AVALIAÇÃO DOS PARAMETROS FÍSICO-QUÍMICOS DO LEITE “IN NATURA” COMERCIALIZADO INFORMALMENTE NO MUNICÍPIO DE IMPERATRIZ-MA

  • Jhessy Vieira Souza Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL)
  • Bruna Lorena Farias Paiva Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL)
  • Antônio Filho Coelho Santos Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Maria Alves Fontenele Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
  • Karuane Sartunino da Silva Araújo Universidade Estadual da Região Tocantina do Estado do Maranhão (UEMASUL)
  • Diego Carvalho Viana Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)
Palavras-chave: qualidade, legislação, leite, parâmetros físico-químicos

Resumo

O leite do ponto de vista nutricional é um alimento completo. Destacando assim a importância de uma produção e comercialização leiteira de boa qualidade, pois alteração na composição do leite quer seja por fraudes, quer seja por manejo produtivo inadequado, podem influenciar nos aspectos físico-químicos deste produto.Desta forma o objetivo deste trabalho foi de avaliar a qualidade físico-química do leite “in natura” comercializado informalmente no município de Imperatriz-MA. As amostras do leite foram coletadas de forma aleatória, onde as quais foram acondicionadas e transportadas sob condições de refrigeração em caixa isotérmica ao laboratório onde foram analisadas o teor de gordura, proteínas, extrato seco desengordurado, acidez titulável, pH, teste do alizarol, densidade relativa e o índice crioscópico de acordo com metodologia descrita na literatura. Os resultados obtidos nas análises demostraram que todos os paramentros físico-quimicos analisados estão fora do padrão estabelecido pela legislação. Para o melhoramento da qualidade do leite produzido e retirar os produtores da informalidade seria necessário à implantação de projetos que objetivasse a capacitação técnica e continuada dos profissionais que atuam no segmento da bovinocultura de leite, favorecendo o esclarecimento e disseminação das técnicas prescritas pela legislação vigente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARBOSA, H.P. et al. Caracterização físico-química de amostras de leite in natura comercializados no estado da Paraíba. Revista Ciências Saúde Nova Esperança, n. 12, p. 2, 2014.

BELOTI, V. et al. Qualidade microbiologica e físico-química do leite cru refrigerado produzido no municipio de Sapopema-PR. Cient. Eletr. Med. Vet., v.16, p.2. 2011.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 62 de29 de dezembro de 2011. Aprova o Regulamento Técnico de Produção, Identidade e Qualidade do Leite tipo A, o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leite Cru Refrigerado, o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leite Pasteurizado e o Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel. Diário Oficial da União. Brasília, 30 dez. Seção 1, p. 6, 2011.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Instrução Normativa nº 51, de 18 de setembro de 2002. Aprova os Regulamentos Técnicos de Produção, Identidade e Qualidade do Leite tipo A, do Leite tipo B, do Leite tipo C, do Leite Pasteurizado e do Leite Cru Refrigerado e o Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel, em conformidade com os Anexos a esta Instrução Normativa. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 20 set. Seção1, p. 13, 2002.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária. Laboratório Nacional de Referência Animal. Métodos analíticos o ciais para controle de produtos de origem animal e seus ingredientes: métodos físicos e químicos. Brasília, DF, v. II, cap. 14, p.1, 2, 4 e 5, 1981.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal. Aprovado pelo Decreto n. 30.691 de 29 de março de 1952, alterado pelos Decretos n. 1.225 de 25 de junho de 1962, Decreto n.1236 de 02 de setembro de 1994, Decreto n.1812 de 08 de fevereiro de 1996, Decreto n.2244 de 04 de junho de 1997. Brasília, 1997.

COSTA, F. N., ARAÚJO FERREIRA, J. C., COELHO ALVES, L. M. Características microbiológicas do leite pasteurizado tipo “C” produzido e comercializado na cidade de Imperatriz/MA. Ars Veterinaria, Jaboticabal, SP, Vol. 18, nº 2, 137-141, 2002.

FILHO, W. L. G. S. et.al. Características físico-químicas do leite cru comercializado de maneira informal em Redenção, Pará. Tecnol. & Ciênc. Agropec. João Pessoa, v. 10, n.5, p.29-34, julho 2016.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística -Abate de animais, produção de leite, couro e ovos. Disponível em: http://ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/producaoagropecuaria/d efault.shtm. Acesso em julhode 2018.

MARTINS, E.O. et al. Análise físico-química para a avaliação da qualidade do leite de propriedades localizadas na Região Norte do Estado de Sergipe. Scientia Plena, v. 11, v. 11, n. 04, 2015.

MAZAL, G.; VIANNA, P. C. B.; SANTOS,M.V.;GIGANTE,M.L.;Effectofsomatic cell counton prato cheese composition. Journal Dairy Science. v. 90, n. 2, p.630-636, 2007.

MENDES, C. G.et.al. Análises físico-químicas e pesquisa de fraude no leite informal comercializado no município de mossoró, RN. Ciências. Anim. Bras., Goiânia, v. 11, n. 2, p. 349- 356, 2010.

MILANI, M.P. Qualidade do leite em diferentes sistemas de produção, anos e estações climáticas no Noroeste do Rio Grande do Sul. Dissertação (Mestrado em Zootecnia). Santa Maria. Santa Maria, RS: UFSM, 2011.67p.

PEREDA, J.A.O. Tecnologia de alimentos: componentes dos alimentos e processos. São Paulo: Artmed, 2005. P33-49.

RIBEIRO, C. L. et al. Caracterização físico-química e microbiológica do leite cru comercializado no Município de Açailândia-MA. In: VII CONNEPI, 2012, Anais...Palmas Tocantins, 2012. (Ciência, tecnologia e inovação).

SILVEIRA, M. L. R.; BERTAGNOLLI, S. M. M. Avaliação da qualidade do leite cru comercializado informalmente em feiras livres no município de Santa Maria-RS. Vig. Sanit Debate, v. 2, n. 2, p. 75-80, 2014.

SOUZA, P. P. M.et al. Ocorrência do leite instável não ácido em vacas leiteiras no município de viçosa- Alagoas. Veterinária Noticias, v.17, n. 2, p. 144-147, 2011.
Publicado
2018-12-31
Como Citar
Souza, J. V., Paiva, B. L. F., Santos, A. F. C., Fontenele, M. A., da Silva Araújo, K. S., & Viana, D. C. (2018). AVALIAÇÃO DOS PARAMETROS FÍSICO-QUÍMICOS DO LEITE “IN NATURA” COMERCIALIZADO INFORMALMENTE NO MUNICÍPIO DE IMPERATRIZ-MA. Revista Brasileira De Agropecuária Sustentável, 8(4). https://doi.org/10.21206/rbas.v8i4.3064
Seção
Artigos