos>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

SNIS. Diagnóstico do manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2012. 2012. Disponível em: <http://www.snis.gov.br/diagnosticos/residuos-solidos>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

SNIS. Diagnóstico do manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2013. 2013. Disponível em: <http://www.snis.gov.br/diagnosticos/residuos-solidos>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

SNIS. Diagnóstico do manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2014. 2014. Disponível em: <http://www.snis.gov.br/diagnosticos/residuos-solidos>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

SNIS. Diagnóstico do manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2015. 2015. Disponível em: <http://www.snis.gov.br/diagnosticos/residuos-solidos>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

SNIS. Diagnóstico do manejo de Resíduos Sólidos Urbanos – 2016. 2016. Disponível em: <http://www.snis.gov.br/diagnosticos/residuos-solidos>. Acesso em: 08 Fev. 2021.

Downloads

Publicado

2021-04-26

Como Citar

GOMES, J. da C. . (2021). Formação de multiplicadores para reciclagem de resíduos orgânicos por meio da compostagem em tempos de pandemia. Revista ELO – Diálogos Em Extensão, 10. https://doi.org/10.21284/elo.v9i.11875

Edição

Seção

Artigos