AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE LEITE CRU REFRIGERADO OBTIDO DE PROPRIEDADES RURAIS DA ZONA DA MATA MINEIRA

  • Priscila Lima Sequetto Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
  • Amanda Santos Antunes Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
  • Athos Sampaio Nunes Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
  • Lorena Kimberly Silva Alcantara Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
  • Mariana Almeida Rosa Rezende Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
  • Miriam Aparecida Oliveira Pinto Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora
  • Humberto Moreira Húngaro Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora
  • Gleide Gatti Fontes Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora
Palavras-chave: leite, tanques de expansão, análise microbiológica, alimentos de origem animal

Resumo

A cultura regional da atividade leiteira de Minas Gerais, principalmente na forma de obtenção, coleta, armazenamento e transporte do leite cru pode interferir  negativamente na qualidade desta matériaprima
e, consequentemente, nos seus derivados lácteos. Este estudo analisou a qualidade microbiológica influenciada pelos tipos de ordenha e de armazenamento do leite cru. Foram investigados 10 tanques de expansão em propriedades rurais da Zona da Mata Mineira, cujas amostras foram coletadas em abril de 2015 e encaminhadas ao Laboratório de Análise de Alimentos e Águas da Universidade Federal de Juiz de Fora, em Juiz de Fora, MG. As amostras foram avaliadas quanto à presença de coliformes totais, Escherichia coli, contagem de bactérias aeróbias mesófilas e psicrotróficas. Os resultados das contagens de bactérias aeróbias mesófilas foram avaliados conforme o padrão
preconizado pela Instrução Normativa 62/2011 do MAPA. Das amostras analisadas, 80% apresentaram coliformes totais, 60% continham E. coli, 40% estavam em desacordo com o padrão legal de bactérias aeróbias mesófilas, e 10% excederam a 106 UFC/mL de bactérias psicrotróficas. As médias das contagens de bactérias aeróbias mesófilas e psicrotróficas em amostras coletadas em tanques comunitários (6,41 log e 6,30 UFC/mL) e em ordenha manual (5,87 e 5,50 log UFC/mL) foram superiores àquelas obtidas em tanques individuais (4,35 e
3,91 log UFC/mL) e ordenha mecânica (4,37 e 4,05 log UFC/mL), respectivamente. Esses resultados indicam falhas em condições higiênico-sanitárias na obtenção e armazenamento do leite cru na maioria dos tanques analisados. É evidente a necessidade de orientações técnicas aos produtores rurais desta região para promover
melhorias em todos os aspectos na produção leiteira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Priscila Lima Sequetto, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
Laboratório de Bromatologia e Microbiologia de Alimentos, Departamento de Farmácia, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares. Rua Israel Pinheiro, 2000, Bairro Universitário, Governador Valadares, MG, Brasil. CEP: 35020-220.
Amanda Santos Antunes, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
Laboratório de Bromatologia e Microbiologia de Alimentos, Departamento de Farmácia, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares. Rua Israel Pinheiro, 2000, Bairro Universitário, Governador Valadares, MG, Brasil. CEP: 35020-220.
Athos Sampaio Nunes, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
Laboratório de Bromatologia e Microbiologia de Alimentos, Departamento de Farmácia, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares. Rua Israel Pinheiro, 2000, Bairro Universitário, Governador Valadares, MG, Brasil. CEP: 35020-220.
Lorena Kimberly Silva Alcantara, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
Laboratório de Bromatologia e Microbiologia de Alimentos, Departamento de Farmácia, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares. Rua Israel Pinheiro, 2000, Bairro Universitário, Governador Valadares, MG, Brasil. CEP: 35020-220.
Mariana Almeida Rosa Rezende, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Avançado Governador Valadares
Laboratório de Bromatologia e Microbiologia de Alimentos, Departamento de Farmácia, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Governador Valadares. Rua Israel Pinheiro, 2000, Bairro Universitário, Governador Valadares, MG, Brasil. CEP: 35020-220.
Miriam Aparecida Oliveira Pinto, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora

Laboratório de Análises de Alimentos e Águas, Departamento de Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora. Rua José Lourenço Kelmer, s/n. Campus Universitário – São Pedro, Juiz de Fora, MG, Brasil. CEP: 36036-330.

