USOS DE GEOPROCESSAMENTO NA AVALIAÇÃO DE DEGRADAÇÃO DE PASTAGENS NO ASSENTAMENTO ILHA DO COCO, NOVA XAVANTINA – MATO GROSSO, BRASIL

Autores

  • Gabriel Caymmi Vilela Ferreira Universidade Federal de Goias
  • Jose Ambrosio Ferreira Neto Universidade Federal de Viçosa

DOI:

https://doi.org/10.13083/reveng.v26i2.894

Palavras-chave:

pastagem degradada, sensoriamento remoto, assentamento rural

Resumo

A pecuária extensiva tem sido a principal forma de produção da bovinocultura de corte no Brasil. A pastagem, por sua vez, tem papel central neste sistema, pois é a principal fonte de alimentação. Neste trabalho, buscou-se apresentar técnicas de sensoriamento remoto que possam identificar e classificar pastagens em diferentes processos de degradação, por meio da Cobertura Vegetal da Pastagem – CVP. Constataram-se cinco classes diferentes de degradação no Assentamento Ilha do Coco – MT, além do processo de evolução da pastagem ao longo do tempo, ao comparar-se o período inicial de criação com o período atual (2014). Verificou-se que, ao longo do tempo, a degradação da pastagem diminui neste assentamento, fruto de uma diminuição na taxa de lotação do gado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Caymmi Vilela Ferreira, Universidade Federal de Goias

Mestre em extensão rural Professor no setor de desenvolvimento rural

Jose Ambrosio Ferreira Neto, Universidade Federal de Viçosa

Doutor Professor no departamento de Economia Rural

Downloads

Publicado

2018-04-20

Como Citar

Ferreira, G. C. V., & Ferreira Neto, J. A. (2018). USOS DE GEOPROCESSAMENTO NA AVALIAÇÃO DE DEGRADAÇÃO DE PASTAGENS NO ASSENTAMENTO ILHA DO COCO, NOVA XAVANTINA – MATO GROSSO, BRASIL. Revista Engenharia Na Agricultura - Reveng, 26(2), 140-148. https://doi.org/10.13083/reveng.v26i2.894

Edição

Seção

Mecanização Agrícola