INDEPENDÊNCIA ENERGÉTICA DE GRANJA SUINÍCOLA A PARTIR DO USO DE BIOGÁS

Autores

  • Adriano Henrique Ferrarez
  • Delly Oliveira Filho
  • Carlos Alberto Teixeira

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v18i3.225

Palavras-chave:

MDL, resíduos da suinocultura, soluções energéticas

Resumo

Um grande problema da suinocultura nacional é o tratamento dos dejetos. A utilização de biodigestor pode proporcionar o aproveitamento da energia contida no biogás para geração de energia elétrica e térmica, possibilitando ainda, o tratamento destes dejetos, resolvendo o problema de odor e de carga bactericida da água residuária. No presente artigo apresenta-se o estudo do potencial de produção de biogás de granjas de suínos, visando sua independência energética. Isso pode ser obtido por meio da substituição de energia convencional (GLP e energia elétrica de concessionária local) na produção de água quente para cocção e banho, para aquecimento e climatização de leitões e matrizes e para geração de eletricidade. Foi feita estimativa da receita com a venda dos certificados de emissões reduzidas (tCO2eq.). O estudo de caso foi feito com dados de uma granja com, aproximadamente, 570 matrizes. As análises de cenários mostraram que é possível suprir as demandas de energia da propriedade havendo excedente de energia elétrica que pode ser negociado com as concessionárias de energia ou na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2010-06-23

Como Citar

Ferrarez, A. H., Oliveira Filho, D., & Teixeira, C. A. (2010). INDEPENDÊNCIA ENERGÉTICA DE GRANJA SUINÍCOLA A PARTIR DO USO DE BIOGÁS. Revista Engenharia Na Agricultura - Reveng, 18(3), 248-257. https://doi.org/10.13083/reveng.v18i3.225

Edição

Seção

.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)