QUALIDADE DA PRODUÇÃO DE BATATAS EM fUNÇÃO DA MOBILIZAÇÃO DO SOLO

Autores

  • Haroldo Carlos Fernandes
  • Daniel Mariano Leite
  • Lara Santana Fernandes
  • Paula Cristina Natalino Rinaldi

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v21i2.310

Palavras-chave:

máquinas agrícolas, plantio direto, batata

Resumo

Objetivou-se com este trabalho utilizar uma plantadora de batata para operar em solo cuja superfície não havia sido revolvida (plantio direto) ou pouco revolvida (cultivo mínimo); avaliar o desempenho da cultura instalada por meio de modificações da máquina e pelo plantio convencional. O experimento foi conduzido num delineamento em blocos casualizados, com as parcelas subdivididas e quatro repetições. Pelos resultados obtidos, conclui-se que: a produção de tubérculos comerciais não foi afetada pelos tratamentos e atingiu a média de 28.266 kg ha-1; sem amontoa o cultivo mínimo propiciou maior número e massa de tubérculos não comerciais; e que a amontoa, operação considerada imprescindível por alguns autores, se mostrou dispensável nas condições em que foi conduzido o experimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2013-04-18

Como Citar

Fernandes, H. C., Leite, D. M., Fernandes, L. S., & Rinaldi, P. C. N. (2013). QUALIDADE DA PRODUÇÃO DE BATATAS EM fUNÇÃO DA MOBILIZAÇÃO DO SOLO. Revista Engenharia Na Agricultura - REVENG, 21(2), 115–121. https://doi.org/10.13083/reveng.v21i2.310

Edição

Seção

Mecanização Agrícola

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >> 

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.