 

Humberto Moreira Húngaro, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora
Laboratório de Análises de Alimentos e Águas, Departamento de Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora. Rua José Lourenço Kelmer, s/n. Campus Universitário – São Pedro, Juiz de Fora, MG, Brasil. CEP: 36036-330.
Gleide Gatti Fontes, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora
Laboratório de Análises de Alimentos e Águas, Departamento de Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Juiz de Fora - Campus Juiz de Fora. Rua José Lourenço Kelmer, s/n. Campus Universitário – São Pedro, Juiz de Fora, MG, Brasil. CEP: 36036-330.

Referências

BAHOUT, A. A. Prevalence of Bacillus species in UHT milk. Assoc. Vet. Med. J 2000.V.42, p.47-53.
BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Instrução Normativa n° 51, de 18 de setembro de 2002. Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 20 set.2002. Seção 1, p. 13-22.
BRASIL. Ministério de Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). Instrução Normativa n o62, de 29 de dezembro de 2011. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 30 de dez de 2011. Seção 1.
BRITO, M.A.V.P.; PORTUGAL, J.A.B.; DINIZ, F.H.; FONSECA, P.C.; ANGELO, F.F.; PORTO, M.A.C. Qualidade do leite armazenado em tanques de refrigeração comunitários. In: Martins C.E., Fonseca P.C., Bernardo W.F., Cóser A.C., Franco P.R.V., Portugal J.A.B., Carvalho F.S. (Eds.). Alternativas tecnológicas, processuais e de políticas públicas para produção de leite em bases sustentáveis. Juiz de Fora: Embrapa Gado de Leite, 2003. p. 21-43.
CERQUEIRA, M. M. O. P.; PAIVA, C. A. V.; LEITE, M. O.; FONSECA, L. M.; SOUZA, R. M.; PENNA, C. F. A. M. Impacto da qualidade da matéria-prima na indústria de laticínios. [200-]. Acesso em: 24 ago. 2015. Disponível em: http://multimedia.3m.com/mws/media/685911O/impacto-qualidade-materia-prima.pdf
FONSECA, L. F. L.; SANTOS, M. V. Qualidade do leite e controle de mastite. São Paulo: Lemos Editorial, 2000.
FOSCHINO, R.; GALLI A.; OTTOGALLI, G. Research on the microflora of UHT milk. Ann. Microbiol 1990.V.40, p.47-59.
FOX, P. F. (ed.). Developments in Dairy Chemistry – 4. Functional Milk Proteins. Elsevier Applied Science, Elsevier Science Publisher Ltd. London and New York, 1989.
GARBOGGINI, I. L. A; GALLO, C. R. Pesquisa de Salmonella, Campylobacter, Coliformes totais e Escherichia coli em Águas de Nascentes (Bicas) em Piracicaba – SP. In: XVI Cong. Bras. Cien. Tec. Alim., Rio de Janeiro-RJ 1998. Anais 2: 982-985.
GUERREIRO, P. K.; MACHADO, M. R. F.; BRAGA, G. C.; GASPARINO, E.; FRANZENER, A. S. M. Qualidade microbiológica de leite em função de técnicas profiláticas no manejo de produção. Ciências Agrotécnicas, Lavras, v. 29, n. 1, p. 216-222, jan./fev. 2005.
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). INDICADORES IBGE 4º TRIMESTRE DE 2015a. Estatística da Produção Pecuária Março de 2016. [acesso 2016 jun 02]. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/producaoagropecuaria/abate-leite-couro-ovos_201504_publ_completa.pdf
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). INDICADORES IBGE. Estatística da Produção Pecuária. p 22-29. Aquisição de Leite. 2015b . [acesso 2015 ago 17]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/producaoagropecuaria/abate-leite-couro-ovos_201401comentarios.pdf
MANFRIN SCABIN, K.E.; KOZUSNY-ANDREANI, D.I.; RODRIGUES FRIAS, D.F. Qualidade microbiológica do leite in natura durante o processo de obtenção e após o resfriamento. Ces. Med. Vet. Zootec Jan 2012. Medellín, v. 7, n. 1.
MARTINS, E. S.; LIMA, C. M. F. Qualidade microbiológica de leite cru refrigerado obtido de propriedades rurais do município de Frutal - MG: comparação das ordenhas mecânica e manual. Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial 2013. Vol 07, n. 01: p. 955-964.
MENEZES, I.R.; ALMEIDA, A.C.; MORÃO, R.P.; REISS,V.; SANTOS, C.A.; LOPES, I.L.N. Microbiological quality of raw milk produced in northern of Minas Gerais. R. Bras. Ci. Vet. jan./mar, 2015.V. 22, n. 1, p. 58-63, jan./mar., 2015.
PINHEIRO, A. J. R.; MOSQUIM, M. C. A. V. Processamento de Leite de Consumo. Viçosa, MG: UFV, Imp. Univ., 1991. 430 p.
PINTO, C.L.O.; MARTINS, M.L.; VANETTI, M.C.D. Qualidade microbiológica de leite cru refrigerado e isolamento de bactérias psicrotróficas proteolíticas. Ciênc. Tecnol. Aliment 2006. vol.26, n.3, pp. 645-651.
SILVA, N.; JUNQUEIRA, V.C.A.; SILVEIRA, N.F.A.; TANIWAKI, M.H.; SANTOS R.F.S.; GOMES, R.A.R. Manual de métodos de análise microbiológica de alimentos e água. 4. ed. São Paulo: Varela, 2010.
SOUTO, L. I. M.; SAKATA, S. T.; MINAGAWA, C. Y.; TELLES, E. O.; GARBUGLIO, M. A.; BENITE N, R. Qualidade higiênico-sanitária do leite cru produzido em propriedades do estado de São Paulo, Brasil. Vet. E Zootec. set., 2009,p. 491-499, v. 16, n. 3.
TAVOLARO, P.; OLIVEIRA, C.A.F.; LEFÈVRE, F. Avaliação do conhecimento em práticas de higiene: uma abordagem qualitativa. Rev. Interface: Botucatu jan/jun, 2006. Vol.10. n. 19.
TEBALDI V, M. R.; OLIVEIRA, T. L. C.; BOARI, C. A.; PICCOLI, R. H. Isolamento de coliformes, estafilococos e enterococos de leite cru provenientes de tanques de refrigeração por expansão comunitários: identificação, ação lipolítica e proteolítica. Ciênc. Tecnol. Aliment. jul.-set. 2008 Campinas, 28(3): 753-760.
VAN KESSEL, J. S.; NEDOLUHA, P. C.; WILLIAMS-CAMPBELL, A.; BALDWIN, R. L.; MCLEOD, K. R. Effects of ruminal and postruminal infusion of starch hydrolysate or glucose on the microbial ecology of the gastrointestinal tract in growing steers. Journal of Animal Science, v. 80, n. 11, p. 3027-3034, 2002.
VIDAL-MARTINS, A. M. C.; ROSSI, J.R.O.D.; REZENDE-LAGO, N.C. Microrganismos heterotróficos mesófilos e bactérias do grupo do Bacillus cereus em leite integral submetido a ultra-alta temperatura. Arq. Bras. Med. Vet. Zootec. June, 2005. Belo Horizonte, v. 57, n. 3, p. 396-400.
Publicado
2017-05-17
Como Citar
Sequetto, P. L., Antunes, A. S., Nunes, A. S., Alcantara, L. K. S., Rezende, M. A. R., Pinto, M. A. O., Húngaro, H. M., & Fontes, G. G. (2017). AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE LEITE CRU REFRIGERADO OBTIDO DE PROPRIEDADES RURAIS DA ZONA DA MATA MINEIRA. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 7(1). https://doi.org/10.21206/rbas.v7i1.388
Seção
Artigos